Estamos de volta!

Mudamos a linha editorial
O tom crítico continua
Mas falaremos apenas
Daquilo que vale a pena falar

Exclusivo!

Gilmar Mendes e JBS unidos pelo gado

Novidade

sábado, 23 de agosto de 2014

Efeito Marina ajudará Lídice da Mata e Eliana

Marina Silva
Marina Silva já preocupa PT e PSDB. Os coordenadores da campanha de Dilma já trabalham com a candidata do PSB como a vice-líder do pleito eleitoral e adversária do 2ª turno. As estratégias serão outras. Por hora, deixam para o PSDB a dor de cabeça. E não é pouca dor. Tanto que ACM Neto foi chamado urgentemente a São Paulo para uma reunião emergencial para tratar do assunto. A situação de Neto é confortável na Bahia, na disputa estadual, ainda com Paulo Souto na liderança e com possibilidades de não haver 2º turno. Só que ele sabe que o crescimento de Marina Silva pode consolidar Lídice na vice-liderança. Deputados que acompanham os movimentos eleitorais no interior já identificaram um crescimento nas intenções de voto na candidata do PSB à Presidência da República. Ele é real e pode efetivamente abalar tanto a performance de Aécio Neves, PSDB, quanto da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição. Na coligação liderada pelo PSB na Bahia, a estimativa passou a ser a eleição de pelo menos o dobro dos candidatos a deputado originalmente pensado. Já se fala em 11 ou 12 estaduais e 5 ou 6 federais.
Lídice da Mata
É um número que anima os postulantes e deixa preocupados partidos adversários da socialista, como o PT e o PSDB. Neste embalo, a candidata do PSB ao governo, Lídice da Mata, vai se beneficiar e muito, avaliam. Candidatos afirmam que eleitores revoltados, que desejavam votar em branco ou anular votos, já revelam o voto aberto em Marina Silva. É como se eles resolvessem colocar um balde de gasolina no fogo brando desta eleição. Outra candidata que está começando a reagir é Eliana Calmon.
Eliana Calmon
O discurso contundente contra a corrupção tem despertado a atenção do eleitorado desmotivado e pode melhorar significativamente os números da ex-ministra, até aqui em terceiro lugar na briga por uma vaga no senado.
Hipocrisia eleitoral
Muita gente da política baiana que fingiu sentir a morte do candidato do PSB, Eduardo Campos, parece ter memória curta ou cara de pau. Na coluna Raio Laser, da Tribuna da Bahia, saiu uma nota que diz: “O mundo dá voltas. Há quem cite a frase para lembrar que o presidenciável Eduardo Campos, falecido de forma trágica, iria ser homenageado com o título de cidadão baiano, na Assembleia Legislativa, mas, na última hora, com os convites já prontos para a cerimônia, governistas, autores da proposta teriam sido “convocados” pelo governador Jaques Wagner a retardarem a entrega da comenda. Eduardo tinha acabado de lançar a então pré-candidatura ao Palácio do Planalto. Ironicamente, os mesmos que se preocuparam com o seu crescimento, hoje o homenageiam batizando com o seu nome o novo viaduto do Imbuí, na Paralela.” O nome disso é hipocrisia eleitoral.
Duas porradas em Wagner 
Jaques Wagner
1ª porrada: A candidata ao governo do estado pelo PSB, Lídice da Mata, criticou o PT baiano por ter aberto mão de seu programa de governo para ampliar as alianças políticas durante o governo de Jaques Wagner nesta sexta-feira (22). “Especialmente a partir do segundo mandato, o governo foi substituindo suas marcas programáticas por alianças com maior número de partidos”, afirmou. Lídice da Mata disse ainda que tal prática não vai acontecer caso seja eleita. “Quem quiser fazer parte da minha gestão terá que aderir ao meu programa de governo e ter compromisso com ele”, completou.
Paulo Souto
2ª porrada: O candidato do DEM, Paulo Souto, afirmou que doará o helicóptero que serve ao Governador do Estado para o Grupamento Aéreo da Polícia Militar, durante o horário eleitoral da televisão, nesta sexta-feira (22). “Esse helicóptero vai ser muito mais útil ajudando a combater a violência no interior do estado”, afirmou o ex-governador. Comprometido a trabalhar "de corpo e alma" para diminuir os índices de violência no nosso estado, Souto espera que a inclusão dessa iniciativa no programa de campanha marque seu ideal. Lídice e Souto acertaram o estômago de Wagner, literalmente.
Jogada petista
Marcelo Silva
Uma jogada interessante do PT de Ribeira do Pombal para tirar votos de Paulo Souto, candidato do DEM. O ex-secretário de agricultura da Prefeitura de Ribeira do Pombal, Marcelo Silva, prega o seguinte: “Na questão dos professores, Paulo Souto baixou o pau e Wagner beliscou. Resta votar em Lídice!”. Pelo jeito, o pior pesadelo dos petistas é a volta de Paulo Souto. Lídice seria uma amiga próxima, palatável. Ademais, a volta do demista ao posto de governador seria a prova inconteste da incompetência da administração de Wagner. Mesmo com o governo alinhado ao de Lula e Dilma, recebendo recursos diversos e desenvolvendo projetos a perder de vista, não foi capaz de fazer o povo esquecer o carlismo.
Com informações complementares do Bahia Notícias e da coluna Raio Laser, da Tribuna da Bahia.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Onda de mortes no campo preocupa Pastoral da Terra. Só na Bahia foram 4 assassinatos neste ano

