Exclusivo!

Vereador é multado e devolverá mais de 13 mil à Câmara de Heliópolis

Giomar Evangelista recebeu subsídios indevidamente e vai ter que devolver  Bem que ele poderia ficar calado, mas, boquirroto e falastrã...

Novidade

sábado, 11 de julho de 2015

O São Pedro de Heliópolis está vivo!

                                                            Landisvalth Lima
Alvorada concorrida no São Pedro 2015 em Heliópolis
(foto: Fecebook - Heliópolis Bahia Brasil)
O primeiro dia do São Pedro de Heliópolis é uma espécie de prévia. A sexta-feira é dedicada mais aos moradores locais. Há espaço para dançar e para rever os amigos. É o dia em que eu tiro para dançar um pouco com Ana Dalva. Não assisti a todos os shows porque tive aula no sábado em Poço Verde. Ouvindo Pequeno e sua Paixão Ardente, fui colhendo algumas opiniões e a Alvorada estava na boca do povo. A favorita do Brasil, diga-se Zezinho da Ema, botou prá lá. Uma multidão animou a folia do início da manhã de sexta-feira (10) e o São Pedro continua a ser a nossa maior festa. Se tudo em Heliópolis tivesse o carma do São Pedro, seríamos disparados o melhor e maior município da região do Semiárido Nordeste II.
E posso falar de cátedra sobre o São Pedro de Heliópolis porque a ideia foi minha. Demovi Zé do Sertão, então primeiro prefeito de Heliópolis, de pensar em realizar uma micareta. Não tinha nada a ver com o nosso espírito cultural. Somos mais Luís Gonzaga que Ivete Sangalo, mais Patativa do Assaré que Mário de Andrade e mais ainda Cândido Portinari que Tarsila do Amaral. Zé do Sertão abraçou a causa e fez festas seguidas batendo recordes de público e trazendo para Heliópolis as mais importantes figuras da nossa cultural musical, inclusive o próprio Luís Gonzaga. Foram épocas inesquecíveis.
O destaque do 1º dia do São Pedro 2015
Apesar de toda aculturação, o São Pedro está vivíssimo. Ontem, sexta-feira (10), vi, ouvi e dancei Paixão Ardente. Pequeno fez o que todas as bandas deveriam fazer: tocar forrós clássicos, modernos, saudosistas, vaqueirama, sofrência e o axé. O público é múltiplo e a música também tem que ser. E vejam que não é preciso muita coisa para animar o povo: um bom intérprete e um bom teclado com tecladista esperto. Paixão Ardente arrasou. E não precisa dizer que a organização estava impecável. O som é de primeira, mas o teste final será neste sábado com o calçadão lotado. A prefeitura municipal de Heliópolis, o prefeito Ildinho, Beto Fonseca, funcionários e auxiliares estão todos agraciados com votos de parabéns por não deixarem a peteca cair. O São Pedro de Heliópolis está mais vivo do que nunca.
Estacionamento
A Avenida Helvécio Pereira de Santana está virando um caos em épocas de São Pedro. Conto como o único ato falho da organização. Não pode ser permitido estacionamento nos dois lados da avenida próximo ao arraial. Um lado já causará transtornos, imaginem os dois! Ontem, sexta-feira, um carro com pneu estourado não permitia a passagem de ônibus e caminhões. E ali é uma pista da BA-393. Vamos torcer para que o prefeito Ildinho puxe a orelha da organização e coloque ali um funcionário para não permitir o estacionamento nos dois lados. A cidade é pequena. A cem metros havia estacionamento. Vamos organizar o trânsito e precisamos contar com a consciência do motorista.
Saúde de Plantão
Bom público já no 1º dia
O vereadora licenciada Ana Dalva, secretária de saúde de Heliópolis, informou que o município está com saúde em Plantão de 24 horas para atender a Festa do Tradicional São Pedro de Heliópolis. Na sexta-feira, Dr. Rodrigo Figueiredo (Médico), Jéssica (Enfermeira) e Márcia (Técnica de Enfermagem) atenderam no Centro Médico de Heliópolis. Nada de anormal. No sábado será a vez de Dr. Rodrigo Figueiredo, Dr. Adriano Carneiro e Dr. Márcio Wesly (Médicos), Ádila, Camila e Suilane (Enfermeiras) e Márcia, Claudivania e Anacleia (Técnicas de Enfermagem). Eles dividirão os turnos diurno e noturno deste sábado (11). Para o domingo, também dividindo os turnos: Dr. Adriano Carneiro (Médico), Darciele e Naline (Enfermeiras) e Débora e Gaby (Técnicas de Enfermagem). É assim que deveria funcionar sempre.