Estamos de volta!

Mudamos a linha editorial
O tom crítico continua
Mas falaremos apenas
Daquilo que vale a pena falar

Novidade

domingo, 10 de abril de 2016

Mais um assassinato em Heliópolis

Anthony Pacheco Rosário assassinado aos 22 anos
Na véspera de completar 31 anos, o município de Heliópolis acorda chocado com mais um assassinato. Desta vez a vítima é Anthony Pacheco do Rosário, 23 anos, morador da cidade e natural de Natal - Rio Grande do Norte. O crime ocorreu provavelmente por volta das três e meia da madrugada. Anthony foi alvejado por arma de fogo pelas costas. Seu corpo foi retirado do local por volta das onze meia deste domingo (10), na Praça XV de novembro, no fundo do ponto de embarque (Rodoviária). Populares armaram uma barraca para proteger o corpo da vítima, enquanto não chegava o pessoal da Perícia Técnica da Polícia Civil da Bahia. O corpo foi levado para autópsia.
Segundo informações colhidas pelo policial civil Wellington Batista, a vítima participou de uma festa no povoado Tanquinho e retornou a Heliópolis por volta das três horas da madrugada. Ele estava sentado em um dos bancos da praça quando dois homens encapuzados chegaram em uma motocicleta e dispararam vários tiros de arma calibre 12. Anthony Pacheco foi atingido por cerca de 4 tiros e morreu no local. Wellington disse que não podia dar mais detalhes para não atrapalhar as investigações.
A Perícia Técnica já retirou o corpo do local (foto:Ana Lúcia)
Anthony já tinha passagem pela polícia. Em 2012, aos 18 anos, foi preso em Aracaju como integrante de uma quadrilha que atuava na capital sergipana e em algumas cidades do interior do estado. Os 21 presos, naquela época, praticavam roubos quase diariamente e agiam de maneira muito violenta. Os casos mais conhecidos praticados pela quadrilha foram a tentativa de roubo que aconteceu no estacionamento do Tribunal de Contas da União (TCU), que deixou um vigilante ferido, e um pai de família, que foi baleado no rosto quando se recusou a entregar imediatamente o carro porque queria retirar seus filhos que estavam no banco de trás do veículo.
Anthony Pacheco aos 18 anos
Segundo informações da polícia sergipana, o apelido de Anthony Pacheco era “Pança” e ele e os comparsas roubavam pedestres na rua e até grandes estabelecimentos. Na época, os roubos totalizavam entre R$ 40 e 50 mil. Com eles foram apreendidos aparelhos celulares, televisores LCD, aparelhos de som de carros, jogo de roda de carros, além de três armas de calibre 38. De lá para cá, não se tem notícia do envolvimento de Anthony com os líderes da quadrilha, Cássio Rodrigo, conhecido como ‘Neguinho’, Luiz Santos Vasconcelos e o cadeirante Thiago Rodrigues, que já respondeu junto à polícia por homicídio, roubo e tráfico de drogas. 
A quadrilha atuava desde 2008 no estado de Sergipe e todos já tinham passagem pela polícia. Anthony era um dos mais novos integrantes. Alguns chegaram até a pensar que ele havia tomado juízo e abandonado a vida de crimes. Ao ser assassinado nestas condições, em plena madrugada, indica sério envolvimento no mundo do crime ou então queima de arquivo. A Polícia Civil já iniciou as investigações e espera encontrar os assassinos e resolver mais este mistério. Uma coisa que deve contribuir para a demora das investigações é que o corpo ficou sem um policial militar para impedir a contaminação do local do crime. Só uma cápsula deflagrada foi enontrada. As outras, ou foram levadas por populares ou os bandidos recolheram do local.
Colaborou: Ana Lúcia