Exclusivo!

2º dia da 1ª Fecultarte teve dança, vídeo e teatro

A 2ª noite da 1ª Fecultarte foi dominada pela dança e pelo teatro (foto: Landisvalth Lima) O Colégio Estadual José Dantas de Souza – C...

Novidade

segunda-feira, 3 de março de 2014

Ana Dalva quer levar Câmara Municipal aos povoados em 2014


Vereadora Ana Dalva
Em entrevista ao radialista Richard Novais, na Rádio Regional de Cícero Dantas, na última terça-feira (25), a presidente do Legislativo de Heliópolis falou da sua gestão, da relação com a oposição e com o prefeito Ildefonso Fonseca e disse que pretende criar sessões itinerantes, levando a Câmara Municipal aos povoados, além de responder aos questionamentos dos ouvintes.
Richard Novaes -  Vereadora Ana Dalva, do Partido Popular Socialista da cidade de Heliópolis, gostaria que a senhora pudesse falar sobre essa sua gestão. Vereadora já no segundo mandato e primeira mulher a ocupar umas das cadeiras mais desejadas, que é a presidência da Câmara dos vereadores da cidade de Heliópolis, como é, como foi e como está sendo assumir a gestão com o apoio de todos os vereadores?
Ana Dalva - Bom dia a todos os ouvintes da Rádio Regional de Cícero Dantas. Agradeço a oportunidade de estarmos aqui a responder ao que for necessário. Realmente é verdade. Foi com o apoio de todos. Fui eleita por unanimidade, com nove votos, inclusive com o meu, e foi bem tranquilo. Foi uma disputa entre os vereadores, já que a escolha é do legislativo, e continuo trabalhando em parceria com todos os vereadores, dirigindo os trabalhos.
Richard Novaes - Já havia esse desejo de ser presidente da Câmara de Heliópolis?
Ana Dalva - Meu primeiro mandato foi um trabalho praticamente sozinha na oposição. Foi um trabalho difícil durante os quatro anos e naquele momento não tinha esse desejo. Já nesse segundo mandato, no decorrer das eleições e após, com a minha aprovação como vereadora, e também com a vitória do gestor que eu apoiei, nasceu a ideia.
Richard Novaes – Qual sua profissão, vereadora?
Ana Dalva - Sou professora, sou formada em História.
Richard Novaes – Quase sempre está ali ligado à educação...
Ana Dalva - É porque é o melhor meio de se comunicar com as pessoas e de ter um desenvolvimento. A educação é ponto para tudo. Fiz Licenciatura em História e ajudou muito no envolvimento que tive na política, além de ajudar as pessoas na área da saúde fazendo assistencialismo. É impossível não fazer tal assistencialismo numa cidade carente como Heliópolis. Sempre fiz isso até me envolver no meio político através do casamento com o professor Landisvalth, que sempre esteve envolvido com a política.
Richard Novaes - O professor teve um pouquinho de culpa?
Ana Dalva - Certamente, me levou para esse lado e está sendo positivo.
Richard Novaes - Ele sempre foi uma pessoa referenciada por conta dos movimentos em questões dos direitos sociais. Isso com certeza acabou lhe atraindo para esse meio político?
Ana Dalva - A gente nunca teve uma vida só voltada para a questão familiar. Sempre dividimos tudo na nossa convivência com os outros, com a comunidade, olhando o que era necessário se fazer em prol do município e da comunidade. Então dividíamos tudo e nunca fugimos da realidade.
Richard Novaes - Estamos conversando com a vereadora Ana Dalva, da cidade de Heliópolis, que na gestão desse último ano tem demonstrado, pelo menos ouvi de várias pessoas que conversei em Heliópolis, realizar um bom trabalho. Parei para ouvir um pouco as pessoas e é interessante, vereadora Ana Dalva, como as pessoas se surpreendem, no primeiro momento, o fato de ser uma mulher a gestora da Câmara Municipal. Isso afetou a vereadora? Isso muda alguma coisa, considerando que é um município que desde o ano em que foi criado nunca teve uma experiência como essa: uma vereadora na presidência?
