Este blog está censurado!

A Meritíssima Juíza de Direito da Vara Cível da Comarca de Cícero Dantas, Dra. Denise Vasconcelos Santos, desde o dia 17.10.2011, ordenou a retirada de postagens que "denigram" o prefeito de Heliópolis Walter Rosário, bem como efetuar novas inserções negativas ao nome do alcaide.

Exclusivo!

Não há mais favorito em Poço Verde

Iggor Oliveira no corpo-a-corpo e Eduardo Milton recebendo reforço de campanha (foto: Facebook dos candidatos) A eleição municipal em ...

Novidade

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Não há mais favorito em Poço Verde

Iggor Oliveira no corpo-a-corpo e Eduardo Milton recebendo reforço de campanha
(foto: Facebook dos candidatos)
A eleição municipal em Poço Verde chega à última semana num nível de disputa inimaginável. A vantagem estúpida que o candidato Iggor Oliveira tinha no início já é tão pequena que nos leva a pensar que qualquer resultado é perfeitamente possível. A candidatura de Eduardo Milton deu um ânimo incontestável ao grupo político encastelado no poder. O ex-prefeito Toinho de Dorinha entrou de vez na campanha e ajudou sobremaneira a diminuir o terreno perdido. Ninguém fala mais em 3 mil votos de vantagem.
Mas ainda há dois probleminhas que não foram resolvidos pela chapa liderada por Eduardo Milton: o atraso do funcionalismo e o indeferimento da candidatura de Edna Dória. Se o problema envolvendo a vice é coisa para os magistrados resolverem, o pagamento do funcionalismo é um problema de Tiago Dória. Não seria exagero afirmar que o maior cabo eleitoral de Iggor Oliveira é o atual prefeito. A vantagem do candidato do PSC só é ainda visível por haver muitos servidores preparando-se para a chamada vingança nas urnas.
Já é praticamente visível a mínima diferença entre as duas candidaturas, mas muitos dizem que quem decidirá o pleito tem no título de eleitor a profissão de servidor público. Se não houver pagamento, resta saber qual o nível de esperança dos servidores em Eduardo Milton, a ponto de provocar esquecimento e abrandamento do ódio. Também, resta saber quão carismático será o candidato do PSC, para driblar a desconfiança e fazer nascer uma nova esperança neste mesmo servidor público, completamente desacreditado nos políticos e nos administradores públicos de Poço Verde.
Falta carisma
Até que o PCdoB de Heliópolis tem levado um número considerável de pessoas aos seus comícios. A multidão levada pelo prefeito Ildinho no sábado ao povoado Tijuco foi apenas um pouco superior ao povo que lotou as ruas do mesmo povoado no domingo. A diferença é de carisma. O povo da coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir fica até o final. Só sai quando acaba o discurso de Ildinho. Quando o candidato a prefeito Mendonça começa a falar nos comícios do PCdoB, metade do povo já está disperso.
Gesto humano
Pela primeira vez na história da política de Heliópolis, Antônio Jackson Maranduba de Souza mostrou-se preocupado com as pessoas. Fez um discurso indignado. Afirmou que Ildinho só tinha olhos para dois candidatos a vereadores e que os outros da coligação liderada pelo PSL estavam sendo humilhados. Com o objetivo claro de espalhar discórdia no grupo adversário, Jackson se mostra bem mais humano do que se espera. Chega a ser comovente!
Jogo duplo
Um cabo eleitoral da coligação A mudança se faz com todas as forças, que se orgulha loroteiramente muito em nunca ter perdido uma eleição, está fazendo jogo duplo. Pode apoiar uma candidata a vereadora da coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir, ninguém sabe em troca de que. Talvez seja gratidão, o que não acreditamos, ou negócio mesmo. Estamos ainda bem longe de uma eleição plenamente republicana.
Manoel do Bonfim
Quem está muito animado é o professor e candidato a vereador Manoel do Bomfim. Conversou sobre sua situação política e disse que está muito bem, disputando uma vaga de forma concreta no município de Fátima. Ele disse que o grande sonho é trabalhar como faz a vereadora Ana Dalva, da Rede Sustentabilidade de Heliópolis, exemplo de como fazer política sem sujar sua história. Manoel está na coligação de Sorria, mas como é o único candidato do povoado Bomfim, há muitos eleitores de Binho que vão cruzar o voto.
Encerramento
A coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir fará seu encerramento nesta quarta-feira (28). A coligação liderada pelo PCdoB terá a quinta-feira, o último dia de campanha, para o fechamento de sua caminhada. Dois comícios concorridíssimos, mas que não mais decidem nada. Neste ponto da estrada, são pouquíssimos os que estão indecisos. Serve para ver o poder de organização dos grupos e a capacidade de resistência dos eleitores e políticos. Para quem gosta é uma festa!

