Exclusivo!

Tiroteio, morte e sequestro em Heliópolis

João José (esquerda) morreu no tiroteio. Mateus (direita) está desaparecido A violência em nossa região está tão grande que é preciso a...

Novidade

sábado, 30 de julho de 2016

Ildinho já tem o vice

                                                    Landisvalth Lima
Divisão acabou. Grupo do prefeito Ildinho segue unido (foto:Landisvalth Lima)
Não, não. Não foi uma escolha feliz. Quem está rindo na foto está feliz por ter Ildinho solidificado o caminho para um segundo mandato, mas o vice escolhido exatamente à meia noite da sexta-feira (29) está longe de ser uma unanimidade. E isso só foi possível porque, mais uma vez, a cúpula do grupo agiu para a resolução do problema. Beto Fonseca passou o dia visitando pessoas e tentando fazer com que todos aceitassem Zé do Sertão como vice, apesar das canalhices produzidas por ele nos últimos dias, reforçadas pelos textos ofensivos da sua filha, presidente do PROS. A tônica era uma só: salvar as candidaturas dos vereadores Valdelício Dantas da Gama e José Clóvis Pereira.
Mas a unanimidade da noite foi o prefeito Ildelfonso Fonseca. Todos afirmavam que não se poderia jogar uma administração muito boa por causa do nome de um vice. Alguns se esforçaram para encontrar qualidades em Zé do Sertão, mas todas ligadas ao passado. O ex-vereador Renilson, o vereador Zeic, a vereadora Ana Dalva, este professor e outros tentávamos fazer ver que todos estavam ali subestimando a capacidade do grupo, colocando um nome apenas como superior a todos. Cheguei inclusive a propor o lançamento de Fabinho do Bar como vice e desafiei a oposição a colocar Zé do Sertão numa das chapas, como prefeito ou como vice. Fiz ver que ele não tinha lugar algum para ir, a não ser ficar no grupo ou sair sem nada. Poucos ouviram.
Foi por maioria a decisão, alimentada da salvação de José Clóvis e Valdelício. Foram queimados fogos anunciando a chapa Ildinho e Zé do Sertão, PSL e PROS. As chances de vitória são reais e é esperada a construção de uma maioria na câmara de Vereadores, mas ficou o gosto amargo do sapo enorme que foi engolido. Da minha parte, prometi votar no prefeito e esquecer que ele tem um vice, mas o discurso final e espontâneo de Ildinho contaminou a todos. “Vamos deixar o Zé mesmo!”, disse ele em decisão final, seguindo a vontade da maioria. 
Percebendo o descontentamento da Rede Sustentabilidade, minha e de Ana Dalva, Ildinho, de público, pediu desculpas a Ana Dalva por não ter indicado seu nome para a presidência da Câmara. “Você foi a melhor e maior de todos os presidentes da Câmara”. Ana Dalva retribuiu dizendo “E você foi o maior prefeito que Heliópolis já teve.” Ildinho ainda pediu união para a vitória ser consolidada e se dirigiu a mim. “Landisvalth, se não puder subir no palanque que o vice estiver, peça voto embaixo. Quando ele não estiver, suba no palanque. Precisamos de você.” Ao final, pedi a palavra para dizer que se a filha de Zé do Sertão postar um texto na Internet pedindo desculpas pelas ofensas dirigidas ao prefeito e a todos do grupo, que não haveria problema subir ao palanque. Caso contrário, o grupo seguira com todos juntos, mas não misturados. 