Ana Dalva – Sim. Em plenário já tivemos mais duas vereadoras eleitas, mas sempre tivemos um trabalho decente e tranquilo, mas a experiência como presidente do legislativo não mudou em nada porque o mesmo trabalho que eu estava fazendo, venho fazendo como vereadora. A única diferença é que estou dirigindo os trabalhos, tenho trabalhos a mais. Estou todos os dias na câmara, das 8:00 às 13:00 horas. O trabalho aumentou, mas continuo sendo a mesma pessoa. Não há modificação nenhuma. Faço o trabalho tranquilo porque o meu trabalho como vereadora sempre foi um trabalho transparente. Como presidente da câmara estou fazendo da mesma forma, e quando você faz um trabalho com amor, com vontade, com dedicação é porque você gosta e o trabalho se torna fácil. Tenho um pouco de dificuldade porque estou sem uma assessoria jurídica. Tive uma na gestão no ano passado, mas por motivos superiores pediu afastamento e, no momento, estou sem esse auxilio. Então está dificultando um pouco as coisas, mas como presidente minhas metas de 2013 foram alcançadas. Todas aquelas que coloquei no papel me preocupei, me programei e alcancei. Hoje nós temos um carro próprio, que foi uma meta alcançada justamente em 2013.
Richard Novaes - Já entrando nessas questões das metas, a gente abre espaço pra essa avaliação que a senhora faz. Então, quanto a atuação no poder legislativo municipal de Heliópolis em 2013, como foi a sua atuação nesse ano que passou?  A senhora fala das metas que foram alcançadas e quais ainda não foram alcançadas?
Ana Dalva - Pronto. É como eu falei das metas e já fui ultrapassando a sua pergunta. Assim, a minha principal meta alcançada foi de trabalhar em coletividade. Essa pra mim foi a melhor meta conquistada em 2013. O trabalho coletivo é não ter mais diferenças entre oposição e situação. São nove vereadores e todos são tratados da mesma maneira, seja ele situação ou da oposição. O tratamento é igual. A casa é dos nove vereadores e eu me coloco como vereadora e digo em todas as sessões, no início e no final, que apenas estou dirigindo os trabalhos daquela casa, mas que sou vereadora como todos.
Richard Novaes - Interessante usar essa expressão, vereadora. Tem gente que pensa que vai ser vereador eternamente, mas hoje está vereadora e presidente da câmara?
Ana Dalva - Exatamente. É um cargo que você foi recebido e pode lhe ser tirado a qualquer momento. Então você tem que fazer o trabalho coletivo e essa foi umas das minhas metas. Agradeço a Deus por ter alcançado e fazer daquela casa uma casa aberta para público hoje. Nós temos debates, discussões e é cedido o espaço do plenário, não só para os vereadores quando precisam para discussões de alguma coisa, como também é cedido para a população quando precisa fazer algum debate, quando precisa fazer alguma reunião. Então aquela casa hoje é uma casa em prol do povo, porque ali não é nosso e não somos nós vereadores que comandam. Aquilo ali quem comanda é o povo, é a sociedade. Então a casa é aberta para todos. Com tranquilidade eu tenho essa facilidade de ter contato ali com todos. As metas foram alcançadas. O legislativo que não tinha carro. Anteriormente eram locados e essa foi uma das metas também alcançada.
Richard Novaes - A câmara nunca teve carro?
Ana Dalva – Nunca.
Richard Novaes - Não tinha recursos suficientes para adquirir o veículo? A gente observa que o valor da locação, quando somado, mostra que daria para comprar um veiculo.
Ana Dalva - Por incrível que pareça era difícil com o duodécimo anterior, mas sempre foi uma perspectiva e com dialogo, e economizando, foi provado que daria sim para comprar o veículo.
Richard Novaes - Somando o valor das parcelas juntas daria o valor sim do veículo. Quanto era o duodécimo da câmara em 2013?
Ana Dalva- Quando iniciei, o duodécimo era 67 mil mensais. Com o aumento no mês de março, ele foi pra R$ 72.963. Assim eu consegui somar em alguns meses o valor para comprar o veículo. Outra meta alcançada foi a implantação do sistema de som, que era de péssima qualidade, realizamos a compra do kit para os vereadores e também as placas indicativas para cada vereador. O kit também é composto com um brasão, carteira, certificado, agenda, calculadora. Também foram expostas as galerias dos ex-vereadores e a criação do portal da câmara na Internet: www.camaraheliopolis.ba.gov.br. Todos os meses fazemos prestações de contas com apresentações ao público com slides. Faço um trabalho transparente e quero convidar a população para que esteja mais presente às sessões da câmara.
Richard Novaes - As pessoas falam da política, mas não vão até os órgãos questionar o direitos. Isso não acontece só em Heliópolis, mas em toda região. 
