Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Deputado afirma que queda de avião com Eduardo Campos não foi acidental

Protógenes Queiroz (PCdoB-SP)
Após o deputado federal candidato à reeleição Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) levantar a hipótese de que o desastre aéreo que matou o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos no dia 13 de agosto não foi acidental, o irmão do então presidenciável, Antônio Campos, pediu que o Ministério Público e a 5ª Vara Federal de Santos intime o parlamentar para apresentar os dados sobre a denúncia, “para que perante o MPF e a Justiça Federal faça o seu esclarecimento e traga aos autos os citados indícios e depoimentos que alega ter de que o acidente com Eduardo Campos teria sido atentado”. Queiroz tem afirmado que entregará as informações que apurou sobre a queda do jato em Santos (SP) à Procuradoria Geral da República (PGR) após as eleições. “Questão do acidente ser normal, na minha convicção, está afastado isso”, disse Queiroz, que é delegado da Polícia Federal licenciado e ficou conhecido após comandar a operação Satiagraha, que investigou um esquema de corrupção que resultou na prisão do ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta, e do banqueiro Daniel Dantas, em 2008. Ele afirma que estava na baixada santista no dia da tragédia e que se dirigiu ao local ao saber do acidente para “coletar informações”. Entre os fatos estranhos que o parlamentar percebeu está o fato de a equipe da PF designada para acompanhar as buscas e coletar os dados só ter chegado na madrugada do dia seguinte”. Ele aponta também que a área não foi isolada corretamente. Queiroz também diz ter visto “contradições” no local onde a aeronave caiu, como um fichário do piloto do avião que estava sem folhas e só apresentava a capa. “Por que foram retiradas essas folhas? Por que eu encontrei em outro local? Eu fotografei as folhas e pedi pra perícia recolher”, observou. O deputado também relata ter tirado fotos de parte da fuselagem do avião, que não coincidem, segundo ele, com imagens que estão na base aérea. Ainda de acordo com Queiroz, técnicos da PF que trabalham no caso estariam com medo. “Os técnicos estão um pouco amedrontados com a situação, amedrontas porque converge com uma situação de um atentado (...) e eles têm medo de algum tipo de retaliação”, afirmou.

Com informações do portal Terra e do Bahia Notícias.