Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

sábado, 3 de novembro de 2012

Soldados de Assad cortam orelhas de rebeldes na Síria

Uma orelha sendo cortada na Síria

Um grupo de ativistas de direitos humanos na Síria divulgou neste sábado uma série de vídeos nos quais tropas do Exército do ditador Bashar Assad executam prisioneiros rebeldes e cortam suas orelhas, exibindo-as para a câmera. Um dos vídeos foi filmado em julho passado, na região de Latakia (noroeste do país), segundo o diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos, Rami Abdel Rahman. Nas imagens é possível ver um homem fardado segurando uma orelha e uma faca, enquanto ri em frente à câmera. Ao fundo, aparecem sete corpos mutilados no chão, todos aparentemente mortos. "Aqui está a orelha de um cão. Nós vamos ensinar a eles uma lição", diz o homem, em referência aos rebeldes que combatem, há 19 meses, o regime de Assad. Em outra cena, em meio a um grupo de homens trajando roupas militares, um homem se aproxima de um dos corpos e corta uma das orelhas com uma faca. Outro homem então grita: "Dê a orelha dele aos cachorros". Outro vídeo, datado de fevereiro e filmado em Deraa, no sul do país, mostra um grupo de homens, alguns deles fardados, executando um grupo de rebeldes com armas automáticas. Dois dias antes, o Observatório divulgou imagens que mostravam rebeldes batendo em cerca de dez soldados sírios feridos. Em seguida, os rebeldes enfileiram os soldados no chão e os executam, aos gritos de "cães de Assad". As imagens dos rebeldes causaram preocupação internacional. Segundo Rahman, os vídeos com os crimes cometidos pelos soldados sírios foram recebidos pela organização após declarações dos EUA e da Europa condenando a ação dos oposicionistas. "Desde o primeiro dia da revolução, o regime comete crimes de guerra e crimes contra a humanidade, mas estes crimes não justificam em nada os crimes da outra parte", afirmou Rahman. "Se queremos uma nova Síria democrática e respeitosa dos direitos humanos, não se pode permitir nenhum crime, seja quem for o autor." No vídeo a seguir, soldados do ditador sírio torturam um rebelde e o forçam a dizer que Assad é um deus.
BATALHA
Em meios às denúncias, rebeldes sírios lançaram um ataque ontem em uma base militar estratégica do regime sírio, na cidade de, no norte do país. A ação visava a impedir os ataques aéreos lançados da base, uma das principais vantagens das forças de Assad na guerra. Segundo relato de ativistas da oposição, o ataque começou na madrugada de ontem e se estendeu até a tarde. O Observatório afirmou que as forças rebeldes foram apoiadas por militantes da Jabhat Al Nusra, um grupo islâmico internacional com laços com a Al Qaeda. A Al Nusra, que reúne as tropas mais experientes e disciplinadas da oposição, têm lançado ataques a outras bases aéreas no norte nos pultimos meses. A base de Taftanaz abriga principalmente helicópteros militares e fica perto da principal estrada entre a capital Damasco e a cidade de Aleppo, epicentro do confronto nos últimos meses. Vídeos divulgados na internet mostram rebeldes lançando morteiros e foguetes contra a base, mas não está claro se os rebeldes conseguiram assumir o controle do local. Em agosto, um outro ataque à mesma base deixou ao menos 10 helicópteros danificados. Segundo a ONU, ao menos 32 mil pessoas morreram.
Informações da Folha de São Paulo.