Exclusivo!

Rede com nova direção na Bahia

Os novos dirigentes da Rede na Bahia (foto: Landisvalth Lima) O partido Rede Sustentabilidade elegeu neste domingo (10) a sua nova com...

Novidade

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Giomar foge de procurador e obra da Câmara de Heliópolis é embargada

Obra da Câmara Municipal iniciada sem Alvará
O final de 2015 não poderia passar sem que o vereador Giomar Evangelista praticasse mais de uma das suas lambanças à frente do Legislativo Municipal. Desta vez, o presidente da Câmara Municipal de Heliópolis deixou o procurador do município, Dr. José Adelmo Matos, falando sozinho, depois de se recusar a receber um documento da Prefeitura Municipal de Heliópolis. Tudo está registrado num vídeo feito pelo próprio procurador, publicado nesta postagem.
Para entender tudo, é preciso voltar um pouco no tempo. Giomar Evangelista rasgou mais uma vez todas as normas regimentais do Legislativo ao arquivar uma Emenda Orçamentária Modificativa do QDD – Quadro Direcionador de Despesas – da rubrica orçamentária da Câmara Municipal de Heliópolis, para o ano de 2016. O vereador dirigente ignorou simplesmente todas as etapas do processo e, sem ouvir ninguém, arquivou a propositura assinada pelo vereador José Emídio.
Para completar o drama político, algumas atas de sessões foram rejeitadas pelo Plenário e o vereador as ignorou completamente. Nem providenciou a feitura de outra ata, nem corrigiu as eventuais dúvidas. Para efeito de tudo, estas sessões são consideradas nulas porque o documento oficial de registro não foi oficializado pelos vereadores. As sessões em questão são exatamente aquelas que envolvem o arquivamento da emenda ao Orçamento. Para burlar o que decidiu a maioria, Giomar Evangelista mandou o projeto de Lei Orçamentária Anual para ser sancionado pelo prefeito, antes de estar completamente aprovado.
Para evitar um imbróglio jurídico, o prefeito Ildefonso Andrade Fonseca pediu as atas das sessões questionadas antes de sancionar a Lei. Foi este documento que o vereador se negava a dar como recebido, alegando que a câmara estava em recesso, de 23 de dezembro de 2015 a 04 de janeiro de 2016. Além disso, a portaria que determina o dito recesso deveria estar assinada pelo presidente e pelo 1º secretário da Câmara Municipal, como manda mais uma vez o Regimento Interno. Giomar decidiu tudo sem sequer comunicar ao vereador Valdelício Dantas da Gama. No vídeo, o procurador alega isso e Giomar se limita a dizer que a Portaria foi baixada e acabou.
Faltou ao presidente da câmara, no mínimo, educação. Não precisava nem ser gentil. Assinava tudo como recebido com os devidos carimbos e deixava para resolver depois do dia 4 de janeiro. Sabendo que estava fazendo coisa errada, ligou sua motocicleta e fugiu. Deixou o procurador falando sozinho.
Orçamento vetado
Para evitar que o município fique sem orçamento, o prefeito Ildinho sancionou a LOA – Lei Orçamentária Anual – vetando o QDD da Câmara Municipal de Heliópolis por não conter uma rubrica destinada ao recolhimento do INSS dos servidores da casa. Este blog está dando uma ajudazinha ao presidente, para que ele não alegue que não sabia de nada. É bom lembrar que Giomar terá que convocar os vereadores para derrubar ou manter o veto, agora em janeiro.
Suplementação
Não se sabe se o vereador Giomar tem comportamento cínico ou aloprado. Na briga pela aprovação da LOA de 2015, a mesa diretora batia firme em liberar apenas 20% para Suplementação no Orçamento. Depois teve aquela confusão com a convocação em julho para aumentar esta margem. Giomar ignorou a convocação do prefeito Ildinho, mas o vereador Valdelício, como 1º Secretário, abriu a sessão, discutiu o projeto, convocou sessões extraordinárias e aprovou a nova margem de suplementação, permitindo ao prefeito pagar os funcionários e os compromissos da municipalidade. O vereador Mendonça, como mostra o vídeo acima, tentou acabar com tudo. Já o vereador Giomar se limitava a dizer que as sessões não tinham nenhum valor porque não foram presididas por ele. Agora, no final do ano, com as contas apertadas e necessitando de mais margem de suplementação, o presidente todo-poderoso resolveu assinar um decreto alterando a margem de suplementação no Poder Legislativo. Ele deveria solicitar isso ao Poder Executivo, baseado na Lei aprovada nas sessões vistas por ele como ilegais. Talvez envergonhado, resolveu assinar um decreto incomum e ainda teve a audácia de iniciá-lo como se prefeito municipal fosse. Não dá para saber se é uma comédia, uma tragédia ou uma farsa.
Obra embargada
Para fechar o ano com chave de ouro, o presidente que mais trabalho está dando ao judiciário baiano resolveu iniciar uma obra de ampliação do prédio da Câmara Municipal sem o Alvará da Prefeitura Municipal e sem o CREA. Giomar trata o bem público como se fosse a ampliação de uma bodega numa terra sem lei. Ele se acha a lei. O prefeito municipal está embargando a obra e questionando a atitude do vereador nas instâncias jurídicas cabíveis.
Cabo eleitoral
O prefeito Ildefonso Andrade Fonseca fecha o ano de 2015 com um saldo bem positivo. É claro que as realizações administrativas ajudaram sobremaneira, e só isso já seria suficiente para dizer que a administração é bastante positiva, mesmo que saibamos que ainda há muito a ser resolvido. Agora, boa parte hoje da popularidade do prefeito Ildinho ele deve ao vereador Giomar Evangelista. Dizem que também Diego Rosário contribuiu, mas foi só um besteirol. Já o presidente da câmara produziu caçambadas de idiotices ao longo de 2015. Uma delas foi não ter pago os salários da vereadora licenciada Ana Dalva. Por falar nisso, o pagamento ainda não foi feito.    

domingo, 27 de dezembro de 2015

Resultado prova final LPLB do CEJDS

Relação dos alunos aprovados na PROVA FINAL de LPLB do CEJDS, realizada em 23 de dezembro de 2015.
                      
