Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Concurso em Heliópolis foi tranquilo e haverá seleções públicas para 10 mil vagas neste primeiro semestre

Heliópolis realizou concurso com sucesso. Os concursos previstos para este semestre somam pelo menos 10 mil vagas, considerando os oferecidos pela prefeitura de Salvador, governo da Bahia e governo federal. Essa última esfera é a que oferece mais vagas: 9,5 mil
Landisvalth Lima (deste blog), Graciela Alvarez e Priscila Chammas, do CORREIO
Pode-se dizer que não houve nenhuma anormalidade durante a realização do Concurso 01/2013 da Prefeitura Municipal de Heliópolis. Pouquíssimos problemas foram detectados. Aqui e ali aconteceram reclamações sobre questões mal digitadas (uma ou duas) e algumas salas com iluminação precária, o que foi resolvido imediatamente. Uma moradora do povoado Riachinho, em Heliópolis, não pode fazer a prova porque apresentou a xerox da carteira de identidade. Também, alguns concursistas esqueceram documentos. Josefa Telma dos Santos Araújo, de Heliópolis, e Rosemeire Andrade Almeida, de Poço Verde, esqueceram os documentos no Colégio Estadual José Dantas de Souza. Estão na secretaria do colégio.
 No geral, as provas foram consideradas dentro do esperado. Na prova para Professor, caiu um texto de Caio Fernando Abreu e na prova de Agente de Endemias caiu A terceira margem do rio, de João Guimarães Rosa. Alguns concurseiros chamam atenção para a questão 14 da prova de Português para Professor: há duas respostas possíveis. Deve ser anulada. Também na prova de Auxiliar de Serviços Gerais há uma questão, na prova de Português, em que há ditongo em todas as alternativas e deve também ser anulada. Ao todo, mais de 4 mil disputam as 106 vagas e o nível de comparecimento foi superior a 92%.
Novos concursos
Sabe aquela promessa de ano novo que você faz desde o Réveillon de 2002? Pois bem.  Se estiver interessado em cumprir este ano a meta de estudar para um concurso público, saiba que há pelo menos dez mil chances de seu desejo se concretizar em 2014. Esse é o número aproximado de vagas em selecões públicas que devem ser abertas (algumas já foram) ainda neste primeiro semestre, sem contar as de cadastro reserva. Para chegar a esse número, o Correio considerou certames previstos pela prefeitura de Salvador, governo da Bahia e governo federal. Confira essas vagas na tabela ao lado e, se tudo der certo, você não irá precisar pensar em concurso público enquanto pula as sete ondas, no Réveillon de 2015.
A maior expectativa, pelo menos no quesito quantidade de vagas, está na esfera federal. Há 15 concursos autorizados pelo Ministério do Planejamento cujos editais podem ser lançados a qualquer momento. Ao todo, eles vão disponibilizar mais de 9 mil oportunidades. O certame do Ministério da Fazenda merece destaque. São 1.026 postos para a função de assistente técnico-administrativo, que exige nível médio. A remuneração inicial é de R$ 2.802. Levando em consideração que o prazo para o órgão divulgar o edital é de até seis meses após a publicação da portaria de autorização, o edital da Fazenda deve sair até maio.
Saindo da lista dos autorizados nos últimos seis meses, dois órgãos federais também estão prontos para lançar concursos no ano que vem:  a Caixa Econômica Federal e os Correios. A Caixa vai abrir seleção para formação de cadastro reserva para técnico bancário. O concurso, de âmbito nacional e organizado pelo Cespe/UnB, é fruto da política de expansão do banco, que inclui a previsão de abertura de 2 mil agências no Brasil até 2015. O cargo exige apenas o nível médio e oferece um salário de R$  2.715,04, sendo R$ 1.875 de vencimento-base, R$ 472,12 de auxílio-alimentação/refeição e R$ 367,92 de cesta-alimentação. A expectativa é de que o edital saia no início de 2014.
Os Correios também estão trabalhando para a realização de nova seleção pública a fim de formar cadastro de reserva para as atividades de carteiro e operador de triagem e transbordo nas cidades onde não há cadastro de candidatos aprovados no último concurso público, ainda vigente, lançado em 2011. O número de vagas ainda não foi divulgado, mas a remuneração pode chegar a R$ 2 mil. Além desse concurso, os Correios abrirão oportunidades para cargos de nível superior, cujas localidades e especialidades deverão ser informadas em breve. Nesse caso, o salário é de até R$ 4.962,05.
