Estamos de volta!

Mudamos a linha editorial
O tom crítico continua
Mas falaremos apenas
Daquilo que vale a pena falar

Exclusivo!

Gilmar Mendes e JBS unidos pelo gado

Novidade

sábado, 31 de janeiro de 2015

Ildinho chama Ana Dalva para a Secretaria de Saúde

Vereadora Ana Dalva (PPS)
O prefeito de Heliópolis Ildefonso Andrade Fonseca, o Ildinho, convidou a vereadora Ana Dalva para assumir a pasta da saúde no município. Antes de formular o pedido, Ildinho explicou que não se tratava de estar insatisfeito com o trabalho do ex-vereador Renilson Alves, que já tinha colocado o cargo à disposição desde o final do ano passado. O prefeito pediu tempo ao ex-vereador para encontrar uma pessoa com perfil adequado à área. Assim que Ana Dalva esgotou as possibilidades de reeleição na Câmara Municipal, Beto Fonseca, o secretário de administração, começou a difundir a ideia para a vereadora.
Inicialmente, não é segredo, Ana Dalva desautorizou um “sim” e justificou ser a pasta um amontoado de problemas. “O dinheiro é pouco, a demanda é muita e não posso assumir para apenas ser secretária. Terei que mudar muita coisa.” Mas Beto Fonseca insistiu que ela tinha o perfil adequado e poderia melhorar o que já havia de bom deixado por Renilson. “Não posso me queixar de Renilson. Ele fez algumas mudanças boas e precisam ser aprofundadas. Sei que Ana Dalva é guerreira e não vai deixar a peteca cair.”, afirmou Beto Fonseca.
Prefeito Ildefonso Fonseca (Ildinho)
A conversa foi aprofundada neste sábado (31), na casa do secretário de administração e a primeira condição de Ana Dalva foi uma mudança total na configuração da Casa de Apoio em Aracaju. Ildinho aceitou imediatamente e confirmou algumas mudanças já encaminhadas, como a mudança do imóvel. Por volta do meio dia, Ana Dalva bateu o martelo e usará o mês de fevereiro para fazer um levantamento do que já existe e das necessidades imediatas. Em março começará o trabalho efetivo. “Vou assumir pelo município e para ajudar a administração de Ildinho. O povo de Heliópolis merece uma saúde ainda melhor.”
Com o pedido de licença da vereadora Ana Dalva (PPS) para assumir a secretaria de saúde, a vaga será ocupada por José Emídio Tavares (PDT), Zé do Sertão, 1º suplente da coligação que elegeu Ildinho. Com tal mudança, o prefeito espera dar uma nova injeção de ânimo nos agentes do serviço público. Muitas das deficiências não são apenas de falta de planejamento ou de competência, mas de comodismo. “E quem escolheu esta vida de servir ao povo não pode desanimar. As necessidades das pessoas são constantes e eternas.”, conclui Ana Dalva, após agradecer a confiança de Ildinho e Beto.
Para inglês ler
A presidente Dilma Rousseff não gosta da mídia nacional. Ela acha que só faz difundir negativismo por todos os lados. Esquece a nossa presidenta que a mídia não cria fatos. Agora não se sabe o que ela dirá da mídia internacional. Isso porque o jornal britânico Financial Times saiu com um editorial pesado neste sábado sobre o escândalo da corrupção na Petrobras que levou as ações da estatal perderem só nesta semana quase 20% do seu valor. Num texto duro, o jornal inglês diz que a presidente Dilma Rousseff precisa se explicar o que sabe sobre o mar de lama fétida que está correndo a Petrobras. “Os desvios que aconteceram na Petrobras levam a se tornar sistêmico para a economia brasileira, o que poderá ameaçar o governo.” O Financial Times parece que já prevê o impeachment do mandato de Dilma.
Gasolina a 4,25
A partir deste domingo (1), entra em vigor o reajuste sobre a gasolina, o etanol e o diesel. O acréscimo na gasolina será de R$ 0,40 por litro. Segundo informações do jornal A Tarde, em Salvador, os postos comercializavam a gasolina entre R$ 3,14 e R$ 3,29. Em municípios distantes do Sul do estado, o combustível era comercializado por até R$ 3,85. Com isso, o valor pode chegar a R$ 4,25. E não precisa dizer que estamos vivendo uma época de preço baixíssimos do petróleo internacional. Dilma Rousseff não pode culpar a crise lá fora. O aumento é possível por ser formado por um conjunto de fatores:  o aumento do preço do álcool anidro, que é misturado à gasolina, representa impacto de até R$ 0,07 no preço final; o aumento na quantidade do produto na mistura com a gasolina, passando de 25% para 27% na composição final, gerando impacto de até R$ 0,06 no valor das bombas. O maior peso vem das mudanças previstas no PIS/Cofins que, segundo o Sindicombustíveis, impacta em R$ 0,22 no preço. Os demais R$ 0,05 são do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre os aumentos anteriores. Quem tem carro e votou em Dilma está pagando a conta, mas o pior é que todos nós vamos pagar, de um jeito ou de outro.
Marcelo Nilo e 307 milhões
Se o deputado Marcelo Nilo for eleito, pela quinta vez consecutiva, presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, terá que pagar uma conta salgada: 307 milhões. É que o Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (Sindsalba) cobra do presidente da Casa, Marcelo Nilo (PDT) os percentuais complementares de aumento diferenciado de 188 servidores efetivos da instituição. Segundo o presidente do sindicato, Flávio Abreu, o presidente da Assembleia Legislativa diz que a dívida é de R$ 307 milhões. No entanto, o Sindsalba esclarece que a dívida não é cumulativa e o valor a ser incorporado por mês na folha de pagamento está em torno de R$ 128 mil. “Estávamos negociando para fazer a incorporação, mas a Assembleia entrou com ação rescisória para julgar o processo, que está parado na 7ª Vara da Fazenda Pública.”, relata Abreu, presidente do Sindsalba. Desde 1991 existe um aumento diferenciado aos servidores num patamar entre 30% e 102%. “Os processos são desde essa época porque o aumento tem que ser linear para todos, mas até agora não conseguimos estabelecer o mesmo patamar”, conta.
ENEM digital
O ministro da Educação, Cid Gomes, afirmou nesta sexta-feira (30) que um novo modelo de realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será posto em consulta pública nas próximas semanas. Segundo informações da Agência Brasil, o novo formato prevê a criação de um banco digital de questões que permite o agendamento da avaliação, que passaria a ser online. As perguntas de cada prova seriam definidas por sorteio, num universo de oito mil questões. O ministro ainda defendeu que as questões sorteadas inibem a ocorrência de vazamentos, como ocorrido na última edição, no Piauí. Segundo o titular da pasta, a Polícia Federal descobriu que o tema da redação foi antecipado por smartphones para cerca de 30 pessoas de um grupo montado em uma rede social privada, minutos antes da prova.

