Exclusivo!

Teatro, música e dança no encerramento da III JECC

A Lira Santa Cruz foi destaque no III JECC do CEPJO (foto: Landisvalth Lima)      Na noite desta quinta-feira (07) foram apresentadas ...

Novidade

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Joaquim Barbosa: 'Desleal e caipira, Peluso manipulou julgamentos do STF'


Relator do processo do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal) e futuro presidente da corte, o ministro Joaquim Barbosa chamou seu colega de tribunal Cezar Peluso de "ridículo", "brega", "caipira", "corporativista", "desleal", "tirano" e "pequeno" em entrevista publicada nesta sexta-feira (20) no jornal "O Globo". Barbosa é desafeto de Peluso e também de Gilmar Mendes, ex-presidentes do STF.
Ministro Joaquim Barbosa
Nesta semana, com a posse de Carlos Ayres Britto na presidência do tribunal no lugar de Peluso, a crise entre os ministros foi escancarada. As declarações de Barbosa ao jornal carioca foram para rebater uma entrevista que Peluso concedeu ao site "Consultor Jurídico", em que ele fala sobre os problemas de saúde de Joaquim Barbosa (que trata uma doença crônica na coluna, que o obrigou a tirar licença médica), além de considerá-lo "inseguro" e uma pessoa de "temperamento difícil".
Ministro Cezar Peluso
Ao chamar a gestão de Peluso de "desastrosa", Barbosa ressaltou ainda que ele "incendiou o Judiciário inteiro com a sua obsessão corporativista". "As pessoas guardarão a imagem de um presidente do STF conservador, imperial, tirânico, que não hesitava em violar as normas quando se tratava de impor à força a sua vontade", afirmou.
"Peluso inúmeras vezes manipulou ou tentou manipular resultados de julgamentos, criando falsas questões processuais ou simplesmente para tumultuar e não proclamar o resultado que era contrário ao seu pensamento." Barbosa também disse que Peluso tratou seu problema de saúde, que o obrigou a faltar inúmeras sessões no STF, de forma desrespeitosa. Ele também comentou o fato de ser o único ministro negro do tribunal: "Alguns brasileiros não negros se acham no direito de tomar certas liberdades com negros. Você já percebeu que eu não permito isso, né?".
Informações da Folha de São Paulo.