1º ano A                    
                      
Denise Santana Fontes                       
Irla Santos Nascimento                       
Jonathas Silva Santos                           
Noélia Matos Alves               
                      
1º ano B                     
                      
Eduardo Oliveira Mendes                  
Milena Santos Rosário                         
                      



1º ano G                             
                      
Aline Nazário dos Santos                    
Amanda Gama Nascimento                              
Amanda Santos Lima                            
Danila Menezes                     
Elenilda de Jesus Santana                  
Maria Palloma Gois Araújo                
Raícia do Nascimento Silva                
                      
2º ano A                    
                      
Carla Souza Ferreira Santos                              
Claudiana Dias Leal               
Iracema de Souza Torres                    
Josivânia dos Santos                            
Kaiany Barbosa Bispo                           
Maria Eleilza da Silva Alves               
Reilane Oliveira Sousa                         
Renata Rodrigues Lima                        
Rúbia Souza de Oliveira                      
Ruth Neves Santos               
Sued Maurício                         
Vinícius Santos Conceição                  
Vinícius Santos Ribeiro                        
William Nascimento Rodrigues                       
                      
2º ano B                     
                      
Alice Silva Alves                     
Amanda Bnevides de Andrade                        
Caroline Gomes Fonseca                   
Iasmim de Oliveira Gama                   
João Carlos Maciel de Jesus                              
José Venâncio Sales Batista               
Josefa Shirley de Jesus Santos                         
Karen Uanna B. Gama                         
Larissa Gama Messias                         
Larissa Santana Santos                        
Moisés Santos Neves                          
                      
3º ano A                    
                      
Karina da Silva Nascimento     (REDAÇÃO)                  
                      
3º ano B                     
                      
Airla Gonçalo Gama                             
Bianca Andrade Mendes                   
Camila Pinho Gama                              
Janile Matos Lino de Oliveira                            
Mírian de Oliveira Silva                       
Ramon Gama Oliveira                          
Taiara de Araújo Alves                        
Thaís Reis Sales                      
Wiliagno Oliveira Santos                    
Wmiran Ferreira Oliveira                    
                      
3º ano C                     
                      
Ana Flávia Ribeiro de Castro                             
Derivan Santos Souza                          
Djânia Santos Cordeiro                       
Fabiana Santos                       
Geonice de Santana                             
Jéferson Santos Santana                    
José Adelmo de Jesus Maciel                           
Josefa Jaqueline Alves Lima                              
Laiana Sousa de Santana                    
Luísa Santana dos Santos                   
Macigleide Alves Gonçalves                             
Maria Gabriele Souza Costa                              
Maria Jaine Ferreira Gama                
Mariele Rodrigues Santos                  
Mateus Santos Silva                             
Rivaldo Santos Andrade                     
Tainar Fernandes da Silva                  
Tamires Batista dos Santos               
Tamires Gonçalves Alves             

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Um pouco da história de Heliópolis

Romeu sem Julieta

                                                  Landisvalth Lima
Não vou aqui aterrorizar o leitor com a já cansada história de que o Brasil tem futuro incerto com a situação econômica em que estamos vivendo. É verdade que a coisa está feia. Diria, para ser mais claro, catastrófica. Não se pode acreditar no futuro de uma nação que perde quase um milhão de empregos em um ano. Mas isso afeta muito mais os brasileiros que o Brasil. O país hoje depende dos investidores internacionais, da classificação de agências, do sobe e desce do Dólar e da Bolsa de Valores. Quando isso falha é que nós entramos com a nossa força de trabalho para pagar a conta do rombo. Nós somos o Romeu e a nação é a Julieta.
Somos Romeu porque acreditamos que a impossibilidade de ser feliz com a nossa Julieta é a briga secular entre as duas famílias: o capital e o trabalho. Daí aceitamos pagar 400% de juros no cartão de crédito e na conta do cheque especial. Somos, todos os anos, obrigados a pagar uma carga monstruosa de impostos e, comodamente, procuramos artifícios para diminuir o aprofundamento da facada em nossos orçamentos.
O personagem Tyrion Lannister, o anão das Crônicas de gelo e fogo, de George R. R. Martin, diz a Jon Snow, o bastardo de Eddard Starck, que a maioria dos homens prefere negar uma verdade a encará-la. Quantos milhões acreditaram que, com as grandes privatizações do governo FHC, teríamos uma Julieta cada vez mais eternamente nossa. Não preciso nem aqui falar do milagre econômico do regime ditatorial. Está bem fresquinho em nossa memória a Julieta perfeita que nos disse o Lula. A paixão é cega e a realidade cruel. Machado de Assis sempre nos disse que era melhor cair do décimo andar que do terceiro. Quem não se lembra da mão do Collor destruindo toda a corrupção e os salários de marajás? Hoje, Collor e Lula juntos, defendendo os mesmos interesses. Era melhor o décimo andar!
É a nossa paixão de Romeu que faz um professor, por exemplo em Sergipe, depois de ter sido usurpado em 22,22% de aumento legal, ir para as ruas pedir votos para o mesmo governante que se negou a seguir a lei. E é este mesmo professor que vai para as ruas dizer que o impeachment é golpe, mesmo estando claramente exposto em lei, e ainda vendo que o partido que está sendo impichado é aquele que usou o mesmo recurso no passado contra adversários. E nem preciso usar aqui os exemplos dados pelos professores da Bahia que, depois de uma greve histórica de mais de 100 dias, optou por votar no partido que usurpou os seus direitos. Agora, em pleno Natal de 2015, o governador baiano está dando um novo presente aos professores e servidores, retirando direitos. Não será nenhuma surpresa se os mesmos professores, em rebeldia libertadora, caírem nas ruas em marcha e votarem maciçamente em ACM Neto, desafiando o presente com o filho repaginado do passado. É a glória!
Tudo isso porque Romeu está dominado pelo fogo da paixão. Ele tem consciência de que o país está um caos, que a corrupção está reinando, mas não é para tirar a Dilma. Até porque, o Moro não está sendo justo. Por que ele não prendeu os outros corruptos do passado? Por que ele não prendeu os assassinos de Ché Guevara, de Getúlio Vargas, de Zumbi dos Palmares? E a política econômica? Não, a culpa é do Levy. Ele é o representante do império capitalista americano. Agora, demitido, tudo vai mudar. Teremos finalmente a nossa Pátria Educadora. Pasadena? Dilma foi enganada. A corrupção na Petrobrás? Tudo armação do Cunha. É bom lembrar que tudo começou com o PSDB. E as doações de campanha? Tudo foi feito de forma legal e aprovado pelo TSE. Mas há um processo em andamento e a chapa poderá ser impugnada. Além disso, o TCU negou por unanimidade as contas da presidente em 2014 e ela ainda continua praticando as pedaladas em 2015. Nunca houve pedaladas, nem petrolão, nem mensalão. É tudo coisa da Globo, da Istoé, da Veja, da Época, da grande imprensa golpista e do blog do professor. Temos que barrar o Cunha! Mas ele não está sendo acusado também de corrupção na Petrobrás? Como não há petrolão? Ele não deveria ter assinado o impeachment. Além disso, abriu uma conta na Suíça. Por que não fez isso na Caixa Econômica? Ele é contra o Brasil, companheiros!
É. O Romeu não enxerga. Ele deseja sua Julieta. Está cego de amor e será capaz até de, num ato de desespero, pensar que ela morreu. Nada! É só um sonífero! Está apenas dormindo, dominada por banqueiros, empreiteiras, especuladores, falsos trabalhadores, falsos socialistas e corruptos de todos os naipes. Mas Romeu não acredita. Para ele, os problemas são todos causados pela elite, pela imprensa golpista. Se perder a esperança, Romeu poderá se matar ao pensar em sua Julieta morta. Não faça isso, Romeu! Julieta não morreu nem morrerá. Na peça de Shakespeare, ela acorda do sono profundo e vê o amado morto por pensar que a amada estava morta. Na vida real, Julieta poderá apenas providenciar o auxílio funeral, depois da entrega rigorosa dos documentos exigidos em Lei. Dê-se por satisfeito com a continuação do pagamento do Bolsa família aos seus e/ou do benefício da pensão à viúva real. 
A Julieta nunca foi tua, Romeu. Nem mesmo a seleção da Julieta.  