Com informações do Bahia Notícias, Agência Brasil, Financial Times e A Tarde.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Heliópolis debate educação infantil

Encontro discutiu a educação infantil (foto: sec/Heliópolis)
A Secretaria Municipal de Educação, Esporte Cultura e Lazer de Heliópolis realizou a 3ª Reunião Ampliada com dirigentes, conselheiros municipais de educação e sindicalistas do território Semiárido Nordeste II. O encontro foi realizado na terça-feira (27), na creche Proinfância, localizada na Rua Mangabeira, e teve início às 9:00 horas da manhã. Este ano o tema foi NOVAS PERSPECTIVAS E OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Os ministrantes foram professora Carla Ravena Sena Carvalho, que tratou das temáticas Educação infantil: Formação docente, Currículo e Relação escola X família. Já a professora Maria de Jesus Andrade ministrou sobre Educação infantil: Legislação. A professor Maria Aparecida Andrade tratou da Proposta pedagógica na Educação infantil. Por fim, o Secretário de Assistência Social do Município, Renan Vieira Tavares, tratou do tema A oferta da Educação infantil de 0 a 5 anos. 
O evento foi marcado pela presença dos representantes da Secretaria de Educação, Sindicatos e Conselhos Municipais de Educação dos seguintes municípios: Antas, Banzaê, Fátima, Cícero Dantas e Nova Soure. O encontro permitiu o debate em torno da educação infantil e cada palestrante trouxe para as discussões informações pertinentes sobre a modalidade nos seus respectivos municípios. Tudo relacionado a legislação, carga horária, quantidade de alunos por turma, data de corte (31 de março), ingresso no Ensino Fundamental, proposta pedagógica, percurso histórico da educação infantil até aos dias atuais entre outros assuntos. O debate foi privilegiado pela troca de experiências e considerado de alto nível. Além da presença do professor José Quelton, secretário de educação, marcaram presença os vereadores Ana Dalva Batista Reis, Zeic Andrade e Ronaldo Santana.  