                     Carlos Madeiro – do portal UOL
Mortes no campo assustam CPT 
O crescimento do número de mortes no campo em 2014 está preocupando movimentos sociais, que cobram dos governos mais celeridade nos processos de desapropriações e investigação dos crimes. Na semana passada quatro crimes foram registrados, o que geraram uma nota pública de repúdio da diretoria-executiva nacional da CPT (Comissão Pastoral da Terra).
Segundo a CPT, que é ligada à Igreja Católica, existe uma "onda de violência no campo, intensificada nos meses de julho e agosto". Este ano já foram 23 mortes relacionadas a conflitos do campo. Outros três casos ainda estão sob averiguação e podem aumentar a conta. Em 2013, foram 29 mortes, número que aponta um crescimento na média mensal de crimes.
Dos quatro casos recentes, três aconteceram no Mato Grosso e um ocorreu no Pará. Em julho foram outros sete assassinatos. O Nordeste foi a região que mais registrou mortes neste ano, com 10 casos. Bahia, Maranhão e Pará têm quatro mortes cada um.
A CPT vê relação no número de mortes pela falta de desapropriações. Os dados mais atuais do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) mostram que o processo de reforma agrária vem sofrendo forte desaceleração desde 2006, quando 136 mil famílias foram assentadas. Em 2013, foram 30 mil. No portal do órgão não há dados de 2014.
Para CPT, conflitos nunca cessaram
A coordenação da CPT diz que os crimes elevam a tensão no campo e dificultam ainda mais a vida em acampamentos e regiões em disputa. "Os conflitos nunca cessaram. Mas tem tempo em que eles se intensificam por questões conjunturais ou por alguma ação pontual. Vemos o avanço do agronegócio como um dos fatores. O que chama a atenção este ano é que anos de eleição não têm elevado número, mas em 2014 se acentuou de maio pra cá. Isso tem relevância", disse diz Isolete Wichinieski, da coordenação nacional do CPT.
Para Isolete, apenas ações de policiamento não ajudam a resolver o problema. "O que precisa é que as pessoas sejam assentadas, as posses sejam regularizadas, que não tenha tanto a influencia do agronegócio. Proteção da pessoa ameaçada é paliativo.
MT registrou três mortes em agosto
O Mato Grosso foi o Estado que registrou três das últimas quatro mortes. No último dia 13 de agosto, a ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura de União do Sul, Maria Lúcia do Nascimento, foi morta após sofrer diversas ameaças de um fazendeiro.
Segundo a CPT, Maria Lúcia teria sido assassinada porque conseguiu reintegração de posse da área onde morava, no assentamento Nova Conquista 2, o que gerou revolta do antigo posseiro ilegal --que tem o nome apontado pelos movimentos sociais. Já no dia 16, o presidente da Associação de Produtores Rurais Nova União, Josias Paulino de Castro, e sua mulher Ireni da Silva Castro, foram assassinados, no Distrito de Guariba, em Colniza. Onze dias antes, Josias havia denunciado as ameaças de morte à Ouvidoria Agrária Nacional e a outras autoridades do Mato Grosso, durante audiência em Cuiabá.
"Esse casal lutava pela regularização fundiária de terras do Estado que foram repassados para colonizadoras e foram invadidas por fazendeiros. Eles estavam abraçando questão, e qualquer um que tente lutar é ameaçado", disse o coordenador da CPT no Mato Grosso, padre Paulo César Santos. As mortes no Mato Grosso, segundo a CPT, tiveram ligação com a histórica falta de solução à questão fundiária no Estado.
"Existem no Mato Grosso 8 milhões de hectares [cada hectare tem 10.000 m²] de terras da União ocupadas ilegalmente, que não são regularizadas, e os fazendeiros tomam conta. Aí existe o conflito, e na relação de forças, o fazendeiro prevalece. Foram mortes anunciadas, ambos já tinham comunicado que estavam sendo ameaçados", contou. Após pressão dos movimentos, o governo do Estado informou que designou uma comissão para investigar as mortes.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