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Ponto Cidadão em Cícero Dantas

A Secretaria da Administração (Saeb) e o Governo do Estado inauguram nesta segunda-feira, 21, o Ponto Cidadão do município de Cícero Dantas. A nova unidade compacta do Serviço de Atendimento ao Cidadão – SAC é a vigésima da Rede e vai oferecer serviços como a emissão da carteira de identidade (RG), carteira de trabalho (CTPS), CPF e antecedentes criminais. A cerimônia de inauguração será realizada às 11h, na Praça Raimundo Borges de Santana, s/nº, Centro, onde está instalada a unidade.
Os cerca de 35 mil habitantes de Cícero Dantas serão beneficiados com o novo Ponto Cidadão, que terá funcionamento de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h. A população de Ribeira do Pombal, Banzaê, Heliópolis, Fátima, Sítio do Quinto, Euclides da Cunha e Antas - cidades circunvizinhas, também poderão procurar a unidade para atendimento dos serviços oferecidos. O Ponto Cidadão de Cícero Dantas terá capacidade de ofertar pouco mais de três mil atendimentos por mês. 
A inauguração do Ponto Cidadão trará mais conforto à população de Cícero Dantas, que além de não precisar se deslocar para outras unidades da Rede SAC, percorrendo mais de 100 quilômetros, ganha também em celeridade. “Antes, o cidadão tinha que aguardar a emissão de uma carteira de identidade por até 120 dias. Com a instalação do Ponto Cidadão de Cícero Dantas, em até 15 dias o RG será entregue ao usuário”, explica o secretário da Administração, Edelvino Góes. 
O Ponto Cidadão foi construído em uma área de 53m2 e foi viabilizada graças a uma parceria entre a Saeb e a administração municipal. A unidade contará com uma equipe multifuncional, capacitada e credenciada para oferecer atendimento ao cidadão para os serviços da Setre/CTPS, Ceprev/Saeb, CDEP/SSP e IIPM/SSP. 
Atualmente, além do Ponto Cidadão de Cícero Dantas, a Rede SAC conta com 57 unidades de atendimento em todo o território baiano, sendo 35 postos fixos na capital e interior do estado, 19 Pontos Cidadão e três unidades do SAC Móvel. O último Ponto Cidadão entregue foi instalado em Caetité, em julho deste ano, ampliando a capacidade de atendimento em todo o estado.
Assessoria de Comunicação Social da SAEB.

