Estamos de volta!

Mudamos a linha editorial
O tom crítico continua
Mas falaremos apenas
Daquilo que vale a pena falar

Exclusivo!

O encontro que virou show

Sandro Becker animou o encontro dos professores na casa de Álvaro (foto: Landisvalth Lima) A ideia dos professores do Colégio do Sa...

Novidade

sábado, 14 de março de 2015

O ápice do cinismo

                             Landisvalth Lima
Levy Fidelix
Os poucos leitores deste blog conhecem o uso da válvula de escape do eleitor que votou num dado candidato ou candidata que, quando no poder, não correspondeu. É comum ouvir a clássica “todos os políticos são iguais”. Se não houver jeito, se for passado na cara que candidato tal é diferente, nunca foi envolvido em incompetência ou corrupção, já está pronta uma outra resposta: “O povo não quer” ou “Não tem voto”. Este vício de transformar uma eleição num campeonato, somado ao jogo do comércio do voto, tem causado enormes prejuízos ao nosso país. O que eu não imaginava era assistir um dia meus outrora ídolos no poder expondo perversidade, incompetência e cinismo, não necessariamente nesta ordem.
Uma vez a esquerda no poder, com minhas modestas ajuda e luta, passou um filme de moralização do serviço público e da divisão justa da renda nacional. Sabia que não seria fácil. Os políticos do bloco da direita eram experientes, poderosos e incansáveis na busca do poder. Como Lula já trazia uma boa parte deles debaixo do braço, achei que a tarefa seria mais branda. O resto todos já sabem. Não vou aqui ficar repetindo. Lula jogou o milho e, como galinhas, fizemos a festa. Do Bolsa família ao Pré-sal, os grãos foram espalhados ao nosso alcance. Sem saúde, sem terra, sem segurança e sem educação, mas de papo cheio na minha casa, e com o celular da minha vida, devotamos, como nunca antes na história deste país, amor quase eterno ao Partido dos Trabalhadores e ao seu líder, antes o sapo barbudo e o comunista aloprado. Tenho a impressão que a palavra que resume isto é perversidade.
Enquanto isso, os homens que matavam e morriam defendendo a maior empresa de todos os brasileiros, alegando que as elites queriam devorá-la com a privatização, faziam o maior saque que se tem notícia aos cofres da estatal. Com isso, o PT solidificava, ao lado do PMDB e do PP, o seu projeto criminoso de poder, colocando o Mensalão como um cafezinho diante do banquete da usurpação da Petrobrás. A empresa foi engordada para alimentar o saco faminto do poder dos políticos reformuladores da nossa nação. Deputados, senadores, sindicalistas, jornalistas, doleiros, diretores, governadores, secretários.... Todos foram saciados nos inimagináveis 12 anos de poder! Como fariam o diabo para vencer uma nova eleição, não mediram seus atos. A ordem era mentir, mentir e mentir. Cansados de tanto mentir, mentiram novamente. Marina Silva foi demonizada para o espetáculo final desejado: PT X PSDB. Ultrapassaram todos os limites sem dó e venceram. Estamos agora aqui desfalecidos,  cabisbaixos, quebrados, endividados. O país desce ladeira abaixo. Quem lutou pelo poder não sabe como sair da situação engendrada. A palavra é incompetência.
Na sexta-feira (13) os ex-companheiros foram para as ruas. Na minha vã esperança, imaginava vê-los arrependidos. Não mesmo! Pregavam a apuração da corrupção na nossa Petrobrás e a colocação dos envolvidos na cadeia, sem condenar o PT por isso. Reclamavam das medidas provisórias de Dilma, que retiram direitos trabalhistas; defenderam a Petrobrás, mas não querem o impeachment de Dilma. Dizem ser um golpe. E são os mesmo que foram para as ruas pedir o impeachment de Collor. É! Collor, aquele mesmo que ganhou a eleição para o Lula. É! O Lula, o mesmo que ajudou a tirar o alagoano do poder e permitiu a revelação de nomes como Lindenberg Farias, promovido pelos caras pintadas da Globo, hoje senador ao lado de Collor. Ambos são defensores do governo Dilma e os dois receberam ´propinas da corrupção alicerçada na Petrobrás. A Globo agora é o próprio Satanás, como de resto toda a imprensa do país. Isto é cinismo! 
Mas o ápice do cinismo é dizer que o Brasil é um país livre e todos podem se manifestar, mas ao mesmo tempo dizer que os que vaiam tem olhos azuis, pele branca e moram no Morumbi ou na Vieira Souto. Também dizer que o ato marcado deste domingo (15) não se justifica porque as eleições já passaram e não há terceiro turno. E o que dizer quando o ex-presidente da Petrobrás vai a uma CPI e diz que não há corrupção sistêmica na estatal e que o fato foi algo isolado. Pior, disse que era impossível ao presidente da empresa descobrir os desmandos revelados pela Operação Lava Jato! Só para completar a bestialidade, disse tudo isso num trio elétrico e ainda foi ovacionado pelos companheiros. E o discurso de Dilma no Dia Internacional da Mulher? Não vale a pena comentar. Só sei que este cinismo da presidente, somado à sua incompetência e perversidade, resultou em 7% de aprovação. Este número já é inferior ao de Collor. São os eleitores do parágrafo inicial deste artigo, muitos presentes às manifestações de sexta-feira (13) e também aqueles que condenam o ato deste domingo (15). Aqui não me arrisco a dizer que é cinismo. Creio ser um lenitivo para justificar a besteira que fez ao votar em Dilma e não ter a serenidade de admitir que foi enganado. Mais, não conseguem ver o óbvio: até o Levy Fidelix seria melhor presidente que Dilma.

