Exclusivo!

Heliópolis: Populares reagem e bandido é morto em assalto a ônibus

Mais um assalto a ônibus acontece na zona rural de Heliópolis Mais um assalto a ônibus acontece em Heliópolis. Desta vez, o veículo ass...

Novidade

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Ildinho quer construir Estádio de Futebol

Prefeito Ildinho
Sem fazer zoada, o prefeito Ildefonso Andrade Fonseca vai aos poucos escrevendo seu nome nas linhas da boa história de Heliópolis. No início do ano, Ildinho anunciou emenda parlamentar do Deputado José Nunes para construção do tão sonhado estádio de futebol de Heliópolis. Ocorre que o valor da emenda é só de 391 mil reais. Não dá para tanto. Mal faria o campo e o alambrado. Aí começou a busca do complemento. Esta semana, o prefeito conseguiu 450 mil do Ministério dos Esportes, totalizando 841 mil reais. Agora o sonho começa a sair do papel e virar realidade. Ontem, um técnico já esteve na cidade para estudar o melhor local de implantação do estádio. Os primeiros passos foram dados, mas a caminhada ainda é longa.
Além destas emendas para a área do esporte, está em fase de contratação emenda do Deputado João Carlos Bacelar, no valor de 247 mil, para calçamento em local ainda a ser definido. Provavelmente será em algum povoado ou ruas da periferia da cidade. Também Ildinho quer conseguir do deputado Felix Mendonça uma emenda entre 300 e 500 mil, também para calçamento. O prefeito corre ainda para efetivar algumas emendas da área de saúde. Ele não desistiu de colocar plantão médico 24 horas em Heliópolis, embora diga apenas que é um desejo. “Não adianta a gente prometer depois a coisa não acontece. Prefiro lutar. Quando tiver garantido eu falo. ”, disse o prefeito.
Ildinho ainda afirma que está só aguardando a liberação por parte da Caixa Econômica Federal de uma emenda de 331.500,00 reais, uma gentileza do deputado Luís de Deus, para construção da Praça de Eventos, que será na Praça Isabel Ribeiro. Nesta obra, que já está pronta para ser iniciada, dependendo apenas da liberação dos recursos, o município terá que oferecer uma contrapartida de, no mínimo, 80 mil reais. “Com as ruas que estão sendo calçadas e mais ainda as obras que estão por vir, esperamos poder melhorar os serviços públicos para as pessoas. Com isso, espero ter honrado o voto do povo que acreditou na nossa equipe. “, concluiu Ildinho.
Liga de Heliópolis
O sonho de vários desportistas de ver um dia Heliópolis disputando o Intermunicipal de Futebol está perto com o anúncio do Estádio Municipal, mas, se depender dos dirigentes da Liga Heliopolense de Desportos a coisa não acontecerá tão cedo. Nascida de um projeto da vereadora Ana Dalva, a liga foi criada, os dirigentes foram empossados e parou por aí. Não saiu do papel. Falam que estão elaborando o estatuto, mas ninguém sabe, ninguém viu. O sonho do Mangabeira de ganhar um campeonato oficial está longe. Se depender dos dirigentes da Liga, vai ter que continuar disputando carneiros e grades de cervejas em torneios por aí. E nem é bom falar dos outros times.
Enquanto isso....
Se o prefeito está entusiasmado para trabalhar, motivado para a luta política e administrativa, existe auxiliar seu que só faz atrapalhar. Beto Fonseca vai acabar arrancando os cabelos que ainda tem. Um certo funcionário, cargo CC, já conseguiu irritar todos os secretários, auxiliares, o prefeito e o escambau. E porque diabo Ildinho já não demitiu? É esta a pergunta que todos fazem. Se o prefeito está pensando que vai perder voto com a demissão do sujeito, deveria pensar no tanto que ele vai perder se ele ficar. Melhor solução mesmo seria o indigitado aprender que o cargo é público e não dele. Deveria tomar um banho de civilização, saber conviver com o público e perceber que ele faz parte de um grupo político.
PSD em Fátima
A maré não está boa para Roberto da Farmácia. É que o Senador Otto Alencar tirou o PSD – Partido Social Democrático – das mãos do empresário e ex-candidato a prefeito. A direção da sigla foi entregue para Dona Maria de Pedro de Dé. É isso mesmo! Ela é mãe do ex-vereador Carlos de Pedro de Dé e do atual Gilvan de Pedro de Dé. Carlos já deu o tom da campanha: Ele e o irmão são ligados ao atual prefeito de Fátima, o Lourival. Estão no grupo e lutam por uma vaga na chapa majoritária. Gilvan (Rede Sustentabilidade) pode sair até a vice, ou até mesmo o próprio Carlos. Entretanto, se Gilvan resolver botar a cara como prefeito pela Rede, Carlos afirma sem titubear: “A família vai estar unida!”.
Pré-vestibular em Poço Verde
A prefeitura Municipal de Poço Verde e o Governo de Sergipe estão implantando um curso Pré-universitário na cidade de Poço Verde. A previsão do início das aulas é para dia 10 de agosto, no prédio anexo à Secretaria Municipal de Educação do município, próximo ao Colégio Municipal Antônio Carlos Valadares. As obras de reforma do espaço estão avançadas, mas dificilmente estarão concluídas no dia previsto. Nesta quarta-feira chegaram os condicionadores de ar, as carteiras e demais móveis. Todo o curso está montado e pode não ter seu início no local previsto. As opções são o pátio da UAB ou o salão do Colégio Estadual Professor João de Oliveira. A decisão ainda não foi tomada, mas deve ser anunciada em breve.  
Pagar como?
Também não é boa a situação do vereador Giomar Evangelista. Assim que a greve da Justiça acabar, ele receberá dois resultados. Um já se sabe o veredito, o outro é uma incógnita. É que ele não paga o salário da vereadora Ana Dalva desde que ela se afastou da Câmara para assumir a Secretaria de Saúde. Enquanto as dívidas da vereadora se acumulam, Giomar já sabe que terá que pagar todo o atrasado. Foi o TCM – Tribunal de Contas do Município – que o alertou. O problema é que, além da teimosia e da bazófia, ele não sabe onde arranjar dinheiro. Não se preparou para uma possível derrota. A salvação dele seria o prefeito adiantar parte do duodécimo. Ocorre que não se dá nada a um adversário, que se acha o último biscoito do pacote, e que não pediu arreglo. A outra questão diz respeito à questão do veto à emenda no Orçamento. Agora é aguardar para ver o tamanho do rombo causado pela personalização política da atividade pública.