domingo, 25 de setembro de 2016

Lula mandando mensagem para os amigos

Ildinho leva multidão ao Tijuco

Uma multidão lotou o povoado Tijuco (foto: Landisvalth Lima)
O penúltimo comício da coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir foi realizado neste sábado (24) no povoado Tijuco. Considerado um reduto do candidato do PCdoB, o povoado é um dos mais antigos. Foi formado bem antes de Heliópolis existir. Fala-se que negros fugidos da fazenda Mercador, em Simão Dias, no estado de Sergipe, foram os seus primeiros moradores. Com o objetivo claro de mostrar força, a coligação lotou a principal avenida do Tijuco. Um público nunca antes visto e uma participação coletiva que só acabou com o último discurso. 
Além dos candidatos a vereadores da coligação, do candidato a vice e do prefeito Ildinho, o encontro contou com a participação do deputado federal José Nunes. A chegada de carros e motos ao povoado formou uma trilha de luz ao longo da BA-393, a partir do Ecoposto. O ponto forte do encontro foi a animação. No povoado há uma candidata a vereadora pelo PMDB, partido da base da coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir, Nilda Santana, que fez a abertura dos pronunciamentos da noite. A coligação adversária, denominada A mudança se faz com todas as forças, liderada pelo PCdoB, fará também o penúltimo comício no povoado,no domingo (25).
Para ver mais fotos do evento, dê um clique AQUI.

sábado, 24 de setembro de 2016

Políticos de Heliópolis sem aumento

Maioria decide pela permanência dos vencimentos
     Pela primeira vez na história do município de Heliópolis não houve majoração dos vencimentos dos agentes públicos. Prefeito, vice-prefeito, vereadores e secretários continuarão recebendo os mesmos vencimentos nos próximos quatro anos. Além da vereadora Ana Dalva, que havia se recusado a votar no aumento proposto, os vereadores Ronaldo Santana, Valdelício Dantas da Gama, José Clóvis Pereira e Zeic Andrade votaram contra o aumento. Mesmo sem acordo, o presidente da câmara convocou reunião extraordinária para última sexta-feira (24) e colocou as duas resoluções, a 01 e 02/2016, a primeira para aumento dos vencimentos dos vereadores e a outra para aumento dos vencimentos de prefeito e vice. Ana Dalva não participou da sessão. O placar foi 4 a 3. Votaram a favor das resoluções Doriedson Oliveira, Claudivan Alves e José Mendonça Dantas. Nem mesmo equiparar os vencimentos dos vereadores aos vencimentos do secretário foi possível. Por isso, a bancada governista votou em bloco contra as proposituras. Assim, o prefeito receberá 9 mil, vice 4,5 mil, secretários 3,5 mil e vereadores 4,5 mil.

