Exclusivo!

2º dia da 1ª Fecultarte teve dança, vídeo e teatro

A 2ª noite da 1ª Fecultarte foi dominada pela dança e pelo teatro (foto: Landisvalth Lima) O Colégio Estadual José Dantas de Souza – C...

Novidade

sábado, 21 de junho de 2014

6ª Festa do Carro-de-Boi em Heliópolis - 4ª parte

Professores de Sergipe rejeitam proposta do governo e paralisação continua

Professores de Sergipe não abrem mão dos 22.22% de 2012
Os professores da rede estadual decidiram na assembleia realizada na última sexta-feira, 20, a manter a paralisação iniciada no dia 02. Na quinta, dia 26, o magistério estadual realiza ato público a partir das oito horas em frente ao Palácio de Despachos (na avenida Adélia Franco). A continuidade do movimento paredista se deu a partir da proposta apresentada pelo governo do Estado em audiência na quarta-feira, 18, na Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão.
A proposta que é condicionada ao aumento das receitas, por isso não garante o restabelecimento da carreira do magistério estadual (motivo da paralisação) e ainda traz um cenário sombrio para 2015, a não implementação do índice de reajuste do piso (estabelecimento pelo Ministério da Educação) para os professores em todos os níveis da carreira. A presidenta do SINTESE, Ângela Maria de Melo leu a proposta do governo aos educadores e ela consiste em nos seguintes pontos:
- Política salarial a partir de 2015 que permita ganho real salarial condicionado ao crescimento das receitas da Educação;
- Garantir a reposição inflacionária anual;
- A política da valorização salarial vigorará até que o valor do vencimento da letra "A", nível I, do quadro permanente do magistério corresponda a 1,4 vezes ao piso salarial.
A professora Ângela também apresentou o que defende do sindicato:
- Política salarial de valorização (piso salarial) e recuperação da carreira do magistério estadual de Sergipe;
- Reajuste do piso salarial profissional do magistério de acordo com o índice anual defendido pelo MEC;
- A política da valorização salarial de recuperação da carreira vigorará até que sejam restabelecidos os índices estatuídos no artigo 1º da Lei Complementar nº 163 de 18 de junho de 2009.
 “Não concordamos com a proposta do governo, pois ela não garante o reajuste do piso na carreira dos professores, pois a reposição inflacionária anual é ter reajuste diferenciado para os professores com Nível Médio e Nível Superior, já rejeitamos essa proposta em 2012 e não vamos aceita-la para 2015”, explica a presidenta do SINTESE.
Professores em Itabaiana
Após a assembleia centenas de professores foram a Itabaiana com o objetivo de dialogar com o governador Jackson Barreto que estava na região para uma agenda de eventos para que a proposta apresentada pelo governo fosse refeita.
Na saída da entrega de parte da reforma do Colégio Estadual Murilo Braga, um grupo ainda conseguiu apelar para o governador que revisse a proposta, mas sem nenhuma resposta. Com isso centenas de educadores ocuparam um dos lados da avenida onde se localiza a em frente a rádio Princesa FM onde Jackson Barreto concederia entrevista.
Depois de várias horas aguardando, as professoras Ângela Melo, Ivonete Cruz e Lúcia Barroso foram recebidas pelo governador. As dirigentes colocaram que os professores têm um grande conflito com a proposta do governo, pois ela não garante o reajuste do piso na carreira. O governador garantiu que conversará com o secretário da Fazenda e que até quarta-feira, entrará em contato com a direção do sindicato.
“Mesmo com essa perspectiva de conversa, o ato público da próxima quinta-feira está mantido. Os professores da rede estadual continuam a luta pelo restabelecimento da carreira e o cumprimento da lei do piso em 2015”, ratifica a presidenta. (Portal do Sintese).

quarta-feira, 18 de junho de 2014

6ª Festa do Carro-de-Boi em Heliópolis - 3ª parte

PSC pode apoiar Paulo Souto. E agora, Ildinho?

