Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Cinco mulheres assassinadas em 48 horas na Bahia


Leidiane Brandão e Daniela Pereira – da Tribuna da Bahia

Em menos de dois dias, cinco mulheres foram assassinadas com requinte de crueldade. Na noite de domingo, duas amigas foram mortas na Rua João Brito, no Alto do Coqueirinho, bairro de Itapuã. Maiane Reis Santos, 26 anos, e Raquila Oliveira da Glória Matos, 24, foram assassinadas em via pública por traficantes da localidade, sendo que vários moradores presenciaram a ação. Maiane, que teve vários ferimentos na cabeça, sofrendo traumatismo craniano, foi socorrida para o Hospital Roberto Santos (HRS), morrendo minutos depois. Já Raquila, baleada em várias partes do corpo, foi levada para o posto médico de Itapuã, mas morreu ao dar entrada na unidade médica.
A população da cidade de Poções, a 44 km de Salvador, ficou chocada com o assassinato de Maria Rosa Aparecida de Jesus, 30. Após desentendimento com o marido, a vítima foi esfaqueada até a morte pelo companheiro Alexandre Gonçalves Campos. O crime ocorreu por volta das 23 horas do último sábado, dentro da residência do casal. Maria Rosa não resistiu aos ferimentos e morreu antes de receber atendimento médico. Segundo informações da polícia, Alexandre teria contado que a esposa teria descoberto uma traição dele. Ao arrumar as roupas para ir embora, Maria Rosa teria o agredido, desencadeando a discussão. Em depoimento, o acusado contou que teria dado duas pauladas na vítima para contê-la e, em seguida, desferiu duas facadas, que a atingiram no peito e na axila.
No último sábado, uma jovem foi assassinada pelo marido que desconfiava de uma suposta traição. Na tarde de domingo, o corpo de Fernanda de Souza Mendonça, 26, foi encontrado dentro de sua residência no bairro de Bom Juá. Além do espancamento, a vítima foi encontrada com um cabo de vassoura introduzido na genitália.
Em Juazeiro, a 500 km de Salvador, um homem degolou sua companheira na noite deste domingo. Marilde Ferreira da Silva, 28, foi encontrada morta em frente da sua residência por moradores. Ao chegar ao local, a polícia descobriu que o companheiro da vítima, identificado como Damião Risomar do Carmo Santos, de idade ignorada, cortou o pescoço e a barriga da vítima com um faca. O crime aconteceu na rua da Glória, no bairro Dom Tomaz, por volta das 22h50. Ainda segundo a polícia da cidade, o acusado, que está foragido, já tem passagem pela polícia por porte ilegal de armas e de drogas.
Morta no aniversário
A mesma dor dos familiares de Maria Rosa é compartilhada por Cristovão de Jesus Santos, 49, pai de Maiane. A filha comemorava o aniversário com alguns amigos, quando, por volta das 20 horas, três homens chegaram à porta da residência chamando pelas vítimas. Ao saírem para saber o que estava acontecendo, foram levadas para uma rua próxima, sendo espancadas a pauladas e alvejadas com vários tiros. Após a ação, os acusados ainda beberam em um bar, fugindo a pé minutos depois. O pai contou que no momento em que estavam sendo espancadas, testemunhas informaram que os assassinos chegaram a falar que Raquila sabia porque estava morrendo, sendo que Maiane também seria morta porque estava conspirando contra eles.
Ainda de acordo com Cristovão, os traficantes dominam a comunidade e se intitulam  como membro do 1º Comando Criminoso da Capital. Ele disse que há suspeita de que a filha estaria se relacionando com um homem que seria envolvido com o tráfico de drogas no bairro de São Cristóvão e seria rival dos assassinos. Ele não deu detalhes, informando não conhecer o rapaz. Maiane, que trabalhava como cabeleireira e manicure, deixou um filho de 9 anos. “Era uma boa filha. Sempre dei conselhos para o bem. Ela gostava muito de festas. Não merecia ter este fim. Morreu no dia do seu aniversário”, lamentou o pai, informando que o porrete usado no crime ainda estava no local na manhã de ontem.  O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Os agentes informaram que até  a tarde de ontem não tinham informações sobre os acusados nem a motivação dos assassinatos.