TLN premia os melhores da cidade de Heliópolis

Os premiados da TLN (foto: Impacto Jovem Blog)
Uma Noite que vai ficar registrada na lembrança dos comerciantes, prestadores de serviços e profissionais liberais da cidade de Heliópolis. Nesta quarta-feira, dia 20 de agosto, na Câmara Municipal de Vereadores de Heliópolis, a Empresa de Pesquisa TLN premiou os melhores nos mais diversos ramos do município. Várias empresas contempladas com o Prêmio Excelência por se destacarem nos quesitos qualidade, referência, atendimento e preferência no setor. O vereador Claudivan Alves foi escolhido o mais atuante, o professor Marizan Fonseca da Gama escolhido o melhor diretor de escola e o jornalista Jorge Souza, o Tio Jorge, escolhido o melhor fotógrafo. Veja a reportagem completa clicando aqui.

O eleitor do interior e as surpresas desta eleição

O eleitor está perdendo a eleição como referencial de mudança?
                                  Landisvalth Lima
O palanque eleitoral eletrônico ainda não é o principal cooptador de votos nas eleições, levando-se em conta o cenário no interior da Bahia. O nosso eleitor do interior ainda é adepto do corpo a corpo e do assistencialismo. Não digo que o voto comprado não exista, mas o que o interiorano quer é atenção do seu escolhido. É por isso que os políticos preferem o contato com o prefeito ou com o vereador. Só que, agora, o eleitor do interior está mais exigente. Não basta o candidato ser amigo do vereador ou do prefeito. Ele quer o contato, quer ouvir as propostas, quer saber quem é e o que pensa.
Conversei com um vereador e percebi sua revolta com os deputados do seu partido. “Eles acham que nós somos obrigados a votar neles porque eles têm lindos olhos ou um belo discurso esquerdista.” O vereador disse claramente ao deputado. “Seu discurso é para estudante universitário de capital. No interior é o corpo a corpo. Sentado no seu gabinete é que não haverá voto.”. E mais: “Não basta ficar chamando o adversário de turma do atraso, construir ponte ligando Salvador a Itaparica e deixando o povo sem hospital no sertão que o voto virá fácil.”.
O que o vereador quer dizer é que diminuiu consideravelmente o voto de cabresto e o eleitor-torcedor. É preciso fazer mais pelo povo. Há deputados que acham que a eleição está garantida porque tem ene prefeitos no bolso. Vai ter uma amarga surpresa. Esta eleição morna, quase silenciosa, trará uma quantidade enorme de surpresas. Há candidatos que acham que basta dizer o que fez que o povo vai reconhecer. O povo quer saber do futuro, do que será feito. Por isso virão fatos surpreendentes. A morte de Eduardo Campos, os fatos envolvendo a Petrobrás, a ascensão de Marina Silva, a aceitação de candidaturas novas e com poucas estruturas já são elementos indicadores do que vem por aí. Não sei se serão em quantidade suficiente para provocar uma revolução, mas que as surpresas virão, isso ninguém tem dúvida. Uma delas já posso divisar: será a eleição com a maior quantidade de votos em branco da nossa história republicana.
Ricardo Maia e o PT de Pombal
Ricardo Maia
(foto: Blog do Gomes)