Giomar sentenciado

Giomar tem primeira derrota
O presidente da Câmara Municipal de Heliópolis perde a primeira das muitas ações impetradas contra os seus atos, deste quando assumiu a mesa diretora, em janeiro deste ano. Ele tem 72 horas para pagar os subsídios da vereadora licenciada Ana Dalva.
Não foi por falta de aviso nem de conselho. O próprio Tribunal de Contas já havia se manifestado ao afirmar que a vereadora Ana Dalva, quando se licenciou para assumir a secretaria de saúde, poderia optar em continuar recebendo seus vencimentos como vereadora. Nesta sexta-feira, em decisão proferida pelo Juiz José de Souza Brandão Neto, da Comarca de Cícero Dantas, Giomar Evangelista está sendo sentenciado a quitar toda a dívida em 72 horas, sob pena de pagar multa diária de 1 mil reais.
Dr. Brandão Neto foi categórico ao dizer que “A ilegalidade do ato da Autoridade coatora consiste em se eximir de efetuar o pagamento referente aos subsídios da Impetrante, consoante previsão no §3º, art. 56, da Constituição Federal c/c § 3º, art. 87 da Constituição do Estado da Bahia c/c §4º, art. 48 do Regimento Interno do Poder Legislativo de Heliópolis. ” E vai mais além quando afirma que “Sustenta que além do princípio da Simetria Constitucional o artigo 48 do Regimento Interno da Câmara de Vereadores do Município de Heliópolis estabelece claramente que o Vereador que assumir alguma secretaria municipal pode optar pela remuneração da vereança.”
Na verdade, Giomar Evangelista está usando o cargo de presidente da Câmara para engendrar sua vingançazinha contra o prefeito Ildinho e contra a vereadora. Mesmo assim, o magistrado ainda optou por ouvir o que tinha Giomar a dizer. E disse:  “O Impetrando prestou as informações, mas que não foram capazes de justificar o ato para elidir o direito da Impetrante, que novamente se manifestou pugnando pelo deferimento da liminar em caráter de urgência.”
Daí em diante, o Dr. Brandão Neto encontrou jurisprudência e inúmeros elementos para pontuar sua decisão. Disse: “ Observo que a Jurisprudência e a legislação que regem a matéria desde a Carta Magna Federal e Estadual bem assim o Regimento Interno da Câmara de Vereadores garantem à Impetrante o direito de optar por receber o subsídio do mandato parlamentar. Resta patente esse direito da Impetrante em optar pela remuneração do mandato para o qual foi escolhida e eleita pela população do Município de Heliópolis, devendo o Presidente da Câmara Municipal se abster imediatamente do atual comportamento e passar efetuar os pagamentos dos subsídios da Impetrante. ”
Ao fim, o magistrado sentencia: “ Ante o exposto, presentes os requisitos do "fumus boni iuris" e "periculum in mora", CONCEDO A LIMINAR pleiteada e DETERMINO que o Impetrado cumpra o §3º, art. 56, da Constituição Federal c/c § 3º, art. 87 da Constituição do Estado da Bahia c/c §4º, art. 48 do Regimento Interno do Poder Legislativo de Heliópolis, procedendo COM O PAGAMENTO DOS SUBSÍDIOS DA IMPETRANTE, inclusive os valores retroativos desde à data da Impetração deste remédio constitucional, no prazo de 72 horas, sob pena de multa diária no valor de R$ 1.000,00 (um mil reais), a ser suportada pelo patrimônio pessoal do Impetrado.” Ou seja, a multa não será paga pelo erário público, mas por Giomar Evangelista. 
Espera-se, a partir de agora, que o vereador tenha um comportamento de Presidente do Poder Legislativo de Heliópolis, que seja um guardião da Carta maior do país, da Constituição do Estado da Bahia, da Lei Orgânica do município de Heliópolis e do Regimento Interno da Câmara Municipal. É para isso que se elege pessoas num estado democrático de direito. Não se pode fazer de um cargo desta magnitude agente de comportamentos bestiais, instrumento de vingança ou estímulo para realização de falcatruas e/ou atos ditatoriais.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Perseguição policial e morte em Heliópolis

O Corsa dirigido por José Marcondes (foto: Ana Lúcia)
A última segunda-feira (14) parecia que encerraria calma após os embates da Câmara Municipal. Nada disso. Mais uma vez a cidade é surpreendida com mais uma morte trágica. Por volta de 22:30, os meliantes José Marcondes Santana de Jesus e Ademário Elias dos Santos, moradores da cidade, estavam em um Celta, placa JOG – 8394, licença de Salvador-Ba, de cor preta, dirigido em alta velocidade pelas ruas do município, ambos embriagados. Provavelmente, no entusiasmo do efeito alcoólico, Ademário efetuo disparos com arma de fogo para cima. A guarnição da Polícia Militar foi acionada e saiu em perseguição ao veículo.  
Segundo informou o Dr. José Nilson Carvalho Tavares Leite Filho, delegado titular desde 2013 do município, ao ver o carro da polícia, saíram em disparada. Durante a fuga, Jose Marcondes, que era condutor do veículo, perdeu o controle do carro no momento da perseguição dos policiais. O motorista Deive Ricardo, Neguinho, que trazia pacientes de Aracaju, quase bateu de frente contra os fugitivos. Teve tempo de desviar o veículo que dirigia para a calçada. Em seguida, o Corsa colidiu violentamente contra uma Retroescavadeira que estava estacionada na rua Emiliano Vicente.
O delegado informou que os próprios policiais deram socorro aos acidentados. Por ter recebido forte pancada na cabeça, e com fratura exposta, Ademário Elias foi levado ao hospital Santa Teresa, de Ribeira do Pombal, mas antes de ser atendido faleceu, pouco depois da meia noite. O corpo ficou no hospital e só foi liberado nesta terça-feira (15), pela noite, para ser encaminhado ao IML de Juazeiro. Mais uma vez fica valendo o senso comum de que bebida e direção não fazem uma boa parceria. Este acidente poderia ter sido evitado, se houvesse um pouco de consciência do condutor do veículo.   
Enquanto isso, o condutor do Corsa, Jose Marcondes, foi encaminhado à Delegacia de Polícia de Cicero Dantas, sendo recolhido e custodiado. Como foi autuado em flagrante, irá responder por porte ilegal de arma e homicídio culposo, colocado à disposição do juiz de Vara Criminal. Nota-se que, apesar de José Marcondes confessar que a arma lhe pertencia, indicou que o autor dos disparos foi Ademário Elias, o falecido. O automóvel Corsa ficou em estado lastimável, quase ao ponto de se imaginar impossível alguém sair vivo do habitáculo do veículo.
Reportagem: Ana Lúcia.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Câmara encerra ano com várias questões na Justiça