Poço Verde já tem um imortal

Manoel Messias Rodrigues Santos: das Lajes para a ALA (foto: Gaudy Rabelo)
No dia 20 de abril de 2015, uma tragédia se abatia sobre uma família do povoado Lajes, em Poço Verde. Aos 67 anos, Pedrinho de Risoleta, como conhecido, de identidade Pedro Joaquim dos Santos, era encontrado morto. Estava com várias perfurações no corpo provocadas certamente por punhal ou faca. No último dia 20, exatamente 19 meses depois, Manoel Messias Rodrigues Santos toma posse na Academia de Letras de Aracaju - ALA. O filho de seu Pedrinho de Risoleta, do povoado Lajes, de Poço Verde, virou imortal. A vida é feita de momentos trágicos e de conquistas.
O menino Manuel foi adolescente estudar em Aracaju. Virou pedagogo. Depois fez Letras com espanhol, seguiu o mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Sergipe e fez especialização em psicopedagogia. A ligação dele com o magistério começou quando, em sua terra natal, ensinava catequese na igreja. Sem vocação para parar de estudar, agora é doutorando em Salvador. Nas horas vagas, é professor do Instituto Federal de Educação em Aracaju e leciona na Faculdade Pio Décimo. Se sobrar um tempinho, topa fazer palestras.
Além da tragédia enfrentada por toda sua família, Manuel Rodrigues também lutou contra todos os tipos de preconceitos, comuns aos interioranos e aos que pensam e agem de forma diferenciada. Mas o mundo trata melhor os vitoriosos. Agora Manoel virou imortal, levando um pouco de todos nós para a Academia de Letras de Aracaju. Entrou na instituição como estudioso da literatura brasileira, ocupando a 30° cadeira, que leva o nome de Emília Rosa Marsillac Fontes. Também e autor de vários trabalhos acadêmicos.
No mesmo dia, tomaram posse, além de Manuel Rodrigues, 17 outros imortais, como a cantora Amorosa, na cadeira de Araripe Coutinho, e Ireneu Fontes, na cadeira de Yara Vieira. Veja a lista completa dos novos acadêmicos, com informações da Academia de Letras de Aracaju e do portal CNNPV:   
Antonio Porfírio de Matos Neto (Genolino Amado); Sandra Maria Natividade (Amando Fontes); Pascoal D´Ávila Maynard Júnior (Gizelda Morais); Antonio Bittencourt Junior (Manoel Bomfim); Sonia Maria Azevedo Viana (Ofenísia Soares Freire); Rangel Alves da Costa (Fausto Cardoso); e Paulo Sérgio da Silva Santos (João Ribeiro); Ana Maria Leal Cardoso (Alina Paim);  Manoel Messias Rodrigues Santos (Emília Rosa de Marsillac Fontes); Joao Paulo Gama Oliveira (José Silvério Leite Fontes); Carolina Angélica Dantas Naturesa (Regina Lúcia Spinelli); Antonia Amorosa de Menezes (Araripe Coutinho); Waldefrankly Rolim de Almeida Santos (Fernando Porto); Péricles Morais de Andrade Junior (Acrísio Cruz); Danilo Sampaio (José Sampaio); Ismael Pereira de Azevedo (Epifânio Dória); e Irineu Silva Fontes Júnior (Yara Vieira).