sexta-feira, 29 de julho de 2016

O eu, o mim e o eu de novo

                                            Landisvalth Lima
Já disse aqui em diversos artigos que os interesses individuais atrapalham sobremaneira os interesses públicos. A diferença entre o atraso e o progresso está relacionada ao distanciamento que a política dará ao individual e às necessidades coletivas. Governo é para atender o interesse público e a política é elemento efetivador disso. Aqui em Heliópolis, mesmo depois de apanharmos tanto, ainda vejo a vontade de um único cidadão ser superiora aos interesses de todos. Pior, isso só acontece porque o todo hipervaloriza a parte. Basta só lembrar o que dizia Gregório de Matos: a parte sem o todo não é parte. Quando se pensa no coletivo, o todo sem a parte não é nada.
Vamos deixar de filosofar e partir para o direto ao ponto. Todos sabem que o prefeito Ildinho ainda não anunciou sua chapa para concorrer às eleições deste ano. Faltam nomes? Claro que não. Há inúmeros. Mas o ex-prefeito Zé do Sertão preparou uma gaiola e prendeu os vereadores José Clóvis Pereira e Valdelício Dantas da Gama. Agora ameaça: ou é o vice ou se aliará aos opositores. Na minha opinião, os dois vereadores foram porque quiseram. Não me venham com essa ideia de que as duas cobras criadas foram iludidas pelo milho do ex-prefeito. Cobra não come milho, come rato. Para não perder estes dois vereadores, Ildinho está perdendo os cabelos com Zé do Sertão.
Semana passada, Beto Fonseca e Ildinho fizeram uma proposta ao PROS – Partido Republicano da Ordem Nacional. Entregaram a vice ao partido, decisão tomada em reunião pela maioria, mas informaram que o nome do ex-prefeito não estava bem cotado. Poderia ser José Clóvis ou Valdelício. Foi aí que percebemos que há mais água por debaixo da ponte. Um dos nomes do partido é filho da Deputada Fátima Nunes (PT), que tem interesse na eleição do vereador José Mendonça. Na verdade, eles não querem Zé do Sertão na vice de Ildinho. Eles querem atrapalhar a candidatura do atual prefeito e estão usando o José e os dois vereadores como instrumentos de tortura.
É bom saber que, por Ildinho, estava tudo resolvido. Ele não quer mais saber de Zé do Sertão como vice, mas o grupo político é formado por pessoas que querem a paz, a harmonia, a convivência sem atritos entre os povos, como se isso em política fosse possível. O que Ildinho percebeu é que pode estar em curso uma velha praga da política: a propina. E tudo pode acontecer. Dinheiro para ter o controle do partido, para desistirem de candidaturas, para apoiar candidaturas e por aí vai. Em suma, a velha praga da política nacional. A velha história do eu, depois o mim e, logo depois, o eu novamente.
Então, como se pode aceitar que uma administração, considerada das melhores de nossa região, que trouxe benefícios generosos para Heliópolis, que representa muito mais de 6 mil votos, possa se submeter à vontade de um só homem? Mesmo que ele fosse o Presidente da República, isso é inadmissível e inaceitável. Nada está tranquilo, nada está favorável. O todo está acuado pela parte, que é a menos valorosa. Esta equação não resolve. Se Ildinho aceitar, começará a eleição mais fraco. Pode até ganhar, mas estará mais fraco e perderá significativos apoios.
É hora de o grupo escolher logo o seu vice e não dar a importância que Zé do Sertão quer. Acabar com esse chove-não-molha. A estrela da festa é Ildinho. Ele foi o responsável pelos quatro anos de uma boa administração. Por que agora ficar encurralado por um cidadão que não teve força sequer para se eleger vereador, mesmo sendo ex isso e ex aquilo? Não digo que não tenha seu valor. Todos nós temos. Entretanto, isso não pode ser moeda de troca. Porque não é a minha vida, a de Ildinho e de outros que estão em jogo. É a vida de uma população inteira. A não ser que apareça um nome novo, com ideias novas, todo um trabalho de quatro anos poderá ser jogado fora só para atender a vontade de um só ser. 
É hora urgente de um vice! Se continuar neste lengalenga, a única pessoa que crescerá é o Zé do Sertão. Só servirá toda essa demora para ressuscitar mortos, dar vida a múmias e alimentar zumbis. E se aparecer um nome melhor no dia da convenção? Muda-se, hora. Só vai se eleger quem o povo quer. É o povo, o coletivo, o chefe da história. O eu é apenas um bloco solitário. Se continuar fazendo das suas, restará apenas um espelho para que ele possa amar a si mesmo.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Fátima terá Binho X Sorria

Binho de Alfredo (PT)
O cenário que o Landisvalth Blog vai relatar nesta postagem pode mudar a qualquer momento. Política não é exata e, muito menos, ciência. Tudo pode acontecer, mas o grupo liderado pelo prefeito Nego ruiu e está dividido. O vereador Binho de Alfredo (PT), que antes era apontado como candidato nato indicado por Nego, agora é oposição. Tudo indica, mesmo ainda não anunciado oficialmente, o prefeito deve apoiar o ex-prefeito Sorria (PP). E o desafio lançado pelos irmãos Santana, Lucas e Rodrigo, foi topado por Binho de Alfredo. Agora vamos ver se Lucas e Rodrigo cumprem a promessa de que onde Nego estivesse eles não estariam. Até o fechamento desta edição, eles estavam apoiando Sorria.
Manoel Missias, o Sorria (PP)
Manoel Missias, o Sorria, terá como provável companheiro de chapa o também ex-prefeito Eduardo, do mesmo PP. Além disso, terá uma chapa com 22 candidatos a vereador, entre eles Zezinho, Nerivan, Oliveira e Nego de Pretinha. Em torno do PP estarão os partidos PC do B, PPS, PDT, e, provavelmente, PMDB. Binho de Alfredo poderá ter como provável companheiro de chapa o vereador Gilvan de Pedro de Dé (PTB). A boa surpresa é que o vereador petista conseguiu o apoio de Roberto da Farmácia (PSD) e da maioria da Câmara de Vereadores. Além de Gilvan, estão com Binho de Alfredo Bell, Odilon, Gilberto e Zé Cuscus, que, ao lado de Binho e Gilvan, formam a maioria na Câmara Municipal de Fátima.
Faltando muito pouco para definir, inclusive o apoio do PMDB e de Milton da Laje, a eleição em Fátima ganha contornos de ser a disputa entre a política populista de Sorria e a visão administrativa e popular de Binho. Sorria não poderá mais fazer certas práticas do passado, nem Binho vai poder adotar o discurso falacioso do PT dos últimos anos, com cara de populismo disfarçado de socialismo. Os dois terão que estabelecer estratégias para não transformarem Fátima em mais do mesmo. Se o foco for o desenvolvimento e o progresso, as duas candidaturas darão significativa contribuição para o desenvolvimento da cidade.


