Exclusivo!

Vereador é multado e devolverá mais de 13 mil à Câmara de Heliópolis

Giomar Evangelista recebeu subsídios indevidamente e vai ter que devolver  Bem que ele poderia ficar calado, mas, boquirroto e falastrã...

Novidade

sábado, 19 de março de 2016

Duas notícias e uma verdade

                                               Landisvalth Lima
Enquanto assistimos à batalha pelo impeachment da nossa lamentável presidente, no momento em que os pelegos andam por aí a pregar que vivemos o momento de um golpe, quando somos obrigados a ler ou ouvir babaquices telefônicas reveladoras de feridas de uma república quase privada, e vemos idiotas brigarem com irmãos em nome de ideologias que nunca levaram ninguém a nada, duas notícias me fizeram ver que o fundo do poço no Brasil já é uma realidade. Mais ainda, estes fatos nos revelam que nossa recuperação será lenta, caso comecemos a acordar agora.
A primeira delas é policial. Uma jovem confessou que mandou o namorado estuprar a mãe dela. Disse ainda, em seguida, que não estava arrependida. A adolescente, de 15 anos, foi acusada de planejar o estupro da própria mãe em São Paulo. Ela confessou o crime em depoimento à polícia. A jovem afirmou que foi motivada pelo sentimento de ódio e vingança que nutria pela mãe. O crime foi cometido pelo namorado da garota, Erivelton Bento, 20 anos. Ele foi preso na última quinta-feira (10) após espancar e violentar a sogra.
O estupro aconteceu no dia 15 de fevereiro, na cidade de Cajati, na região sul do estado de São Paulo. Sabendo que a irmã mais nova não estaria em casa, a adolescente pediu para que o padrasto deixasse a porta de casa aberta para que ela pegasse a mochila antes de ir à escola, alegando que teria dormido na casa do namorado. Erivelton então invadiu a casa da vítima, tapando o rosto da sogra com uma toalha, e a amarrou. A mulher foi espancada e agredida por duas horas antes de ser estuprada pelo genro. Ela foi socorrida horas depois por outro genro, e ficou internada em um hospital em Cajati. A adolescente e o namorado fugiram logo após o crime, levando dois celulares e R$ 600 da vítima. Para a polícia, Erivelton falou que relação entre mãe e filha era tensa, e as discussões eram constantes. AInda segundo a publicação, ele e a namorada começaram a planejar o crime após ela comentar diversas vezes o quanto odiava a mãe, e alegar que era maltratada por ela constantemente. Eles foram identificados por uma pessoa a quem eles tinham entregues os celulares roubados. Erivelton foi preso e encaminhado para a Cadeia Pública de Barra do Turvo. Ele pode ser condenado a até 20 anos de prisão por roubo, estupro e corrupção de menor. Já a adolescente foi encaminhada ao Conselho Tutelar.
A segunda notícia talvez muitos imaginem que é o outro extremo da questão. Eu diria que é a causa. O Brasil é o segundo país com pior nível de aprendizado, aponta estudo da OCDE. Cerca de 12,9 milhões de estudantes com 15 anos de idade não têm capacidades elementares para compreender o que leem, nem conhecimentos essenciais de matemática e ciências. O Brasil tem o segundo maior número de estudantes com baixa performance em matemática básica, ciências e leitura em uma lista de 64 países de todo o mundo. Cerca de 12,9 milhões de estudantes com 15 anos de idade - de um total de 15,1 milhões que compõem o universo do estudo - não têm capacidades elementares para compreender o que leem, nem conhecimentos essenciais de matemática e ciências. Destes, 1,1 milhão são brasileiros.
As conclusões constam de uma análise sobre qualidade da educação de jovens publicada nesta quarta-feira, 10, pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), em Paris. O relatório, intitulado "Alunos de baixo desempenho: por que ficam para trás e como ajudá-los?", baseia-se em dados de 2012 do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA), da própria organização. Dos 64 países analisados, o Brasil ficou atrás apenas da Indonésia, que tem 1,7 milhão de estudantes com baixo desempenho. Em termos percentuais, o País é o décimo pior avaliado, atrás de Catar, Peru, Albânia, Argentina, Jordânia, Indonésia, Colômbia, Uruguai e Tunísia.
Dos 2,7 milhões de alunos de 15 anos avaliados non Brasil, 1,9 milhão tinha dificuldades em matemática básica, 1,4 milhão em leitura e 1,5 milhão em ciências. Cruzados, os números indicam que 1.165.231 estudantes tinham dificuldades em cumprir tarefas básicas nas três áreas de conhecimento. Outra constatação do estudo é de que o Brasil está no "top 10" de países mais desiguais do mundo no que diz respeito à diferença de desempenho entre estudantes de classes sociais altas e baixas. Ou seja, entre os “coxinhas” e os “comuns”. Parte dos resultados ainda muito negativos do Brasil se deve à maior inclusão de estudantes no sistema educacional ao longo dos últimos 15 anos, ponderou ao Estado Alfonso Echazarra, analista da Direção de Educação da OCDE. Entre 2003 e 2012, o índice de escolarização passou de 65% para 78%.
Para romper o ciclo de baixo nível educacional, a OCDE recomenda que os governos nacionais identifiquem os estudantes com baixa performance e lhes ofereçam estratégias para recuperação de nível. Entre as propostas da entidade, a maior parte tem caráter estrutural: reduzir a desigualdade no acesso à educação, estimular a inscrição escolar o mais cedo possível, envolver os pais na comunidade escolar e fornecer programas de auxílio financeiro às instituições de ensino e às famílias carentes.
Ou cuidamos urgentemente da educação, ou leremos cada vez mais notícias de adolescentes praticando absurdos. Está provado que todo ser com conhecimento tende a errar menos. Claro que o conhecimento pode ser utilizado para o bem ou para o mal, mas é inegável que a compreensão sobre isso, num mundo onde a educação é bem distribuída, tende a ser menos caótica. Sabe-se também que não é só a educação que salvará o mundo. Fatores como família e religião são também pilares nesse processo. Essa garota que mandou estuprar sua mãe poderia estar estudando o ensino médio. Seu namorado poderia estar na faculdade. Não faziam nada. Gostavam-se e tinham tempo de sobra para odiar. Mente vazia, laboratório do diabo.
Tivéssemos nós um desenvolvimento educacional melhor, talvez compreendêssemos melhor determinados processos sociais. Sei que poderíamos não acabar com a canalhice, mas seríamos menos vítimas dela. É possível que tivéssemos um advogado indo à tv dizer que as escutas reveladoras da trama para salvar Lula da prisão foram uma afronta à Constituição e ao estado democrático de direito. Um povo educado medianamente saberia que o que mais afronta o Brasil é a corrupção, em quaisquer níveis. Num país de nível educacional satisfatório, seria mais fácil se rebelar contra uma justiça que demora 24 anos para prender um ex-senador acusado de corrupção, contando com o silêncio dos salvadores da pátria. E é neste mesmo país onde um juiz, usando o mesmo código, consegue prender uma quadrilha de corruptos, e distribuir mais de 800 anos de cadeia, causando temor numa elite desacostumada com justiça eficaz.