Exclusivo!

Poucas & Boas 2017.3

2020 já começou? Alguns políticos de Heliópolis precisam saber que 2020 só começa após 2018. Ou seja, os resultados de 2018 podem in...

Novidade

sábado, 14 de maio de 2011

Marina Silva pede investigação no MP para ela própria e pode ir para o PPS

A ex-senadora Marina Silva (PV-AC) vai acionar o Ministério Público Federal com um pedido inusitado. Ela solicitará que o órgão investigue ela própria e seu marido, o técnico agrícola Fábio Vaz de Lima. Com a manobra, Marina espera proteger o casal de acusações esbravejadas pelo deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que na última quarta-feira (11) afirmou que Lima havia fraudado contrabando de madeira. Por tabela, Marina, à época ministra do Meio Ambiente, teria sido conivente com a irregularidade. O pedido de investigação, segundo a política, será formalizado já nesta segunda-feira (16), em reunião com o procurador-geral da República, Roberto Gurgel.
Saiu pela culatra, portanto, o ataque do deputado Aldo Rebelo (PC do B) à ex-senadora Marina Silva (PV-AC). Na verdade, para ela o episódio representou um duplo benefício. Por um lado garantiu seu retorno aos holofotes no debate sobre o projeto do Código Florestal, tema que ela explorou bem na campanha do ano passado, da qual saiu em terceiro lugar, com 19,6 milhões de votos. Por outro, obrigou o PV, ainda que com certo atraso, a se unir em sua defesa, suspendendo temporariamente a disputa interna e o clima de hostilidade a que ela vinha sendo submetida. A situação da ex-senadora no partido é nebulosa, no mínimo. Após semanas de pregação pelo Brasil, tentando mobilizar setores da militância verde em defesa da realização de convenções e eleições partidárias, ela não obteve até agora nenhum sinal da direção do PV de que suas reivindicações serão atendidas. Alguns de seus assessores mais próximos já não escondem o desânimo, ao mesmo tempo em que circulam rumores de que a ex-senadora estaria se aproximado do PPS de Roberto Freire (PPS-SP). 
Se a conversa com o PPS for mesmo pra valer, em Heliópolis a vereadora Ana Dalva terá facilitada sua vida política. Ela, embora no PPS desde 1995, não esconde sua admiração pelo projeto da senadora pelo Acre. Já o professor Landisvalth, que ainda não definiu sua saída do PV, torce para que o partido encontre seu rumo com Marina Silva. Caso contrário, estará de malas prontas para o PHS, por exemplo. Informações complementares do Estadão e do Bahia Notícias.