Exclusivo!

Presidente do OAB-SP critica lentidão da Justiça

'Temos juízes com férias de 60 dias e outros que não trabalham de segunda e sexta', diz presidente da OAB-SP sobre lentidão da Just...

Novidade

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Piso nacional do professor vai a R$ 1.918,00. Em Heliópolis será de 1.199,00

Os governadores não querem nem ouvir falar e há prefeitos que têm ataques de taquicardia quando pensam, mas o piso nacional do salário do magistério público foi anunciado. O ministro da Educação, Cid Gomes, fechou nesta terça-feira o aumento que o governo concederá para o piso dos professores neste ano. O valor, segundo o Broadcast Político, da Agência Estado, antecipou, passará dos atuais R$ 1.697,00 para R$ 1.917,78, o que representa um aumento de 13,01%. Como o valor é "arredondado”, o piso deve passar para R$ 1.918, para os municípios e estados que adotam as 40 horas totais. No caso de Heliópolis, que só adota 25 horas, o piso ficará em 1.199,00. Bem que o prefeito poderia fazer uma gracinha e “arredondar” para 1.200,00.
Em nota, o MEC informa que o aumento será dado conforme determina a Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008. "Conforme a legislação vigente, a correção do piso reflete a variação ocorrida no valor anual mínimo por aluno definido nacionalmente pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb)", diz o ministério em nota divulgada pela assessoria de imprensa. A decisão de divulgar o novo piso ocorreu após o ministro Cid Gomes se reunir, nos últimos dois dias, com representantes do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).
Em entrevista ao Broadcast Político no último dia 30 de dezembro, Cid Gomes, ainda como governador do Ceará, informou que uma de suas primeiras ações seria definir o valor do novo piso. O valor anunciado pelo ministério corresponde também ao estimado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Tanto a entidade quanto alguns governadores estaduais, reclamam do piso. Os prefeitos chegam a dizer que o governo dá o aumento, mas eles é que pagam. Ocorre que a verba é carimbada. O problema maior é com as contratações eleitoreiras. Alguns governadores estão retirando direitos inseridos na carreira do professor com a desculpa da falta de caixa. O de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB), deve ter um ano difícil com o sindicato dos professores do estado.
Depois de anunciar o piso, Cid Gomes divulgará, na segunda semana de sua gestão, o resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em seguida, fará o anúncio da abertura das matrículas para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), no qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas para candidatos participantes do Enem. Enquanto isso, apesar do aumento acima da inflação, professores afirmam que já tiraram tanto do salário dos professores que qualquer aumento é bem-vindo, mesmo que se saiba ser um dos profissionais mais desvalorizados do nosso país.

Com informações da Agência Estado e do Bahia Notícias.