Nesta última segunda-feira (14) ocorreu mais sessão na Câmara Municipal de Heliópolis. Começou exatamente às 9:23 e se estendendo até às 13:43. Todos os vereadores estavam presentes e esta foi a última sessão ordinária do ano de 2015. O que poderia ser o encerramento com êxito de um ano de atividades, foi, na verdade, um lamento envergonhado de um poder. É verdade que a Câmara poucas vezes foi efetivamente do povo, mas este ano sua soberania foi vilipendiada. Ela nem mesmo representou um grupo ou uma ideologia. Foi vassala da vontade de um único homem, manipulado por aliados ou contaminado pela ânsia populista de poder.
Como sempre o presidente declarou que a sessão estava aberta, mas não solicitou a leitura da ata ao servidor ou servidora que sempre fez isso. Desta vez quis humilhar o 1° secretário Valdelício Dantas da Gama. Pediu que ele fizesse a leitura da ata da sessão anterior, mesmo sabendo das limitações visuais e linguísticas do edil. Não contente, ainda disse que seria o vereador que faria todas as atas dali por diante. Todos sabem que o 1º secretário é o guardião dos documentos da casa, mas as atas são elaboradas e lidas por funcionários. Valdelício não seria humilhado se ainda fizesse parte do grupo. O vereador Giomar Evangelista não se comportou como presidente da casa. Ao humilhar o colega, colocou em voga a tese mais comum da politicalha do submundo do subdesenvolvimento: só os meus são bons. Valdelício havia solicitado que ele de fato assumisse o cargo de 1º secretário, afastado desde quando aderiu ao prefeito Ildinho.
Após leitura do documento, os vereadores da situação apontaram inúmeros problemas na ata. Após várias discussões, o presidente resolveu finalmente seguir o Regimento e fez as devidas correções. Ao final, a ata foi aprovada por 7 votos a 1. Na sequência, foi aberto o momento dos pronunciamentos. Começa pelo vereador José   Mendonça que reclamou a respeito da saúde, que não foi feito nada referente ao mês de outubro alguma campanha em relação ao câncer de mama, que na educação também estava faltando transporte, que vários alunos estavam vindo a pé para a escola. E soltou uma pérola: “O dinheiro público e para ser gasto para o público em vez de gastar para uns”. Quem não conhece a história de Heliópolis é capaz de pensar que falava um baluarte em defesa do povo. Além disso, em vez de gastar em algo produtivo para o município estava desperdiçando em acessórias e consultorias. Mendonça conta com a falta de memória da sociedade. Ele pensa que ninguém mais se lembra das consultorias da sua época de presidente da Câmara e das consultorias do ex-prefeito, seu cunhado. Mas afirmou ainda que nada está sendo feito pela saúde, que médicos estão sendo demitidos em nome da crise, que várias empresas estão faturando na prefeitura municipal e que para elas não havia crise, que também estão gastando com advogados em vez de pagar o transporte para os alunos e falou de gastos em churrascos nas praias santistas. Enfim, para ele o município está um caos.
Logo em seguida falou o vereador José Emídio, o Zé do Sertão. Este apontou erros da presidência da casa, que nenhum vereador da situação podia fazer seu trabalho no ambiente da Câmara, que não tinham direito a um papel de ofício sequer e disse que o presidente da casa era corruptor da liberdade dos vereadores que não faziam parte do grupo político do PCdoB. Ainda leu três documentos: a emenda que altera o QDD da Câmara Municipal no Orçamento, um Mandato de Segurança impetrado pelos cinco vereadores da situação contra o presidente da casa e uma solicitação do vereador Valdelício Dantas da Gama para, de fato, ser o 1º secretário da Câmara Municipal, porque foi eleito para isso. Zé do Sertão foi extremamente agressivo, principalmente com relação ao vereador Giomar Evangelista e solicitou que o seu pronunciamento fosse registrado na íntegra em ata.
Sem perder o ar de ironia, Giomar Evangelista comunica que o 1° secretário Valdelício agora será o responsável em redigir as atas das sessões. Com a palavra, o vereador Mendonça continua a sua metralhadora de denúncia de gastos e disse que o que estavam querendo era tumultuar a Câmara, como se fosse possível bagunçar algo já quase que irremediavelmente bagunçado. Como complemento, comenta a respeito dos gastos desenfreados com gasolina na área da saúde. Afirmou que, segundo suas contas, estão passando dos limites. O limite não é a lei, é que Mendonça determina. O vereador Ronaldo Santana usa a palavra e chama atenção sobre os gastos de gasolina da saúde, informando que a secretaria de saúde trabalha 24 horas, por todos os dias do mês, e que o vereador Mendonça foi secretário da pasta e deveria saber disso. Mas Ronaldo não perdeu tempo e faz um comparativo da atuação do vereador Mendonça quando presidente da casa, inclusive com a quantidade enorme de consultorias com gastos exorbitantes, inclusive colocando a Câmara ao inteiro dispor do cunhado e ex-prefeito. O vereador Zeic Andrade também fez questão de lembrar a Mendonça os gastos do ex-prefeito Walter Rosário, do PCdoB, com a Festa de São Pedro, com as praças superfaturadas e outras desgraças, o que acabou na Operação 13 de Maio da Polícia Federal. Mendonça respondeu, como sempre, acusando irregularidades na administração atual. 
Concluídos os pronunciamentos, Giomar remente à questão de constituir uma comissão para atuar durante o recesso. Zé do Sertão e Ronaldo Santana se dispõem para ficar. Aí começa uma discussão entre eles sobre se era para indicar ou eleger. Ao final, Giomar Evangelista nomeia o vice-presidente Claudivan Alves e Valdelíco Dantas da Gama, 1° Secretário, e Doriedson Oliveira, 2° secretário, para a comissão. Antes do encerramento da sessão, o vereador Doriedson pede para falar a respeito do pronunciamento de Zé do Sertão em relação a parte que os chama de preguiçosos e negligentes. Daí uma discussão é iniciada e vira bate-boca entre os dois vereadores. O presidente, de forma acertada, finalmente, encerra a sessão, mas os dois continuaram a discutir e quase chegam aos tapas.
E assim o ano termina com quase tudo para ser resolvido na Justiça. A Lei Orçamentária está subjúdice, a vereadora licenciada Ana Dalva está sem receber seus vencimentos e também já apelou para a o judiciário. Em off, o vereador Giomar diz que só paga quando não tiver mais jeito. É a política de terra arrasada, destruindo o município e tirando direito de pessoas em nome da vingança e da vaidade. É quando um só vereador, inchado de poder, resolve rasgar tudo e impor a lei de sua vontade, enquanto seus aliados, como eunucos servis, dobram o tronco e esperam o circo pegar fogo.
Certa vez a vereadora Ana Dalva enfrentou o próprio grupo para impor o que diz a lei: A Câmara é de todos. Interessados em que ela rompesse com o prefeito, recebeu apoio do PCdoB. Na presidência, Ana Dalva cumpriu a palavra. O público tinha acesso a tudo do Legislativo, opositores ou situacionistas. O período áureo está na saudade. Triunfaram este ano, pois, as nulidades, os egoísmos, a falta de ética, a perseguição. Em breve, Giomar Evangelista, José Mendonça, Doriedson Oliveira e Claudivan Alves poderão até afirmar que tiveram vergonha em participar do sucesso que foi o período de 2012 e 2013. Não se duvida que exaltarão a catastrófica passagem do vereador Giomar pela presidência da Câmara, mas eles sabem que foi no período administrado por Ana Dalva que Heliópolis menos teve conflitos, e que eles mais tiveram valor, mesmo depois da catástrofe que foi a administração do PCdoB em Heliópolis. 
Com reportagem de Ana Lúcia e texto final de Landisvalth Lima.

