Novidade

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Enem 2011 confirma o fracasso da escola pública da Bahia

O Colégio Estadual José Dantas de Souza, de
Heliópolis, e mais 13.580 escolas públicas
ficaram fora da lista do Enem 2011

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou ontem, 22/11, os dados do Enem por escola, mostrando os resultados de 10.076 estabelecimentos, correspondendo a 40,56% do universo brasileiro do ensino médio. O critério para a seleção das escolas foi o de participação no Enem – ao menos 50% dos alunos devem ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio – e o número de estudantes concluintes do segundo grau (mínimo de 10 alunos). Tais critérios eliminaram um número considerável de escolas da nossa região Nordeste da Bahia. Pode ter sido também uma forma matemática para melhorar os números, que são, a cada ano, anúncios de uma educação caminhando para o fracasso total. Entretanto, o ministro da Educação Aloizio Mercadante explicou que o objetivo da divulgação é "permitir uma análise diagnóstica das escolas para fins pedagógicos", mostrando como seus alunos evoluíram a partir da prova do Enem. Um total de 13.581 escolas ficaram de fora por não terem tido 50% de taxa de participação. As escolas poderão consultar as suas notas a partir da segunda-feira, 26/11, no sistema do Inep.
Outra regra nova que acabou prejudicando algumas escolas foi com relação à nota de redação. Desta vez, os resultados foram calculados sobre as notas das provas objetivas do Enem, não sendo contadas as notas de redação. O presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa, explicou que a mudança na metodologia teve o objetivo de se obter dados mais justos: "As provas objetivas das quatro áreas – Linguagens e Códigos, Ciências Humanas, Ciências da Natureza, e Matemática – são corrigidas pela Teoria da Resposta ao Item (TRI), enquanto a redação tem outro tipo de correção". Ou seja, este outro critério não parece ser justo como aferidor do grau de aprendizagem. O ministro Mercadante anunciou que o MEC vai convocar as melhores escolas do Brasil a participar de um seminário para analisar as boas práticas. "As de maior sucesso são as que investiram na carreira docente e na formação do professor, que têm projeto pedagógico e oferecem tempo integral", concluiu.
Infelizmente, na nossa região, só as particulares tiveram certo sucesso. Só para se ter uma ideia, Ribeira do Pombal, Serrinha, Paripiranga, Paulo Afonso, Cícero Dantas, Tucano e Euclides da Cunha só aparecem na lista dos resultados do Enem 2011 por graça e esforço das escolas particulares. Próximo de nós, aparecem na lista Uauá (Colégio Cel. Jerônimo Rodrigues Ribeiro – nota 4,20), Rio Real (Colégio Marques Abrantes – nota 4,48), Fátima (Colégio Nossa Senhora de Fátima – nota 4,47) e Cipó (Colégio Professora Maria Macedo – nota 4,41), todas da rede estadual de ensino. E para completar o quadro, como é nosso vizinho mais próximo, também deve ser contabilizado o desempenho do Colégio João de Oliveira, de Poço Verde-SE, que obteve a maior média entre os públicos – nota 4,65. Não há necessidade de dizer que até os melhores precisam melhorar muito para serem os melhores, de fato. Todos os outros municípios da nossa região, aqui não nominados, estão fora da avaliação do Enem 2011. Os números não mentem, mas parece que ainda precisamos de uma tragédia maior para que nossas autoridades, pais, professores e alunos resolvam socorrer a nossa combalida educação.