Exclusivo!

Vereador é multado e devolverá mais de 13 mil à Câmara de Heliópolis

Giomar Evangelista recebeu subsídios indevidamente e vai ter que devolver  Bem que ele poderia ficar calado, mas, boquirroto e falastrã...

Novidade

domingo, 28 de junho de 2015

Duplo assassinato em Heliópolis

Nanã morreu no local (foto: Jorge Souza)
Os moradores das ruas Emiliano Vicente e Isaías Ribeiro passaram por momentos de pavor neste último sábado (27). Por volta de 22:30, após ouvirem disparos e gritos, viram uma camionete Fiat Strada, placa NVU – 3567, licença do município de Vera Cruz (BA). Nela estavam agonizando duas pessoas conhecidas por Marcos Antônio, o Nanã, e Lindelvan Silva do Nascimento, o Van, de 37 anos. Eles foram executados e ainda não são conhecidos os motivos. Nanã morreu no local, alvejado por quatro tiros, e Van, morador do povoado Angico, município de Fátima (BA), chegou ainda a ser socorrido e levado para o hospital em Poço Verde (SE), onde faleceu logo após receber os primeiros socorros.
A Polícia Militar chegou ao local vinte minutos após o acontecido e não conseguiu nenhuma pista que pudesse prender o autor ou autores do duplo assassinato. Logo foram acionados a Polícia Civil de Heliópolis e o DPT – Departamento de Polícia Técnica. Ainda não se tem maiores informações porque tudo foi apurado pela Delegacia Plantonista de Euclides da Cunha. O delegado de Plantão, dr. Osório Miguel Ramos, titular da delegacia de Cícero Dantas, vai liberar toda a documentação para Heliópolis somente nesta segunda-feira (29). Com auxílio da Prefeitura Municipal de Heliópolis, os corpos seguiram para o Instituto Médico Legal de Alagoinhas e só devem ser liberados no final da tarde desta segunda-feira. 
Policias militares não souberam dar detalhes da provável dupla execução, se vingança, queima de arquivo ou latrocínio. O que se sabe é que os dois mortos eram primos e provavelmente tenham se encontrado para diversão. Nanã, inclusive, minutos antes do fato, foi visto bebendo com amigos em um bar. Lindelvan Nascimento pode ter apenas acompanhado o primo e foi morto para não contar a história. Marcos Antônio, o Nanã, já foi vítima de atentado num passado recente e escapou. Ninguém confirmou se há envolvimento dele com algo ilícito, ficando a cargo do delegado de Heliópolis, José Nilson Tavares, maiores detalhes.