Novidade

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Poucas & Boas 2018.12

Treze candidatos e apenas duas ideias absorvidas pelo eleitorado. E as piores! (foto-montagem: Estadão)

Treze candidatos e duas ideias
Meu sonho de um Brasil próspero e justo está cada dia mais distante. De acordo com os resultados das pesquisas, este Brasil não virá nestes próximos quatro anos. Depois de lutarmos tanto pela democracia, pela igualdade, pelo fim da discriminação, pela ética na política e pela renovação das ideias, estamos fadados a escolher para o mais alto cargo do país um vassalo de um corrupto e lavador de dinheiro, condenado e preso, ou um machista, homofóbico, defensor da lei da força e das armas. A sustentabilidade de Marina Silva, o apoio à Lava Jato de Álvaro Dias, a próstata de Ciro Gomes, o capitalismo de Amoedo, o glória a Deus de Cabo Daciolo, as possibilidades de vitória de Alckmin no segundo turno, a esculhambação do Boulos, os fortes sinais de Eymael, a estatização de tudo de Vera Lúcia, o Meireles que ninguém ainda chamou e a pátria livre de João Goulart não foram suficientes para direcionar o pensamento da população. Resumiu-se a disputa na querência da volta do PT ou no antipetismo. As consequências serão drásticas e o preço será alto. Só não podemos alegar que não estamos bem informados sobre isso.
Cariri Sangrento
Os poucos e fieis leitores deste blog devem ter estranhado a larga ausência do Poucas & Boas neste último mês. É que estou tentando participar de um concurso literário nacional do Amazon e meu romance estava naquela fase do termina-não-termina. Precisei usar todo o tempo disponível para o dito cujo. Ontem, finalmente, terminei a parte 1 da trilogia Cariri Sangrento, depois de iniciada há dois anos. Esta primeira parte será dedicada à personagem Maria Boqueirão, uma cafuza resgatada na Serra do Boqueirão, hoje Cícero Dantas, e levada para a fazenda Caiçara, em Pernambuco. O objetivo é romancear a ocupação feita pelos portugueses nos séculos XVII e XVIII, a partir da chegada da família Alencar Rego. Este primeiro livro da trilogia terá algo em torno de 200 páginas.
Heliópolis movimentada
E o final de semana que antecipa a eleição foi movimentado em Heliópolis. No sábado, o prefeito Ildinho apresentou seus candidatos ao povo de Heliópolis. Foi um encontro muito concorrido. Não faltaram carro, gente e discursos. Presentes José Nunes e Marcelinho Veiga, o federal e estadual do prefeito. O primeiro tem muitos serviços prestados a Heliópolis e o segundo é apenas o genro de Marcelo Nilo. No domingo, houve carroceata promovida pelo opositor ao prefeito, vice-prefeito Zé do Sertão, que conseguiu registrar sua candidatura a deputado federal, mesmo estando na lista negra do TCE. Ele apoia a deputada do PT, Fátima Nunes, que luta pela reeleição. Isso mesmo! Fátima Nunes e Zé do Sertão no mesmo palanque.
Lourinaldo X Everaldo X Edna Dória
Os três candidatos a deputado federal de Poço Verde acabaram por transformar a eleição num palanque municipal. Dos três, quem mais ganha é o professor Lourinaldo, da Rede. Ele representa o novo, além de não praticar a política dos dois grupos tradicionais de Poço Verde. Transita com facilidade e constrói seu nome a nível estadual. Entre Edna e Everaldo, quem mais perde é Everaldo, porque para ele só há um resultado que justifique a sua candidatura: ser eleito, e com maioria no município. Sua candidatura é um plebiscito dos quase dois anos do seu filho como prefeito. Qualquer quantidade de voto que Edna Dória tiver será um indicativo de que Toinho de Dorinha ainda está vivo e forte.
Colégio Professor João de Oliveira
Quem visitar o Colégio Estadual Professor João de Oliveira verá que a instituição passa por sérios problemas. Além das desgraças estruturais, está sem diretor. Um problema pessoal com o diretor anterior acabou por antecipar situações que estavam sendo jogadas debaixo do tapete. A escola só funciona porque há certo comprometimento de professores, alunos e dos funcionários. O Ministério Público, que tem se preocupado muito na aplicação de programinhas benevolentes para maquiar aprovações, deveria dar uma passadinha lá e verificar in loco. Os estudantes estão perdendo a paciência e já começam a programar manifestações para salvar o CEPJO.
Rodovia Poço Verde a Simão Dias
Como em ano de eleição há alguns milagres que acontecem, o Governo de Sergipe iniciou a recapeamento asfáltico da rodovia SE-361, que Liga Simão Dias a Poço Verde. As obras de recapeamento já estão próximas do povoado Triunfo, distante 10 quilômetros de Simão Dias. Ao todo serão recapeados 43,68 km de estrada, num investimento de 12.487.259,84. Achou que foi muito dinheiro? Embora não tenha acostamento, é bom lembrar que o asfalto da BR-110 a Poço Verde, passando por Heliópolis, a BA 393, de 27 Km, custou mais de 18 milhões no governo do PT da Bahia. A previsão é que o asfalto novo chegue a Poço Verde até o fim do ano.
Meirinha e Iuri
A vereadora Ana Dalva está batendo de porta em porta para divulgar os seus candidatos a federal, Meirinha, e estadual, Iuri Alves. Mas os candidatos mantêm a vereadora informada de tudo o que acorre pela Bahia. Meirinha, por exemplo, manda boas notícias da região de Irecê sobre a boa receptividade de sua campanha, inclusive com apoio do prefeito de sua cidade, onde é também vereadora. Já Iuri Alves vem rodando toda a Bahia. Em Ilhéus, onde foi buscar mais votos, encontrou um primo de Ana Dalva e, de quebra ainda conquistou o voto.
Caixa Econômica nada federal
Quem tiver financiamento da casa própria ou algum tipo de prestação com a Caixa tome todo cuidado. Antigamente, a empresa começava a ligar para você quando acumulava duas prestações em atraso. Hoje, no sexto dia de atraso já está importunando o mutuário ao telefone. E mais, leva o seu nome para o SPC mesmo antes de trinta dias de vencido. Você só descobre quando vai passar o cartão ou fazer algum financiamento. São os tempos do governo Michel Temer, que, pasmem, ainda ficará três longos meses no poder. É bom lembrar, era vice da Dilma!
Oposição ou desgarrados do poder?
O jornal IMPACTO, de Jorge Souza, fez uma análise interessante na última edição, ao detalhar os apoios políticos em Heliópolis. Pela lógica da análise, só Ana Dalva e Gama Neves não vão votar em Rui Costa. A vereadora da Rede vai de Célia Sacramento e Gama Neves vai de Zé Ronaldo. O pessoal que briga tanto com Ildinho na Câmara de Vereadores vota no mesmo governador, senadores e presidente. Será que são mesmo oposição ou desgarrados do poder? Seja como for, Rui Costa, quando olhar o resultado em Heliópolis, vai ver o nome do prefeito estampado nele.