Exclusivo!

Juiz recebe 500 mil de salário. Direito ou privilégio?

Mirko Vincenzo Giannotte recebeu 503 mil em salários. Direito ou privilégio? A pressa em divulgar uma notícia pode levar um jornalista ...

Novidade

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Paulo Afonso terá 40 vagas para Medicina na UNIVASF


UNIVASF em Paulo Afonso
     Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), em Paulo Afonso, é uma das quatro instituições de ensino superior contempladas pelo Ministério da Educação com um curso federal de medicina. As outras três são a Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOBA), em Barreiras;  a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSBA), em Teixeira de Freitas, e a Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), com sede em Santo Antônio de Jesus, 
A UFOBA e a UFSBA terão, respectivamente,80 vagas; a UNIVASF  terá 40 e a UFRB oferecerá 60. No total, serão 260 vagas.  O curso da UFRB será no Centro de Ciências da Saúde (CCS) em 2013, segundo o reitor Paulo Gabriel Nassif. O projeto acadêmico já está pronto, informou o dirigente explicando que há uma grande dificuldade de preenchimento de vagas de médicos  no interior do Estado.
A vinda da graduação contribuirá para a mudança no quadro de carência de profissionais. Há  uma concentração elevada de médicos na capital e o desafio é interiorizar o curso de medicina, inclusive no Recôncavo - disse o reitor.
Hospital-escola - O prefeito de Santo Antônio, Euvaldo de Almeida Rosa, reforçou o apoio para a implantação do curso: “Temos grande responsabilidade e compromisso com isso”, disse. Um hospital escola é um dos itens que definem a evolução do processo de implantação do curso de medicina e o município já tem o Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus, que funciona como hospital escola há dois anos, onde os alunos dos cursos de Enfermagem, Nutrição e Psicologia têm um campo de estágio sob a supervisão de professores mestres e doutores.
Hoje, 294 alunos da UFRB e outras faculdades estagiam no Regional e cerca de 300 estão em visitas mensais. Além do estágio, a partir do 3º e 4º semestres, os alunos têm  aulas práticas.
“Porém, só olham o paciente e, a depender do semestre, podem até fazer intervenção, como dar o banho no leito. Sem o hospital, a gente parava o curso, pois não é só teoria. Se não ocupar esses espaços, como nos hospitais, a formação do estudante fica precária. Só assim eles desenvolvem o que aprendem na teoria e esse é o nosso diferencial”, ressaltou o diretor do campus do CCS, Luís Fávero.
O Centro oferecerá 60 vagas iniciais para medicina no vestibular de 2013. O projeto pedagógico para o novo curso prevê uma estrutura curricular organizada em regime de ciclos de formação, ou seja,  os estudantes vão ingressar no primeiro ciclo de formação que corresponde ao Bacharelado Interdisciplinar em Saúde (BIS), com área de concentração em Estudos em Saúde-Doença-Cuidado.
O BIS se constituirá no requisito formal para ingresso no segundo ciclo de formação específica em medicina. Já implantado no CCS desde 2009.2, o curso dura três anos. “O principal impacto desse curso é que ele é voltado para formar médicos generalistas, com a vocação para atuar no SUS, principalmente na Atenção Básica em Saúde. Ele não será formado só em uma especialidade, como acontece. Ele será tradicionalmente um clínico geral”, diz a professora, Luciana Alaíde,  da comissão de criação do projeto pedagógico.
     Informações de A TARDE.