Um eleitor bem informado de Ribeira do Pombal disse que a candidata Lídice da Mata terá votos em Ribeira do Pombal por ter seu nome já conhecido e pelo trabalho que este blogueiro e candidato a federal fizer na cidade. Em se tratando de políticos do município, todos estão com Paulo Souto. Só o prefeito Ricardo Maia votará em Rui Costa e está trabalhando como um leão para conseguir uma vitória do candidato do governo. E o PT? Perguntei. Morno, respondeu.
Horário eleitoral
Tenho recebido muitos elogios de vários segmentos pela minha participação no horário eleitoral da coligação Um Novo Caminho para a Bahia (PSB, Rede, PSL e PPL). Um deles foi de Marcos Vieira, do PPS, que está apoiando o candidato a deputado estadual Adriano Meireles, do PR. Outro que fez elogios foi o Secretário de Educação, professor Kelton, que alegou eu ter sido duro com ele numa postagem anterior (já retirada para uma melhor apuração). De Salvador vêm inúmeros e-mails elogiosos. Da nossa região, muitos alunos e ex-alunos, além da confirmação do voto, os elogios e uma afirmação preocupante: “Só vou votar no senhor!”.
Em Fátima
Não se trata de pesquisa, mas a cidade da região onde há maior tendência de vitória de Marina é em Fátima. Parece haver uma revolta do povo com a situação do prefeito Nego, que, tudo indica, foi abandonado pelo partido. Com a indefinição de apoio dos governistas do município, o povo tende a votar em Marina e tudo pode virar uma espécie de onda fatimense. Um vereador chegou a pedir a este candidato a maior quantidade possível de material para trabalhar a candidatada do PSB. Abertamente, e desde o início, o professor Marcos José já sacramentou Marina, Lídice, Eliana e o professor Landisvalth. É um abençoado!
Na Trilha d’Os Sertões
Professor Marcos José
E por falar no professor Marcos José, fiz uma visita à sua residência, em Fátima, depois de nos encontrarmos rapidamente em Salgado-SE. Fui pedir seu voto, já antecipadamente oferecido. Saí de lá com duas raridades: Roteiro de leitura Na Trilha d’Os Sertões – trabalho extraordinário desenvolvido por Marcos José e que virará livro; e o livro O Pêndulo de Euclides, de Aleilton Fonseca, da editora Bertrand Brasil. De quebra, ainda me convocou para fazer o prefácio do futuro livro. Se isso fosse um roteiro de filme, seria um sucesso: o sujeito vai em busca do voto, ganha presentes e ainda vira um dos protagonistas. É uma figura ímpar o esposo de Dona Irimar.
Quando roubar vale a pena
Os vereadores JENILSON BATISTA DE OLIVEIRA, WASHINGTON ANDRADE MATOS e JOSÉ CINEIDO SANTANA denunciaram o prefeito HELANIO CALAZANS DE OLIVEIRA, Prefeito Municipal de Cícero Dantas, por causa de pagamentos referentes a combustíveis direcionados à Polícia Civil, Militar e CIPE (LITOTRAL NORTE), cujos quantitativos não se enquadram no contexto da realidade. Foram vários empenhos, processos de pagamentos totalizando o valor exorbitante de R$150.159,91 (cento e cinquenta mil e cento e cinquenta e nove reais e noventa e um centavo). Corrupção deslavada! Os gastos correspondem a 64.170 litros de Diesel, resultando numa média de 770.000 quilômetros rodados. Ou seja, dá para dar quase vinte voltas no planeta terra! Mas estamos no Brasil! A denúncia foi PARCIALMENTE aceita e o TCM, pasmem, multou o prefeito em apenas 1 mil reais. O prefeito de Cícero Dantas é o cara que pode nos dizer que os três vereadores são idiotas e que roubar no Brasil sempre vale a pena!