PROERD forma mais uma turma

O Programa Educacional de Resistência às Drogas – PROERD – realizará mais uma formatura, desta feita no Espaço de Convivência da Escola Governador Waldir Pires, em Heliópolis. O evento ocorrerá nesta sexta-feira, 29 de julho, a partir das 14 horas. O PROERD é um programa da Polícia Militar do Estado da Bahia – PM-BA, desenvolvido pelo seu Instituto de Ensino e Pesquisa – IEP. O objetivo é conscientizar jovens adolescentes para ficarem cada vez mais distantes das drogas e entorpecentes. Além de toda a cúpula da PM-BA, o Major Dequex, Comandante da 21ª CIPM, já confirmou presença.

domingo, 24 de julho de 2016

Os prováveis nomes para vice de Ildinho

Ildinho espera paciente para escolher o vice-prefeito (foto:Jorge Souza)
Todos sabemos que o vice-prefeito de Ildinho poderá ser exatamente da oposição. Embora Zé do Sertão esteja flertando com a oposição para garantir um lugar na chapa, suas chances são muito poucas. Os nomes melhores para o prefeito vão depender da chapa lançada pela oposição. Caso seja Mendonça o candidato, Ildinho perderá um bom vice-prefeito. Trata-se do ex-vereador Gaminha. Ele é do PSD e toparia a parada se o vereador do PCdoB não for cabeça de chapa. Com Gaminha, Ildinho garantiria vitória no povoado Farmácia e no Tijuco. 
Mas ainda há outros quatro nomes na cartola: Aroaldo Barbosa (Adilson ou Adelson), Gama Neves, Adinaldo (ou a esposa de Celso) e Gilberto Jacó. Os nomes aqui citados não apagam outras possibilidades, mas são hoje os de maiores atrativos para o reforço eleitoral de Ildinho, e sacramentaria a vitória. Agora, e se a oposição, por um milagre histórico, se unir, levando ao mesmo palanque histórias rivais esquecidas milagrosamente? Só restará a Ildinho um vice de casa que una todo mundo, tarefa nada fácil. Uma mulher seria ideal, mas o melhor nome não quer nem ouvir falar da palavra vice.

Oposição unida, na foto!

A oposição pousa para foto, mas não formou ainda a chapa (foto:Facebook)
 Ainda há tempo, mas que a coisa começa a preocupar para o lado dos seguidores da oposição isso ninguém tem dúvida. É que ocorreu mais uma reunião no Clube Caiçara neste domingo (24), em Heliópolis, e nada de fechar a chapa da oposição. Quem está tranquilo aguardando o desenrolar de tudo é o prefeito Ildinho. Não é segredo que o que está na foto é mera formalidade. Esta suposta união é só pressão para colher frutos políticos. Quem imagina Mendonça e Zé do Sertão formando uma chapa? Ou Celso Oliveira colocando dinheiro na campanha de Gama Neves? Ou Gilberto Jacó abraçado com Zé Sertão num palanque? 
Não somos nós que vamos dar conselhos a políticos com vasta experiência, mas bem que eles poderiam formar uma chapa nova. Por exemplo, Gilberto Jacó e Adinaldo. É só uma sugestão. Uniria todo mundo e tinha o que dizer ao eleitorado. Qualquer outra chapa vai dar o que falar, até porque são políticos que não conseguem nem mesmo modernizar o discurso. Ou então poderiam admitir que nada mudou mesmo e colocariam uma chapa Aroaldo e Zé do Sertão. Dois ex-prefeitos de Heliópolis. Tinham muito o que dizer e muito o que ouvir. Enquanto a oposição fica neste chove-não-molha, o tempo não para e os especuladores ficam todos os dias enchendo o Facebook de boatos.