Exclusivo!

Lula aposta no convencimento da mentira

Novidade

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Giomar foge de procurador e obra da Câmara de Heliópolis é embargada

Obra da Câmara Municipal iniciada sem Alvará
O final de 2015 não poderia passar sem que o vereador Giomar Evangelista praticasse mais de uma das suas lambanças à frente do Legislativo Municipal. Desta vez, o presidente da Câmara Municipal de Heliópolis deixou o procurador do município, Dr. José Adelmo Matos, falando sozinho, depois de se recusar a receber um documento da Prefeitura Municipal de Heliópolis. Tudo está registrado num vídeo feito pelo próprio procurador, publicado nesta postagem.
Para entender tudo, é preciso voltar um pouco no tempo. Giomar Evangelista rasgou mais uma vez todas as normas regimentais do Legislativo ao arquivar uma Emenda Orçamentária Modificativa do QDD – Quadro Direcionador de Despesas – da rubrica orçamentária da Câmara Municipal de Heliópolis, para o ano de 2016. O vereador dirigente ignorou simplesmente todas as etapas do processo e, sem ouvir ninguém, arquivou a propositura assinada pelo vereador José Emídio.
Para completar o drama político, algumas atas de sessões foram rejeitadas pelo Plenário e o vereador as ignorou completamente. Nem providenciou a feitura de outra ata, nem corrigiu as eventuais dúvidas. Para efeito de tudo, estas sessões são consideradas nulas porque o documento oficial de registro não foi oficializado pelos vereadores. As sessões em questão são exatamente aquelas que envolvem o arquivamento da emenda ao Orçamento. Para burlar o que decidiu a maioria, Giomar Evangelista mandou o projeto de Lei Orçamentária Anual para ser sancionado pelo prefeito, antes de estar completamente aprovado.
Para evitar um imbróglio jurídico, o prefeito Ildefonso Andrade Fonseca pediu as atas das sessões questionadas antes de sancionar a Lei. Foi este documento que o vereador se negava a dar como recebido, alegando que a câmara estava em recesso, de 23 de dezembro de 2015 a 04 de janeiro de 2016. Além disso, a portaria que determina o dito recesso deveria estar assinada pelo presidente e pelo 1º secretário da Câmara Municipal, como manda mais uma vez o Regimento Interno. Giomar decidiu tudo sem sequer comunicar ao vereador Valdelício Dantas da Gama. No vídeo, o procurador alega isso e Giomar se limita a dizer que a Portaria foi baixada e acabou.
Faltou ao presidente da câmara, no mínimo, educação. Não precisava nem ser gentil. Assinava tudo como recebido com os devidos carimbos e deixava para resolver depois do dia 4 de janeiro. Sabendo que estava fazendo coisa errada, ligou sua motocicleta e fugiu. Deixou o procurador falando sozinho.
Orçamento vetado
Para evitar que o município fique sem orçamento, o prefeito Ildinho sancionou a LOA – Lei Orçamentária Anual – vetando o QDD da Câmara Municipal de Heliópolis por não conter uma rubrica destinada ao recolhimento do INSS dos servidores da casa. Este blog está dando uma ajudazinha ao presidente, para que ele não alegue que não sabia de nada. É bom lembrar que Giomar terá que convocar os vereadores para derrubar ou manter o veto, agora em janeiro.
Suplementação
Não se sabe se o vereador Giomar tem comportamento cínico ou aloprado. Na briga pela aprovação da LOA de 2015, a mesa diretora batia firme em liberar apenas 20% para Suplementação no Orçamento. Depois teve aquela confusão com a convocação em julho para aumentar esta margem. Giomar ignorou a convocação do prefeito Ildinho, mas o vereador Valdelício, como 1º Secretário, abriu a sessão, discutiu o projeto, convocou sessões extraordinárias e aprovou a nova margem de suplementação, permitindo ao prefeito pagar os funcionários e os compromissos da municipalidade. O vereador Mendonça, como mostra o vídeo acima, tentou acabar com tudo. Já o vereador Giomar se limitava a dizer que as sessões não tinham nenhum valor porque não foram presididas por ele. Agora, no final do ano, com as contas apertadas e necessitando de mais margem de suplementação, o presidente todo-poderoso resolveu assinar um decreto alterando a margem de suplementação no Poder Legislativo. Ele deveria solicitar isso ao Poder Executivo, baseado na Lei aprovada nas sessões vistas por ele como ilegais. Talvez envergonhado, resolveu assinar um decreto incomum e ainda teve a audácia de iniciá-lo como se prefeito municipal fosse. Não dá para saber se é uma comédia, uma tragédia ou uma farsa.
Obra embargada
Para fechar o ano com chave de ouro, o presidente que mais trabalho está dando ao judiciário baiano resolveu iniciar uma obra de ampliação do prédio da Câmara Municipal sem o Alvará da Prefeitura Municipal e sem o CREA. Giomar trata o bem público como se fosse a ampliação de uma bodega numa terra sem lei. Ele se acha a lei. O prefeito municipal está embargando a obra e questionando a atitude do vereador nas instâncias jurídicas cabíveis.
Cabo eleitoral
O prefeito Ildefonso Andrade Fonseca fecha o ano de 2015 com um saldo bem positivo. É claro que as realizações administrativas ajudaram sobremaneira, e só isso já seria suficiente para dizer que a administração é bastante positiva, mesmo que saibamos que ainda há muito a ser resolvido. Agora, boa parte hoje da popularidade do prefeito Ildinho ele deve ao vereador Giomar Evangelista. Dizem que também Diego Rosário contribuiu, mas foi só um besteirol. Já o presidente da câmara produziu caçambadas de idiotices ao longo de 2015. Uma delas foi não ter pago os salários da vereadora licenciada Ana Dalva. Por falar nisso, o pagamento ainda não foi feito.