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Grupo do prefeito de Fátima ainda não apresentou candidatos

                           Landisvalth Lima
Nego está longe do pleito
A cidade de Fátima está passando por uma situação inusitada. Daqui a exatos 48 dias teremos o pleito eleitoral e o grupo político liderado pelo prefeito Nego ainda não sabe em quem votar. Nas minhas andanças pelo planeta da política nunca vi algo parecido. E tudo isso por causa da Operação 13 de Maio, realizada pela Policia Federal. O Prefeito José Idelfonso, conhecido por Nego, foi afastado do cargo por 90 dias e ainda não teve autorização para retornar à cadeira. Quem está no comando do município é o seu vice Florival Santana. Ocorre que o prefeito em exercício, por questões de fidelidade, está aguardando as decisões de Nego e ainda não apresentou nenhum candidato.
A falta de uma tomada de ação por parte do prefeito afastado fez todos ficarem imobilizados. Não chegamos a falar com Nego, mas pessoas próximas a ele falam em depressão, decepção, fim de um sonho. Uma ex-vereadora, que pediu para não revelar o nome, disse que baixar a cabeça é pior. Cabe ao prefeito ver onde errou e acertar o rumo para não cometer mais desvios de conduta. Fato é que outras lideranças estão em campo e correndo soltas. Várias pessoas dizem que estão aguardando um sinal do prefeito afastado para ver qual caminho seguir.
Futurologia
Após conversar com algumas pessoas sofre a falta de candidatos, encontrei um grande amigo e ex-vereador, que não me autorizou a dizer o nome nesta postagem. Ele é taxativo: no dia em que o grupo indicar um nome para prefeito, mesmo com todo o estrago da Operação 13 de Maio, a eleição do sucessor de Nego será vitoriosa. Aí, então, questionei: Como um grupo envolvido numa teia de corrupção pode ainda sobreviver na política? É que, segundo o ex-vereador, além do carisma dos líderes, a oposição ajuda muito. Segundo ele, o suposto líder da oposição não tem um grama de moral para se apresentar como político qualificado. O povo então teria que escolher entre o ruim e o pior. E o pior é o fim.
Quem seria o cantor ou cantora?
E quem estaria apto a tentar continuar com a bandeira do grupo na eleição de 2016, já que Sorria e Nego estariam inelegíveis? Perguntei ao nosso ex-vereador. Ele disse que aí teria que pensar. Seria a professora Edna ou Binho? Insisti. Disse que estava mais para Binho, mas não descartou a possibilidade de ser a filha de Sorria. E não deu mais detalhes. Apesar do imobilismo de agora, 2016 já está na cabeça do Fatimense.
Imagem de Eduardo Campos
Imagem de Eduardo terá controle
Na manhã desta quarta-feira (20), o desembargador Alexandre Hermes Renato, do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) acatou ao pedido da família do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), morto na quarta-feira (13) em um acidente de avião que vitimou outras seis pessoas, e barrou o uso da imagem de Campos em campanhas de outros candidatos. Quando vivo, Eduardo Campos, para alguns adversários, era símbolo de muitos defeitos, tanto que servia para receber apoio. Depois de morto, a imagem está sendo explorada exatamente pelos seus opositores. Alguns até chegaram a cair em lágrimas. Agora, o uso da imagem só será possível com autorização da família. Boa, Dona Renata!
Documento do PSB para Marina   
O texto da carta que o PSB apresentará nesta quarta-feira para a assinatura de Marina Silva, a nova candidata ao Planalto pela coligação PSB-REDE-PPS-PHS e PPL em substituição a Eduardo Campos, não tratará do programa de governo a ser implantado caso a ex-senadora vença as eleições. O texto será genérico e abordará apenas as ideias de Eduardo Campos. O objetivo é não constranger Marina que já reclamou da obrigatoriedade de assinar um termo de compromisso ao assumir a posição de Campos na disputa presidencial após o acidente aéreo que matou o presidenciável. A comissão executiva nacional do PSB já confirmou a chapa: Marina Silva e Beto Albuquerque, do PSB do Rio Grande do Sul. 
Pesquisa não autorizada
Numa reunião com a diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), o diretor do instituto Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, revelou o resultado de um levantamento telefônico nacional não registrado que realizou na semana passada. As entrevistas foram feitas depois da morte do candidato socialista a presidente da República Eduardo Campos. Murilo Hidalgo contou que o Paraná Pesquisas substituiu o nome de Campos pelo de Marina Silva, que era sua vice. Eis o resultado: a presidente Dilma Rousseff (PT) apareceu como a preferida da maioria dos entrevistados. Atrás de Dilma, veio Marina Silva. Embora com cinco pontos porcentuais a menos que a presidente, Marina está em empate técnico com ela. O candidato tucano Aécio ficou atrás de Marina Silva também pelos mesmos cinco pontos percentuais. Ou seja, também em empate técnico com Marina. Os números da pesquisa não podem ser divulgados porque ela não foi registrada na Justiça Eleitoral. Dilma deve ter comemorado.
Marina não aceitará tudo
A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, impôs restrições a alguns dos acordos regionais costurados com o PSDB por Eduardo Campos, seu antecessor na cabeça de chapa morto na quarta-feira da semana passada após a queda de seu avião em Santos, no litoral paulista. Dos 14 palanques estaduais que Campos articulou para sua campanha, Marina e seus aliados da Rede - partido que tentou criar sem sucesso no ano passado - decidiram que pretendem ficar longe de pelo menos dois: São Paulo, com Geraldo Alckmin, e Paraná, com Beto Richa. A ideia é que ela faça campanha autônoma, descasada dos dois tucanos, e transfira aos dirigentes regionais do PSB a agenda conjunta. Ficará permitido apenas que os candidatos a deputado federal e estadual utilizem material de campanha com imagens suas com os dois tucanos.
O cabo eleitoral Kelton
A postagem foi retirada a pedido do professor Kelton. Ele nega ter feito tal declaração.  
Com  informações complementares do Bahia Notícias, Felipe Patury (Revista Época) e portal UOL.