Ildinho vai de Paulo Souto?
Se os boatos que rondam Salvador estiverem corretos, o PSC deve anunciar amanhã o apoio à candidatura de Paulo Souto, do Democratas. Eliel Santana, presidente estadual do partido e atual suplente do senador João Durval (PDT), tentará repetir o cargo, dessa vez com Geddel Vieira Lima (PMDB). Conforme apurou o Bahia Notícias, o acordo está sacramentado. “É um grande nome, amanhã a gente anuncia”, despistou o peemedebista, em entrevista ao BN, sem descartar a informação. Isso é um problema para o prefeito Ildefonso Fonseca, o Ildinho. Seu apoio ao candidato do PT estava nítido e claro. Só que agora, o deputado estadual que ele apoia, Vando, também do PSC, vai de braços dados com o DEM e o federal, José Nunes, do PSD, estará com Rui Costa. O problema do prefeito de Heliópolis é que ele foi apoiado por um leque de partidos de cores distintas. Gama Neves, o vice-prefeito, que anda meio isolado da administração, é Paulo Souto por obrigação, vocação e amizade. É o homem que gerencia o DEM na Bahia e vai de José Carlos Aleluia para federal. O PDT de Zé do Sertão e do Professor Quelton vai seguir Ildinho ou votará em Marcelo Nilo e no PT? E como ficará a situação de Zé Guerra, Antônio Jackson e Maria Zizélia? Vão seguir o prefeito? Situação confortável ficou o vereador Ronaldo Santana. Ele se afastou de Gama Neves e ficou com Ildinho. Agora, será que voltará ao ninho? E os vereadores José Clovis e Valdelício, ambos do PSD? Vão seguir quem?
Gama Neves (foto Informativo Jovem)
Certo é saber que Rui Costa em Heliópolis já não estava bem e a coisa só piora. No mais, o PCdoB, de Mendonça, Giomar, Claudivan e Doriedson é que deverá levar o Rui nas costas, com a ajuda do PT do governo Ildinho e do PDT de Zé do Sertão. Mas isso não quer dizer que é coisa fechada não. Há muitas dissidências pelo meio. E ainda temos o PTN, de Zeic Andrade, que deve seguir o PT e ajudar os Pardais a tentar alavancar o candidato de Jaques Wagner. Isolada, a vereadora Ana Dalva já definiu o rumo com Lídice da Mata, Eliana Calmon, Eduardo Campos e Marina. Resta saber se pelo menos contará com uma ajudinha do PSB local, do José Mário e outros, que parece andar mais para o lado da foice e do martelo que da pomba. Fato é: ganhando Paulo Souto, a taça estará com Gama Neves e Ildinho não perderá nada se votar no DEM. Ganhando o PT, Ildinho não perderá nada, como também não ganhará. Até aqui, a única coisa que o governo do PT baiano trouxe para Heliópolis no governo de Ildinho foi uma ambulância.  Ganhando Lídice da Mata, tudo ficará no caminho de Ana Dalva e nada será como antes. Mas isso se acontecer a decisão no 1º turno. Caso tenha 2º turno, tudo vai para o mundo das indefinições.  
ACM Neto: Souto vence no 1º turno
Em seu discurso na convenção que oficializou, nesta quarta-feira (18), a chapa das oposições ao governo da Bahia, o prefeito ACM Neto apostou na vitória em primeiro turno de Paulo Souto (DEM). Para concretizar suas previsões, convocou o interior do estado “a fazer o mesmo que a população de Salvador fez há dois anos”. O gestor soteropolitano atraiu o foco para sua eleição e fez um histórico da sua chegada à prefeitura, em comparação ao pleito deste ano. A vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, que ocupará a mesma posição ao lado do candidato à Presidência da República, Eduardo Jorge, em composição de uma chapa puro-sangue do PV, foi mencionada em sua fala. “Estou aqui, no meu lado esquerdo, no lado do coração, com minha querida vice-prefeita, a professora Célia Sacramento. Nós dois estávamos exatamente nesse mesmo ambiente, aqui nesse salão de eventos, há dois anos”, lembrou. Com a presença da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já confirmada para a convenção estadual do PT, o democrata reforçou a condição de oposição e disse ter enfrentado "muitas pessoas poderosas". "Aqui estiveram autoridades de todo o país; tentaram fazer o discurso da chantagem e do medo, o discurso de que esta cidade só tinha jeito se fosse governada por um prefeito do mesmo partido da presidente da República e do governador do Estado”, apontou, ao citar "as máquinas que vão ser usadas, o dinheiro que vai surgir, o discurso intimidatório que vai ser trazido para a Bahia". O chefe do Executivo municipal também fez críticas à gestão atual, na qual afirma que o Estado “perdeu a importância comparativa no país e a liderança no Nordeste”.
Paulo Souto: esforço pela Bahia
ACM Neto e Paulo Souto (foto: Brumado Notícias)
O ex-governador e candidato ao Palácio de Ondina Paulo Souto (DEM) afirmou, em discurso lido durante convenção nesta quarta-feira (18), que terá que se desdobrar para assumir o Estado caso vença as eleições em outubro. “Será necessário um esforço monumental para que a Bahia retome suas posições”, avaliou, após criticar a gestão petista de Jaques Wagner. “Por iniciativa desse governo, não se iniciou ou concluiu nenhuma barragem em meio a grande parte do semiárido”, censurou o democrata. Ele cita a construção de três empreendimentos nos rios Paraguaçu, Itapicuru e Jacuipe, durante seu governo, que teriam sido “fundamentais para amenizar os efeitos da seca”. “Nada aconteceu com os aeroportos de Ilhéus. (...) Anunciou-se três novas ferrovias para a Bahia e, até hoje, nenhuma delas saiu do papel”, continuou. Souto promete que implantará uma controladoria no Estado, para acompanhar os gastos públicos. “A qualificação de serviços públicos essenciais será uma meta obsessiva do nosso governo. Quero levar minha palavra de confiança ao funcionalismo público”, defendeu.
União e reunião
Duas coisas são marcas registradas da administração do prefeito Ildefonso Fonseca. A primeira é a união. Em todos os eventos estão todos os vereadores e apoiadores de campanha. Ninguém pode se queixar de falta de comunicado, de convites, de tomada de decisões. Os vereadores vão para a Câmara Municipal cientes de todos os projetos e prontos para defender ponto a ponto as proposições da administração municipal. Prova disso foi a ida da vereadora Ana Dalva a Salvador. Ela protocolou no TCM as contas da Câmara Municipal do ano de 2013 na última sexta-feira e combinou que ficaria em Salvador aguardando as pastas das contas da Prefeitura Municipal de Heliópolis para assinar o encaminhamento e protocolar no TCM. Aí vem a segunda marca: a reunião. Ildinho pode se orgulhar das reuniões que são feitas na sua administração. Ana Dalva teve que retornar urgente de Salvador por causa de uma reunião. Ficou até zangada porque teria que voltar para protocolar as contas da prefeitura e duas viagens a Salvador na mesma semana é um desgaste. Mas o secretário Beto Fonseca já havia informado a ela que precisava se reunir com os vereadores. Agora, quem a comunicava sobre a reunião era Mário Almeida. E seria no fim de semana. Hoje, quarta-feira, nada de reunião. Ana Dalva soube que as contas foram enviadas via Correios, com encaminhamento feito pelo vice-presidente da Câmara de Vereadores, Zeic Andrade. Que perfeição!