sábado, 12 de dezembro de 2015

Proerd forma turma em Heliópolis

O soldado Lage e o professor Marizan entregam certificados (foto: Ana Lúcia)
Sabe-se que o problema em relação às drogas não é algo recente, mas mesmo assim as pessoas tendem a duvidar que este mal aconteça em sua própria família. E hoje temos total noção de que não há preferência ou determinado perfil para se tornar sua próxima vítima. Tanto ricos como pobres, sem nenhuma distinção, podem entrar neste abismo.
Desse modo, o Proerd - Programa educacional de resistência às drogas - visa prevenir que haja mais vítimas, conscientizando os jovens através de 10 aulas lecionadas por aqueles que têm o melhor conhecimento a respeito do uso de entorpecentes, lícitos ou ilícitos, e que convivem diariamente com diversos casos, que são os policias militares. Por meio disso, os alunos das escolas Waldir Pires, na sede, e Marcelino Borges, do povoado Tijuco, no município de Heliópolis, tiveram essa oportunidade. Eles conseguiram concluir o curso e participaram de uma formatura realizada nesta sexta-feira (11), que começou às 14:00 e se prologou até às 17:00 horas, na Creche Maria Lícia de Andrade.
 No evento, além de agradecer e relembrar em meio a vídeos os melhores momentos, os alunos tiveram o seu reconhecimento merecido. Jose Roger de Souza de Jesus Santana ganhou pela melhor redação; as alunas Beatriz e Sabrina foram os destaques. Rômulo e Wesley representaram suas salas e receberam os certificados. Além disso, houve apresentações proporcionadas por ambas as escolas: uma paródia sobre as drogas de uma música de Zezé de Camargo e Luciano e uma coreografia com “Diga não as drogas”. Também houve espaço privilegiado para apresentação da Banda Musimarcial Helvécio Pereira de Santana, da Prefeitura Municipal de Heliópolis. No final, aconteceu um sorteio com a entrega de vários brindes doados pelos comerciantes da região e pela Câmara Municipal. Antes, abriu-se um espaço para os pronunciamentos.
Marcaram presença os vereadores Ronaldo Santana, José Emídio, José Clóvis, a diretora da Escola Jorge Amado, Renata Soraia, a secretária municipal de saúde Ana Dalva, os instrutores Luciano (Adustina), Luciana (Nova Soure e Cipó) e Sergio Lage (Cícero Dantas e Heliópolis) e o policial civil Wellington (Heliópolis). Também marcaram presença os diretores das escolas Marizan Fonseca, do Waldir Pires, e Dra. Maria, do Marcelino Borges. Prestigiaram ainda o evento o secretário de educação, prof. José Quelton, o presidente da Câmara Municipal de Heliópolis, vereador Giomar Evangelista, e o presidente do Sindheli – Sindicato dos servidores públicos de Heliópolis – professor Gilvândio, entre outros.  
Enfim, a principal mensagem do evento foi chamar a atenção da sociedade, mais uma vez, de como é importante a prevenção do uso das drogas e a difusão de informações sobre os entorpecentes. A ideia é extraordinária e se espera que esse projeto possa chegar a mais pessoas em toda nossa região. Os jovens precisam saber que o caminho do drogado é um caminho sem volta.

Reportagem, texto e fotos: Ana Lúcia.
Para ver mais fotos do evento, dê um clique AQUI.

Só para não esquecer

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Eleição no CEJDS: Chapa única obtém 93% de aprovação

A nova equipe diretiva do CEJDS, com o prof. Allan ao centro
As eleições para diretor e vice do Colégio Estadual José Dantas de Souza – CEJDS – ocorreram tranquilamente nesta quinta-feira (10). Somente uma chapa concorria ao pleito, liderada pela professora Rivanda Alves (Diretora) e pelos professores Gilberto Jacó e Landisvalth Lima. A votação começou às 8 horas da manhã e encerrou pontualmente às 20 horas, O comando da Comissão Eleitoral ficou a cargo do professor João Batista Ferreira.
Com o auxílio do atual diretor, professor Bruno César Cardoso, e do fiscal da chapa, professor Allan Viana, a apuração começou por volta das 8 e meia da noite. Votaram em todo o processo quatro segmentos, com os seguintes resultados:
A votação transcorreu com tranquilidade
1 - Servidores: aptos a votar (3), votos apurados (2), votos na chapa 1 (2) – 100%
2 – Professores: aptos a votar (16), votos apurados (16), votos na chapa 1 (16) – 100%
3 – Pais ou Responsáveis: aptos a votar (568), votos apurados 107, votos na chapa 1 (94), brancos (03), nulos (10) – 88%
4 – Alunos: aptos a votar (568), votos apurados 381, votos na chapa 1 (332), brancos (14), nulos (35) – 87%
Professores Bruno, João Ferreira e membros da comissão
No apurado total, a Chapa 1 obteve uma aprovação nos votos apurados de 93%. A partir do dia 1º de janeiro de 2016, até 31 de dezembro de 2019, o Colégio Estadual José Dantas de Souza terá nova equipe administrativa com Rivanda Alves do Nascimento, como Diretora, e os professores Gilberto Alves e Landisvalth Lima para vice-diretores.