VI - Poucas e boas

Dezenas de pais e mães compareceram ao CEJDS (foto: Landisvalth Lima)
Deferido
O Juiz da 110ª Zona eleitoral de Ribeira do Pombal indeferiu o pedido de impugnação feito pela coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir contra a candidatura a vice-prefeito de Adilson Oliveira de Andrade, em substituição a Aroaldo Barbosa, então vice-prefeito da coligação A mudança se faz com todas as forças. Desta forma, estaria a chapa Mendonça/Adilson distante de problemas?
Multa
Além de não aceitar a impugnação, o Juiz foi muito duro com a coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir. Disse que a impugnação é “muito mais um expediente para protelar e tentar causar tumulto ou instabilidade na chapa impugnada, quando sabidamente tinha o impugnante conhecimento da impossibilidade de acolhimento de seu pleito.” Mais adiante, o magistrado afirma na sentença que o “processo não pode servir de instrumento de perseguição ou desvio de finalidades, levando o judiciário a se deparar e movimentar sua máquina para solução de picuinhas políticas e construção de capital por quem o ajuíza.” Resultado da decisão, além do deferimento da candidatura de Adilson: multa de 2.640,00 (3 salários mínimos) e pagamento de honorários advocatícios no valor de 1.760,00.
Recurso
Mas não é bem assim que pensa o setor jurídica da coligação do prefeito Ildinho. Nesta tarde de sexta-feira (23), em peça jurídica assinada pelo advogado Vinicius Andrade Alves Nascimento, a coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir interpôs com Recurso Ordinário contra a sentença, solicitando revisão da decisão ou remeter os autos ao Tribunal Regional Eleitoral – TRE.
Não renunciou
O dr. Vinícius sustenta a tese de que Aroaldo Barbosa deveria ter renunciado à candidatura. O fato de o juiz tê-lo impugnado não significa que ele deixou de ser candidato, já que ainda havia prazo para entrar com o devido recurso contra a decisão do Juiz. Bastava renunciar à candidatura ou ao prazo de recurso, que terminaria dia 14 de setembro, já que a sentença foi dada dia 11 do mesmo mês. Portanto, para o advogado, não houve trânsito em julgado e o cargo não estava vago.
Desincompatibilização
Mas a dor de cabeça da coligação A mudança se faz com todas as forças não termina por aí. No recurso, o advogado insiste na questão da desincompatibilização de Adilson. Ele é Oficial de Administração da Prefeitura Municipal de Heliópolis e pediu afastamento dia 1 de julho de 2016 por pretender concorrer a um mandato. Como não foi escolhido na convenção, Adilson deveria ter se apresentado ao trabalho porque teve sua desincompatibilização revogada pela portaria 036/2016. Ele não retornou e não há nenhuma legislação que regulamente casos como este. Três servidores estão nesta enrascada, além de Adilson: Adnaldo Arcanjo de Santana e Josefa Verônica Tavares Reis Andrade.
Ausência de má fé
Também a coligação contesta a existência de má fé e pede reforma da sentença, excluindo-se a condenação ao pagamento de multa e honorários advocatícios. A apenas 10 dias da eleição, a insegurança jurídica pode atrapalhar a coligação liderada pelo PCdoB. E tudo foi de graça. Poderia ser tudo isso evitado, se a teimosia e arrogância não tomassem o juízo de alguns políticos. Quem não se lembra de um prefeito que insistia na candidatura de sua esposa e tudo acabou em água? Não se colhe cereja quando se planta milho.
Outra multa
O juiz Paulo Henrique Santos Santana, da 110ª Zona Eleitoral, também foi cruel com a coligação A mudança se faz com todas as forças. Representação feita pela coligação do prefeito Ildinho pediu providências contra as propagandas ainda de 2012 que beneficiavam o atual candidato do PCdoB, vereador José Mendonça. Não deu outra: multa de 15 mil reais. Pode não doer na alma, mas no bolso é dor aguda demais.
Pais do CEJDS
Dezenas de pais, mães e responsáveis compareceram ao salão do Colégio Estadual José Dantas de Souza, obedecendo à convocação feita pela direção da escola. O objetivo era passar informes e debater problemas diversos que estão influindo na aprendizagem dos estudantes. Foram debatidos ainda assuntos relacionados à participação dos estudantes no Enem, dúvidas sobre a reformulação do ensino médio, fim do Conselho de Classe, melhorias e deficiências da escola e formas de combater o baixo rendimento escolar. Na reunião foram escolhidos 11 pais/responsáveis para contribuir com ideias que possam melhor desenvolver o Colégio Estadual José Dantas de Souza. Uma ação nota dez! 

