Exclusivo!

Polícia Militar faz cerco a veículos irregulares

Sargento PM Cunha palestra no CEJDS (foto: Landisvalth Lima) O comandante do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, Sargento C...

Novidade

segunda-feira, 18 de maio de 2015

A hora da reforma política

Começa a reforma política na Câmara dos Deputados em Brasília nesta terça-feira. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), criticou o parecer elaborado pelo deputado Marcelo Castro (PMDB-PI). O documento traz algumas mudanças ao atual sistema político, entre elas o fim da reeleição e a criação do chamado "distritão". Para se entender, acaba o voto proporcional e serão eleitos os mais votados. Em Heliópolis, por exemplo, na última eleição municipal, Zé do Sertão entraria no lugar de José Clóvis, se essa regra fosse aplicada. Depois de mais de três meses de discussão ainda há falta de consenso. Parece que a única coisa que tem maioria definida é o fim da reeleição. Falam em eleição de 2016 para só 2 anos de mandato, eleições gerais em 2018, com mandato de senador de 10 anos e os demais em cinco anos.
Muitos políticos estão temerosos com o “distritão”. Acham que determinará o fim dos partidos, porque não haverá representatividade num sistema em que a proporcionalidade dos votos dados a cada legenda não signifique nada. Quanto à extensão do mandato dos senadores de oito para dez anos, chegou-se a falar em até redução para cinco. Outros apoiam dez anos, mas sem reeleição. Já há uma maioria que deseja o fim da suplência sem voto. O suplente seria o 2º mais votado. Também há pessoas ainda falando em prorrogação dos atuais mandatos até 2018, para prefeitos e vereadores atuais. Outro assunto polêmico será o financiamento de campanha. Querem transformá-lo no responsável pela corrupção no país.
Dinheiro para Salvador
O Ministério da Integração Nacional liberação R$ 1,7 milhão para obras e serviços em Salvador para reparar danos das chuvas, que ainda não cessaram. Tem gente que acha mesmo que é muito dinheiro. Só para material gráfico do candidato Rui Costa, do PT, foi liberado, de uma só vez na campanha, 20 vezes mais que este valor em propina de uma empreiteira. Os recursos liberados são para execução em 180 dias, mesmo com a emergência de uma capital problemática, com 20 mortes e mais de 500 pedidos de socorro da população. Essa verba daria para, no máximo, uma semana. É o reconhecimento do governo Dilma a uma capital que lhe deu uma vitória espetacular.
 Jogo sujo
A propaganda disseminada nas redes sociais, promovida pelo Governo de Sergipe, informando que há professores que recebem 10 mil reais, é o típico jogo sujo. E isto esquentou a briga entre o Sintese e a Secretaria de Educação de Sergipe. Corajoso, Joel Almeida, da comunicação do Sindicato, abriu seu contracheque. Ele tem dois vínculos como professor e recebeu 1/3 de férias, e ainda antecipação de parcela do 13º, num único mês nos dois vínculos. Usaram tudo isso como se fosse o salário mensal de um professor. Descoberta a farsa, agora os prepostos da Seed vivem a dizer que não são os articuladores do jogo sujo. O saci-pererê acredita.
Vereador vingativo
O presidente da Câmara Municipal de Heliópolis, vereador Giomar Evangelista, tem dedicado os seus dias úteis a procurar defeitos, rombos, maracutaias, desvios e outros senões em quaisquer coisas administradas pela vereadora Ana Dalva. Virou uma obsessão do edil. Esta semana ele descobriu que Ana Dalva dava adicional a alguns funcionários que ultrapassavam suas horas regulamentares de trabalho. Quer “explicações” da ex-presidente para tamanha “irregularidade”. Na verdade, Giomar procura desesperadamente alguma coisa que o livre de um possível processo ou, no mínimo, de uma retratação das besteiras que ele andou dizendo em Plenário contra a atual secretária de saúde e ainda mandou registrar em Ata. Seria bom que o vereador tivesse o mesmo empenho em descobrir as maracutaias que envolvem a Operação 13 de maio, sem a preocupação de ser vingativo, colocando o seu mandato a serviço, de fato, das pessoas.