Exclusivo!

TCE fará evento no CEJDS

TCE quer alunos praticando cidadania (foto: divulgação)      O Tribunal de Contas do Estado da Bahia – TCE – está desenvolvendo o pr...

Novidade

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Prefeituras nordestinas fecharão as portas no dia 13


Prefeitos vão se unir em ato de mobilização
Tonhão, da FAMES, reforça importância da mobilização no próximo dia 13 de maio 
(Foto: Ascom/Fames)
Cansados de ver a população sofrer com as consequências da seca, que afeta todo o sertão nordestino e é a pior dos últimos 60 anos, os prefeitos de vários municípios da região decidiram: vão fechar as portas e se unir em um ato de mobilização. O protesto, concentrado em frente às assembleias legislativas, será contra a falta de ações do Governo Federal através de parcerias com os gestores. O martelo foi batido ontem, 30, depois de uma reunião com presidentes das entidades municipalistas de todo o Nordeste, realizada na sede da Associação dos Municípios Alagoanos, em Maceió. O presidente da Federação dos Municípios de Sergipe (Fames), Antônio Rodrigues, o Tonhão, defendeu a paralisação. “Mesmo com as recentes chuvas que caíram na região, o cenário de fome e miséria se mantém inalterado. Para piorar, o Fundo de Participação dos Municípios já é 19% menor que o mesmo período de 2012, sendo que as nossas obrigações só aumentam”, compara Tonhão. Atualmente, 1.400 municípios nordestinos já declararam situação de emergência em 2013 por conta da forte estiagem, o que representa 22% das cidades brasileiras e uma população de quase 10 milhões de habitantes.
CARTA DE MACEIÓ
No dia 13, os prefeitos irão divulgar a Carta de Maceió, com pontos comuns enfrentados pelos municípios em estado de emergência e reivindicando uma ação mais efetiva do governo federal em parceria direta com as prefeituras. José Patriota, presidente da Federação dos Municípios de Pernambuco, também aposta na mobilização como uma forma de apressar os recursos para a seca. “Tudo vem para a porta da prefeitura, mas nós não temos nenhum extra para solucionar os problemas. Precisamos perfurar poços, aumentar a capacidade hídrica dos municípios, e isso só será possível com a ajuda vinda de Brasília”, finalizou. De Sergipe, participaram da reunião o presidente da Associação dos Municípios da Região Centro-Sul, Antônio da Fonseca Dória (Toinho de Dorinha), e os prefeitos Fernando Lima, de Nossa Senhora das Dores, e Francisco Carlos Nogueira, de Nossa Senhora da Glória.
 Fonte: portal INFONET