Com a colaboração do Bahia Notícias.

Azelite

                             Por Marcelo Mirisola – transcrito do Blog do Marcelo Mirisola
                                 
Marcelo Mirisola
Farsa brasileira em oito atos que não acabam mais:

1. Lula revira os olhos várias vezes, gagueja e diz que foi traído, e logo em seguida pede desculpas a plateia. As orelhas  vermelhas têm vida própria.
(rubrica)  O presidente é a expressão de um homem  agonizante, estrebucha. Está no fundo do poço. Conclusão óbvia e ululante:  caiu, acabou.
Eis que, no ano seguinte, o personagem se reelege presidente.  No segundo mandato, decola. O mesmo homem acuado do primeiro ato, extermina a oposição, derrota a Veja, o Estadão, a Folha e o Globo,  e atinge índices de popularidade estratosféricos. Faz sua sucessora, e sai do Palácio do Planalto exortado como o maior líder popular desde Getúlio Vargas.

2. Zé Dirceu na frente de uma televisão.
(rubrica)  Parece que está preso.
As risadas mefistofélicas do preso ecoam e fazem o teatro tremer. 

3. Lula e Zé Dirceu de mãos dadas,  entram no túnel do tempo.
Ano de 2007
(rubrica) Lula, reeleito, traz a Copa para o Brasil. Carnaval no palco.  O governo  constrói e reforma elefantes brancos de norte a sul, de leste a oeste. Gasta os tubos.

4. Junho de 2013
Um gigante levanta do berço esplêndido. Em seguida,o teatro fica todo escuro. Black blocs entram no palco e quebram o cenário. Fafá de Belém canta o hino das Diretas Já, e grita: vem gigante, me pega, quero ser estuprada, quero ser estuprada!

5. Em meio ao teatro depredado, a luz incide sobre o gigante. Que está sentando na cama, acabrunhado, olha para a própria genitália, e diz: Pai, por que me abandonaste?
Aí ele despenca. Da convulsão, volta a dormir. Uma luz azul-clarinha ilumina o palco e dá um ar de berçário pra cena. Céu com nuvens de algodão e canções de ninar.

6. Neymar entra no palco, e manda um coraçãozinho self pra plateia.
(rubrica) Finalmente começa a Copa do Mundo da Fifa. Dilma é vaiada e xingada no Itaquerão por uma plateia enfurecida que paga até 2 mil reais por um ingresso.

7. Bobo da corte entra, e retoma o terceito ato:
Os elefantes brancos - indaga o bobo para a plateia - :  foram construídos e reformados para o povo?
Lula entra no palco, xinga Zé Sarney de Filho da P*&%$, e responde à indagação do bobo:  Povo não entra!  Fizemo prazelite branca preconceituosa!
Bobo cai no palco como se tivesse levado um soco na cara, levanta cambaleante e pergunta pra plateia: cadê o povo?
Azelite ( ou a plateia) vaiam o bobo, e mandam ele tomar no c*.
Lula some de cena. Bobo, ainda cambaleante, pergunta:  Cadê o Lula?

8. (rubrica)  Lula aparece com os bolsos cheios de dinheiro. Se dirige à plateia aos berros como se estivesse num comício. Está ensandecido, verte dinheiro por todos os poros e bolsos do seu corpo. Dólares são cuspidos quando ele grita:
Aqui nos meus estádio O POVÃO não entra!!!!! Só azelite. Vocês querem Copa do Mundo?
(rubrica) A plateia, que é uma espécie de claque-espelho, grita: Vai tomaaar no c*!!!!!!
Lula: Só azelite vão entrar!   Paguem!  Minhazelite branca! Cês querem esculhambar? Paguem! Cambada de otários preconceituosos!  Dois milão pra entrar! Cada vez mais caro! Isso mesmo! Xinguem a presidenta! Mandem a Dilma tomar no c*!!! 
Lula puxa o côro: Dilmaa vai tomaar no c*!!! De repente, interrompe. Chega! Chega!  Agora é a minha vez de xingar vocês: zelite filhada*%$#, minhas zelite branca preconceituosa. Vocês são os meus estádio! Vocês são meus uísque, meu povo!
(rubrica)  Aparece o bobo vestido de Camarguinho Cecê (empreiteiro e homem do povo), ele e Lula, aparentemente embriagados, se abraçam.
Lula: trouxe mais dinheiro Camarguinho Cecê?  
Tá aqui, painho! Têm mais! Têm mais!
A dupla joga montanhas de dinheiro na direção de uma boneca inflável. Que têm as mãos e a boca atadas. Lula usa a faixa presidencial para amarrar a boneca. Ela, a boneca-presidenta, está de quatro. Então simulam um trenzinho. Camarguinho Cecê, empreiteiro e homem do povo, atrás Lula, e Lula atrás da boneca.

Desce o pano, Trio los Angeles canta uma versão Aquarela Zelite do Brasil. A farsa continua....