Em Conquista, Bahiafarma está abandonada

Cabergolina: único medicamento da Bahiafarma
A obra do que seria o primeiro laboratório público para produção de medicamentos no interior, projetada como braço da Bahiafarma, está abandonada e não tem prazo para conclusão. Segundo matéria do Correio desta quarta-feira (20), a construção de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, é bancada com recursos dos governos federal e estadual e foi anunciada em junho de 2011. Ela só foi iniciada, contudo, em julho de 2013, em um terreno doado pelo município no Distrito Industrial dos Aimorés, às margens da BR-116. No local, de acordo com a matéria, não há movimento de operários nem de máquinas, apenas uma placa que informa o valor empregado – cerca de R$ 600 mil – e o prazo de conclusão do projeto – que seria em dezembro do ano passado. A assessoria da prefeitura de Vitória da Conquista não respondeu quem seria responsável pela obra inacabada, o que seria feito com o espaço ou se havia uma nova data de conclusão do prédio. A diretora-geral da Bahiafarma, Julieta Palmeira, informou apenas que a unidade era uma iniciativa municipal – apesar de, em 2011, ter sido anunciada pelo então secretário de Saúde do estado, Jorge Solla, e o à época ministro Alexandre Padilha. Para Solla e Padilha, a unidade de Conquista era parte dos planos do governo do estado para reativar a Bahiafarma, estatal que produzia medicamentos para a rede básica e que foi extinta em 1999, durante o governo de César Borges. Apesar de ter sido anunciada em 2007 por Jaques Wagner, assim que ganhou as eleições, a Bahiafarma só foi reativada em junho deste ano, quando foi reinaugurada a unidade de Simões Filho. No entanto, a instituição só produz um dos cerca de dez medicamentos inicialmente prometidos: a Cebergolina, indicada para pessoas com distúrbios hormonais. Julieta disse não ter informações precisas sobre quanto já foi produzido desde a abertura, mas explicou que “a previsão é fechar o primeiro semestre com um milhão de pílulas para o ministério”.

