Novidade

segunda-feira, 1 de julho de 2019

Poucas & Boas 2019.8

BA 393: A recuperação I
Um dos trechos "recuperados" da BA 393, entre Heliópolis-Ba e Poço Verde-Se. (foto: Landisvalth Lima)
Os políticos estão tão desacreditados que é preciso alguém orientar um passo a passo para que muitos deles não caiam em esparrelas. Marinheiro de primeira viagem, o deputado Marcelinho Veiga (PSB) teve seu nome literalmente jogado nos buracos da BA 393. O prefeito Ildinho fez questão de informar a todos os órgãos de imprensa da região que a operação tapa buracos na rodovia foi conseguida pelo novo deputado. Genro apadrinhado do deputado federal Marcelo Nilo, seria o seu primeiro grande feito para justificar os 2.258 votos no município. O serviço foi tão mal feito que ninguém se atreve a dizer que foi coisa conseguida por um deputado. Pior é que faltam poucos dias para a festa de maior tradição da cidade e a promessa do governador Rui Costa pode não ser paga. E duvidamos que o governador saiba disso. Se o prefeito e o deputado exigirem, cabeças vão rolar. Caso contrário, tudo estará no mesmo lugar, graças a Deus! Porque na Bahia tudo é diferente.
BA 393: A recuperação II
Não custa lembrar a maldição da nossa região quando o assunto é rodovia. Parece que somos uma região amaldiçoada, mesmo que caminhões de votos sejam despejados a cada quatro anos. Marcelinho Veiga era um ilustre desconhecido, indicado por Marcelo Nilo. Pronto, tome votos! Em Antas ele teve 6 em cada 10 votos. Em Heliópolis foi 1 em cada 4. É muito voto para nada! Esta estrada foi inaugurada há 8 anos, em 8 de junho de 2011, na época do governo Wagner. Um simples recapeamento daria mais 8 anos de vida à rodovia. Nem mesmo conseguimos um tapa buracos bem feito. Quando as eleições se aproximarem, quem estiver na prefeitura pode cometer os mesmos erros. Os votos continuarão encabrestados e nem mesmo manteremos o que já conseguimos. A BA 393 corre risco de desaparecer novamente.
São Pedro Seeway 2019, Poizé
Depois da divulgação da programação do São Pedro 2019, duas atrações vão ter que provar que a turma do contra estava errada. As mensagens que chegam ao blog são de lamentos e mais lamentos sobre a Banda Seeway. Uns falam que deveriam simplesmente mudar a atração, outros não gostam da banda e pronto! Outra crítica direcionada é sobre o Poizé. Falam que é desconhecido, que ninguém nunca ouviu falar e outros já afirmam ser ruim sem nem ao menos conhecer. Precisam fazer bons shows, ou melhor, ótimos shows para espantar as críticas negativas. Caso contrário, ficará valendo a máxima de que o público sempre tem razão.
E por falar em Forró...
Aquele público leal ao São Pedro tradição está perdendo a paciência com a festa de Heliópolis. Depois da programação divulgada, muitos lamentos. Um deles é do colega Gilberto Jacó. Disse o diretor do CEJDS: “Sinceramente, eu nunca vi uma programação tão fraca para a grandeza do São Pedro de Heliópolis. Nesses pouco mais de trinta anos de São Pedro, Heliópolis se consolidou como uma das melhores festas da Bahia, principalmente pelo acolhimento e animação do seu povo. A programação era pensada para manter a tradição do FORRÓ e o nível dos artistas renomados que por aqui já passaram. Porém, nos últimos anos, o São Pedro de Heliópolis virou um showzinho a parte para agradar ao gosto dos organizadores - e que gosto! Se antes a briga era para saber qual dia era o melhor, hoje a briga é para saber qual o menos pior. Eu já escolhi o meu, espero que toquem forró.” Gilberto é o cara!
Dois para mim e um para tu
Nos bastidores da política sempre há burburinhos. Registramos mais um, dessa vez por causa de festa. Os queixosos: vereadores aliados do prefeito. O queixado: vereador José Clóvis. Motivo? O cara tem o maior prestígio no grupo do prefeito. É o único que tem dois forrós ao seu inteiro dispor: O São João na Roça da Maçaranduba e o Forró da Toca do Papagaio. Por falar nisso, o último, realizado no sábado (29) foi considerado surpreendentemente muito bem organizado. Alguns chegaram a dizer que foi melhor que o do povoado. A atração maior foi Alaelson do Acordeom e foram elogios e mais elogios. Mas a ciumeira está brava com o queixado. Depois de José Clóvis, só o vereador Ronaldo tem o Forró na Roça do Riacho para chamar de seu. Já imaginaram se cada vereador do prefeito Ildinho tivesse dois forrós?
Toinho de Dorinha não falou
O ex-prefeito de Poço Verde Toinho de Dorinha marcou encontro para uma entrevista com o portal Contraprosa. A coisa não deu certo porque parece que ele não quer falar. Acha que pode comprometer alguma articulação. Vamos deixar o homem pensar. Uma hora ele fala e há muito mesmo a falar. Também serão entrevistados o professor Lourinaldo, Denisson Curvelo e o prefeito de Poço Verde, Iggor Oliveira. O portal só está aguardando o sinal verde.
Não dá para entender!
Quem frequenta as redes sociais, principalmente quem participa de grupos onde há professores e funcionários públicos, não pode imaginar como Rui Costa foi eleito em 1º turno, com a votação máscula que obteve. Principalmente, não vai entender como, entre os funcionários públicos e professores, ele obteve percentuais que ultrapassam 70%. Os xingamentos contra o governador chegam ao nível do baixo calão. Os problemas são os mesmos: aposentadorias engavetadas, licenças não aprovadas, cortes de benefícios, salários cortados, sistema RH atormentado a vida do funcionalismo, falta de percentuais de aumento... Enfim, as reclamações parecem coisas de opositores. Nem mesmo quem votou contra bate tanto no governador. Esse parece ser um grande desafio para o governador este ano. Ou melhor, um deles!