Operação 13 de Maio: só para não esquecer

terça-feira, 17 de junho de 2014

Sem interesse de Dilma pela educação, dinheiro do Pré-Sal está parado

Sem regulamentação, fundo social do Pré-sal retém verbas de educação e saúde
Por Priscilla Borges - iG Brasília  
Dinheiro do Pré-sal para educação vai demorar
Desde setembro, quando lei que destina 50% desses recursos para educação e saúde foi sancionada, R$ 600 milhões estão acumulados. Áreas não podem receber verba até que fundo, criado há quatro anos, seja regulamentado
A vitória dos movimentos que comemoraram a destinação de 50% dos recursos do Fundo Social do Pré-sal e dos royalties do petróleo para a educação e a saúde ainda não saiu do papel. Na prática, o dinheiro arrecadado desde setembro, quando a lei 12.858 foi sancionada, ainda não pode ser destinado às duas áreas. Ao todo, cerca de R$ 600 milhões que financiaram projetos dos dois setores estão à espera da regulamentação do fundo social.
Criado há quatro anos, pela Lei 12.351/2010, o fundo pretende constituir fonte de recursos para o desenvolvimento social em diversas áreas, como ciência, educação, saúde e cultura. Para isso, são destinadas a ele as parcelas do bônus de assinatura destinada ao fundo pelos contratos de partilha de produção; dos royalties que cabe à União; da receita a partir da comercialização de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos fluidos da União; os resultados de aplicações financeiras sobre suas disponibilidades e os recursos do fundo por lei.
Desde então, cerca de R$ 1,3 bilhão já foram arrecadados, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP). A partir da aprovação da lei 12.858, metade do dinheiro arrecadado a cada ano será destinada aos projetos educacionais (75% do valor) e de saúde (25%). Porém, a destinação depende da formalização de regras pelo Poder Executivo, que ainda não foi feita.
Segundo o Ministério da Educação, a responsabilidade pela administração do fundo é do Ministério da Fazenda. Procurado pelo iG, a Fazenda não respondeu às perguntas sobre o andamento da regulamentação até o fechamento dessa reportagem.
Sem interesse
“A gente não nota no Poder Executivo nenhuma preocupação em regulamentar isso. Mesmo que regulamentasse, não há garantia de que esse recurso vai para o Ministério da Educação, porque sempre pode haver contingenciamento orçamentário para fazer superávit primário. O desafio ainda é enorme”, afirma Paulo César Ribeiro Lima, consultor legislativo da Câmara dos Deputados da área de recursos minerais, hídricos e energéticos.
Lima falou a uma plateia de secretários municipais de educação no fim de maio, sugerindo que eles continuassem pressionando o governo federal. A vitória da educação, ele lembrou, ainda é parcial. “É preciso um esforço enorme da sociedade para ver se arrecada mais e distribui melhor essa riqueza. Isso não vai acontecer se não houver mobilização”, alerta Lima.
Ao iG, ele ressaltou que a mobilização social precisa pressionar o governo federal a regulamentar o fundo. Mesmo o valor dos royalties que não entram na conta do fundo – os bônus recebidos dos contratos firmados a partir de 3 de dezembro de 2012 – ainda não estão sendo usados por falta de regras mais claras. Segundo a ANP, há 376 mil acumulados.
Pela lei, os recursos do fundo têm de ser aplicados em educação básica, prioritariamente. Os estados e municípios que tiverem leis que garantam a mesma destinação (75% para educação e 25% para saúde) federal para os recursos do petróleo também terão prioridade para receber a verba.

6ª Festa do Carro-de-Boi em Heliópolis - 2ª parte

Vaias ao desrespeito e à incoerência

                                                       Rodrigo Rara (*)
Rodrigo Rara
Instituições nem pessoas devem ser blindadas de vaias em um país democrático, no entanto agressões como as lançadas esta semana contra a Presidente Dilma Roussef são reprováveis e rebaixam o Brasil no olhar do mundo. Nós brasileiros jamais seremos respeitados enquanto um (a) Presidente da República deste país for tão facilmente suscetível a receber um "vá tomar no **", ainda mais de seus pátrios.
Todavia, me incomoda esta nova onda de indignação seletiva; não podemos confundir aqueles que sempre atuaram no submundo da política, com posturas e discursos absolutamente criminosos com guardiões da ética no debate político e da "liturgia" do cargo público, em razão do acontecido com a Presidente. Basta observar a postura contraditória de inúmeros destes "novos revoltados" nas redes sociais.
São notórias - por exemplo - as campanhas difamatórias contra o senador e presidenciável Aécio Neves, rotulado como "usuário de cocaína" ou contra o Presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, chamado de "negro vendido a elite branca" por parte daqueles mesmos que hoje se arvoram defensores da boa política.
Todos nós sabemos que essa postura contraditória não é espontânea, nem é de graça. Estes militantes se especializaram no "assassinato de reputações", em difamar e atacar a imagem dos adversários do seu projeto de poder, ainda que a utilizar de mentiras para fazê-lo. Seguem à risca, desavergonhadamente, a lógica maquiavélica de "os fins justificam os meios".
Feita a crítica, não cabe aos insatisfeitos com o Governo incorrerem nos mesmos equívocos: o respeito às Instituições e às pessoas não deve ser uma bandeira política eventual ou uma posição partidária conveniente, e sim um valor permanente em nossa democracia.
Respeito é a palavra-chave do futuro do país, precisamos restabelecê-lo, com urgência, entre os governantes e o povo, na Política e no diálogo republicano.

