Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Veredas de um novo amanhã para a educação de Heliópolis-Ba

                                                                     Prof. Eraldo Neves
Eraldo Neves
Que a educação em Heliópolis enfrenta sérios problemas ao longo da história desse município é um fato inconteste.  Cada gestão que por aqui passou deixou uma lacuna significativa na oferta de uma educação de qualidade para nossa juventude. Umas mais outras menos contribuíram para o quadro “cinzento” do nosso combalido sistema de ensino. A realidade educacional de Heliópolis, assim como de boa parte dos Estados e Munícipios brasileiros, é de causar ânsia de morte no mais otimista Educador. Os fatores são velhos conhecidos: Baixos salários, condições precárias de trabalho, má formação profissional, vícios do serviço público, corporativismo, empreguismo, dentre outros. Esses fatores associados aos graves problemas sociais e, sobretudo, ao mais terrível câncer do Brasil, a corrupção, provoca uma realidade desoladora da educação brasileira e, consequentemente, de Heliópolis.
Entretanto, nem tudo está perdido e algumas ações ajudam a manter viva a esperança de que algum dia as coisas podem ser melhores no setor educacional de Heliópolis. Cito abaixo, como exemplo, algumas ações da atual administração do município que ajudaram a minimizar os graves problemas enfrentados nessa importante área.
O primeiro fator que merece destaque foi à realização com lisura, no ano de 2014, de concurso público para provimento de cargos em todas as áreas do serviço público municipal. Tal iniciativa contribuiu significativamente para a inserção de um quadro profissional qualificado tanto na esfera educacional como nas mais diversas áreas. O prefeito cumpriu uma prerrogativa constitucional que há muito tempo vinha sendo desrespeitada no município.  Mesmo com a assinatura de termo de ajuste de conduta no Ministério Público, o gestor anterior teimava em desrespeitar à lei, não realizando o certame.
Outro fator a merecer elogios sinceros é o cumprimento rigoroso de pagamento do piso salarial dos professores. Como se sabe, embora seja uma lei criada há sete anos, fruto de anos de luta da classe, gestores estaduais e municipais teimam em desrespeitá-la. Todos os anos assiste-se a uma série de manifestações e greves no Brasil para que os educadores tenham esse direito respeitado. No caso de Heliópolis, a gestão atual toma a iniciativa de encaminhar o projeto à Câmara, respeitando rigorosamente o reajuste definido. Essa medida evita à necessidade de desgaste dos nossos abnegados professores com lutas e greves.
Merece destaque também a implementação do Projeto que instituiu Ações e metas trianuais para a Educação do Município no período de 2014-2016 (lei mun. 04/2014). O PAMEH (Plano de Ações e Metas da Educação de Heliópolis) visa definir, em cooperação com os profissionais da educação, padrões básicos de atendimento da educação infantil ao 9º ano do fundamental II.  As bases do programa passam pela criação do Currículo Único, Avaliação Bimestral Simultânea e outras intervenções, com o objetivo de dar um novo rumo à combalida educação do município. O projeto também apresenta ações concretas de melhoria da estrutura das escolas e da implantação gradual do chamado Turno Único, ou Escolas em Tempo Integral, isso num espaço temporal que vai até 2016.
Outro fator a ser salientado é a qualidade da merenda ofertada na rede Municipal de ensino. O cardápio nutritivo e variado (sopa, cuscuz, salada de frutas, arroz...) oferecido bem como a preparação deste é acompanhado rigorosamente por uma competente nutricionista, aprovada no último concurso do munícipio. Num país onde muitas crianças têm a merenda escolar como sua principal refeição, não medir esforços para melhorar cada vez mais esse item do sistema educacional é o mínimo que se pode esperar de um administrador e ser humano comprometido minimamente com o social.
A oferta de fardamento Escolar a todos os alunos, professores e demais profissionais da educação é outro aspecto que deve ser realçado. Em Heliópolis, a distribuição desse artigo do sistema educacional é uma realidade que não se pode negar.
Outro aspecto que merece destaque na educação de Heliópolis atualmente é o respeito rigoroso ao que é preconizado pela LDB (Lei de diretrizes e bases da Educação) acerca da carga horária docente. Um terço da carga horária é destinada a preparação de aula, elaboração e correção de provas e demais atividades extraclasse. Neste sentido grande parte dos professores da rede municipal de educação de Heliópolis passa  16 horas semanais em sala de aula e, aqueles que, por necessidade de adequação de horários, ultrapassa essa carga horária, recebe hora extra. A carga horária básica em Heliópolis é de 25 horas/aulas.
A implantação de laboratórios de informática nas escolas do município é outra ação merecedora de reconhecimento. Estamos num começo de um século que é o século do conhecimento onde nenhuma civilização será prospera se ficar à margem do mundo digital.
Outro aspecto a ser destacado no sistema educacional de Heliópolis atualmente é a formação continuada de professores por área de atuação, uma iniciativa que contribui de maneira decisiva para o aperfeiçoamento dos docentes e, consequentemente, tem reflexos positivos nas aulas ministradas para a classe estudantil desta municipalidade.
Prova maior da veracidade dos avanços que aqui escrevo pode ser observada a partir da relação ordeira entre a Gestão e o SINDHELI (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais). Acredito que essa postura seja um reconhecimento da classe ao esforço feito pelo gestor em atender demandas históricas. Sejam aquelas que se perpetuavam em intermináveis processos judiciais e o prefeito preferiu o caminho do acordo, seja pela não perseguição a adversários políticos tão costumeiras em terras heliopolenses ou pelo diálogo respeitoso mantido com os servidores.
Some-se as ações acima citadas à construção de duas quadras poliesportivas ( comunidades de Cajazeiras e Serra dos Correias), finalização e funcionamento da creche modelo pro-infância, aquisição de máquina de Xerox altamente potente  e mobiliário para a Secretaria de Educação  e escolas municipais, reforma das Escolas, aquisição de transporte escolar, adesão a diversos programas nacionais e estaduais (Mais Educação, Programa de Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), PBE, PBA, Formação para Escola, PDDE, PDDE INTERATIVO, PDDE CAMPO, ESCOLAS SUSTENTÁVEIS, ACCESSÍVEIS, etc. Não se pode deixar de destacar também que muitas crianças não precisam “meter o pé na lama” para ir à escola porque as ruas onde moram estão devidamente pavimentadas ou em fase final de pavimentação (a prefeitura municipal  pavimentou ou está pavimentando cerca de uma dúzia de ruas da cidade de Heliópolis).
A educação de Heliópolis hoje enfrenta problemas? Óbvio! Se eu fosse escrever sobre eles, acredito que 10x10 artigos desses não fosse suficiente para expressá-los, tamanha é a carência e a necessidade da rede municipal de educação. Porém, negar que em dois anos e meio da gestão de Ildefonso Fonseca (ILDINHO) não tivemos uma significativa melhora é sofrer de miopia política ou cegueira de bom senso mesmo. 
É preciso urgentemente compreender que a tarefa de reconstruir a educação do Município é muito maior que a vaidade de um gestor para perseguir adversário ou a besteira deste ou daquele servidor que não quer colaborar e fica na torcida do quanto pior melhor, sonhando em um dia ocupar momentaneamente um cargo na administração pública municipal. A educação de nossas crianças é muito mais importante que o egoísmo nocivo da vida pessoal e dramaticamente ruim da vida coletiva. Quem ensina isso é a História.