Novidade

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Revista Crusoé revela a penúria da família Lula

Crusoé revela a pobreza em que vivem os filhos de Lula (Foto: Crusoé)

Lançada nesta quarta-feira (02), o número zero da revista Crusoé já mostra a que veio. Parida pelo portal O Antagonista, a revista nasce com a proposta de contribuir para um Brasil pós-Lula. Crusoé é uma revista digital exclusiva para assinantes e terá edições semanais todas às sextas-feiras. Para quem participou do lançamento foi possível assiná-la pelo preço módico de 106 reais anuais, ou parcelas mensais de 9,90 reais. Agora, só é possível assinar por 14,90 mensais. Além da revista semanal, há uma seção chamada Diário, que traz as últimas informações relevantes do dia. Crusoé tem ainda a coluna de Diogo Mainardi, uma seção de entrevista da semana, um artigo, As notas do Sexta-feira e charge do Ruy Goiabada.
Na edição inaugural, o carro chefe é uma reportagem que revela o estado de penúria da família Lula da Silva. Isto baseado no que Lula afirmou sobre seus filhos. Ele disse que, depois da Operação Lava Jato, a vida dos seus filhos foi devastada. Estavam os pobres meninos desempregados e passando necessidades. Ponto a ponto, o jornalista Felipe Coutinho vai revelando a lorota de Lula.
Segundo a reportagem, o mais bem resolvido financeiramente é o Fábio Luís, o Lulinha, ou, como mesmo disse Lula, “O Ronaldinho dos negócios”. Ele é dono Gamecorp, empresa de jogos de entretenimento da Oi. Sua remuneração anual é de 860 mil reais, ou mais de 70 mil de salários por mês. Uma penúria! O sofrimento é tão grande que o pobre chega a morar num apartamento de 335 metros quadrados, com quatro suítes, no bairro da Vila Nova Conceição, em São Paulo, no edifício Hemisphere, com direito a quatro vagas de garagem. Um dos seus carros é um SUV avaliado em 155 mil reais. Tadinho! A avaliação do imóvel pode beirar os 7 milhões de reais, mas não está no seu nome. O dono? Jonas Suassuna, o mesmo do sítio de Atibaia! Trata-se de um bom homem, afinal ele não deixaria os filhos de Lula dormirem debaixo de uma ponte.
O número zero já publicado
A reportagem trata ainda dos outros filhos: Luís Cláudio, de 33 anos, dono de uma empresa de marketing, residente num apartamento de 150 metros quadrados, pertencente à empresa Mito Participações. Os gastos com cartão de crédito, alguns com faturas de 300 mil reais, indica que o filho de Lula está sofrendo na pele as perseguições sofridas pelo pai. O outro, Sandro Luís, de 39 anos, é o mais discreto. Dono de uma distribuidora de gás e da FlexBr. Esta última prestou serviços ao Instituto Lula e chegou a receber até 100 mil reais pelos serviços. O apartamento onde mora, em São Bernardo, está em nome da sua esposa, e fica localizado em área nobre da cidade. Já Marcos Claudio, filho de Marisa que Lula adotou, foi vereador em São Bernardo, não conseguiu se reeleger, mas tem em seu nome vários imóveis. Lurian, a primeira filha de Lula, tem cargo comissionado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, e recebe a bagatela de 7 mil reais. Todos dignamente pobres e passando necessidades.
Crusoé ainda faz um levantamento de como a família, e o próprio Lula, vivia e tinha antes da chegada ao topo do poder. Tudo revela o contrário do que apregoa o ex-presidente. A família vai bem, obrigado. Se não fosse verdade, como o juiz Sérgio Moro conseguiu bloquear tanto dinheiro? Só em fundos de previdência há 7 milhões de reais. Crusoé deixa claro que Lula e seus filhos estão milionários e isso não foi conseguido pelo milagre do suor do trabalho.
Que seja bem-vinda mais uma revista de cunho investigativo e que ajude a desvendar os desmandos deste país, de forma absolutamente independente, sem a cegueira das ideologias e sem o sectarismo partidário. Como Robinson Crusoé, o Brasil está perdido ao lado da Venezuela. Tomara que esta revista seja o seu Sexta-Feira e que contribua para que ele se reencontre. O número 1 da Crusoé estará disponível para os assinantes nesta sexta-feira (04) e traz uma entrevista com o juiz Sérgio Moro.