Exclusivo!

Juiz recebe 500 mil de salário. Direito ou privilégio?

Mirko Vincenzo Giannotte recebeu 503 mil em salários. Direito ou privilégio? A pressa em divulgar uma notícia pode levar um jornalista ...

Novidade

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Romário diz que na CBF tem um bando de vagabundos

Revoltado, deputado afirma que Dilma entregará a taça da vergonha
Romário detonou dirigentes da CBF (foto:Nordeste1)
O ex-jogador e deputado federal Romário (PSB) fez duras críticas ao governo federal por falta de vontade política para fazer intervenção no futebol brasileiro, após a derrota da Seleção por 7 a 1 perante a Alemanha. “Nunca tive o apoio da presidente do país, Dilma Rousseff, ou do ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Que todos saibam: já pedi várias vezes uma intervenção política do governo federal no nosso futebol”, escreveu, em postagem no Facebook. Ele recorda que, em 2012, apresentou um pedido de CPI da CBF, baseado em uma série de escândalos sobre a entidade, como o enriquecimento ilícito de dirigentes, corrupção, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e desvio de verba do patrocínio da empresa área TAM. “O pedido está parado em alguma gaveta em Brasília há dois anos”, lamenta. Para o parlamentar, mais vergonhoso que o placar de terça-feira (8), é ter uma das gestões de futebol "mais corruptas" do mundo. “O presidente da entidade, José Maria Marin, é ladrão de medalha, de energia, de terreno público e apoiador da ditadura. Marco Polo Del Nero, seu atual vice, recentemente foi detido, investigado e indiciado pela Polícia Federal por possíveis crimes contra o sistema financeiro, corrupção e formação de quadrilha. [...] Marin e Del Nero tinham que estar era na cadeia! Bando de vagabundos!!!”, acusou. "Há quatro anos pregando no deserto sobre os problemas da CBF, uma instituição corrupta gerindo um patrimônio de altíssimo valor de mercado, usando nosso hino, nossa bandeira, nossas cores e, o mais importante, nosso material humano, nossos jogadores", argumentou. Ele segue com a afirmação de que a corrupção da entidade tem raízes em todos os clubes brasileiros. Romário fala da existência de uma “Bancada da CBF”, composta pelos colegas José Rocha (PR-BA), Rodrigo Maia (DEM -RJ), Guilherme Campos (PSD-SP), Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), Vicente Cândido (PT-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Valdivino de Oliveira (PSDB-GO). Os parlamentares, segundo o ex-jogador, impediram a aprovação de um projeto que aumentaria a fiscalização sobre a confederação. “O futebol brasileiro tomou uma goleada e a derrota retumbante, infelizmente, não foi só em campo. Nem sequer tivemos o prazer de jogar no Maracanã, um templo do futebol mundial, reformado ao custo de mais de R$ 1 bilhão”, criticou. Segundo ele, a escolha partiu da CBF e o Ministério do Esporte e a Presidência foram omissos em não interferir. “Dilma tem sim que entregar a taça para outra seleção. Este gesto será o retrato do valor que ela deu ao nosso futebol nos últimos anos! [...] Essa será a taça da vergonha”, finalizou.

Informações do Bahia Notícias.