Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Ildinho começa empolgando

Ildinho começa empolgando a militância
(Foto; Landisvalth Lima)
Foi um discurso de pouco mais de 2 minutos e que levantou o povo que lotava a quadra coberta ao lado da creche ao delírio. Depois que Renan Vieira organizou o recinto e colocou cada um no seu devido lugar, formando a mesa da convenção, foi a vez do locutor Ricardo Ribeiro anunciar os oradores. Usaram a palavra os vereadores José Clovis, Ronaldo e Ana Dalva. Esta entregou ao prefeito os 18 pontos debatidos na Rede Sustentabilidade para serem incorporados ao programa de governo para os próximos quatro anos.
O povo marcou presença (Foto:Landisvalth Lima)
Também usaram a palavra os candidatos a vereadores Josivan da Barreira do Tubarão, Maria de Renilson, professora Sueane, Jane Emídio, Nilda Santana, professor Quelton. Além deles, Fernando Dantas, que fez empolgado discurso como presidente do PSL, além do representante do PROS e de Beto Fonseca, secretário de administração e finanças. O candidato a vice do PROS fez um discurso que não empolgou, mas também não comprometeu. Agora, quando pegou o microfone, o prefeito Ildinho mostrou que não estava ali para brincadeiras. Foi um discurso que não chegou a três minutos, suficiente para levantar toda a plateia.
Ana Dalva entrega as 18 sugestões da REDE
(Foto: Landisvalth Lima)
Ildinho contou sua história, desde o nascimento na fazenda Vaca Brava, sua paixão por Santaninha, até sua chegada à prefeitura. Cumprimentou e agradeceu a todos os vereadores e disse que não era fácil ser prefeito numa época de crise como a que estamos vivendo, mas aceitava o desafio e pediu a todos luta e fé. Foi rápido, fulminante. Ao encerrar disse: ” E vou parar por aqui que o assunto por hoje já acabou. Obrigado a todos.” Assim, simples, objetivo e direto. Foi carregado nos braços pelo povo. Começa bem.
Ildinho fez discurso fulminante (foto: Landisvalth Lima)
Para a chapa de vereadores, Ildinho deixou claro: “Nem todos aqui vencerão, mas eu não esquecerei os que não conseguirem mandatos.”. Isso porque a campanha será disputadíssima. Serão treze candidatos. Concorrem os vereadores Ana Dalva, José Clóvis, Ronaldo Santana e Valdelício Gama. Além deles, Maria de Renilson, Jane Emídio, Sueane, Josivan, Marivaldo Toxó, José Quelton, Raimundo Sabiá, Dé Correia e Nilda Santana, esplhados em 11 partidos: PSL, REDE, PTC, PSDB, PROS, PMDB, PSC, PTN, PR, PDT e PSD. A previsão é de que a coligação consiga cinco cadeiras, disputando uma provável sexta vaga na Câmara Municipal de Heliópolis.
Para ver fotos da Convenção, dê um clique AQUI.