                (*) Rodrigo Rara é estudante de Direito da UFBA, blogueiro e militante do Democratas"

6ª Festa do Carro-de-Boi em Heliópolis - 1ª parte

domingo, 15 de junho de 2014

Lula, Dilma e o PT brigam com a classe média

Até mesmo aqueles que mandaram Dilma tomar naquele lugar no dia da abertura da Copa do mundo sabem que o ato não foi uma forma adequada de protestar contra uma chefe de estado. Foi um ato inaceitável. A vaia cairia muito bem. A questão é saber como isto acontece num país que, segundo o próprio PT, avançou em números nunca antes vistos na história do nosso país?  Respondo: o problema é o próprio PT.
Começo com o jornalista Josias de Souza, que relatou e comentou, em seu blog no UOL, recente evento em que o presidente Lula abordou as recentes hostilidades que têm se abatido sobre a presidente Dilma. Lula fala em "ódio de classes", culpa as "elites" e faz uma aparente ameaça: “se eles tentaram duas vezes me derrotar e não me derrotaram [...], se eles não evitaram a gente te eleger quando ninguém te conhecia, eu vou te contar uma coisa: eles não sabem o que nós seremos capazes de fazer, democraticamente, para fazer com que você seja a nossa presidenta por mais quatro anos nesse país". Ademais, Lula comentou que tem medo de "ficar radical demais" e "perder o bom senso". Acho que já perdeu.  
Mas continuemos. Já o presidente do PT de São Paulo, Emídio de Souza, disse que as pessoas que hostilizaram a presidente Dilma Rousseff na abertura da Copa do Mundo, na última quinta-feira, provavelmente nunca haviam entrado em um metrô no País. "Muitos dos que xingaram a presidente são da turma que nunca andou de metrô", afirmou Souza, em discurso durante ato de oficialização da candidatura do ex-ministro Alexandre Padilha ao governo de São Paulo. Emídio de Souza pediu unidade e empenho da militância do partido como resposta às manifestações contra a presidente Dilma. "Os militantes do PT têm que responder à manifestação vergonhosa ocorrida no estádio", disse. "Nosso desafio é fazer uma campanha que mostre a união e a capacidade de aglutinar os setores da sociedade", afirmou.
Também o presidente nacional do PT, Rui Falcão, se referiu aos xingamentos, durante seu discurso, ao "ódio" que os partidos de oposição teriam contra o PT, à presidente Dilma e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Contra o ódio vamos responder com a esperança", afirmou, em referência à candidatura de Padilha em São Paulo. E a nossa presidente, em seus pronunciamentos, não se cansa de satanizar a oposição ao seu governo.
Vejo aqui vários equívocos. Infere-se das afirmações que a oposição brasileira é composta de uma elite rancorosa e que não precisa do metrô para ir ao estádio. Quem assistiu à abertura da copa não foi a classe média que alçou Lula ao poder. Foram os grandes empresários da OAS, Delta, Opportunit, Banco de Boston, Shell, Oi, Braskem, Vale, Microsoft, Gerdau, Ultra, Bradesco, Telefônica, Ambev, Fiat, Walmart.... Nossa! A lista é enorme! Se não me engano, esta é a verdadeira elite do país que, ao lado de Sarney, Collor e outros políticos considerados de direita, sustentam o governo do PT.
Chego a rir comigo mesmo quando ouço Lula falar nessa elite e constato que, embora tenha promovido no seu governo a ascensão de milhões de miseráveis às classes C e D, a classe média baixa, o custo desta conta não foi pago pela elite que não anda de metrô. A conta foi paga pela própria tal elite trabalhadora das classes B, C e D. Quem ganha 4 salários mínimos neste país é classe C e tem que trabalhar 45 dias só para pagar Imposto de Renda. A conta desta transformação econômica foi debitada nas costas da classe trabalhadora representada por Lula no poder. A verdadeira elite são os carrapatos do nosso capitalismo tupiniquim. Vejam os lucros dos bancos. São números nunca antes vistos na história deste país. Nunca as empreiteiras ganharam tanto em obras. E não incluo aqui os superfaturamentos e aditivos repentinos.
E também imagino convocarem a militância para defenderem a presidenta. Como? O PT chegou ao poder e ficou ao lado de políticos conservadores. Subverteu a ordem transformacional da proposta de esquerda para um pragmatismo solidificador do continuísmo de poder! Criou 39 ministérios para distribuir com os vassalos. Engendrou o Mensalão para garantir maioria no Congresso, transformando a política num negócio vantajoso para oportunistas. Agora quer a luta do militante que chupa o dedo do lado de fora do Palácio, ou dorme nas barracas de plástico preto à beira das estradas na espera de uma reforma agrária que nunca veio? Ou quer que o militante vá a luta porque já tem o seu cartão do Bolsa Família?
Talvez estejam aí as razões do comportamento inadequado do público na abertura da Copa. Temo que, ao não reconhecer os seus erros, o PT acabe gerando mais respostas inadequadas e fiquem insuportáveis as aparições públicas da presidente. O PT tem seu rumo definido: está com a elite, que financia sua campanha, e com aqueles que dependem dos programas sociais. Mas qualquer país, neste mundo inevitavelmente capitalista, necessita de alguém que coloque a mão na massa. E quem faz isso é a classe média, a classe trabalhadora que o PT diz ser elite e oposição. Esta já não aguenta mais e parece perder a paciência com Dilma, Lula e o PT. O tom desta rivalidade foi dado pela filósofa Maria Helena Chauí, quando afirmou que odiava a classe média. (Landisvalth Lima).