Ana Dalva - É importante que as pessoas participem para saber com clareza o que está acontecendo. Alguns deixam de fazer a política sadia para fazerem a politicagem e às vezes acabam deixando a gente um pouco chateada.
Richard Novaes - Vocês políticos não podem resistir às críticas porque vocês são vitrines diante de uma comunidade grande.
Ana Dalva - Eu aprendi no dia-a-dia, juntamente com minha família, a enfrentar essas barreiras. Sobre as questões dos projetos, Richard, foram aprovados 22 projetos naquela casa no ano de 2013. Foram 16 projetos do Executivo e 6 dos Legislativo. Aprovados, sancionados e já publicados no Diário Oficial.
Richard Novaes - E a vereadora é autora de alguns desses projetos. Eu já ouvi falar de dois: um projeto que fala da Lei da Ficha Limpa Municipal, que segundo a lei só pode assumir um cargo no município aquelas pessoas que não possuem condenação na justiça, procede?
Ana Dalva – Procede. Veja só, se nós, o ser humano, vamos dar um exemplo bem claro, somos aprovados num concurso público, para exercermos a função, precisamos estar com a Ficha Limpa. Por que não o político? Tem ainda um projeto de lei que é do vereador Claudivan, e foram feitos outros cinco. Destes, dois são coletivos: a proibição da realização nos espaços públicos escolares de festas privadas, é um deles.
Richard Novaes - Muito bom porque a gente tem observado que o espaço escolar está sendo usado para festas particulares com bebidas alcoólicas e isso é contra a educação. 
Ana Dalva - Também tem o projeto legislativo coletivo sobre os valores de diárias de viagens de serviços da Câmara e também o da criação da Liga Esportiva de Heliópolis, de minha autoria. Há também um interessante, aprovado na gestão anterior, para prevenção de doenças nos alunos do primeiro ao nono ano, com o possível acompanhamento médico.
Richard Novaes - Vereadora, eu acho interessante uma legislatura que considera como ação dos vereadores a criação e indicação dos projetos. Eu já vi em câmaras que o ano todo nunca apareceu um projeto de um vereador. Cícero Dantas, por exemplo, tem vereador apresentando projetos que evidentemente foram aprovados e sancionados pelo prefeito, fazendo a ampliação da licença maternidade, que é federal e estadual, já considerando agora seis meses. Essa regulamentação no município acabou sendo da autoria de um vereador. Acho isso interessante ver os vereadores elaborando projetos e não ficando esperando pelo executivo como antes.
Ana Dalva – Eu costumo dizer que nós do legislativo temos que andar com as próprias pernas. O Legislativo e o Executivo são dois poderes que andam lado a lado em a parceria, mas são poderes que têm decisões próprias. Nós podemos fazer o nosso papel e não só esperar pelo Poder Executivo.
Richard Novaes - E eu vejo que o que o executivo não vê o legislativo vê.
Ana Dalva - Embora na nossa função como vereador não se permite fazer ou elaborar um projetos que aumentem ou diminuam despesas do município. A gente fica limitado, mas se não podemos fazer um projeto, temos também as indicações. Podemos fazer indicações para melhorias e reparos. Também elaboramos requerimentos pedindo o necessário para o município.   
Richard Novaes
Richard Novaes – Vereadora, a bancada da oposição na câmara de vereadores tem os mesmos direitos da situação, a senhora já disse.  Mas como é hoje exatamente um ano depois de estar na frente da câmara? Como é que é a relação e atuação das duas bancadas? Há muitos enfrentamentos? Como é isso?
Ana Dalva – Há tranquilidade no relacionamento entre a bancada como um todo. Tanto a situação como a oposição têm direitos preservados por igual naquela casa. Então a minha comunicação com todos os vereadores é bem tranquila. Nunca tive enfrentamento com nenhum. Sempre discutimos o melhor pelo o município.
Richard Novaes - É bom que tenha uma tranquilidade nas sessões.
Ana Dalva - É bem tranquilo entre os vereadores. Não tenho nada a dizer, só tenho a agradecer.
Richard Novaes – Vereadora, e as sessões são participativas? A comunidade participa? As galerias da casa são cheias? O pessoal acompanha?