Guzzo: 'O mais importante do dia 15 será a manifestação do direito de discordar"

quarta-feira, 11 de março de 2015

DIAS TOFFOLI no STF - Tem MARACUTAIA aí ?

Audiência em Poço Verde: Seed não comparece

Representantes com o Juiz em Poço Verde (foto:Sintese)
A audiência marcada pelo Dr. Antônio Carlos de Souza Martins, Juiz da comarca de Poço Verde, para esta quarta-feira (11), com a finalidade de tentar resolver o imbróglio do não início das aulas da rede pública estadual de Sergipe no município, serviu para revelar o nível de importância que a Seed-Se está dando ao caso e à Justiça. É que a audiência não aconteceu porque a Secretaria Estadual de Educação não enviou seu representante. Até o fechamento desta postagem, nenhuma justificativa foi dada, mas não é difícil concluir que a falácia da priorização da educação como bandeira no estado é puro marketing. Também ficou claro que pouca importância o Governo do Estado está dando a uma sentença judicial, publicada desde 10 de dezembro do ano passado.
 Fato é que o Meritíssimo Juiz, Dr. Antônio Carlos Martins, resolveu visitar as escolas estaduais na próxima quarta-feira (18), torcendo para que algo tenha sido providenciado e que permita autorizar o início das aulas de 2015. Do Colégio Estadual Professor João de Oliveira, só uma providência foi tomada: a aquisição dos extintores de incêndio. O CEPJO tem sérios problemas em toda sua rede elétrica e não tem saída de emergência, em caso de necessidade de uma evacuação urgente. A direção do colégio está tentando colocar os botijões de gás em local seguro. Embora a direção do CEPJO tenha mantido contato direto com a Seed para solução dos problemas, tudo depende do Governo do Estado.
Certo é que as aulas não serão iniciadas nesta segunda-feira (16). Todos estão querendo que o problema seja resolvido, mas, até aqui, o estado não tem demonstrado agilidade na tomada de atitude para, de uma vez por todas, resolver as questões. O interessante é que são medidas simples e de baixo custo. Quem viu o estrago provocado por uma trovoada, que alagou a secretaria e a direção do CEPJO, causando um prejuízo enorme à instituição, sabe que o Ministério Público agiu corretamente. Pena é que, neste país, os administradores públicos são privilegiados. Um dia futuro, juízes colocarão na cadeia os agentes públicos que não cumpram sentenças. Então, a República será instalada na sua plenitude.
Servidores da Bahia podem não ter aumento 
O governo petista baiano se orgulha de ter sido a Bahia um dos únicos oito estados brasileiros a não fechar o ano de 2014 no vermelho. Além de uma contabilidade criativa, o governo Jacques Wagner vem segurando o servidor com índices negativos de aumento de salário. O sucessor Rui Costa parece caminhar na mesma trilha. O secretário da Fazenda da Bahia, Manoel Vitório, defendeu nesta terça-feira (10), na Assembleia Legislativa do Estado, o adiamento dos reajustes dos servidores estaduais. Ao apresentar o balanço do terceiro quadrimestre de 2014 aos deputados estaduais, o secretário manifestou preocupação com os efeitos que o déficit sobre os gastos com pessoal neste ano e reconheceu que o estado pode ultrapassar os limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). "Qualquer percentual dado ao servidor, a repercussão é de centenas de milhões", explicou. De acordo com o secretário, o governo deverá aportar R$ 2,4 bilhões em 2015 para pagar os aposentados e pensionistas. Servidores e representantes sindicais defendem um reajuste linear acima da inflação, que fechou 2014 em 6,41%. Vitório destacou que sua visão não é "hegemônica" dentro do governo mas que não adianta "fazer uma promessa de reajuste e depois não conseguir honrar os salários". Sabe-se bem que é fácil governar quando há abundantes recursos. O bom gerente se revela quando há pouco comida e muita fome para matar.
A virose da convocação
Ministro Cid Gomes
A convocação feita pela Câmara dos Deputados deve ser o vírus que acabou colocando o ministro Cid Gomes numa cama de hospital. Os deputados aprovaram a convocação do ministro diante de declaração feita por ele de que a Câmara tem "uns 400 deputados, 300 deputados" achacadores. "Tem lá [na Câmara] uns 400 deputados, 300 deputados que quanto pior melhor para eles. Eles querem é que o governo esteja frágil porque é a forma de eles achacarem mais, tomarem mais, tirarem mais dele, aprovarem as emendas impositivas", afirmou Cid em viagem ao Pará, no final de fevereiro. Ontem, o ministro Cid Gomes (Educação) foi internado no Hospital Sírio Libanês nesta terça-feira sob suspeita de pneumonia. Após participar de seminário na Universidade de Yale, nos Estados Unidos, onde a temperatura marcava -11ºC, ele regressou ao Brasil no início da semana com sintomas de febre e dificuldade de respiração. Após exames, foi diagnosticado com traqueobronquite aguda - trata-se de uma inflamação dos canais que levam o ar para os pulmões. Na manhã desta quarta-feira (11), a assessoria da pasta protocolou pedido na Câmara para adiar a convocação do ministro, prevista para esta tarde – a presença é obrigatória. No despacho, Cid pede que seja agendada uma nova data. A bancada do PMDB na Câmara vai propor a criação de uma comissão externa para verificar o real estado de saúde do ministro. Pelo jeito, o vírus da convocação deve ter andado lá pelos Estados Unidos.