A 3ª Bienal de Cinema em Heliópolis acontece às sombras da sociedade. Falta incentivo do poder público municipal

Comunidade presente na III Bienal de Cinema de Heliópolis
No último dia 12 de junho foi comemorado o aniversário de três anos do Cineclube Filhos do Sol, que é um movimento cultural originado no povoado Massaranduba, em Heliópolis-Ba. O evento aconteceu no povoado Pindorama em Cícero Dantas – Ba, com missa na Capela Santo Antônio, depois a exibição de filmes, e logo após aconteceu um pequeno leilão. A data coincidiu com o período em que acontece a 3ª Bienal de Cinema da Bahia, e a primeira vez na cidade de Heliópolis – Ba, que teve início na sexta-feira passada, dia 06, no povoado Serra dos Correias, também em Heliópolis, e vai até o mês de Setembro, com um grande encerramento. O evento está sendo organizado pelo José Pereira, morador do povoado da Massaranduba, e que também organiza o Cineclube Filhos do Sol.
Ele recebe apoio de todas as comunidades por onde passa, e também de outros colaboradores que apoiam como podem, no intuito de incentivar o movimento cultural no nosso município. Apoios como o do Ponto de Leitura Antônio Ribeiro da Graça, Arcas das Letras Maria Ferreira, Associação Comunitária Cidadania de Massaranduba, Associação dos Artesãos de Massaranduba e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Heliópolis são essenciais e muito bem vindos. Com seu Cinema Itinerante, Zé Pereira, como é conhecido por muitos, roda pelos povoados da cidade do sol, apresentando em projeções grandes clássicos do cinema nacional e internacional.
De forma interessante e relativamente simples, o Cineclube Filhos do Sol leva diversão, entretenimento e alegria para muitas pessoas que anseiam por algo diferente e útil, além de despertar o censo crítico do grande público.
O ruim é saber que há pouco ou quase nenhum incentivo por parte da gestão pública municipal, mesmo sabendo que há verbas para tal. É pouco caso de muito. O bom é saber que um projeto assim exista, e aqui entre nós. É bom saber que ainda há muito a ser feito, que hão de existir muitas outras ideias como essa, através de qualquer tipo de arte. O importante é movimentar de qualquer forma o lugar em que vivemos, pois é como diz o meu amigo Naum Merce: “Quem está correndo, está andando; quem está andando, está parado; e quem está parado, está andando para trás”.
Zé Pereira na luta pela cinema
Conversando online com o Zé Pereira, resolvi fazer uma pequena entrevista:
1 – O que é e como surgiu a ideia do Cineclube Filhos do Sol?
Zé Pereira – Surgiu a partir do momento em ouvia falar que sobre o cineclube e suas metodologias, já gostava de passar filmes na associação da comunidade toda vez que ia ter assembleia eu passava filme para os associados daí surgiu a oportunidade de participar do edital da mais cultura e ganhamos os equipamentos e uma capacitação e hoje estamos com o nosso cineclube ai funcionando.
2 – Como você visualiza os efeitos de um projeto como esse no meio em que você vive, faz parte e conhece tão bem e a tanto tempo?
Zé Pereira - Os efeitos são muito pouco devido ao nosso público não está acostumado, é tanto que para atrair as pessoas tenho que usar de estratégias para chamar atenção das pessoas, mas existem comunidade que gosta muito e muita gente vai assistir ao filme sobretudos as pessoas de poder aquisitivo baixo. Eu vim conhecer o projeto a partir do momento que ganhemos o edital e até eu estranhei no começo foi a partir da execução do mesmo que fui conhecendo e me acostumando e aprendendo as metodologias do cineclube e descobrindo que tipo de filmes poderia está passando para as pessoas.
3 – E as pessoas tem aceitado bem a sua ideia do Cinema Itinerante?
Zé Pereira - Sim, as poucas pessoas que tem assistido aos filmes eles tem aceitado e tem comunidades que a participação e aceitação é boa. Não sei se é por que só mais nas comunidades isoladas que nunca viram algo exótico assim…
4 – Quais os filmes que o público mais gosta? E qual você mais gosta?
Zé Pereira - os filmes que mais gosto são os de temática rural e que o público mais gosta são deste gênero além de comedia mais do tipo Mazzaropi.
5 – Quais os seus projetos para o futuro, no que diz respeito a projetos socioeducativos como o que já trabalha?
Zé Pereira - No futuro é criar um espaço físico rural para agregar cinema e biblioteca, se que já existe um na comunidade Massaranduba, mas ampliar mais e incentivar as pessoas a participar mais dessas ações e o próximo projeto que está em andamento é o festival de zabumbeiro da Massaranduba, serão quinze grupos de zabumbeiros que irão participar e oficinas de flautas doce para a galera infanto-juvenil
6 – O que você tem a dizer sobre a atuação do Estado no incentivo a ações como esta? (O que falta?)
Zé Pereira - Governo baiano tem feito seu papel na aera da cultura nós que somos despreparados não temos cumprido com o nosso papel. Agora a nível de prefeitura sobre tudo a de Heliópolis ela nunca deu e nem dá valor a cultura do seu município até agora. E quando apoio de maneira tímida só apoia as pessoas que estão ligados a partido político a que pertence ela é omissa em tudo inclusive na cultura. Pois a cultura que a nossa prefeitura apoia é a cultura de morte e não dá vida é de incentivo a degradação das pessoas e a baixo autoestimas do ser humano e o incentivo ao consumo de álcool e de forma indireta as drogas, você pode perceber que os patrocínios só saem para as festas que são organizadas pelos donos de bares, você não vê uma festa onde agregue valores culturais como a arte a dança e música de qualidade.
7 – Uma frase para encerrar… (uma frase que te inspire) 
Zé Pereira - não estou inspirado para nenhuma frase no momento.
Por Landis Filho - do Portal Heliópolis. Veja a reportagem completa dando um clique aqui.