Apuração dos votos
Empossada a nova diretoria, primordialmente será feita a elaboração de diagnóstico escolar com a coleta e análise de dados que revelem problemas e entraves que emperram o bom funcionamento do Colégio Estadual José Dantas de Souza – CEJDS. Este estudo possibilitará diagnosticar a realidade da escola. Serão feitas pesquisas, reuniões, estudos de resultados, detalhamento da estrutura, consultando a comunidade escolar, desde familiares dos alunos, alunos, profissionais da área pedagógica e administrativa, bem como servidores. Várias propostas estão contidas no Projeto de Plano de Gestão dos eleitos, inclusive implantação do Grêmio Estudantil, adequação do currículo e inclusão das disciplinas Espanhol, Música e Teatro.

Escola Jorge Amado realiza formatura

Alunos da Escola Jorge Amado, no povoado Riacho (foto: Ana Lúcia)
Não se pode deixar de reconhecer que a educação é o melhor caminho para se conseguir realizar sonhos e desejos. Em mais um ano que chega, surgem aqui e ali sempre as conhecidas formaturas. Elas marcam o fim de um ciclo e o início de um outro. No caso aqui em espacial, falamos do 9º ano da Escola Municipal Jorge Amado, no povoado Riacho. O evento ocorreu na última quarta-feira (9). Além da missa dos formandos, acontecida às 17 horas, no início da noite tivemos uma recepção na escola, com assinatura de ata e entrega de certificados.  
A festa foi muito concorrida com a presença dos parentes, amigos, professores, funcionários, convidados e autoridades. O prefeito municipal de Heliópolis, Ildefonso Andrade Fonseca, o Ildinho; a secretária de saúde, vereadora licenciada Ana Dalva Batista Reis; o vereador Ronaldo Santana, o padre João Bosco Maranduba e o secretário de assistência Social, Renan Vieira, marcaram ponto. Além de prestigiar o evento, contribuíram com a entregara dos certificados aos estudantes, certamente felizes por terem avançado mais um passo na longa estrada da vida.
A diretora, professora Renata Soraia, comentou a alegria que sentia ao ver mais uma turma indo em busca de completar outra etapa. Também tivemos o discurso da representante da sala, Thaise, agradecendo a todos que apoiaram para que eles pudessem chegar a esse momento ímpar. Para o entretenimento, aconteceu a especial participação das professoras Juliana e Debora, que contaram com o auxílio luxuoso de Orlando, do Ministério da música de Cajazeiras. Ao final, o cantor Ronaldo Santos animou bastante a todos os presentes. 
A noite agradável fez renascer, nos estudantes, forças para continuarem a jornada, buscando sempre mais conhecimento para que o futuro lhes traga somente vitórias e realizações. E não se pode deixar de lembrar quando Sócrates dizia que “O homem para ser completo tem que estudar, trabalhar e lutar”. Eles já estão no meio do caminho, e isso não é pouca coisa. 
Para ver mais fotos do evento, clique AQUI.
Reportagem e texto: Ana Lúcia.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Mais um assassinato em Heliópolis

Mais um bárbaro assassinato ocorreu em Heliópolis. Na noite desta terça-feira, exatamente às 23:50, foi executado o senhor Miguel José Ribeiro Fonseca, que estava no Bar do Nenzinho, no conjunto habitacional próximo à saída para Cícero Dantas. Investigadores da Polícia informaram que dois homens encapuzados chegaram e foram logo atirando, sem tempo de a vítima reagir. Os assassinos usavam arma de fogo calibre 12. Uma cápsula deflagrada foi encontrada ao lado da vítima. Miguel tinha passagem pela polícia e havia cumprido pena. Saiu da penitenciária há 30 dias. A vítima era morador do bairro Santos Dumont (Iraque).Tudo leva a crer que pode ter sido queima de arquivo ou vingança relacionada às drogas ou a roubo de motos. A polícia está apurando o caso e ainda não tem os nomes dos assassinos.
   Filha revoltada
   Usando o o Facebook, a filha da vítima nega muitas informações desta reportagem, chamando-as de incoerentes. Carolaine Fonseca diz que as acusações são graves. Ela, que é aluna do 2º ano B do Colégio Estadual José Dantas de Souza, afirma que houve desrespeito a um pai de família que não está mais entre nós para se defender. Ela chama atenção para o fato da hora do assassinato. Segundo ela, foi às 21 horas. Quanto às passagens pela policia, afirma que de fato ele tinha, e não passaram de acusações sem provas, pois foi absolvido. Carolaine também afirma que a saída de seu pai do presídio ocorreu no mês de agosto. A estudante chama este blog de "Disse me disse", "Me contaram", "Não sei de nada mas falo MERMO" e "O Fuxico", além de afirmar que o texto é "mintiroso" e que nós não apuramos os fatos.
    Nota do Landisvalth Blog
 As informações aqui publicadas foram fornecidas por autoridade policial que, como foi dito, ainda está apurando os fatos. Assim que houver mudança de informação, a postagem será atualizada. Quanto aos conceitos de Carolaine sobre este blog, creditamos ao impacto da perda de um ente querido insubstituível. Não formamos juízos de valor sobre este lamentável episódio - que parece virar rotina na nossa região, ceifando vidas de nossos jovens e pais de família, culpados ou não. Lamentamos ainda mais que a reportagem tenha despertado tanto ódio na filha da vítima. Ódio que deveria estar direcionado aos assassinos de seu pai. 

