Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Os tacógrafos da discórdia

Tudo que é ligado à educação na Bahia parece andar a passos de cágado. Até mesmo o transporte escolar tem vocação para se arrastar, mesmo quando tudo indica estar resolvido. É que seis prefeitos ainda não foram resgatar os veículos dos municípios que fazem parte, segundo informou a Secretaria de Educação do Estado (SEC), do Programa Caminho da Escola. São os casos de Derivaldo Pinto (PT) de Irará; Clovis Rocha Oliveira (PSD) de Castro Alves; Leandro Luiz Ramos Santos (PSB) de Igrapiúna; Luiz Antônio Alvim Delgado (PP) de Caravelas; e Cristina Sodré (PP) de Brotas de Macaúbas. Em junho foram entregues 40 veículos e, no começo deste mês, foram entregues outros 76 ônibus.  A culpa é dos prefeitos? Não é bem assim. Tudo indica que o professor Osvaldo Barreto fez mais uma barbeiragem. Três das seis prefeituras apontadas como faltosas no resgate dos ônibus escolares, que estão parados no pátio do Centro Administrativo da Bahia (CAB), se posicionaram através de suas assessorias a respeito do fato e deram justificativas para o imbróglio. De acordo com a prefeitura de Irecê, no centro-norte baiano, a notícia de que o município teria deixado de buscar seu respectivo ônibus foi vista com surpresa pela administração do prefeito Luizinho Sobral (PTN). Na nota, a prefeitura informa que no dia da entrega, em 7 de novembro, um funcionário e um secretário vieram a Salvador para resgatar o ônibus de Irecê, mas foram impedidos por conta de o veículo não dispor de tacógrafo (dispositivo que monitora o tempo de uso, a distância percorrida e a velocidade), roubado em uma ação que subtraiu outros tacógrafos de 19 ônibus. “No exato dia da cerimônia de entrega, a prefeitura de Irecê foi surpreendida com a notícia de um assalto aos ônibus escolares, e que inclusive o veículo destinado a cidade de Irecê estava entre os ônibus furtados”. A falta do mesmo equipamento também foi alegada pelo município de Igrapiúna, no sul baiano, como entrave para que o ônibus já estivesse na cidade. Segundo a assessoria do prefeito Leandro Luiz Ramos Santos (PSB), a SEC estaria faltando “com a verdade” pois teria se comprometido a resolver o problema com a empresa responsável pelos ônibus e até o momento “não deu nenhum retorno”. A prefeita de Brotas de Macaúbas, no sudoeste, Cristina Sodré (PP), também facultou à falta de tacógrafo ao não recolhimento do ônibus para o município. "Nós estivemos na entrega, recebemos a chave, assinamos a documentação, mas não teve condição de trazer o ônibus por conta do roubo de tacógrafos".

Com informações do Bahia Notícias.