Ana Dalva - Acompanha. Não é tanto como esperado, mas espero que eu acabe o meu mandato com aquela casa cheia. Sempre temos público. Temos a platéia maior quando os projetos geram mais benefício para a população. Chama atenção quando é um projeto envolvendo os funcionares públicos. Mas o espaço este sempre aberto para quem quiser usar a palavra. Até ultrapasso o tempo excedido pelo o regimento interno para atender a todos. 
Richard Novaes - Vamos começar atender a linha telefônica. Vamos atender a José Alves. 
Jose Alves - Eu quero parabenizar a vereadora Ana Dalva. Tivemos o prazer de irmos juntos daqui para Salvador para a Secretaria de Segurança Pública e eu pude observar que ela é uma pessoa determinada, é guerreira, que não mede circunstâncias para ajudar ao próximo e por isso quero parabenizá-la pelo o trabalho e dizer a ela que desejo muitas vitórias para ela.
Richard Novaes – Muito obrigado pela a sua participação. A vereadora já levou muitos elogios.
Ana Dalva - É sempre bom ser elogiada, José Alves. Eu lembro muito bem daquela viagem que fizemos em busca de segurança pública para nossa região, não só para o nosso município.  Eu digo todos os dias à população, não só atuando como vereadora, como eu mesma, Ana Dalva, a hora que precisar, seja qual for o horário, eu estou disponível para a população, pois nós seres humanos temos que ir a busca do melhor, não só para mim e para a família mas sim em busca de objetivos para melhorar a comunidade.
Richard Novaes - Bem vereadora, temos outro participante: Gilson Ribeiro (Beléu), da Rua Melancia.  
Gilson Ribeiro - Boa tarde, queria saber que há muito tempo tem um projeto para a construção de uma maternidade. Nas eleições, vocês falaram para as crianças darem o primeiro choro aqui em Heliópolis e não ir par as cidades vizinhas. Se você tem algum projeto em mente para Heliópolis, pois você é uma guerreira na saúde e na educação.
Richard Novaes - Outra pessoa: Jorge Souza.
Jorge Souza - Gostaria de parabenizar pela entrevista e perguntar à vereadora qual a maior dificuldade enfrentada na gestão de 2013, com o gestor?
Ana Dalva – Respondendo a Gilson, realmente isso foi um debate nosso nos palanques dos nossos comícios durante a campanha. Eu fiz em público esse pedido ao nosso representante do executivo para que as nossas crianças pudessem dar o primeiro choro em nosso município, mas hoje eu não tenho um projeto, mas continuo pedido ao gestor que tente conseguir essa maternidade. É um projeto importante e amplo e não impede que a gente coloque indicações e requerimentos solicitando ao gestor.
Richard Novaes - Já existe em Heliópolis algum espaço para maternidade?
Ana Dalva - Nós temos um posto de saúde. Nós não temos equipamentos nenhum para maternidade, e para torná-lo maternidade, precisamos de uma estrutura e toda a aparelhagem para atendimento 24 horas. É um sonho meu ter atendimento 24 horas no município, para não ter que se deslocar a outras cidades.
Richard Novaes - Há alguma perspectiva por parte do executivo?
Ana Dalva - Há perspectiva sim que a nossa população seja atendida em nossa cidade e isso foi um pedido meu nas eleições e eu quero que não fique só nos desejos, mas que seja realizado.
Richard Novaes - Por ser um investimento alto deve vir do Estado?
Ana Dalva - Vamos conversar com o gestor para tentar conseguir através do Estado. Respondendo a Jorge Souza, na minha gestão não tive dificuldade nenhuma, só um pequeno problema: é que estou sem assessoria jurídica. Sobre a gestão com o prefeito, a minha dificuldade maior foi a falta de diálogo. Ele se fechou muito por ser o primeiro ano e não deixou um espaço para o diálogo e comunicação. Hoje já esta havendo esse diálogo e estão tentando fazer um planejamento. Acho que as dificuldades serão sanadas. 
Richard Novaes - Mais uma participação, é Arnóbio Alves.
Arnóbio Alves - Quero parabenizar a vereadora pela condução dos trabalhos e Heliópolis por ter uma vereadora que dá oportunidade à sociedade a participar do Poder Legislativo.
Ana Dalva – Arnóbio, sempre está participando das sessões e a semana passada fez o uso da palavra. E não adianta só nós vereadores estarmos fazendo uso da palavra e reivindicando. É importante que a sociedade também participe, pois é ela que conhece a realidade. Uma meta minha é levar as sessões itinerantes aos povoados, uma vez por mês para que as pessoas participem mais, e pelas dificuldades que eles têm de vir até a sede.
