Exclusivo!

2º dia da 1ª Fecultarte teve dança, vídeo e teatro

A 2ª noite da 1ª Fecultarte foi dominada pela dança e pelo teatro (foto: Landisvalth Lima) O Colégio Estadual José Dantas de Souza – C...

Novidade

sábado, 30 de julho de 2011

Eleições da APLB serão acirradas


                                  José MarquesBahia Notícias
As eleições do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), que ocorrerão nas próximas quinta (4) e sexta-feira (5) em todos os municípios da Bahia, prometem ser bastante acirradas. Mais de 60 mil representantes estão credenciados a votar no estado em uma das duas chapas inscritas. Apesar disso, a categoria ainda não foi informada onde fará a escolha, de acordo com o primeiro secretário da Chapa 2, opositora à atual gestão. “Até agora não sabemos os locais onde serão colocadas as urnas de votação. As pessoas sempre nos perguntam onde votar e não sabemos, porque a Chapa 1 não divulgou até o momento”, afirma César Carneiro, o primeiro-diretor da legenda oponente. Em entrevista ao Bahia Notícias, nesta sexta-feira (29), Carneiro acusou a Chapa 1 de ser “submissa ao governo” e “dificultar a participação de chapas opositoras na eleição”. “Eles não apresentam reivindicações e não fazem opção de ir à luta. Achamos que é uma decisão política, que a Chapa 1 não tem autonomia sindical. Para se ter ideia, há mais de um ano não se realiza uma assembleia da categoria na rede estadual. A Chapa 1 não se pronuncia em relação a todas as mazelas em relação à educação”, condenou. Procurado pelo BN, o presidente da entidade de classe, Rui Oliveira, candidato à terceira reeleição pelo mesmo grupo que comanda a instituição há mais de 20 anos, preferiu se omitir de rebater ás denúncias. Argumentou que “não responderia às provocações da oposição” e falaria apenas das conquistas do seu grupo, como “reajustes diferenciados” e a “conquista da URV” na Justiça – já que o governo recorreu e o valor ainda não foi pago. Sobre os locais de votação, ele também disse que “não sabe onde serão”. “A comissão eleitoral é quem decide isso”, declarou. Entretanto, de acordo com Carneiro, a atual gestão é a responsável por escolher a comissão e não dá direito à representação das outras chapas. Vale ressaltar que a situação é controlada pelo PCdoB, partido aliado ao governo do Estado, e a Chapa 2 pelo Psol.