PSB confirma Lídice, Eduardo e Eliana candidatos

Lídice da Mata - Governadora
O PSB confirmou a chapa que vai concorrer às eleições deste ano na Bahia. A senadora Lídice da Mata foi escolhida para governadora, o ex-prefeito do município de Brumado, no Sudoeste da Bahia, Eduardo Vasconcelos para vice e a ex-juíza Eliana Calmon para o senado foram homologados nos principais cargos em disputa. O evento contou com as presenças de Eduardo Campos e Marina Silva, respectivamente, candidatos a presidente e a vice na chapa nacional do partido. Como representante do PSL, o deputado estadual Deraldo Damasceno firmou o apoio da sigla aos socialistas baianos. Por volta do meio-dia já havia sido contabilizado cerca de 240 municípios presentes à Convenção no Bahia Café Hall, na Paralela. Compareceram também o ex-secretário de Turismo do Estado, Domingos Leonelli, o deputado estadual Capitão Tadeu. Ambos concorrerão a vagas na Câmara Federal. Também marcaram presença Fabíola Mansur, Rose Bassuma, candidatas à Assembleia Legislativa e o vereador Sílvio Humberto.
Eduardo Vasconcelos - Vice
Além da manifestação do PSL, Lídice, Eduardo Vasconcelos e Eliana Calmon receberam o apoio dos dissidentes do PPS da Bahia, que não concordam com a direção dada à agremiação pelo seu presidente regional. Marcaram presença a vereadora Ana Dalva (Heliópolis), Marcos Vieira (ex-Secretário Geral do Partido), Poly (Ex-presidente) além de prefeitos e vereadores da legenda. Eles ainda aguardam um posicionamento da Justiça sobre a querela. Do PSB de Heliópolis, marcou presença apenas o professor Landisvalth Lima, que teve seu nome incluso na relação dos candidatos a deputado federal. Os dois partidos, PSB e PSL, devem apresentar uma coligação com cerca de 20 nomes para concorrer a deputado federal e 50 para a Assembleia Legislativa.
Marina Silva: esperança, coragem e ousadia!  
Marina Silva - Vice de Eduardo Campos
A candidata a vice-presidente ao lado de Eduardo Campos (PSB), Marina Silva (PSB), minimizou a importância do tempo da propaganda de rádio e TV para vencer a disputa eleitoral, durante a convenção estadual da legenda em Salvador. "Os vitoriosos não serão aqueles que terão mais tempo de televisão, mas aqueles que estiveram mais antenados com o coração dos brasileiros, dos jovens, dos trabalhadores, dos empresários, dos agricultores", defendeu. A ex-ministra esteve no evento que oficializou os nomes de Lídice da Mata, Eduardo Vasconcelos e Eliana Calmon em uma chapa majoritária puro sangue do PSB.
Ana Dalva e Marina Silva
A líder do movimento Rede Sustentabilidade, cujo registro foi negado pela Justiça Eleitoral por não receber apoiamento mínimo, afirma que a união com Campos foi a primeira aliança política que não foi feita com base no tempo de TV. "A Rede ainda não tem registro, não é partido oficial, não traz um minuto de tempo de televisão. Não tenho nem ouro nem prata, mas o que tenho é a esperança, a coragem e a ousadia", sentimentalizou. De acordo com Marina, se os adversários vencerem o pleito de outubro, "a vitória será deles, das estruturas e do tempo de TV". "Se Eduardo [Campos] e Lídice ganharem, será uma vitória sofrida", comparou.
Eduardo Campos: não há campeão antes do jogo terminar!
Eduardo Campos - candidato do PSB a Presidente - faz pronunciamento.
Em terceiro lugar no ranking dos candidatos à Presidência nas pesquisas de intenção de voto, o candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) comparou, durante convenção estadual da legenda neste sábado (14), o cenário eleitoral atual com a vitória da Holanda sobre a Espanha por 5 a 1 na Arena Fonte Nova na sexta-feira (13). "Tem gente que está entrando em campo como ontem a seleção da Espanha, se achando campeã. E fique certo que, como aqui na Fonte Nova, que a Holanda mostrou que não existe campeã antes do jogo, temos certeza de que essa presunção já foi derrotada e vai ser derrotada no dia 5 de outubro. Temos certeza de que o jogo nem começou. As pessoas nem sabem quais são os candidatos que irão enfrentar a presidente [Dilma Rousseff]. As pessoas não sabem quais são os nossos programas", justificou, em discurso à militância no evento, em que também esteve presente a postulante a vice-presidente Marina Silva. Campos também levantou o tom nas críticas contra a política econômica da presidente Dilma Rousseff. "O Brasil pegou o caminho errado e parou de crescer. A inflação voltou a tocar e corroer o salário dos mais pobres. O Brasil viu de volta a maior taxa de juros de toda nossa história recente. O Brasil precisa reencontrar seu caminho, com distribuição de renda", defendeu. Ele também citou o fechamento de fábricas baianas devido ao custo da energia. "A Bahia do semiárido e do Recôncavo já sentiu os efeitos da crise da gestão da energia no Brasil.
Campos, Marina e Fabíola Mansur
A gestão que fez com que a Petrobras, em dez anos, perdesse a metade do seu valor no mercado já é sentida pelas empresas que tinham mais de 20 anos na Bahia e fecharam suas portas, desempregaram seus trabalhadores, pela má condução da política energética do Brasil", censurou. O ex-governador de Pernambuco também falou sobre os parques eólicos de Ilhéus, sul do estado, que não estariam ligados à rede de transmissão do país, além da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol), que segundo ele, "não saiu da propaganda para a realidade". "O Brasil derrubou, nas manifestações de rua, há um ano atrás, o muro que separa o Brasil real do que se vive em Brasília. A outra parte do muro nós vamos derrubar nas urnas em outubro, construindo um governo que tenha coragem de lutar na oposição", prometeu.
Lídice da Mata: segurança e educação são direitos!
Landisvalth Lima e Lídice da Mata