Gilberto desiste. Aroaldo será vice de Mendonça

José Mendonça (PCdoB)
Foi uma ducha de água fria na já combalida escolha da chapa da oposição ao prefeito Ildinho. Com uma rejeição em alta, inclusive no próprio grupo, o vereador José Mendonça cumpriu a promessa de ser o candidato a prefeito. Até aqui seu desempenho é fantástico. Não é pouco o que ele conseguiu fazer, desbancando o vice-prefeito Gama Neves, que confirmou por mensagem a não participação do DEM na coligação, nem na majoritária e muito menos na proposcional. Nesta madrugada, veio a notícia fria: Gilberto Jacó, do PRB, desistiu de ser vice.
Aroaldo Barbosa (PP), o vice.
Numa gravação que circulou pelas redes sociais, o professor Gilberto disse que não poderia ir sem o aval do grupo. Foi sincero. Os seus seguidores não apoiariam Mendonça, inclusive não guardaram segredo. Alguns telefonaram para o prefeito Ildinho oferecendo apoio. Gilberto iria pela metade. Sair como terceira via pela segunda vez era um risco muito caro. Preferiu recuar. Na verdade, Gilberto não acreditava que Mendonça seguiria até o fim com a candidatura. Errou e jogou a toalha para resguardar o seu nome.
Mas quem seria mesmo o vice? Foi o próprio Gilberto Jacó quem indicou o ex-prefeito Aroaldo Barbosa. E talvez tenha sido a salvação de Mendonça. O candidato do PCdoB já perdeu o apoio de dois partidos importantes, que estão na coligação e que não oferecerão esforço total na campanha. O preterido até vota. Acreditem, se a coisa não mudar, Gama Neves e Gilberto prometeram votar em Mendonça e vão cumprir. Mas será só o voto. 
Também a chapa de vereadores não será lá muito animação de circo. Doriedson, Claudivan e Giomar Evangelista têm vaga cativa. Os outros 6 nomes lutarão pela provável última vaga: Igor Leonardo, Manuel do Tijuco, Zé Guerra, Margarete, Raul e Rivonei. Terão que completar a chapa com candidaturas femininas e torcer para que elas surpreendam. Pelo visto, o caminho da oposição não será nada fácil. Restará a Mendonça unir os cacos e surpreender. Uma coisa é certa, o grupo de Aroaldo virá completo e isso não é uma coisa para se jogar fora.

Bandidos explodem agência do BB de Poço Verde

Incendiaram um carro na ponte da divisa
(foto:WhatsApp)
 
Mais uma vez, bandidos tentam arrombar a agência do Banco do Brasil de Poço Verde, estado de Sergipe. O fato aconteceu na madrugada desta sexta-feira (05). Criminosos usaram explosivos, mas não conseguiram levar o dinheiro.
Após a ação, moradores dão conta que os bandidos seguiram em direção a Heliópolis, na Bahia. Na ponte da divisa, incendiaram um carro. Ainda próximo a Heliópolis, na BA 393, moradores ouviram três disparos próximo ao povoado Angico.
Houve danos, mas não levaram dinheiro
(foto:WhatsApp)
Equipes do Grupo de Ações Táticas do Interior (Gati) buscam os suspeitos. De acordo com informação da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), esta é a quarta vez que os bandidos fazem este tipo de ação em Poço Verde. Na última vez, tentaram arrombar a agência da Caixa Econômica Federal, sem também conseguirem levar dinheiro.    
Esta é a terceira vez que o Banco do Brasil é alvo de arrombamento, sem contar com os assaltos. Na ação desta madrugada, houve apenas danos à estrutura do banco. Equipes do Grupo de Ações Táticas do Interior (Gati) fazem buscas pelos suspeitos, inclusive na Bahia, com auxílio de policiais militares de ambos os estados. Até agora ninguém foi preso.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Mais de 1 milhão de acessos