Exército do MST em Sergipe
Acidente na BR 101: três mortes (foto: O Globo)
João Pedro Stédile parece que ouviu o apelo de Lula e já colocou o exército do MST nas ruas e pistas do país. Em Sergipe provocou a interdição das rodovias BR 101 e 235. Antes mesmo de virar guerra, já causa mortes. Um engavetamento provocado por uma carreta matou três pessoas durante a manhã desta quarta-feira (11) na BR-101, em Sergipe. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, entre as três vítimas fatais estão dois adultos e uma criança da mesma família. O caso aconteceu por volta de 10h, no KM 111 da rodovia, onde o trânsito estava parado por conta da manifestação do Movimento dos Sem Terra. No momento da liberação da pista, uma carreta não conseguiu frear a tempo e bateu na traseira de um carro, provocando um engavetamento que atingiu outros quatro veículos de passeio. De acordo com a PRF, a carreta carregava um fertilizante inflamável, que gerou um incêndio no local. O fogo atingiu o carro que estava logo à frente e matou as três pessoas carbonizadas.  
Operação Lava Jato
O ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU), Valdir Simão, determinou a abertura de processos administrativos contra dez empresas investigadas pela Operação Lava Jato da Polícia Federal. A decisão foi publicada, nesta quarta-feira (11), no Diário Oficial da União. Alumni Engenharia, GDK, Promon Engenharia, Andrade Gutierrez, Fidens Engenharia, Sanko Sider, Odebrecht, Odebrecht Óleo e Gás, Odebrecht Ambiental e a SOG Óleo e Gás serão notificadas nos próximos dias. De acordo com o órgão, que é ligado à Presidência da República, as empresas poderão ser multadas e até impedidas de firmar novos contratos com o poder público. Em dezembro, a CGU instaurou processos administrativos de responsabilização contra oito empresas também envolvidas na Lava Jato: Camargo Corrêa, Engevix, Galvão Engenharia, Iesa, Mendes Junior, OAS, Queiroz Galvão e UTC-Constran.
Greve dos professores em Coité
Jacques Vagner e Assis
As escolas da rede municipal de Conceição do Coité, na região sisaleira, terão de manter mínimo de 50% do efetivo de professores em sala de aula. A determinação faz parte de decisão da desembargadora Heloísa Pinto de Freitas Vieira Graddi, publicada nesta quarta-feira (11), no Diário da Justiça Eletrônico. De acordo com a magistrada, caso os docentes não cumpram a determinação, a multa será de R$ 25 mil diários. Na ação, a prefeitura diz que o sindicato da categoria (SPMCC) decretou a paralisação sem aguardar o encerramento das negociações. Há 13 dias, os docentes da cidade estão em greve. Eles reclamam aplicação da carga horária e do piso estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC). Segundo Leonardo Mascarenhas, do sindicato dos professores, o MEC determinou que em 20 horas de carga horária, 13H são para sala de aula e o restante para planejamento. A prefeitura de Coité exige 15h para aulas e 5h para planejamento. "Além disso, o piso salarial pago em Coité é o pior da região sisaleira", disse Mascarenhas em entrevista ao Bahia Notícias. Segundo ele, o vencimento pago em Coité fica atrás em R$ 600 em média em relação aos municípios vizinhos. O sindicalista também negou que a prefeitura quer negociar. "Até agora, não houve nenhuma resposta da prefeitura", declarou. Nesta sexta-feira (13), uma audiência pública na Câmara de Vereadores vai discutir a situação do magistério local. Sobre a decisão da juíza de que os docentes devem manter 50% do efetivo em aula, Mascarenhas disse que a condição tem sido cumprida pelos professores do Fundamental 1 (1° a 5° ano) que não aderiram em massa à greve. O professor afirmou ainda que o sindicato deve recorrer da decisão da Justiça. Para quem ainda não sabe, a prefeitura é administrada pelo PT. O nome do prefeito é Francisco de Assis Alves dos Santos, o companheiro Assis.
Nervosismo no CEJDS
Os funcionários terceirizados do Colégio Estadual José Dantas de Souza – CEJDS – estão apreensivos com os boatos de mudança na estrutura administrativa da instituição. Fala-se numa reformulação geral. Tudo porque os pesos de poder são outros. O prefeito Ildinho fez o cabelo e a barba elegendo o primeiro e segundo deputados estaduais mais votados e deve influenciar numa suposta nova estrutura pensada para o colégio. Ocorre que são só boatos. Se o prefeito vai indicar nomes, depende do Governo do Estado. Toda mudança é bem-vinda. Só se deve tomar cuidado em não afastar aqueles que realizam um bom trabalho para colocar incompetentes e relapsos. No mais, que venham novas ideias. O CEJDS está precisando mesmo de uma nova repaginação, de novos colaboradores. A última diretora colocou o colégio no pior patamar possível.

