Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

sábado, 15 de outubro de 2011

Ministro Orlando Silva é acusado de desviar mais de 40 milhões


O policial militar João Dias Ferreira acusou o Ministro do esporte, Orlando Silva Júnior (foto), de estar envolvido no esquema de corrupção e ter recebido propina das dependências do ministério, de acordo com reportagem divulgada pela revista 'Veja' na sexta-feira. Ferreira é um dos acusados de envolvimento no esquema de desvio de dinheiro do programa Segundo Tempo, criado pelo governo federal para incentivar crianças carentes a praticar atividades esportivas e que em Heliópolis também tem provocado muitas suspeitas.
Em entrevista para a revista, o policial revelou detalhes de como funcionava a operação dentro do ministério, e disse que o esquema pode ter desviado mais de R$ 40 milhões nos últimos oito anos. O dinheiro deveria ser usado para comprar material esportivo e alimentar crianças carentes e que teria sido desviado para o caixa eleitoral do PC do B. De acordo com a entrevista, o policial diz que as ONGs só recebiam os recursos mediante o pagamento de uma taxa previamente negociada que podia chegar a 20% do valor dos convênios. Segundo o militar, o ministro Orlando Silva recebeu, pessoalmente, na garagem do Ministério do Esporte, o dinheiro da propina.
O ministro encontra-se em Guadalajara (México) acompanhando os jogos Pan-Americanos, e participa hoje de uma reunião do Conselho de Ministros de Esporte das Américas. Em seu Twitter, Orlando Silva Júnior escreveu que dará na tarde deste sábado uma entrevista coletiva para desmentir a matéria. Ele aponta ainda que o que foi dito pelo policial na reportagem seria uma reação às medidas que tomou em relação às irregularidades no programa Segundo Tempo. "Repudio a farsa publicada hoje em Veja. As calúnias são reações às medidas que determinei para combater irregularidades identificadas", disse o ministro através do microblog.
Informações da Folha de São Paulo.