Estamos de volta!

Mudamos a linha editorial
O tom crítico continua
Mas falaremos apenas
Daquilo que vale a pena falar

Exclusivo!

O encontro que virou show

Sandro Becker animou o encontro dos professores na casa de Álvaro (foto: Landisvalth Lima) A ideia dos professores do Colégio do Sa...

Novidade

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Fátima: grupo governista está dividido

Lucas e Rodrigo: rejeição total ao prefeito Nego
(foto:Landisvalth Lima)
Seja qual for a decisão tomada pelos grupos políticos do município de Fátima, com vistas às eleições de 2016, uma coisa já está certa: o grupo que administra a Prefeitura Municipal de Fátima não seguirá unido. Pelo menos é o que nos informam os irmãos Lucas e Rodrigo Santana, filhos do vice-prefeito Lourival. Lucas foi taxativo ao repetir várias vezes: “Onde o prefeito Nego estiver, não estaremos”.
Toda celeuma se deu quando Lourival assumiu a prefeitura por conta do afastamento do prefeito Ildefonso Borges, o Nego, consequência da Operação 13 de maio, deflagrada pela Polícia Federal em 2014. Os irmãos dizem que não houve apoio do atual prefeito à administração de Lourival Santana. Muitos dos problemas enfrentados pelo vice no exercício foram gerados pelo próprio grupo. “Nós cometemos erros e precisamos admiti-los, mas Nego também tem que fazer isso e não se colocar como vítima da situação.”, disse Lucas.
Com relação ao apoio do grupo do vice-prefeito, Rodrigo deixou claro que são simpáticos à candidatura de Binho de Alfredo, vereador do PT. “O problema é que se Binho for apoiado por Nego, vamos pensar no apoio a Sorria.”, disse. Lucas foi mais taxativo: “Estamos abertos a conversar com Milton da Laje, Roberto da Farmácia e outros para formação de um bloco contra o atual prefeito. E Binho precisa decidir se será candidato de Nego ou deste aglomerado. Porque nós temos certeza que Nego vai apoiar Sorria. A questão não é pensando em Fátima, mas é uma questão de transferência de dívida.”, detalhou. 
Na entrevista ao Landisvalth Blog, os irmãos demonstravam muita insatisfação, a ponto de colocar o atual prefeito como o principal problema da impossibilidade da formação de uma chapa Binho/Sorria. “Como sabemos que Nego apoiará Sorria, a decisão cabe a Binho aceitar compor com a oposição.” E repetiu: “Onde Nego estiver, nosso grupo não estará.”, concluiu.