Dilma fecha 1º mandato com rombo de R$ 17,24 bilhões

A primeira presidenta da história do país não poderia deixar marca mais relevante. Puxada por um grande déficit da Previdência, as contas do governo central ficaram negativas pela primeira vez no acumulado de um ano desde o início da série histórica.
Dilma Rousseff patrocina decadência histórica
As contas da presidente Dilma Rousseff fecharam 2014 com um déficit primário de 17,242 bilhões de reais. O resultado do chamado governo central, que reúne as contas do Tesouro Nacional, INSS e Banco Central, registraram o pior desempenho da série histórica que teve início em 1997. Foi o primeiro déficit da série e corresponde a 0,34% do Produto Interno Bruto (PIB). Em 2013, o superávit acumulado foi de 76,993 bilhões de reais, ou 1,59% do PIB. Dá a entender que Dilma quebrou o país para não perder o poder. O desastre é tão notório que a até seu partido está colocando a boca no trombone.
E não se trata apenas de problemas relacionados à corrupção. O rombo histórico das contas do governo, divulgado pelo Tesouro nesta quinta-feira, consolidou um processo de forte deterioração fiscal que a presidente Dilma tenta agora reverter para retomar a confiança no país. Apesar das pedaladas fiscais (atrasos nos pagamentos de despesas) que ainda ficaram para 2015 e receitas extraordinárias, o resultado de 2014 ficou distante da última previsão do governo, de fechar o ano com um superávit de 10,1 bilhões de reais. No início do ano, o governo prometeu fazer um superávit de 80,7 bilhões de reais nas contas do governo central. Dilma não está pagando nem mesmo contas simples como água e luz dos escritórios das embaixadas.
A conta é conhecida: o resultado reflete uma combinação de aumento de despesas, queda forte da arrecadação por causa da atividade econômica fraca e desonerações tributárias em volume elevado. Dados do Tesouro mostraram que as despesas subiram 12,8%, para 1,013 trilhão de reais, enquanto as receitas avançaram apenas 3,6%, totalizando 1,031 trilhão de reais. A Previdência foi, de longe, o setor que mais contribuiu para o rombo anual. Separadamente, as contas do Tesouro tiveram um superávit de 39,570 bilhões de reais, o do INSS um déficit de 56,698 bilhões de reais e o resultado das contas do Banco Central foi negativo em 114,8 milhões de reais.
Após as eleições, apenas em dezembro, as contas do governo central registraram um superávit de 1,039 bilhão de reais, decepcionando mais uma vez. No final do ano passado, o ex-secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, havia garantido que o superávit seria de dois dígitos, o que não ocorreu. O resultado de dezembro é pior para o mês desde 2008, quando as contas fecharam com déficit primário. Para não ser responsabilizado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, o governo conseguiu que o Congresso Nacional aprovasse uma alteração na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que permite o descumprimento da meta. Ou seja, para encobrir a realidade, Dilma conta com o Congresso e, para continuar no poder, conta com o Bolsa Família. Em ambos os casos, o Orçamento é a arma de convencimento. Enquanto isso, o Brasil segue descendo a ladeira do desenvolvimento.

Com texto básico da revista VEJA.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Um pouco da história de Heliópolis

       Muito já se falou sobre a história do município de Heliópolis. Há muitos mitos e muitas verdades. Para colocar mais um pouco de pimenta na questão, os alunos do 3º ano A - do Colégio Estadual José Dantas de Souza- CEJDS - saíram a entrevistar pessoas em busca de novos fatos. A reportagem faz parte do sistema avaliativo da disciplina Redação e Expressão, ministrada pelo professor Landisvalth Lima. O vídeo foi concluído em dezembro de 2014.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Viagem no tempo: Dilma previu um Brasil que não há



     O pronunciamento acima ocorreu há dois anos, dia 23 de janeiro de 2013. Coloco aqui para que se veja como tudo muda em dois anos. Se você acreditou, parabéns. Se você não acreditou, sinto muito. É a maioria quem decide e todos sofreremos. 

