Exclusivo!

TCE fará evento no CEJDS

TCE quer alunos praticando cidadania (foto: divulgação)      O Tribunal de Contas do Estado da Bahia – TCE – está desenvolvendo o pr...

Novidade

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Violência na Bahia: mais treze pessoas morrem

PM foi recebida a tiros por grupo de 30 homens. Durante o confronto, 15 pessoas ficaram feridas e foram socorridas para o Hospital Roberto Santos
A luta contra os bandidos está virando guerra na Bahia (foto reprodução: Record)
Uma troca de tiros no Cabula, em Salvador, deixou pelo menos 13 pessoas mortas e três feridas na madrugada desta sexta-feira (6). De acordo com a Central de Polícia, o tiroteio aconteceu por volta das 4h, na Estrada das Barreiras, entre um grupo com cerca de 30 homens e uma guarnição da Polícia de Rondas Especiais (Rondesp Central).
Segundo a Polícia Militar, a guarnição da Rondesp recebeu a informação de que o grupo planejava arrombar uma agência bancária na Estrada das Barreiras. A PM encontrou um veículo abandonado durante uma ronda na área, e ao investigar a denúncia, percebeu que cerca de 30 homens estavam escondidos em uma baixada.
A guarnição foi recebida a tiros, e um sargento da Rondesp foi atingido de raspão na cabeça. A PM revidou e feriu 16 homens durante o confronto. Eles foram socorridos para o Hospital Roberto Santos. Das vítimas, doze não resistiram aos ferimentos e morreram após dar entrada na instituição. Já nesta manhã, mais uma delas morreu. Entre elas estava um adolescente.
O sargento baleado durante a troca de tiros também foi socorrido, medicado e liberado ainda na manhã desta sexta-feira (6). Segundo a Polícia Civil, todas as vítimas eram do sexo masculino. As outras três pessoas feridas no tiroteio continuam internada na unidade médica. Dois passaram por cirurgia e estão em estado grave. O terceiro homem não corre risco de morrer.
De acordo com a PM, junto com os criminosos foram encontrados uma grande quantidade de drogas ilícitas e 16 armas, muitas de calibre restrito. O policiamento foi intensificado na Estrada das Barreiras para impedir retaliações ou ameaças à população do bairro.
A identidade dos envolvidos ainda não foi divulgada pela polícia. Os corpos das vítimas fatais serão encaminhados ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Salvador, onde deverão passar por perícia. 
 Secretário defende ação
O secretário de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP/BA), Maurício Barbosa, defendeu a ação da Polícia Militar durante um confronto na Estrada das Barreiras, no bairro da Cabula, na madrugada desta sexta-feira (6), que terminou com 13 mortos e três feridos.
"A polícia deve agir com rigor, deve ser dura. Lógico, sem ser arbitrária. Mas atuando com firmeza", disse Barbosa ao ser questionado sobre o caso durante uma coletiva no Hotel Pestana, voltada para divulgar a operação de segurança do Carnaval de Salvador. "A atuação da polícia foi muito enérgica nesse ponto", reiterou o secretário, que revelou que o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso, mas que informações preliminares apontam que todos os homens feridos participaram da troca de tiros.
"O Estado tem de atuar de forma enérgica no combate à criminalidade e ao crime organizado", afirmou Maurício Barbosa. "Eu defendo muito a vida dos meus policiais, e isso para é o que importa: a vida dos policiais e a vida da sociedade, que está sofrendo com essas ações delituosas", lamentou.
Junto com os criminosos a polícia encontrou uma grande quantidade de drogas e 16 armas, muitas de grosso calibre, assim como pelo menos cinco fardas do exército. Além disto, diversos veículos que podem ter participados de assaltos também foram apreendidos pela polícia. Ainda segundo o secretário da SSP, a suspeita é de que o arsenal teria sido utilizado em ações criminosas que visavam agências bancárias. O DHPP investiga se o grupo participou de outros assaltos a bancos, entre eles o do terminal de autoatendimento do Banco do Brasil, no Posto-Escola BR que fica na avenida Tancredo Neves, no bairro do Stiep. "A criminalidade que quiser enfrentar a polícia também vai encontrar uma polícia que vai dar uma resposta à altura", assegurou o secretário. 
       Informações do CORREIO.