Exclusivo!

Lula aposta no convencimento da mentira

Novidade

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Um em cada 33 mil pacientes cardíacos morre durante ato sexual


A prática sexual é segura para cardiopatas (foto: Veja.Abril)

A prática sexual é segura para a maioria dos pacientes, mesmo que conste um ataque cardíaco ou uma cirurgia no histórico médico. A afirmação é de um estudo feito por especialistas americanos, divulgado nesta semana.
A pesquisa ressalta que menos de 1% dos ataques cardíacos são provocados pela atividade sexual. Essa porcentagem cai ainda mais quando a pessoa faz exercícios com regularidade.
Segundo o relatório, que é da AHA (Associação do Coração Americana), as chances de um sobrevivente de ataque cardíaco ter outro e morrer durante o ato sexual são de um entre 33 mil.
Se o paciente conseguir caminhar sem problemas e subir dois lances de escadas sem ter dor no peito, fraqueza ou um ritmo cardíaco anormal, isto significa que está pronto para voltar a ter relações sexuais, diz o texto.
Os autores acrescentam que todos os pacientes devem fazer uma consulta a seus médicos antes de voltarem à atividade sexual.
Os especialistas da AHA aconselham, no entanto, que os sobreviventes de um ataque cardíaco esperem pelo menos uma semana antes de retomarem a atividade sexual e que aqueles que passaram por uma cirurgia aguardem entre seis e oito semanas.
Informações da Folha de São Paulo.