Exclusivo!

Vereador ignora decisão do TCM

Novidade

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Vinte e Cinco, o último cangaceiro, nasceu em Paripiranga

O nome dele era José Alves de Matos que ficou conhecido na história do cangaço nordestino como o cangaceiro Vinte e Cinco. Ele nasceu em Paripiranga e viveu até 15 de junho de 2014, falecendo em Maceió-AL. No vídeo acima, encontrado no canal de Geraldo Júnior no You Tube, Vinte e Cinco comemorou os seus 96 anos. Ele está sendo considerado o último cangaceiro a morrer remanescente do bando de Lampião. No outro vídeo, o relato de sua morte.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Professores pagam recuperação de escola

Na pátria da educação de Dilma Rousseff, a prioridade está apenas no papel. A prática é um verdadeiro faz-de-conta.
A prefeitura de Cascavel não fez sua parte
No Paraná, professores financiam a recuperação de uma escola. A escola municipal atende os alunos em tempo integral em Cascavel (PR). O ano letivo está prestes a começar e a maior preocupação dos servidores e da comunidade é com a reforma da instituição que não foi realizada. “Como que os professores vão receber os alunos na segunda-feira se a escola está em condições de abandono. Nenhuma reforma foi realizada para dar qualidade no ensino dos alunos”, explica o presidente da associação de moradores do Bairro Morumbi, Valdir Brizola.
As paredes estão descascando. A pintura urgente é uma necessidade. O forro está caindo. No refeitório, algumas partes estão apodrecendo com a infiltração. As grades estão enferrujadas. No chão, mais problemas, em algumas salas a madeira já não existe. No pátio o mato toma conta do ambiente. O parque de diversões também está em condições críticas. A única quadra esportiva da estrutura é descoberta, ou seja, não protege os alunos da chuva, além disso, ela está abandonada, o mato toma conta do local. “Precisava de uma reforma urgente, pois não há condições. Está em situação de abandono”, explica Valdir.
O complexo tem nove blocos e mais de 30 salas de aula. Para limpar todo o prédio a prefeitura disponibiliza apenas três zeladoras. “Vamos aos poucos, fazendo o trabalho devagar. Os profissionais não medem esforços para dar a melhor qualidade aos alunos, no entanto precisamos de uma reforma”, explica a diretora Simonete Doneda. Para tentar amenizar um pouco dos problemas, os próprios pais e professores trabalham para reformar o que podem. Andréia leciona na escola há quatro anos. Ela é moradora do Bairro Morumbi e conta que tirou dinheiro do bolso para reformar a sala que vai dar aula. “Meus irmãos e meu pai me ajudaram a lixar, limpar e vamos pintar a sala amanhã. Troquei a fechadura e comprei as ferramentas e a tinta com meu dinheiro, pois não tenho como receber os alunos em uma estrutura precária”, afirma Andreia Borges.
São mais de 220 alunos atendidos na instituição. A necessidade de melhorar a estrutura é evidente, mas segundo a Secretaria de Educação, o investimento não será feito, pois uma nova escola deve ser construída nos próximos anos. “Eles disseram que em dois, três anos, será construída uma nova escola, por isso não vão reformar esta estrutura aqui, pois não há porque investir se terá outra”, explica a diretora.
A prefeitura enviou uma empresa terceirizada para roçar o mato alto, mas os servidores mal começaram a trabalhar e já estavam cansados, por isso decidiram descansar embaixo da sombra. Uma empresa de Toledo, responsável pela troca da parte elétrica no refeitório, começou o serviço, mas o trabalho porco foi abandonado. “É uma vergonha e indignante ver os pais e professores tirar dinheiro do bolso para investir em uma estrutura que é pública. Esses dias os empresários do bairro disseram que não vão doar nada para ajudar, pois já pagam valores altos de impostos, mas na educação não estão sendo investidos estes recursos”, finaliza Valdir.

Informações do UOL.