Com informações de Veja, Bahia Notícias, portal Infonet e Correio.

Servidores ameaçam greve em Sergipe

Servidores de escolas estaduais ameaçam parar atividades. Sindicato diz que servidores estão ganhando abaixo do mínimo
Johan Bezerra, do Sintreducase (foto:Infonet)
Servidores Públicos da Área Administrativa e Operacional da Educação do Estado de Sergipe [merendeiras, vigilantes, executores e oficiais administrativo] podem cruzar os braços nos próximos dias. Por meio do sindicato da categoria [Sintreducase], eles alegam que há vários meses estão tentando um diálogo em prol de salários dignos e melhores condições de trabalho.
Segundo o presidente do Sintreducase, Johan Bezerra, foi protocolado junto ao Governo do Estado e à Secretaria de Educação, um pedido de abertura de negociação, mas até agora não obtiveram resposta. “A gente está num primeiro momento fazendo uma mobilização nos interiores, conversando com os colegas, mas diante da situação dos funcionários das escolas, acho quase impossível que não haja uma greve. Apesar da aprovação do PCCV, existe na sua grande maioria, funcionários de escola que continuaram ganhando abaixo do mínimo”, explica Johan Bezerra.
Ajuste da LRF
O sindicalista lamentou que o Governo tenha criado um limitador para os salários dos servidores. “Qual foi a grande malandragem do Governo? Elevou nosso salário base pra R$ 900 e no entanto, criou um limitador chamado Ajuste Provisório da LRF, ou seja, nós estamos pagando por culpa de uma ingerência, de uma irresponsabilidade do Governo. Ai quando você pega os 900 e diminui os 200 e pouco que é o limite da RLF, os funcionários de escolas estão ganhando R$ 545. O meu caso, recebo R$ 788 porque tenho adicional noturno pra complementar e salário família, quem trabalha pelo dia não tem esse complemento”, destaca.
O presidente do Sintreducase retrucou o argumento de que a situação do Estado é difícil. “O discurso do Governo é de que o Estado tá em situação difícil porque diminuiu os repasses federais, não é verdade porque a gente pesquisou no Portal da Transparência e a informação é de que em 2014 em relação a 2013 aumentou 233 milhões, não é pouco dinheiro, no entanto, o Governo vem contratando cargos comissionados altíssimos. Em visita à Assembleia, o secretário Jorge Carvalho disse que estava disposto a nos receber, dois dias depois nós protocolamos ofícios e até agora nada”, acrescenta Johan Bezerra.
Contraponto
Na assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Educação (Seed), a informação é de que “todas as negociações estão acontecendo com o Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais, a nossa relação é com o Sintrase, a gente não vai dialogar com um sindicato que não está legalizado”.