Informações do Bahia Notícias.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Datafolha indica que só Marina poderia vencer Dilma

Marina Silva (PSB) entra na disputa pela Presidência com 21% das intenções de voto. Segundo o Datafolha, ela larga em segundo lugar na corrida presidencial, um ponto à frente de Aécio Neves (PSDB) –o que os coloca em situação de empate técnico– e 15 pontos atrás de Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT.
Inicialmente inscrita como vice na chapa de Eduardo Campos, o presidenciável do PSB morto no último dia 13, a ex-ministra tem um desempenho que afasta a chance de a eleição ser resolvida no primeiro turno.
Já na simulação de segundo turno, Marina, que deve ser oficializada candidata na quarta-feira (20), fica numericamente à frente de Dilma, com 47% das intenções de voto contra 43% da presidente.
É uma situação de empate técnico nos limites máximos da margem de erro, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
Contra Aécio, Dilma venceria o segundo turno por 47% a 39%. Nesse caso, os oito pontos de diferença representam uma ampliação da vantagem da petista. Em meados de julho, o cenário era de 44% a 40% (empate técnico).
A hipótese de conclusão da eleição no primeiro turno é afastada porque Marina surgiu com quase o triplo das intenções de voto em Campos (8%), porém sem provocar alteração nas taxas dos rivais mais competitivos.
Com Campos no páreo, Dilma também tinha 36%. Aécio alcançava os mesmos 20%.
Na comparação direta entre o cenário atual, com Marina, e o cenário anterior, com Campos, caíram de forma notável os percentuais de eleitores sem candidato.
Intenções de voto nulo ou em branco eram 13%. Com Marina candidata, essa taxa recuou para 8%. Indecisos eram 14% e agora são 9%.
Vários analistas apresentaram Marina como possível herdeira de um grupo crescente de eleitores descontentes com o sistema político. Nos protestos de junho de 2013, um sentimento de rejeição aos partidos ficou explícito.
Os dados da atual pesquisa combinam com esse tipo de interpretação. Muitos que pensavam em fazer um voto de protesto (anular), ou estavam com dificuldade para escolher, vão de Marina se essa opção estiver ao alcance.
Outra informação que reforça essa tese aparece na simulação de primeiro turno da atual pesquisa sem o nome de Marina no cartão de resposta –situação que seria possível caso o PSB deixasse de lançar a ex-ministra de Lula e abrisse mão da candidatura própria.
Nesse cenário, Dilma venceria a eleição já no primeiro turno com 41% (oito pontos a mais que a soma de seus rivais). Mas o percentual de eleitores sem candidato continuaria alto: 13% de brancos e nulos, 12% de indecisos.
Um conjunto de dados da atual rodada do Datafolha sugere que a entrada de Marina na disputa ocorre num momento de recuperação de Dilma. Além da ampliação de sua vantagem sobre Aécio no teste de segundo turno, a avaliação do governo melhorou, sua taxa de rejeição oscilou para baixo (35% para 34%), e as intenções de voto espontâneas com seu nome oscilaram para cima (22% para 24%).
O Datafolha ouviu 2.843 eleitores em 176 municípios nos dias 14 e 15 de agosto.

Informações da Folha de São Paulo