Filho do ex-prefeito Waltinho apronta na Cajazeiras

Diego Rosário
Quem achava que era só o vereador Giomar Evangelista o protagonista das maiores aberrações promovidas pela oposição ao prefeito Ildinho se enganou. No final da tarde desta terça-feira (08), o filho do ex-prefeito Walter Almeida Rosário, Diego Rosário, foi, segundo moradores do povoado Cajazeiras, autor de uma cena que beira a imbecilidade. Ele simplesmente estacionou sua camionete sobre um dos canteiros da praça que está sendo construída pela Prefeitura Municipal no povoado, ainda não inaugurada. Não há dúvida de que o objetivo dele era provocar os moradores.
Vendo que Diego Rosário estava estragando gratuitamente, e sem motivo, o patrimônio público, informações iniciais indicam que dona Rosália Correia foi exigir dele que retirasse o carro e não estragasse o canteiro. Moradores confirmam que Diego Rosário agrediu a senhora. Ela chegou a postar nas redes sociais seu braço com os hematomas das agressões, prestou queixa e está fazendo exames de praxe. Diego estava acompanhado de Ringo de Messias Pato e evadiram-se do local. Ringo foi capturado pela polícia por dirigir sem habilitação e com acusação de dilapidação do patrimônio público. Diego Rosário é dado como foragido.
A camionete foi flagrada sobre o canteiro da praça
O filho do ex-prefeito Waltinho chegou a gravar uma mensagem no WhatsApp e afirmou que não estava foragido, que estava na casa do pai em Heliópolis. Com a voz embargada denotando embriaguez, não negou o que fez, mas disse que todos deveriam se ater aos fatos e poderiam falar. Chegou a dizer que todos sofriam muito e ele também, além de proferir coisas relacionadas à política, que não ficaram bem claras. Não é a primeira vez que Diego Rosário apronta das suas, mas aqui, confirmadas as denúncias, tudo indica que ele tenha passado de todos os limites. 

O grande ditador!

Tomado de sanha vingativa, o presidente da Câmara Municipal de Heliópolis continua rasgando a Constituição, a Lei Orgânica do município de Heliópolis e o Regimento interno. As decisões da CMH são a continuação de suas vontades. Os amigos se curvam como vassalos e os adversários continuam pacientes, enquanto esperam chegar a justiça montada num cágado.
Dr. Gabriel tenta explicar o inexplicável
Mais uma vez na manhã da última segunda-feira (7) tivemos a realização de uma sessão na Câmara Municipal da cidade de Heliópolis, começando às 9 horas e se prolongando até às 13 horas. Contamos com a presença de todos os vereadores, sem saídas imprevistas como ocorrido na última sessão. T
ambém houve a participação do policial militar Lage e do assessor judiciário doutor Gabriel.
Durante a sessão vivenciamos um longo passeio de montanha russa nos egos de nossos representantes do Poder Legislativo. De início, antes da leitura da ata, por meio do policial Lage, ouvimos a respeito do proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas). Esse projeto procura conscientizar os jovens através de 10 aulas dadas por policias numa instituição de ensino, tendo direito a formatura e tudo mais, inclusive haverá nesta sexta-feira (11), na creche municipal, aulas do curso. Além de divulgar, o policial também pediu o apoio da câmara, pois segundo ele os alunos verão melhor a relevância deste projeto.
Até o momento do término da fala do policial estava tudo muito calmo. Depois o presidente Giomar passou a palavra para o doutor Gabriel que tentou esclarecer o motivou da rejeição do projeto de emenda proposto pelo vereador Jose Emídio. O Dr. Gabriel é assessor jurídico da Câmara e tentou tirar leite de pedra para explicar o inexplicável. Claro que não convenceu ninguém. A emenda não foi rejeitada porque não foi objeto de decisão nenhuma. O presidente a engavetou por livre e espontânea vontade.
Logo após a leitura da ata, e todos estavam de acordo com ela porque estava lá escrito que a ata da sessão anterior havia sido rejeitada. Ora, se é assim, há dois procedimentos possíveis: ou o presidente faz outra ata ou a sessão é considerada nula. Para piorar a coisa, Giomar comunicou a secretaria que o livro de presença e atas deveria ser passado somente depois da Ordem do Dia. Isso revoltou o vereador José Emídio, que se opôs e disse que era inaceitável aquela conduta. Ele deveria fazer uma outra ata, colocar a emenda em votação, ou votar o projeto e depois os destaques, o que não foi feito em hora alguma.
Soldado PM Lage
O vereador José Clovis disse: “Vossa excelência está querendo implantar uma ditadura”. Até a questão da falta do cafezinho entrou na pauta. Mais uma vez, Giomar se defende acusando a vereadora licenciada Ana Dalva, que deve ser para ele um demônio. E isso porque a vereadora fez uma boa administração, enquanto ele só arranja problemas e mais problemas. Afirmou que Ana Dalva cortou cafezinho e ele não reclamou. Disse ainda que mesmo a situação sendo maioria não irá colocar medo nele. Outra vez houve uma discussão sobre o direito de falar quando Mendonça solicitou.
Daí começa o bate-boca entre Mendonça e Jose Clovis, Zé do Sertão chama Mendonça de preguiçoso, pois ele sempre estuda não porque é pedido, mas sim por ser necessário e ainda diz que a falta disso atrapalha o desenvolvimento do trabalho na Câmara. Mendonça rebate chamando José Emídio de mentiroso. Após isso, Ronaldo expõe seu ponto de vista apoiando a questão levantada por Jose Clovis a respeito do café, e diz que por Giomar querer ser o dono da verdade está somente se prejudicando.
Continuando, tivemos os pronunciamentos de Zé do Sertão que demostrou sua indignação diante da postura de Giomar em seu mandato. Mendonça comenta de como é feito o orçamento e Giomar fala sobre o problema na impressão das provas PAMEH. No fim, todos os vereadores da situação pedem a emenda sobre a alteração do QDD da Câmara e a colocação como destaque na votação. O Projeto de Orçamento é aprovado ressalvado os destaques. Só que Giomar Evangelista diz que não há porque destacar pois não havia matéria, já que foi arquivado por ele mesmo. Ele faz o que quer, até que a paciência dos vereadores da situação se esgote. Pior é acontecer algo que beire a violência física. Achamos que é exatamente isso que ele quer para poder se passar por vítima.
Sem se preocupar com legalidades, Giomar Evangelista já encaminhou a Lei do Orçamento autografada para sanção do prefeito nesta terça-feira. Se a sessão anterior foi invalidada, se não há ata aprovada, o Orçamento só passou por duas sessões e ainda não pode ser sancionado pelo prefeito. Pior, os destaques não foram votados por vontade exclusiva do senhor presidente. O bom de tudo isso é saber que os ditadores caem, mais cedo ou mais tarde. Quanto maior o tempo, maior será o estrago no município. Giomar é um ditador que sabe de suas limitações. As únicas coisas que o sustentam é a lentidão da Justiça e a paciência dos governantes. 

Reportagem e fotos: Ana Lúcia. Texto final: Landisvalth Lima.