Violência na Bahia: mais treze pessoas morrem

PM foi recebida a tiros por grupo de 30 homens. Durante o confronto, 15 pessoas ficaram feridas e foram socorridas para o Hospital Roberto Santos
A luta contra os bandidos está virando guerra na Bahia (foto reprodução: Record)
Uma troca de tiros no Cabula, em Salvador, deixou pelo menos 13 pessoas mortas e três feridas na madrugada desta sexta-feira (6). De acordo com a Central de Polícia, o tiroteio aconteceu por volta das 4h, na Estrada das Barreiras, entre um grupo com cerca de 30 homens e uma guarnição da Polícia de Rondas Especiais (Rondesp Central).
Segundo a Polícia Militar, a guarnição da Rondesp recebeu a informação de que o grupo planejava arrombar uma agência bancária na Estrada das Barreiras. A PM encontrou um veículo abandonado durante uma ronda na área, e ao investigar a denúncia, percebeu que cerca de 30 homens estavam escondidos em uma baixada.
A guarnição foi recebida a tiros, e um sargento da Rondesp foi atingido de raspão na cabeça. A PM revidou e feriu 16 homens durante o confronto. Eles foram socorridos para o Hospital Roberto Santos. Das vítimas, doze não resistiram aos ferimentos e morreram após dar entrada na instituição. Já nesta manhã, mais uma delas morreu. Entre elas estava um adolescente.
O sargento baleado durante a troca de tiros também foi socorrido, medicado e liberado ainda na manhã desta sexta-feira (6). Segundo a Polícia Civil, todas as vítimas eram do sexo masculino. As outras três pessoas feridas no tiroteio continuam internada na unidade médica. Dois passaram por cirurgia e estão em estado grave. O terceiro homem não corre risco de morrer.
De acordo com a PM, junto com os criminosos foram encontrados uma grande quantidade de drogas ilícitas e 16 armas, muitas de calibre restrito. O policiamento foi intensificado na Estrada das Barreiras para impedir retaliações ou ameaças à população do bairro.
A identidade dos envolvidos ainda não foi divulgada pela polícia. Os corpos das vítimas fatais serão encaminhados ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Salvador, onde deverão passar por perícia. 
 Secretário defende ação
O secretário de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP/BA), Maurício Barbosa, defendeu a ação da Polícia Militar durante um confronto na Estrada das Barreiras, no bairro da Cabula, na madrugada desta sexta-feira (6), que terminou com 13 mortos e três feridos.
"A polícia deve agir com rigor, deve ser dura. Lógico, sem ser arbitrária. Mas atuando com firmeza", disse Barbosa ao ser questionado sobre o caso durante uma coletiva no Hotel Pestana, voltada para divulgar a operação de segurança do Carnaval de Salvador. "A atuação da polícia foi muito enérgica nesse ponto", reiterou o secretário, que revelou que o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso, mas que informações preliminares apontam que todos os homens feridos participaram da troca de tiros.
"O Estado tem de atuar de forma enérgica no combate à criminalidade e ao crime organizado", afirmou Maurício Barbosa. "Eu defendo muito a vida dos meus policiais, e isso para é o que importa: a vida dos policiais e a vida da sociedade, que está sofrendo com essas ações delituosas", lamentou.
Junto com os criminosos a polícia encontrou uma grande quantidade de drogas e 16 armas, muitas de grosso calibre, assim como pelo menos cinco fardas do exército. Além disto, diversos veículos que podem ter participados de assaltos também foram apreendidos pela polícia. Ainda segundo o secretário da SSP, a suspeita é de que o arsenal teria sido utilizado em ações criminosas que visavam agências bancárias. O DHPP investiga se o grupo participou de outros assaltos a bancos, entre eles o do terminal de autoatendimento do Banco do Brasil, no Posto-Escola BR que fica na avenida Tancredo Neves, no bairro do Stiep. "A criminalidade que quiser enfrentar a polícia também vai encontrar uma polícia que vai dar uma resposta à altura", assegurou o secretário. 
       Informações do CORREIO. 

