Exclusivo!

Teatro, música e dança no encerramento da III JECC

A Lira Santa Cruz foi destaque no III JECC do CEPJO (foto: Landisvalth Lima)      Na noite desta quinta-feira (07) foram apresentadas ...

Novidade

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Lula caminha em fogo morto

O público de Lula está desaparecendo (foto: Felipe Araújo/Época)
Deu na coluna Expresso, do jornalista Murilo Ramos, da revista Época, que há petistas reclamando das agendas que assessores têm arranjado para o ex-presidente Lula. Na manhã da quinta-feira (17), Lula esteve no estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, para um encontro com trabalhadores em defesa da indústria naval. O local estava vazio. Acostumado às enormes plateias, Lula se viu diante de poucas dezenas. “Tem de ter responsabilidade para onde vamos levá-lo, não podemos expor Lula desse jeito”, reclamou um deles. A agenda foi proposta pelo movimento sindical. 
Não tem muito tempo, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) subiu à tribuna para homenagear o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por seu aniversário de 71 anos na quinta-feira, 27 de outubro. Ela também defendeu Lula das acusações sofridas na Lava Jato. Não havia um senador sequer no plenário prestando atenção em seu discurso. Apenas o senador Paulo Rocha (PT-PA) estava no recinto. Ele presidia a sessão não deliberativa. Só o PT ainda não percebeu que é o fim de uma era. Pior, mesmo os que já perceberam, não querem mudanças. Agem como os coronéis dos engenhos de cana-de-açúcar no Nordeste, conteúdo da obra do paraibano José Lins do Rego, que, por pura teimosia, não percebiam o fogo morto de suas ideias.