Exclusivo!

Novo Triunfo é a cidade mais pobre do Brasil

Novo Triunfo é a cidade mais pobre do Brasil (foto: Google) Ser Nordeste duas vezes não é fácil. Nossa região está localizada no Norde...

Novidade

domingo, 25 de janeiro de 2015

Herança maldita de amigo ou a saga dos 170 cheques

                                             Landisvalth Lima
Vereador José Mendonça Dantas
Após publicar a última postagem sobre o atraso no pagamento dos vereadores, houve uma romaria ao Banco do Brasil de Poço Verde-Se. A correria era justificável porque o vereador Giomar Evangelista queria pagar seus comandados. Ocorre que quando ele chegou ao banco já sabia que a única possibilidade de realizar pagamentos era com cheques. Só que havia mais de 170 cheques que não foram dados baixa, ou devolvidos. Tudo estava bloqueado. O novo presidente, de forma arrogante, liga para Ana Dalva e diz que ela não cumpriu com sua obrigação e os pagamentos não poderiam ser feitos, já que Mário Almeida, o contador, e Fernando Dantas, o Tesoureiro, não providenciaram as baixas dos restantes dos cheques do Legislativo. Indiretamente chamou-os de irresponsáveis.
Ana Dalva engoliu em seco, mas disse que havia algum equívoco pois ela tinha certeza de que deixou tudo dentro das normas. Pelo sim pelo não, ligou para Mário e Fernando e foram para o banco resolver o imbróglio. Lá, os funcionários do BB confirmaram que as baixas dos cheques da administração Ana Dalva foram todos devidamente informados e registrados. Então, onde estava o problema? Havia de fato mais de 170 cheques que não foram devolvidos ao banco na época da administração do vereador José Mendonça Dantas. Herança maldita de amigo, ou de aliado, ou até de companheiro. A gerência do banco acabou por desbloquear os pagamentos, mas o problema está lá para ser resolvido. Será que o vereador Giomar vai declarar que Mendonça é irresponsável? Só espero que ele não resolva usar o símbolo do PCdoB no companheiro comunista!
Movimento Sol Nascente
Grupo quer melhorar a fiscalização dos recursos públicos
Ainda não joguei a toalha, mas poucas são as coisas no mundo heliopolitano que ainda me fazem acreditar numa sociedade melhor no futuro. Mas fui convidado para uma reunião de um grupo que pretende criar uma lei que melhore a fiscalização da aplicação dos recursos públicos no município de Heliópolis. Quem primeiro me convidou foi o professor Gilberto Jacó. No dia seguinte, Zé Mário reforça o convite. Não poderia deixar de ir. O encontro foi na Câmara Municipal neste sábado (24). Saí de lá com alguns gravetos jogados na minha pequena chama de esperança.
O grupo nasce com o nome de Movimento Sol Nascente e é formado por pessoas da sociedade, na sua maioria professores. Não é fechado. Está aberto à participação e contribuição de todos. A ideia inicial é mobilizar a população para apresentação de um Projeto de Lei que obrigue os gestores públicos de todos os segmentos a deixar uma cópia das prestações de contas na Câmara de Vereadores para apreciação do público. Seiscentas assinaturas serão suficientes, e será seguramente o primeiro projeto de Lei de iniciativa popular do município.
Grupo foi denominado Movimento Sol Nascente
Não se tratam apenas de prefeitos e vereadores que ficarão obrigados a deixar suas prestações de contas no Legislativo para análise pública. Sindicatos, associações, escolas e afins. Tudo que envolver recursos públicos. A ideia é criar um mecanismo de facilitação da fiscalização e do controle dos recursos públicos. Hoje, somente a prefeitura e a Câmara são abrigados a isso, mesmo assim uma única vez por ano. Pelo projeto, essa obrigação será mensal. O grupo tomou o cuidado de não parecer algo contra os gestores atuais. Por isso ficou decidido que a data para a futura Lei entrar em vigor será 1º de janeiro de 2017. 
O Movimento Sol Nascente – na luta pela transparência da gestão pública do município de Heliópolis – terá quatro comissões. A redação da lei ficará a cargo de José Mário Nunes, Landisvalth Lima e Antônio Valter. A equipe de mobilização será formada por Gilberto Jacó, Célio Gonçalves, José Carlos Souza, Alcidésio da Silva, Emanoel Alves e Jurandir Rodrigues. Outro grupo ficará focado no processo de comunicação, com Joseilson Alves, José Quelton, Gilvândio Alves, Marcondes Pinho, Ricardo Nascimento, Antônio Marcos de Oliveira e Adilson Nobre. Por fim, o grupo de apoio administrativo: Magnoélio dos Santos e Iranildo Oliveira. O próximo encontro está marcado para o próximo sábado (31), às 9:00 horas, na Câmara Municipal de Heliópolis.