Exclusivo!

Juiz recebe 500 mil de salário. Direito ou privilégio?

Mirko Vincenzo Giannotte recebeu 503 mil em salários. Direito ou privilégio? A pressa em divulgar uma notícia pode levar um jornalista ...

Novidade

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Professores enfrentam decisão judicial e mantêm a greve

Sintese sinaliza usar imposto sindical para manter a greve
Professores desafiam ato judicial e grave continua (foto:INFONET)
Em assembleia realizada nesta segunda-feira, 25, os professores da rede estadual de ensino decidiram manter a greve, apesar da existência da liminar que considera a greve ilegal e determina o retorno das atividades. Com a manutenção da greve, Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Sergipe (Sintese) pode pagar multa de R$ 10 mil por dia de descumprimento da liminar. A presidente do sindicato, Ângela Melo, afirmou que o imposto sindical poderá ser usado para sustentar a greve dos professores.
Durante a assembleia, a presidente disse ter assinado o ato de ilegalidade e demonstrou indignação com o desembargador. “É lamentável o senhor José dos Anjos, que já foi professor da rede pública, ter expedido essa liminar sem ter ouvido as duas partes”, disse.  O Sindicato convocou os professores para ato em frente ao Tribunal de Justiça de Sergipe nesta terça-feira, 26, às 8h, em protesto a liminar expedida pelo Desembargador José dos Anjos. Na quarta-feira, 27, haverá outro ato no Palácio dos Despachos, também às 8h, junto com outros sindicatos dos servidores públicos do estado.
Greve
Professores da rede pública entraram em greve no dia 18 de maio reivindicando ao Governo do Estado pagamento de reajuste do piso salarial em 13,01%, além de melhorias nas condições de trabalho. De acordo com o Sintese, o governo alega não ter condições de pagar o piso e as tentativas de acordo não avançaram.
Governo
Em última entrevista ao Portal Infonet, o secretário de comunicação do Governo do Estado, Sales Neto, explicou que neste momento, o governo não tem condições de atender às reivindicações do Sintese porque ainda é preciso fazer a contabilidade do primeiro quadrimestre e que somente após essa ação, é que será possível avaliar as condições de atendimento aos professores.

Por Ícaro Novaes e Verlane Estácio (Portal INFONET)