Vice: cemitério de políticos

                                                        Landisvalth Lima
Vereadora Ana Dalva fugindo da vice e dos vices  (foto: Landisvalth Lima)
O lugar mais cômodo da política é o ilógico. Não esperem que a política siga o curso normal da natureza. O comum é sempre surpreender. Se se procurar justiça, nem pense que ela terá lugar. Hoje, para exemplificar tudo isso, temos uma personagem: Ana Dalva.
Enquanto todos na política de Heliópolis procuram partidos fortes ou legendas de fácil manipulação, a vereadora Ana Dalva trocou 20 anos de PPS, que nunca foi legenda sólida na Bahia, por um partido ainda engatinhando, a Rede Sustentabilidade. Apesar disso, foi o primeiro partido a declarar apoio a Ildinho e não reivindicou o lugar de vice na chapa, o que seria comum. Ana Dalva e seus marineiros fizeram logo isso para evitar quaisquer falatórios que envolvesse seu nome ou da legenda. Queria tranquilidade para lutar pela sua reeleição e tentar emplacar Diego Souza numa segunda cadeira.
A única exigência do partido e de sua principal representante foi não ter nomes problemáticos na chapa de Ildinho: Giomar Evangelista, Walter Rosário ou Zé do Sertão. Depois, contrariando decisão do partido, em nome da união do grupo, aceitou a inclusão de Zé do Sertão na chapa, mas o porta voz da Rede, que escreve este artigo, colocou uma condição: que a presidente do PROS – Partido Republicano da Ordem Social – e filha do candidato a vice, publicasse na Internet um pedido formal de desculpas sobre as mentiras ditas contra o prefeito, este blogueiro, Ana Dalva, Beto Fonseca e vários outros. Até agora nada foi feito.
Nos últimos três dias, a oposição vem insistindo para tirar Ana Dalva do grupo do prefeito, justamente por saber da insatisfação do partido em relação à escolha do vice. Gilberto Jacó quer Ana Dalva como vice dele e o vereador Mendonça também. Tanto este professor como a vereadora já fizeram ver que não há hipótese de Ana Dalva ser vice de ninguém, nem mesmo de Ildinho. O honroso lugar de vice-prefeito é cemitério para político em Heliópolis. Está aí Gama Neves que não me deixa mentir. Não conseguirá nem disputar esta próxima eleição. Dona Vanda foi vice duas vezes, quando terminou o mandato foi para casa e nunca mais disputou cargo algum.
Todos também sabem que o único vice a assumir a prefeitura foi Genival Nunes. Saiu do mandato para nunca mais disputar nada e até hoje não recebeu até o seu último salário. O primeiro vice-prefeito de Heliópolis está completamente esquecido. De todos os políticos que tiveram mandato em Heliópolis, quatro já faleceram. Dois vereadores, João Gualberto (João de Ananias) e Manoel Francisco de Matos (Manelão), e dois ex-vice-prefeitos, Dona Vanda e Antônio Rodrigues de Oliveira (o Clóvis). Este último só foi vice uma única vez. Depois lutou para sobreviver como professor. Doente, fez tudo para se aposentar e faleceu dia 30 de maio deste ano. Hoje recebemos um telefonema da Secretaria de Educação: Clóvis estava aposentado desde 7 de junho, uma semana após a sua morte. Ninguém sabia de sua morte lá em cima.
É um cargo útil, mas desonrado por aqui. Não se entende como alguém faz o que fez Zé do Sertão só para ser vice, a não ser que tenha certeza de que assumirá um dia. O diabo é saber como tanta gente que não quer ser vice oferece a vice. Acho que é para descartar o sujeito. Colocá-lo lá no canto quieto e não permitir que ele interfira na administração. Prova é Santaninha, hoje primeira dama, que também foi vice, mas nunca interferiu na administração e nem influenciou em coisa alguma. Mesmo porque, quem estava como prefeito, nunca deu oportunidade, embora hoje exija para si. 
De modos que, contrariando a lógica, Ana Dalva diz que só iria para ser a candidata a prefeita das oposições. Aí disputaria uma eleição diferente, contra um prefeito que trabalhou, para construir um debate da Heliópolis do futuro. Como a coisa não é assim, e Ana Dalva não tem 1 ou 2 milhões para fazer crescer a ambição de alguns cabos eleitorais, ela pede aos colegas que lancem logo a chapa porque a eleição começa sábado e ela precisa pedir votos no meio da Feira.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Dona Vanda, João de Ananias e Manelão homenageados