terça-feira, 20 de setembro de 2016

V – Poucas e Boas

Cinco mil pessoas lotaram o calçadão da Régis Pacheco (foto:Landisvalth Lima)
5 mil almas
O comício da coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir no último domingo (18) foi o maior já realizado por um grupo político em Heliópolis. Os mais de 2 mil metros quadrados reservado para o evento, na já antiga Praça do Forró ou Rua das Pedrinhas, caso estivesse totalmente lotado, abrigaria 8 mil pessoas. Tirando os espaços vagos na pista do lado direito e os espaços de veículos e barracas, pensar em 5 mil almas é perfeitamente aceitável. Será difícil superar esta marca. Até mesmo a coligação do prefeito Ildinho terá dificuldades em atrair mais pessoas para comícios, mas não é bom apostar. Para ver fotos deste evento, dê um clique AQUI.
Queda nas apostas
E por falar em apostas, a crise também está afetando este setor informal. Na última eleição eram incontáveis os bens emparelhados à espera dos resultados. Nesta eleição, o que há é muito fanfarrão. Chamam para apostar, mas, na hora h, caem fora. Sem falar nas desculpas esfarrapadas. Um rapaz disse que apostava 20 mil num dado candidato e, quando o dinheiro apareceu, ele disse que só apostava em gado. Quando o gado apareceu, disse que estava magro. Trouxeram então várias cabeças de vacas gordas e ele disse que só queria se fosse nelore. Tá difícil!
Campanha pobre
Apesar de ter sido uma eleição bem curta, há candidatos pedindo a Deus para a campanha encerrar. O motivo é a falta de dinheiro. Tem candidato pedindo 50 reais emprestado à mãe para botar gasolina na moto e continuar pedindo voto. A coisa está tão séria a ponto de um candidato tomar um porre alcoólico e ser carregado para casa pelos adversários. Pelo menos ali estava esquecendo um pouco os débitos e compromissos.
Vice indefinido
Até esta manhã de terça-feira (20), a situação de Adilson Oliveira, candidato a vice-prefeito na chapa da coligação A mudança se faz com todas as forças, liderada pelo vereador comunista José Mendonça Dantas, continuava indefinida pendente de julgamento. Também não há ainda a renúncia de Aroaldo Barbosa. A trama está tão enrascada que ninguém sabe se é jogada política ou burrice jurídica. O que se sabe é que a coisa tem saída, mas requer muita habilidade. O problema maior é o tempo. Se piscar, 2 de outubro já chegou. Esta indefinição é mais uma pedra no sapato do PCdoB.
Praça dos Estudantes
A candidata a vereadora Nilda Santana fez um afago na vereadora Ana Dalva ao pedir ao prefeito Ildinho que apoie a criação da Praça dos Estudantes onde hoje é o campo de futebol, ao lado do Colégio Estadual José Dantas de Souza. Como o projeto do Estádio de futebol já está em andamento, Ana Dalva quer a construção da praça no local do campo e a transformação do antigo mercado de carne num centro de arte, o que ela chama de Mercado Modelo. Quem também gostou da ideia foi o candidato a vereador Van da Barreira do Tubarão.
Riacho do limão
Alguém poderia dizer onde fica o Riacho do Limão? No programa de governo da coligação A mudança se faz com todas as forças, além de apresentar duas plataformas de infraestrutura, aparece como proposta a transposição do Riacho do Limão para o açude de Heliópolis. Este blog fez uma pesquisa e não descobriu onde fica o tal riacho. Solicitamos a ajuda dos leitores para localizarmos. Pode ser uma grande obra e deverá resolver por definitivo a nossa carência hídrica.
Político sofre...
Não há coisa mais difícil que conseguir um voto em tempos de eleição apertada. Qualquer problema pode colocar o candidato em situação ruim. Veja o caso de uma família que sempre votou em dado candidato. Um dia, o marido brigou com a mulher. O pau quebrou e não mais se entenderam. Para fazer raiva à ex, o marido construiu uma casa ao lado da dela e, ao ver que ela continuava votando no candidato de sempre, mudou de lado. Ao fazer visita ao antigo aliado, ouvi a frase: “Onde aquela zinha estiver eu não estarei”.
... e eleitor também!
Um eleitor saiu de sua casa, anda mais de três quilômetros, sobe numa carroceria de uma camionete e chacoalha até a cidade. Uma multidão se forma. Os pés já doem, a fome aperta. Escuta duas horas de discursos e promessas. Depois, o retorno após 7 ou 8 horas de jornada. No dia da eleição vota e espera a vitória. Se ela ocorrer, espera quatro anos pelo cumprimento do prometido. Isso tudo para ver uma rua calçada, uma escola melhor ou ter atendimento médico no posto de saúde mais próximo. Se foi enganado pelo político eleito, volta a fazer tudo novamente. É mais um eterno esperar. Democracia não é fácil!