Herança maldita de amigo ou a saga dos 170 cheques

                                             Landisvalth Lima
Vereador José Mendonça Dantas
Após publicar a última postagem sobre o atraso no pagamento dos vereadores, houve uma romaria ao Banco do Brasil de Poço Verde-Se. A correria era justificável porque o vereador Giomar Evangelista queria pagar seus comandados. Ocorre que quando ele chegou ao banco já sabia que a única possibilidade de realizar pagamentos era com cheques. Só que havia mais de 170 cheques que não foram dados baixa, ou devolvidos. Tudo estava bloqueado. O novo presidente, de forma arrogante, liga para Ana Dalva e diz que ela não cumpriu com sua obrigação e os pagamentos não poderiam ser feitos, já que Mário Almeida, o contador, e Fernando Dantas, o Tesoureiro, não providenciaram as baixas dos restantes dos cheques do Legislativo. Indiretamente chamou-os de irresponsáveis.
Ana Dalva engoliu em seco, mas disse que havia algum equívoco pois ela tinha certeza de que deixou tudo dentro das normas. Pelo sim pelo não, ligou para Mário e Fernando e foram para o banco resolver o imbróglio. Lá, os funcionários do BB confirmaram que as baixas dos cheques da administração Ana Dalva foram todos devidamente informados e registrados. Então, onde estava o problema? Havia de fato mais de 170 cheques que não foram devolvidos ao banco na época da administração do vereador José Mendonça Dantas. Herança maldita de amigo, ou de aliado, ou até de companheiro. A gerência do banco acabou por desbloquear os pagamentos, mas o problema está lá para ser resolvido. Será que o vereador Giomar vai declarar que Mendonça é irresponsável? Só espero que ele não resolva usar o símbolo do PCdoB no companheiro comunista!
Movimento Sol Nascente
Grupo quer melhorar a fiscalização dos recursos públicos
Ainda não joguei a toalha, mas poucas são as coisas no mundo heliopolitano que ainda me fazem acreditar numa sociedade melhor no futuro. Mas fui convidado para uma reunião de um grupo que pretende criar uma lei que melhore a fiscalização da aplicação dos recursos públicos no município de Heliópolis. Quem primeiro me convidou foi o professor Gilberto Jacó. No dia seguinte, Zé Mário reforça o convite. Não poderia deixar de ir. O encontro foi na Câmara Municipal neste sábado (24). Saí de lá com alguns gravetos jogados na minha pequena chama de esperança.
O grupo nasce com o nome de Movimento Sol Nascente e é formado por pessoas da sociedade, na sua maioria professores. Não é fechado. Está aberto à participação e contribuição de todos. A ideia inicial é mobilizar a população para apresentação de um Projeto de Lei que obrigue os gestores públicos de todos os segmentos a deixar uma cópia das prestações de contas na Câmara de Vereadores para apreciação do público. Seiscentas assinaturas serão suficientes, e será seguramente o primeiro projeto de Lei de iniciativa popular do município.
Grupo foi denominado Movimento Sol Nascente
Não se tratam apenas de prefeitos e vereadores que ficarão obrigados a deixar suas prestações de contas no Legislativo para análise pública. Sindicatos, associações, escolas e afins. Tudo que envolver recursos públicos. A ideia é criar um mecanismo de facilitação da fiscalização e do controle dos recursos públicos. Hoje, somente a prefeitura e a Câmara são abrigados a isso, mesmo assim uma única vez por ano. Pelo projeto, essa obrigação será mensal. O grupo tomou o cuidado de não parecer algo contra os gestores atuais. Por isso ficou decidido que a data para a futura Lei entrar em vigor será 1º de janeiro de 2017. 
O Movimento Sol Nascente – na luta pela transparência da gestão pública do município de Heliópolis – terá quatro comissões. A redação da lei ficará a cargo de José Mário Nunes, Landisvalth Lima e Antônio Valter. A equipe de mobilização será formada por Gilberto Jacó, Célio Gonçalves, José Carlos Souza, Alcidésio da Silva, Emanoel Alves e Jurandir Rodrigues. Outro grupo ficará focado no processo de comunicação, com Joseilson Alves, José Quelton, Gilvândio Alves, Marcondes Pinho, Ricardo Nascimento, Antônio Marcos de Oliveira e Adilson Nobre. Por fim, o grupo de apoio administrativo: Magnoélio dos Santos e Iranildo Oliveira. O próximo encontro está marcado para o próximo sábado (31), às 9:00 horas, na Câmara Municipal de Heliópolis.