Exclusivo!

2º dia da 1ª Fecultarte teve dança, vídeo e teatro

A 2ª noite da 1ª Fecultarte foi dominada pela dança e pelo teatro (foto: Landisvalth Lima) O Colégio Estadual José Dantas de Souza – C...

Novidade

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Analfabetismo cresce no Brasil, no Nordeste e na Bahia

Segundo os dados da Pnad 2012, Bahia, Tocantins, Paraíba e Pernambuco tiveram os maiores aumentos nas taxas de analfabetismo. O programa TOPA – Todos Pela Alfabetização – foi propaganda enganosa.
O governo do Partido dos Trabalhadores, de fato, está descendo ladeira abaixo no seu desgoverno. Depois de gastar fortunas com publicidade, alardeando que o TOPA alfabetizou centenas de milhares de baianos, agora sai a notícia de um órgão do próprio governo. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) divulgados nesta sexta-feira, 27, mostram que taxa de analfabetismo parou de cair e registrou pequeno aumento, entre 2011 e 2012. Desde que a Pnad passou a cobrir o País inteiro, em 2004, é a primeira vez que o índice ficou maior do que no ano anterior. Segundo os dados da Pnad 2012, os estados de Tocantins, Paraíba, Pernambuco e Bahia tiveram os maiores aumentos nas taxas de analfabetismo. O consolo para o governo de Jaques Wagner é que em Alagoas a coisa está pior. É o estado com o maior índice: um em cada cinco (21,8%) habitantes de 15 anos ou mais não sabe ler nem escrever. O TOPA foi mais um programa do Governo da Bahia para comer recursos. Era propaganda enganosa.
A proporção de pessoas com 15 anos ou mais que não sabem ler nem escrever passou de 8,6% em 2011 para 8,7% em 2012. Em números absolutos, representou um aumento de 297 mil analfabetos, de 12,866 milhões para 13,163 milhões. Os técnicos do IBGE informaram que estão reavaliando o resultado e que não se pode falar em tendência de aumento do analfabetismo, que só acontecerá se o índice continuar a subir nos próximos anos. O dado mais surpreendente é que o analfabetismo subiu na faixa dos 40 aos 59 anos. Na faixa dos 15 aos 19 anos, ficou estagnada em 1,2%. Nas demais faixas etárias, houve ligeira queda no índice. Os dados de analfabetismo são mais preocupantes no Nordeste, onde a taxa subiu meio ponto porcentual em um ano, passando de 16,9% para 17,4%. Enquanto a região tem 27% da população total de 15 anos ou mais de idade, entre os analfabetos nesta faixa etária, 54% estão no Nordeste. Ou seja, um em cada dois analfabetos do País é nordestino. No Centro-Oeste, a taxa de analfabetismo também teve aumento, oscilando de 6,3% para 6,7%.  A taxa é a mesma registrada pela Pnad 2011. Os melhores resultados estão na região Sul, que reduziu a taxa de analfabetismo de 4,9% para 4,4% e agora é a região com menor índice, superando o Sudeste, que mantém os 4,8% de analfabetos de 2011. Santa Catarina é o Estado com a menor taxa de analfabetismo do País, com 3,1%. Entre 2011 e 2012, houve redução significativa na proporção dos analfabetos funcionais, passando de 20,4% para 18,3%, mas 27,8 milhões de pessoas de 15 anos ou mais de idade têm menos de quatro anos de estudos. Traduzindo, o Brasil está piorando, o Nordeste está pior e a Bahia vem descendo a ladeira. Maravilha!

Informações de O Estado de São Paulo e do CORREIO.