Por Aldaci de Souza – do portal INFONET.

domingo, 8 de março de 2015

Lista com políticos baianos terá impacto nas eleições

                                   Biaggio Talento – de A TARDE
Jacques Wagner e João Leão
Agitado com a Operação Lava Jato, o Brasil não será o mesmo após as revelações de corrupção mantida durante anos na Petrobras e a divulgação da lista de políticos envolvidos. Na Bahia, o fato de a cúpula do PP, um dos principais aliados do PT do governador Rui Costa, ter nomes na lista de Janot pode ter impacto nas próximas eleições municipais e fortalecer a oposição no Estado, avaliam analistas.
O vice-governador do estado e secretário de Planejamento, João Leão e o conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios, Mário Negromonte integram a lista do terror de Janot, além do deputado federal Roberto Britto e Luiz Argôlo (SDD).
O juiz federal Sérgio Moro investiga o envolvimento de várias empresas como as baianas OAS e Odebrecht, além da UTC (dirigida pelo baiano Roberto Pessoa) no pagamento de propinas a dirigentes da Petrobras, colocados em diretorias pelos partidos políticos que se beneficiariam com parte do dinheiro das fraudes.
A relação dos 54 políticos que a Procuradoria Geral da República pediu para o STF abrir investigação pelos indícios fortes de corrupção, atingiu os principais partidos da base do governo: PT, PMDB e PP.
Jacques Wagner e Mário Negromonte
Os tentáculos da Lava Jato que se estendem até a Bahia deve ter consequências na vida política do Estado. O sociólogo Joviniano Neto avalia que o principal prejudicado politicamente será o PT, mesmo que a investigação da participação dos políticos nas fraudes ainda esteja no começo.
"É que, em casos como esses, prevalece, no início, a primeira lei de Jean Marie Domenach (escritor francês autor do famoso livro A Propaganda Política): a simplificação e o inimigo único", lembra Joviniano, explicando que a tendência é se propagar a imagem que o governo federal é o responsável e o partido que o comanda o "inimigo único".
Nesse cenário, além da oposição sair fortalecida, apesar de alguns elementos desse grupo também terem sido citados como participantes do esquema, "ocorre uma natural inibição da base de apoio ao governo que se vê meio constrangida para defendê-lo", disse, apontando outro fator negativo para o PT, a necessidade da presidente Dilma editar medidas impopulares.
Ele destaca, ainda, que pode haver impacto nas eleições. "O tempo da mídia, da política e da justiça são diferentes. E embora a Procuradoria Geral tenha feito apenas pedidos de investigação, sem que ninguém esteja sendo processado, a repercussão da lista de políticos pode ter, sim, reflexos nas próximas eleições municipais".
Rui Costa e Luiz Argôlo
Sobre a relação entre PP e PT na Bahia "nada vai mudar", diz ele, "mas vai haver uma permanente tensão cercando todos os partidos cujos integrantes estão nesta primeira lista. E os reflexos políticos serão sentidos ao longo do tempo".
Economia
Para o sociólogo, haverá um impacto grande também na economia da Bahia, não só pelo fato do governo federal reduzir seus investimentos em função da crise, como o fato de estar no olho do furacão da Lava Jato as empreiteiras responsáveis pelas grandes obras de infraestrutura no Estado.
O professor de Ciência Política da Universidade Católica do Salvador, Claudio André de Souza assinala que o impacto socioeconômico da Lava Jato se reflete diretamente na ação dos políticos do Estado. "A operação ajudou, por exemplo, a piorar a crise do Estaleiro Paraguaçu do qual participam a Odebrecht, a OAS e a UTC. Ocorreram demissões e um clima ruim na região.
Óbvio que quem obteve dividendos políticos com o empreendimento, no caso o governo da Bahia, vai sofrer desgaste agora", disse. Segundo Souza, o escândalo tende também a reduzir as doações aos partidos. "E ai vai criar a oportunidade de se discutir o financiamento público das campanhas". Ele acha também que a mobilização popular deve aumentar daqui para a frente.

Colaborou Marjorie Moura.