Exclusivo!

Novo Triunfo é a cidade mais pobre do Brasil

Novo Triunfo é a cidade mais pobre do Brasil (foto: Google) Ser Nordeste duas vezes não é fácil. Nossa região está localizada no Norde...

Novidade

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Terceirizados do Estado da Bahia sem salários há mais de três meses

 
Pedro Fernando
(foto: Luiz Sales/Blog do Gomes)
Os funcionários contratados por empresas terceirizadas que prestam serviços ao Governo do Estado da Bahia cruzaram os braços desde o dia 2 de setembro. Eles estão há mais de três meses sem receber salários. Parece que a pregação de que o serviço público deve ser terceirizado para melhorar a sua qualidade, na Bahia, não passa de falácia. Nada dá certo no governo do PT. Quando o governo é ruim, qualquer sistema é falível. O governador Jaques Wagner parece que chegou ao fim antes de terminar. Não consegue nem mesmo pagar os terceirizados e também mostra-se distante de promover abertura de concurso público para suprir necessidades nestes setores.
Em entrevista dada ao Blog do Gomes, os grevistas disseram que as empresas BC Serviços (atraso de três meses) e Shalev (atraso de dois meses) chegaram até a marcar uma data para o pagamento dos atrasados, mas não cumpriram o combinado. Daí, os terceirizados foram obrigados a cruzar os braços. Além de enfrentarem a falta do pagamento, muitos funcionários estão sendo coagidos a voltarem ao trabalho sob ameaça de demissão. Na última terça-feira (10), o Diretor da DIREC 11, prof. Pedro Fernando, afirmou ao também Blog do Gomes que não se sabia com clareza o porquê desses atrasos nos pagamentos de salários, mas não se descartaria a possibilidade de o Estado estar enfrentando  um momento de redução nas suas receitas, gerada por diversos fatores. Lógico que o professor não quis dizer, e não podia, que os fatores são incompetência, longa folha de comissionados e a falta de um governo comprometido com as transformações sociais. Tudo que era bandeira do PT, no passado.
Mas Pedro Fernando praticamente colocou a culpa nas empresas. Disse que “a obrigação de saldar as dívidas com esses funcionários é das empresas, e não do Estado, uma vez que esses funcionários não pertencem ao quadro de agentes públicos do Governo, mas sim do quadro de funcionários dessas empresas contratadas para a prestação desses serviços. Em face disso, o principal motivo para o estopim dessa greve (vale ressaltar, entende como legítima) é a incapacidade e a falta de suporte econômico dessas empresas em honrar seus compromissos.” Perfeito! Mas o Estado não fez uma avaliação detalhada destas prestadoras de serviços? Ou elas são apenas empresas de fachada, que escondem muito mais do que a simples prestação de serviços? E outra: o Estado não deveria honrar compromissos com os pagamentos dos contratos? O que o Diretor da DIREC não pode dizer é que o Governador do Estado da Bahia, Jaques Wagner, é o grande responsável por tudo o que está acontecendo. 
Na mesma entrevista ao Blog do Gomes, Pedro afirmou que as empresas não tiveram seus contratos suspensos com a secretaria de educação. A suspensão foi com empresas da Casa Civil. Quando indagado sobre as supostas ameaças feitas aos grevistas, disse que em momento algum houve qualquer tipo manifestação de coação para com esses funcionários e lamentou a greve, afirmando que os grandes prejudicados nessa história são os alunos, que estão sendo privados de seus direitos educacionais, e, em maior amplitude, toda a coletividade. É verdade. Inclusive os próprios grevistas. Ficar três meses sem receber salário, é caso de polícia. É nessa hora que não se entende onde estão os Juízes, os Promotores, os Deputados, os Prefeitos, os Vereadores, a OAB, O Ministério Público. Alguém viu algum Senador bradando contra o atraso destes salários? E se fossem os salários destes senhores e senhoras? É lamentável que, como 6ª economia do mundo, tenhamos fatos como estes em pleno século XXI. E isso num governo de um partido que se diz dos trabalhadores. Dá para entender?