Já na esfera estadual, dois órgãos estão com o edital no forno, segundo o diretor de Recursos Humanos da Secretaria da Administração da Bahia (Saeb), Robson Carvalho. O primeiro será para o Departamento de Polícia Técnica da Bahia (DPT). Serão 130 vagas de nível superior, sendo 60 para perito médico-legal, 40 para perito criminal, 20 para perito técnico e dez para perito odonto-legal. “Estamos na fase de contratação da empresa organizadora. Nossa expectativa é lançar o edital na primeira quinzena de janeiro”. O vencimento, já incluindo a gratificação inicial, é de R$ 1.649,93, para perito técnico, e de R$ 4.063,05, para as demais funções.
Além do DPT, a Junta Comercial da Bahia (Juceb) também fará concurso em 2014. Carvalho conta que serão 17 oportunidades, sendo 13 para o cargo de técnico em registro do comércio (nível médio) e 4 para analista em registro do comércio (nível superior). Os salários básicos são de R$ 685,78 e R$ 1.049,72, respectivamente, além de gratificações, que dependem da função e da carga horária. “Esse edital deve sair entre fevereiro e março”, revela ele, complementando: “Como 2014 será um ano eleitoral, não acredito que teremos outros concursos. Mas isso não é definitivo”. 
Salvador
Os concurseiros que não querem se mudar da capital baiana terão de segurar um pouco a ansiedade, já que, em Salvador, nada será definido até que o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) dos servidores seja implementado. “Não podemos fazer concursos antes de definir quais cargos continuarão e quais serão extintos. Além disso, precisamos identificar a quantidade de vagas já ocupadas e as necessárias”, justifica o secretário de Gestão, Alexandre Pauperio, informando que assumiu um compromisso público com o prefeito ACM Neto de colocar o PCCV em prática até 30 de abril.
Apesar de ainda não haver definição, Pauperio afirma que os próximos três anos prometem quando o assunto é concurso público municipal. “Vamos ter uma quantidade significativa”, garante. Ele conta que hoje a prefeitura tem uma necessidade de contratar especialistas em políticas públicas e gestão governamental. Segundo o secretário, são profissionais de nível superior responsáveis por cuidar da administração do município nas mais diversas áreas, como Saúde e Educação. “Não seria precipitado dizer que vamos precisar de pelo menos 300 profissionais desses”. Hoje, no governo federal, a remuneração inicial para o cargo é atrativa: R$13,6 mil mais benefícios.
No Brasil, 12 milhões querem ingressar no funcionalismo público. Com tantos benefícios, incluindo, principalmente, a garantia de não ser demitido, entrar no serviço público não poderia ser uma tarefa fácil, e os dados comprovam isso. Segundo a Agência Nacional de Proteção e Apoio ao Concurso Público (Anpac), 12 milhões de pessoas estão interessadas em ingressar no funcionalismo no Brasil. Diante de uma concorrência cada vez mais acirrada, as palavras de ordem, segundo os especialistas, são foco e planejamento. O coach de concursos Charles Peterson diz que o ideal é começar os estudos pelo menos quatro meses antes da publicação do edital. Para ele, o primeiro passo para quem almeja se tornar um servidor público é levantar dados a fim de checar qual ou quais processos são viáveis. “Antes de começar a estudar, o candidato precisa responder algumas perguntas como: estudar, para quê, como, onde e por quê”. Segundo ele, essa fase inclui verificar quais os concursos previstos e quais matérias eles cobram; qual o grau de conhecimento do candidato com as disciplinas solicitadas ou qual a sua facilidade de aprendê-las e quanto tempo terá para se preparar.
“Atirar para todos os lados não aumenta as chances de passar. Para ter êxito, é preciso estar focado”, ressalta Peterson. Para ele, que ministra um curso online sobre planejamento e técnica de estudo no portal institutocharlespeterson.com.br, o concurso é viável quando há tempo para se preparar, facilidade para aprender e motivação para fazer. Concluída essa etapa inicial é hora de elaborar um plano de estudo. “É preciso ter metas. Recomendo um plano de estudo por escrito, com atividades dia a dia. Para quem não trabalha, recomendo, no máximo, 40 horas de estudo por semana”, pontua, ressaltando que é preciso reservar tempo para diversão. 
Mas, o que estudar, enquanto os editais não são publicados? Peterson aconselha se basear em concursos anteriores, levando em consideração o mesmo órgão. Caso não haja um edital anterior ou o mesmo seja muito antigo, a dica é investir em disciplinas que normalmente são cobradas em todos os processos seletivos. São elas: português, direito administrativo e direito constitucional. “Fazer exercícios é fundamental. Afinal, 70% das questões se repetem, o que muda é a forma de perguntar”.