Exclusivo!

Juiz recebe 500 mil de salário. Direito ou privilégio?

Mirko Vincenzo Giannotte recebeu 503 mil em salários. Direito ou privilégio? A pressa em divulgar uma notícia pode levar um jornalista ...

Novidade

terça-feira, 13 de setembro de 2016

III – Poucas e boas

Chapa impugnada
Edna Dória: Inapta
A coisa não está boa mesmo para o lado da chapa governista em Poço Verde. A vice de Eduardo Milton, dona Edna Dória, não se afastou de cargo público e foi declarada inapta. Imediatamente houve recurso e a chapa pode continuar concorrendo e terá mais 10 dias para substituir a candidata, caso queiram. Se optarem pela briga judicial, a coisa poderá não ser resolvida antes do dia 2 de outubro e aí o que era um problema poderá virar algo insolúvel. A questão é saber se a sapiência funciona na hora da luta pelo poder.
Cuidado com o golpe
Uma das armas utilizada por um candidato a vereador em Heliópolis é colocar eleitores para fustigar declarações comprometedoras. Uma das vítimas foi a vereadora Ana Dalva. Numa visita, uma mulher jurou que a vereadora havia prometido 1 mil reais. Ana Dalva retrucou imediatamente informando que seu mandato combatia este tipo de política. Só depois ela percebeu que alguém estava gravando a conversa. Mais tarde, descobriu ainda que se tratava de uma parente de um concorrente. É bom que os candidatos tomem cuidado porque os que perderem o pleito poderão atolar a Justiça com ações que invalidam a eleição ou invalidam candidaturas. Pode ser um golpe em curso.
Mentir vale a pena?
Uma candidatura é medida também pelo grau de sinceridade. Além das estratégias, do programa de governo, é preciso manter com o eleitor certa relação de proximidade e confiabilidade. Fosse Heliópolis um município onde as pessoas exigissem dos candidatos falarem a verdade, somente a verdade, nada mais que a verdade, a coligação A mudança se faz com todas as forças estaria fraquinha, fraquinha. Mas aqui, política é um prato recheado com um cardápio da vingança como prato principal. Aroaldo mentiu ao dizer que estava limpinho, limpinho. Já não é mais candidato e será provavelmente substituído pelo filho, o Adilson.
Sorria X Aroaldo
Aroaldo Barbosa: Inapto
Quando o Landisvalth Blog disse que a candidatura de Aroaldo Barbosa não passava, rechearam o Facebook com mensagens de contestação. Uma internauta chegou a dizer “Pode sim! É ele e pronto!”. Para esta seguidora da coligação, a lei deve seguir as suas vontades. A filha do ex-prefeito chegou a dizer que era perseguição nossa, além da falta de gratidão. O resultado está aí. A chapa está impugnada. Agora é só substituir porque Mendonça está legal. Ele ainda não foi julgado por algum crime de forma irrecorrível. Muitos chegam a confundir a situação de Aroaldo com a de Sorria. Os crimes pelos quais Sorria reponde, dá de 10 a zero nos de Aroaldo. Mas que Justiça é essa? É que Sorria recorreu e vem recorrendo. Não são ainda processos transitados em julgado.
De pai para filho
Provavelmente Adilson Barbosa será o vice. Ele andou a dizer por aí que não queria e tal, mas quem está na chuva tem que se molhar. Quem confirmou seu nome foi o professor Gilberto Jacó. Quanto ao fato de ele ter se afastado do emprego, está confirmado. Adilson se afastou para ser um possível candidato e, mesmo não sendo, não retornou ao posto de trabalho. Inclusive teve descontos no seu salário para comprovar a ausência. Agora, caso perca a eleição, terá que justificar porque não reassumiu. Mas aí será um outro problema. O atual está resolvido.
Tanque Novo
Os políticos de Heliópolis, com raras exceções, fazem política com o fígado. Marcar um comício para o mesmo local, onde no dia anterior foi feito o do seu opositor, não parece ser estratégia de quem quer ganhar. Se a coisa é encarada como jogo, a tática deve ser outra. O resultado acabou em dois fracassos. Além da perda do vice, não conseguiu um quantitativo que pudesse barrar o comício do prefeito Ildinho realizado no sábado.
Mentira comprovada
Tem um candidato a vereador que não sabe mentir ou não tem consciência de que está mentindo. Chegou a gravar uma mensagem dizendo que Aroaldo podia sim ser candidato e que tudo não passava de intriga do grupo do prefeito. E agora? Como vai dizer ao eleitor que não mentiu? A única coisa a fazer é mentir de novo. Sugestão: diga que foi o advogado que disse, que seguiu uma orientação da sua assessoria jurídica. Saída clássica!
Surpresa? 
Um simpatizante da candidatura comunista disse estar surpreso com o número de participantes nos comícios do 65. Embora tenha consciência de que a mobilização não é suficiente para barrar a do prefeito, esperava muito menos participação e empolgação pela falta de carisma do candidato. E qual o carisma que tinha Waltinho? Ou será que todo o encanto vinha da esposa? Não é nada disso. Qualquer candidato lançado por quaisquer dos dois grupos, não terão menos de 35% dos votos. Se o PCdoB lançar Mariola ou Pedro do Iraque, por sinal candidatos com muito carisma, serão seguidos por milhares. Se o político usa o fígado para fazer política, o eleitor também. Somente 30% do eleitorado olha realmente propostas, obras, discursos etc. É esse eleitor consciente que faz a diferença e enobrece a política, mas ainda não é maioria.