Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

sexta-feira, 20 de julho de 2012

A questão Paraguai I: o pensamento de Silvio Torres


O livro do prof. Sílvio Torres

Todos sabem que o Paraguai foi suspenso temporariamente como membro do Mercosul – Mercado Comum do Sul. Mas a questão não é tão simples assim. Há muitas coisas que ainda não foram ditas e estão envoltas em mistério. Para o professor Dr. Silvio Torres Chávez, autor do livro Retazos de mi pensamiento..., das Ediciones do Instituto Superior Dr. Arturo Jauretche, de Buenos Ayres, a questão Paraguai vai muito além de um simples processo de suspensão. Há o dedo de partidos conservadores que querem a consolidação de uma espécie de partidocracia, como forma de frear o avanço do pensamento social-democrata popular, e muitas imposições de países neoliberais incomodados com a união latino-americana. Torres nasceu em Velenzuela, no Departamento (Estado) de Cordillera, em 1965. Hoje é Doutor em Desenvolvimento e Defesa, professor em Educação Agropecuária, Ciências Sociais, Planejamento e Estratégia, além de ministrar disciplinas no curso de Mestrado da Universidad Internacional Tres Fronteras, em Assunção e Ciudad del Este. Ao lado destas atividades profissionais, é membro de várias fundações e congressos, inclusive professor do Congresso da Nação Argentina em relações internacionais.

Conhecido em seu país por vários títulos recebidos, Silvio Torres afirma que, na prática, não haverá diferenças no comércio em Ciudad del Este, mas que a vontade popular não foi levada em conta. Para ele, Fernando Lugo sofreu um golpe de estado, embora esteja dentro do que diz a Constituição. A questão é que foi algo antipopular, só para atender a partidocracia e o neoliberalismo. Torres também afirmou que o Paraguai foi impedido de caminhar no seu processo rumo à plena democracia e que os Brasiguaios estão no seu país a ajudar a direita política. Para ele, é preciso pensar no povo e na educação, deixando claro que os que fazem a grande política, a política de alto nível, são éticos. Política e ética devem andar juntos, mas a partidocracia afastou o comportamento ético. A reportagem concedida a este blog contou com a colaboração do professor de História José Gicelmo Albuquerque, de Aracaju. Veja o vídeo completo.