sábado, 17 de setembro de 2016

IV – Poucas e boas

Povo compareceu ao povoado Viuveira (foto:Vitor Marrocos/Facebook)
Nova impugnação
A coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir entrou com impugnação contra a candidatura a vice-prefeito de Adilson Oliveira Andrade, o Adilson de Aroaldo. O motivo foi o não atendimento da convocação para o retorno ao emprego público que tem na Prefeitura Municipal. Também Adilson não justificou o porquê de não ter reassumido. É mais um problema para que a conturbada chapa do 65 resolva e possa estar completa antes da eleição. Do ponto de vista de impedir a candidatura, entretanto, há controvérsias. O registro de impugnação já está no blog do Joilson Costa.
Velhas pragas
Ainda estamos longe do processo democrático de fato. São ainda infindáveis o número de eleitores que ficam “indecisos” durante o processo eleitoral. A indecisão é sempre uma dívida a ser paga, contas de luz ou de água, consertos de motos, a tv que pifou, a passagem para São Paulo, o emprego que precisa etc, etc, etc. Esperteza, ambição e miséria atormentam candidatos, afundam novas ideias, cancelam candidaturas e fazem os novos candidatos malharem em ferro frio. Labuta maior é para os que querem continuar na luta republicana. O terreno, pois, ainda continua fértil para candidatos corruptos, oportunistas e populistas. Aqueles que dão um pouco hoje para tirarem fortunas amanhã dos cofres públicos.
Ina Valéria e Lourinaldo
Dois candidatos lutam por um espaço nas suas respectivas coligações. Ambos são professores do Colégio Professor João de Oliveira – CEPJO. Os dois precisam de uma mãozinha da sorte. Ina Valéria precisa, além de muitos votos, de um desempenho superior de sua coligação, que tem como candidato a prefeito Iggor Oliveira. Seus seguidores indicam que a coligação dela fará cerca de sete cadeiras na câmara de Poço Verde. Se estas previsões forem corretas, Ina deve chegar lá. Além disso, a candidata conta com o desejo de mudança de perfil do eleitor, o que não é muito comum nesta política assistencialista de Poço Verde. Já Lourinaldo, que parece andar bem na caminhada liderada por Luís Américo, do PRB, precisa que os seus colegas de chapa tenham desempenho também muito bom. O quociente eleitoral para eleger um vereador em Poço Verde deve ficar entre 1350 a 1400 votos.
Pichações do 65
A coligação Pra Heliópolis continuar a sorrir entrou com representação contra pichações do PCdoB em muros por todo o município. Não, não foram feitas pela coligação A mudança se faz com todas as forças. São pichações e pinturas da eleição passada, mas que têm o mesmo número do atual candidato Mendonça. O Juiz Eleitoral deu 48 horas para a retirada da propaganda irregular.
Dois candidatos a vice
A assessoria jurídica do candidato da coligação liderada pelo PCdoB terá muito que explicar. Se uma decisão tomada por um juiz de 1ª Instância pode ser recorrida, um candidato impugnado nesta situação não tem que renunciar para poder ser substituído? Pois bem, Aroaldo Barbosa ainda não renunciou. Como Adilson será candidato? Há espaço para dois vices? Tem coisas que só o PCdoB de Heliópolis sabe fazer.
Pesquisas
Há muitas pesquisas nestas eleições, mas ninguém se atreve a registrar para que possamos aqui divulgar. Tivemos acesso a algumas que indicam muita disputa. Há municípios que estão na base do empate técnico e no empate numérico, mas dois municípios chamam atenção. Nestes, há candidatos que ultrapassam 60 por cento da preferência do eleitorado. Os jornalistas estão apostando em um dos dois como o campeão de votos do Semiárido Nordeste II. Em ambos os casos, as respectivas coligações para vereador devem fazer muito mais que 60% das vagas do Legislativo.
A propaganda continua
Eleitores questionam o motivo de ainda continuarem a divulgação das propagandas da coligação liderada pelo PCdoB em Heliópolis com o nome do ex-prefeito Aroaldo Barbosa. Embora os carros de som já falam em Adilson de Aroaldo, até o programa eleitoral continua com Aroaldo Barbosa pedindo voto e prometendo assistência médica 24 horas no município. Do ponto de vista legal, Aroaldo Barbosa ainda é vice. Ele ainda não renunciou ou não comunicou seu afastamento da disputa eleitoral. É mais um pepino para o PCdoB digerir.
Viuveira e panfletagem
A coligação do prefeito Ildinho fez na sexta-feira (16) mais um encontro. Desta vez foi no povoado Viuveira. Mais uma vez o povo compareceu em massa. Tudo começou com uma concentração no povoado Serra dos Correias. Após os discursos, houve uma carreata no retorno a Heliópolis. A coligação do candidato Mendonça fez neste sábado (17), pela manhã, uma panfletagem com mulheres com concentração no Comitê Central. Também saíram pelas ruas da cidade fazendo muito barulho.
Concursados X Lula
Quando a coisa não está boa tende a piorar. Luís Inácio Lula da Silva já foi bom de gogó. Hoje, passa longe de uma boa lorota. Chegou a comparar um político, mesmo corrupto, com o servidor concursado. Bastou isso para deixar milhares injuriados. Os repúdios na Internet chegaram aos milhões, mas até agora não houve um pedido de desculpa formal. Além de morrer pelo bolso, pode morrer pela boca. Vamos ver os professores concursados, seus defensores, o que dirão. O melhor que fazem é ficar em silêncio!

