Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

17 deputados querem ser prefeitos


A Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), já no segundo ano da sua 17ª legislatura, poderá ter uma alteração de até 26,5% na sua composição, caso os deputados que disputarão as eleições municipais deste ano abandonem o mandato nos próximos meses para se dedicar exclusivamente à campanha. Ao todo, 17 dos 63 parlamentares são pré-candidatos, embora, no caminho até o pleito, boa parte deva retirar o nome, por não conseguir viabilizar politicamente a empreitada. A ascensão de suplentes, se necessária, acontecerá conforme as coligações estabelecidas em 2010, independentemente das trocas partidárias ocorridas após a contagem dos votos. Como, pela legislação, eles não são obrigados a se desincompatibilizar do cargo antes de serem diplomados prefeitos, o presidente da Casa, Marcelo Nilo, declarou ao Bahia Notícias não acreditar que algum dos seus liderados opte em antecipar a saída. O problema é que, com os compromissos eleitorais, a maioria, sobretudo os que pretendem concorrer em cidades mais distantes do interior, deve se ausentar de boa parte das atividades legislativas. “Se faltarem, eu corto o ponto”, avisou Nilo.
De acordo com a regra, o bloco PRB/PP/PDT/PT é o que conta com o maior número de cotados a postulantes: seis. São eles Euclides Fernandes (PDT – tentará o comando de Jequié); João Bonfim (PDT – Brumado); Joseildo Ramos (PT – Alagoinhas); Mário Negromonte Jr. (PP – cotado em Paulo Afonso); Roberto Carlos (PDT – Juazeiro) e Zé Neto (PT – Feira de Santana). Caso eles abandonem a AL-BA, as vagas serão ocupadas – na ordem de votação – pelo Professor Valdeci (PT), Eliana Boaventura (PP), Salvador Brito (PT), Ângelo Almeida (PT), Ailton Florêncio (PT) e pelo vereador de Salvador, Gilmar Santiago (PT). A coligação PSB/PSL tem como prefeituráveis Capitão Tadeu (Salvador) e Sargento Isidório (Candeias), que seriam substituídos por Manassés e Emanoel – os quatro do PSB. A chapa proporcional PMDB/PR/PSC/PRTB tem como pré-candidatos Temóteo Brito (hoje no PSD – Teixeira de Freitas) e Elmar Nascimento (PR – Campo Formoso). Ambos cederiam espaço para ex-deputados do PR: Gilberto Brito e Pedro Alcântara. O mesmo cenário é observado no grupo PRP/PPS/PSDC/PMN/PRP/PTdoB, em que os novos integrantes do PSD, Cláudia Oliveira (Porto Seguro) e Adolfo Menezes (Campo Formoso), dariam a cadeira para quadros tradicionais do PRP: Jurandy Oliveira e Capitão Fábio. Nas demais situações, haveria troca simples. No DEM, a vaga de Rogério Andrade, que passou para o PSD (cotado em Santo Antônio de Jesus), permitiria o retorno à AL-BA de Carlos Gaban; no PTN, a vaga de Luizinho Sobral (tenta Irecê) seria preenchida pelo jornalista Uziel Bueno; no PCdoB, Fabrício Falcão (Vitória da Conquista) seria substituído por Wenceslau; e no PV, Eures Ribeiro (Bom Jesus da Lapa) abriria espaço para Marquinho. O número pode subir ainda para 18 deputados, se Carlos Brasileiro (PT), atualmente titular da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), decidir retornar temporariamente à Assembleia após deixar a pasta. O petista é cogitado como concorrente em Senhor do Bonfim e já é substituído pelo primeiro suplente da coligação PRB/PP/PDT/PT, e seu correligionário, Joacy Dourado. As mesmas alterações, em igual encadeamento de suplência, serão aplicáveis a partir de 2012, em caso de vitória dos parlamentares na complicada briga pelo comando de Executivos municipais.
Informações do BAHIA NOTÍCIAS. Foto: Tiago Melo. Reportagem: Evilásio Júnior.