Richard Novaes - O horário das sessões não dificulta as participações das pessoas?
Ana Dalva - As sessões eram realizadas as 19:00 horas, pela segunda-feira, mas em virtude de termos um vereador que estuda e outro que mora em um povoado, mudamos para às 9:00 da manhã, também segunda. Por incrível que pareça, o público é até razoável.
Richard Novaes - Mais uma participação: Diva Ribeiro, da Rua 11 de abril.
Diva Ribeiro - Sobre o calçamento da Rua 11 de abril que falaram que ia começar e não começou.
Richard Novaes - Outra participante: Edmeia Torres, da Rua do Açude.
Edmeia Torres - Gostaria de saber da vereadora Ana Dalva sobre esse esgoto da Rua do Açude. Já fiz baixo assinado e nunca tiraram.
Ana Dalva - Respondendo a Diva, em um dos requerimentos que enviamos ao gestor está o pedido de pavimentação de algumas ruas da cidade. O que posso lhe dizer é que vou continuar solicitando e irei falar com o gestor para ver se tem alguma resposta concreta. Eu passo por algumas ruas e eu sei das dificuldades, principalmente depois das chuvas. Dona Edmeia, já fizemos um debate sobre essa questão do esgoto descendo para o açude e já solicitamos ao executivo que tome as devidas providências.
Richard Novaes – Sobre a administração municipal, qual a relação entre o poder executivo e o legislativo? Que avaliação a senhora faz da gestão?
Ana Dalva - Devido a gestão em 2013 ser o primeiro ano de mandato, sem noção de administração pública, o gestor se fechou sem comunicação, sem diálogo com os vereadores. Devido a cobrança dos vereadores, e também minha, para que os dois poderes andem lado a lado, eles já estão abrindo espaço e estamos tendo reuniões. Se continuar assim, será um ano muito promissor. Espero que continue assim. Nós não sabemos tudo e temos que abrir espaço para as pessoas dizerem onde estão os erros porque somos administradores de uma empresa pública.
Richard Novaes - Heliópolis passou um período complicado com a questão da segurança pública?
Ana Dalva – Sim. Passamos momentos muito complicados, mas estamos tentando resolver os problemas e já tivemos audiências públicas com o comandante Edmilson e também com o promotor Dr. José Botelho para tentar resolver algumas questões.
Richard Novais – E a Universidade Federal do Nordeste da Bahia?
Ana Dalva - É uma luta desde 2012. Nós tivemos alguns nomes que vem nos ajudando para realizar esse sonho, que não é só do município mas de toda região. Várias pessoas aderiram a essa luta. Estamos com um representante da comissão regional lutando para realizar o sonho de conseguir essa universidade federal. Muitos não têm condições de pagar uma faculdade particular. No dia 22 passado tivemos uma audiência pública sobre a universidade em
Richard Novaes - Qual a maior meta para 2014 da Câmara?
Ana Dalva - A principal são as sessões itinerantes. Levar o Legislativo até os povoados.
Richard Novaes - Sobre as eleições deste ano, já tem definido os apoios? Muitos são votados em nossa região. Alguns aparecem e outros somem.
Ana Dalva - Cada representante político tem um partido e hoje tem a questão de fidelidade partidária, um estatuto a ser comprido. O PPS, meu partido, está um pouco divido, mas está fechando em torno da candidatura a governadora de Lídice da Mata, inclusive o partido vem conversando comigo com a possibilidade de meu nome ser vice de Lídice da Mata, mas também há outros nomes que podem somar. E há um outro convite para que eu possa ser candidata a Deputada Federal e eu não tenho resposta ainda uma resposta definitiva porque tenho um propósito para Heliópolis e ainda não realizei todas as minhas metas.
Richard Novaes - Quero agradecer à vereadora por ter aceitado esse convite e a Rádio Regional de Cícero Dantas está aberta para que possa ser usada para divulgar os feitos da Câmara Municipal de Heliópolis. Assim, passo para suas considerações finais.
Ana Dalva - Quero agradecer a oportunidade a toda equipe da Rádio Regional e agradecer também a todos os participantes que fizeram os questionamentos e os elogios. Sobre a questão da água da localidade de Queimada do Miguel, irei fazer uma visita ao local. 
Richard Novaes - Muito obrigada Vereadora, que continue assim guerreira. 
Ana Dalva - Muito obrigada a você, Richard, e uma boa tarde a todos.