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

A caminhada da paz

O povo vai às ruas pela paz (foto:Ana Lúcia)
A campanha em Heliópolis esteve por um triz para descambar pela estrada da violência. Um fogo de artifício, soltado na direção das pessoas que se encontravam em frente ao Comitê do atual prefeito Ildinho, acabou por atiçar os ânimos e quase transformar a eleição numa guerra. Informações colhidas pelo blog indicam que o provocador da confusão é um membro da família do Sr. Catonho, ex-candidato a vereador, irmão do ex-vereador Mundinho do Tijuco. O Rapaz, quando soube do estrago que tinha feito, pediu desculpas. Várias pessoas ficaram feridas, inclusive o ex-prefeito Genival Nunes.
É mesmo possível que o rapaz que soltou o rojão não tenha tido esta intenção. Ele chegou a dizer que a bomba foi para o lugar errado. Ele foi apenas imprudente. Talvez para mostrar força e fazer firula, já que estava na passeata da coligação A mudança se faz com todas as forças, soltou o artifício em frente ao comitê do adversário, gerando todo acidente. Como os ânimos estão acirrados, veio logo à cabeça a ideia de um atentado ou provocação do adversário. Lamentável foi que a coligação liderada pelo PCdoB não divulgou uma notinha sequer explicando o incidente. Coube ao rapaz livrar sua culpa pedindo desculpas.
Para evitar um mal maior, o prefeito Ildinho resolveu transformar o bate-papo da Melancia numa Caminhada da paz. E deu certo. Não há mais senões e as feridas dos atingidos estão sarando. A passeata, com a maioria das pessoas vestida de branco, foi uma resposta aos que desejam que a disputada democrática se transforme numa guerra. Afinal, elegeremos dia 2 de outubro os administradores da cidade e não guerreiros para jogos vorazes. Uma multidão passou por várias ruas da cidade e foi parar no Bairro da Melancia. O palanque foi armado ao lado do bar de Loga. Não houve nem mesmo tempo de os vereadores falarem. Só Beto Fonseca, Professor Kleber, Zé do Sertão e Ildinho discursaram. O evento terminou como começou: na paz.

Para ver mais fotos da Caminhada da Paz, dê um clique AQUI

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Qual o discurso agora?

Adilson Barbosa já substitui o pai (Fonte:TSE)
A oposição em Heliópolis é um improviso só. Espera as coisas acontecerem para depois ver como vai consertar. Agora, com a confirmação da inaptidão da candidatura de Aroaldo Barbosa, estão agindo rapidamente. Já está no sistema do TSE o cadastramento do substituto do ex-prefeito. A situação foi resolvida na família mesmo. Sai Aroaldo Barbosa, que foi sem nunca ter podido ser, e entra Adilson Barbosa, o filho, que enfrenta a peleja pela segunda vez. Na eleição passada foi vice do indigitado ex-prefeito, e membro nato da Operação 13 de Maio, Walter Rosário. A situação é crítica. Terá que recuperar o tempo perdido numa chapa que ainda não conseguiu o rótulo de favorita. Finalmente, o vereador Mendonça tem uma chapa completa para, de fato, disputar o pleito, claro, competindo à Justiça Eleitoral a palavra final.
E como vão justificar a teimosia? O que dirá a coligação A mudança se faz com todas as forças? A mentira seria uma destas forças? Ou vão alegar que não sabiam de nada? Não seria a primeira vez. Lula não sabia de nada e a Dilma também, porque só o PCdoB tem que saber? E as gravações do vereador Giomar dizendo que era picuinha do grupo adversário? Como ele vai explicar tudo isso? Como poderão recuperar o tempo perdido em apenas 16 dias de campanha? Será que perceberam que o tempo da atual campanha é curto e não dá para manobras arriscadas? Ficou alguma lição de tudo isso? 
As respostas só teremos nos próximos capítulos desta novela, que terá o seu final por volta das 22 horas do dia 2 de outubro vindouro. Acreditamos que, pelo cenário que se consolida, não haverá grandes mudanças. Os políticos envolvidos devem inventar mais algumas mentiras e ficará por isso mesmo. Os eleitores ideológicos, fanáticos e vingativos votarão na chapa seja lá o vice que houver. Os eleitores conscientes já tomaram suas decisões. Nada mudará, desde que não haja nenhum terremoto ou fato novo. Também, pelo lado do grupo governista, não pode passar pela cabeça do prefeito Ildinho a ideia de relaxar. A oposição não morreu, está apenas cambaleando. Equilibrar-se é uma questão de tempo. Basta saber jogar o jogo correto, limpo, sem senões. Teria competência para isso?