Plenário lema o nome de Dona Vanda (foto: Landisvalth Lima)
A Câmara Municipal de Heliópolis fez a abertura do último semestre desta Legislatura com uma Sessão Solene em homenagem a três figuras representativas da política de Heliópolis: os ex-vereadores João Gualberto Andrade (João de Ananias) e Manoel Francisco de Matos (Manelão), e a ex vice-prefeita, por duas vezes, Evanilde Ribeiro de Souza Fontes (Dona Vanda), todos falecidos. A sessão foi aberta pelo seu presidente às 18 horas e 30 minutos desta segunda-feira (1º de agosto) e contou com a presença de parentes dos homenageados.
João de Ananias virou nome do edifício da Câmara
(foto: Landisvalth Lima)
Manoel Francisco de Matos, o Manelão, foi vereador nas primeiras Legislaturas do município de Heliópolis e vai nomear a Galeria da Câmara Municipal. João Gualberto Andrade, o João de Ananias, foi vereador por várias Legislaturas e presidiu a Câmara Municipal na época da elaboração da Lei Orgânica Municipal, em 1989. O prédio da casa legislativa terá o seu nome. Já Evanilde Ribeiro de Souza Fontes, Dona Vanda, foi vice-prefeita de Heliópolis de 1997 a 2004 e faleceu este ano. O Plenário da casa passa a ter seu nome.

Manelão agora é nome da Galeria (foto: L. Lima)
Durante a Sessão Solene, vereadores, autoridades e pessoas do público usaram a palavra e enalteceram os feitos dos homenageados. Após o encerramento da sessão, o presidente convocou a todos para o descerramento das placas. A Câmara está devendo uma homenagem ao ex-vice-prefeito Antônio Rodrigues de Oliveira, o professor Clovis, falecido também este ano. 

domingo, 31 de julho de 2016

Gama desiste, mas só apoia Gilberto


Gilberto Jacó (PRB)
     Ninguém sabe se é uma estratégia para voltar com força ou se é de fato a constatação de que o espaço foi reduzido para o atual vice-prefeito de Heliópolis, Gama Neves (DEM). Sábado (30) e domingo (31) toda a oposição que restou, depois da fingida ida de Zé do Sertão (Pros) para lá, gastou tempo em conversas para ver quem vai enfrentar o prefeito Ildinho (PSL). Foi o próprio Gama Neves quem deu o ultimato de que a chapa deveria sair neste fim de semana, mas não foi o que aconteceu. Apesar de o vice-prefeito dá o exemplo, abrindo mão da candidatura, colocou outro problema: só coliga se o candidato for Gilberto Jacó (PRB). Caso insistam no nome do vereador José Mendonça, não haverá coligação com o DEM.
José Mendonça (PCdoB)
Outro problema para Mendonça é a zanga do atual presidente da Câmara Municipal de Heliópolis, vereador Giomar Evangelista. Ele diz por aí, sem segredo, que Mendonça não é o nome para vencer. Ocorre que há líderes políticos que afirmam também que se o nome não for Mendonça, preferem votar em Ildinho. Lideranças políticas como Valdir do Bujão e o ex-vereador Gaminha, por exemplo, já não guardam mais segredo sobre isto. Um último esforço do grupo foi escalar Gilberto Jacó para tentar levar a Rede Sustentabilidade para a oposição, já que o partido de Marina não está nada contente com o nome de Zé do Sertão na vice de Ildinho. Ana Dalva não guarda segredo para ninguém que não quer ser vice, nem mesmo lutou para ser vice do prefeito. Também deixa claro que conversaria com a oposição em caso de indicá-la para candidata a prefeita do grupo. Aí, até Ildinho compreenderia a situação. Mas essa possibilidade é remota.
Enfim, das conversas do final de semana, Celso Oliveira, Aroaldo Barbosa e Giomar Evangelista, que disputavam um lugar na chapa ou a indicação de um nome, parecem cartas fora do baralho. É cabível dizer hoje que a oposição está perto de fechar a chapa. Ou é Gilberto e Mendonça ou é Mendonça e Gilberto. Sendo a segunda opção vencedora, Gama Neves será apenas eleitor e só terá que resolver o problema da única esperança de vereança do DEM em Heliópolis: Bita. Se o vice-prefeito virar só eleitor, o rompimento com Ildinho foi em vão. Pior, este rompimento não serviu nem mesmo para a oposição. É de se duvidar que um vice-prefeito saia de uma eleição com a bola tão murcha. Mas nada está resolvido. Até sexta-feira, há muita salada para se colocar nesta mesa.