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Profecia eleitoral

                                Landisvalth Lima
Eu sei que a eleição municipal está distante e que qualquer análise por agora seria fadada ao fracasso da não configuração como realidade futura. As profecias nem sempre são ignoradas, mas poucas, muito poucas, foram concretizadas na futurologia do tempo. Até Padre Antônio Vieira se mostrou um fracassado profeta ao prever Portugal como centro do mundo. Errou também ao pensar na Língua Portuguesa como predominante no mundo de hoje. Para completar, errou feio ao projetar o Catolicismo como a religião que uniria todos os povos. Mas vou aqui estabelecer um quadro baseado nos fenômenos atuais da política de Heliópolis. É uma espécie de “se a eleição fosse hoje” e nada mais.
Começo com a situação do prefeito Ildinho. Não diria que está uma maravilha. Vários ocupantes de cargos de confiança estão aquém de um desempenho pelo menos mediano. É um tempo de vacas magras, com baixos recursos e aperto nas contas. É nessa hora que fala mais alto a eficiência dos serviços públicos, que permite ao povo perceber que não há grandes obras mas tudo está no seu devido lugar. Ocupantes de cc’s vivem a engordar suas preguiças em casa ou sentados numa cadeira a olhar a paisagem. Tudo fica engavetado e os projetos ficam nos papéis. Não há administração que sobreviva a isso. Mas ildinho ainda tem 20 meses para mudar esta realidade. Melhorando, é imbatível.
Na outra ponta está a oposição, agora com os reforços conhecidos de Gama Neves e Antônio Jackson/Zélia Maranduba. Marcaram um ponto ao ganhar a presidência da Câmara, perderam outros ao não negociar o Orçamento e ao desconsiderar os avanços promovidos por Ana Dalva no Legislativo. Dizem que o único fato que contribuiu para não apoiar a vereadora foi temer um crescimento político dela. Imaginam que presidência de Câmara dá visibilidade a vereador. Então me expliquem como o vereador Doriedson conseguiu aqueles votos na frente de Mendonça? Até uma garagem dá mais voto que presidência de Câmara. Agora o Giomar está entusiasmadíssimo. Acho até que ele se imagina como provável candidato dos Pardais. Está na lista sim, mas não por ser presidente. Além dele há Mendonça, Valdir do Bujão e Gama Neves.
Dos candidatos prováveis da oposição, retiro logo da lista Gama Neves. Acredito até que será convidado a continuar vice. Quando o grupo dos Pardais apoiar um candidato de fora do seu campo de confiança é porque sabe que vai perder. Como nada mudou na política de Heliópolis, o mais bem colocado é Valdir do Bujão, caso exiba o alforje com o milhão de reais para cobrir os gastos de campanha. E acho que ele só toparia com um bom vice. Ponto para Gama Neves. Se essa chapa acontecer, Mendonça, Claudivan, Giomar, Valdelício, Doriedson estão com a reeleição garantida. Quem estrar aí só servirá para fazer número. Mendonça sendo o candidato, duvido que Gama Neves aceite ser vice. É provável uma terceira candidatura porque Gama ou sai ou vai assessorar Aleluia em Brasília.
Mas ainda tem um porém: vai haver eleições em 2016? Com a reforma política em andamento, há a possibilidade da finalização de todos os mandatos em 1918, com fim da reeleição e tudo mais. Aí, Ildinho não será candidato e terá que escolher seu sucessor num grupo heterogêneo e de difícil acomodação. É uma tarefa quase impossível. Os grupos, dentro do grupo de Ildinho, são adeptos de Esaú e Jacó. A oposição sofrerá menos, mas Gama Neves fica numa situação difícil e terá que costurar sua indicação para a cabeça da chapa. Para completar, não estamos colocando na conta a possibilidade do surgimento de uma terceira via. Gilberto Jacó está vivíssimo.