A candidata ao governo estadual Lídice da Mata (PSB) criticou, em convenção da legenda neste sábado (14), a proposta do adversário Rui Costa (PT) de contratar 40 mil policiais caso seja eleito em outubro. Ela defendeu o projeto adotado em Pernambuco durante a gestão do ex-governador Eduardo Campos (PSB), atual candidato à Presidência também presente no evento, que teria conseguido reduzir os índices de criminalidade no estado. "Não é fazer o que meu adversário [Rui Costa] está dizendo, que vai contratar 40 mil policiais, porque o atual governo já contratou 13 mil, já comprou bala, já deu mais carros para a polícia e o crime continua aumentando", disse, em discurso aos militantes. Lídice defendeu uma "política de segurança pública" e não ações pontuais.
Ana Dalva e Lídice da Mata
"É preciso construir uma rede forte de segurança social para proteger os adolescentes das nossas periferias abandonadas. E não podemos fazer isso apenas dizendo que vamos dar escola, saúde e esporte, porque é área pobre. Isso nem é política de segurança pública nem de educação, porque os dois são direitos", justificou. Ainda com enunciado dirigido oponentes, alegou, sem citar nomes, que nenhum deles representa "o novo". "Todo mundo está dizendo que é novo na eleição da Bahia. Até o mais velho, o que já foi governador duas vezes, está dizendo que tem proposta nova para a Bahia. O outro acha que é novo, porque é cronologicamente, na idade. E tem um outro que pensa que é novo, porque faz papel de radical no meio na rua. Ser novo é apresentar as ideias novas para governar o nosso povo", afirmou.
Eliana Calmon e Ana Dalva
PSOL já tem candidatos também
Marcos Mendes - Governador (PSOL)
A convenção do Psol baiano confirmou as candidaturas do partido para as eleições de outubro. O encontro do partido teve início por volta das 10h30min deste sábado (14), no Sindicato dos Bancários da Bahia, em Salvador. Para concorrer ao cargo máximo no estado, a sigla aposta novamente no nome de Marcos Mendes. O cargo de vice ficará com Ronaldo Santos. Hamilton de Assis deve ser legitimado para o senado. Segundo a presidente municipal do Psol, Zilmar Alverita, as candidaturas são resultado de plenárias realizadas pelo partido em outubro do ano passado. O partido ainda espera apoio do PSTU, que até o momento não oficializou o apoio ao Psol baiano. Pelo meio-dia, o partido homologou as canditaturas. Pela tarde, os integrantes do partido discutiram encaminhamentos para as eleições. Segundo Zilmar, está previsto outro encontro para apresentar a chapa do partido. Em nível nacional, a sigla trabalha para que a ex-deputada federal pelo Rio Grande do Sul, Luciana Genro, seja efetivada como candidata a presidente da República. Outro nome que pode disputar a majoritária nacional é o deputado estadual fluminense Marcelo Freixo. Na convenção baiana, o professor Walter Autino, que integrava o Movimento Passe Livre nas manifestações de 2013 será apresentado como candidato a deputado estadual. Entre as bandeiras de Autino, a redução da carga horária para professores da rede estadual e passe livre interestadual para estudantes.
PSDB oficializa Aécio Neves
Aécio Neves - Presidente (PSDB)
Aécio Neves, do PSDB, foi indicado como candidato à Presidência da República em convenção neste sábado (14). De acordo com a Folha, o senador mineiro vai ser apresentar como opção de "mudança confiável" para eleitores insatisfeitos com o governo de Dilma Rousseff. Os tucanos escolheram São Paulo, maior colégio eleitoral do país e governado pelo PSDB há quase duas décadas, para o lançamento oficial de Aécio. No mesmo estado, a presidente Dilma tem maior rejeição do que em outras regiões do país. Em seu discurso, Aécio defendeu uma gestão "firme e transparente" da economia. Ele também fez críticas à presidenta e ao mesmo tempo propôs um pacto com o mercado financeiro e ao meio empresarial. Ainda segundo a Folha, Aécio deve indicar um compromisso em manter programas sociais que viraram marca registrada dos governos petistas, como o Bolsa Família. Durante a convenção, vários líderes tucanos fizeram pronunciamentos, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, principal fiador político de Aécio, e o ex-governador paulista José Serra, que por vários anos foi o principal desafeto de Aécio no partido.
PV vai de Eduardo Jorge e Célia Sacramento
Eduardo Jorge e Célia Sacramento
A candidatura do médico e ex-deputado federal Eduardo Jorge à Presidência da República foi oficializada na convenção do PV, realizada neste sábado, em Brasília. O baiano, radicado em São Paulo, onde foi secretário municipal de Saúde e Meio Ambiente, terá ao seu lado a vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, confirmada em junho como componente da chapa. “O PV é um partido do século 21. Os três partidos grandes [PT, PSDB e PSB] ainda estão no século 20. Eles continuam ligados naquele velho sistema capitalista e socialista, em que a questão do meio ambiente é considerada uma coisa secundária, quando não desprezível”, disse Jorge. O candidato aposta na irritação da população com os atuais representantes em atuação. “Querem lições novas, avançadas, de vanguarda, renovadoras, essenciais para a defesa nos nossos países do planeta e acho que vamos ter um trânsito grande nesse debate, nessa conversa com os cidadãos a partir de julho”, acredita. Entre os pontos defendidos no seu programa de governo, está a reforma política, com adoção do parlamentarismo, do sistema de voto distrital misto e facultativo (sem obrigatoriedade) e políticas de desenvolvimento sustentável, com foco na expansão da energia eólica, além de mudanças na condução da economia.  
Zé Maria é candidato do PSTU
Zé Maria - PSTU
O PSTU oficializou a candidatura de José Maria de Almeida, Zé Maria, à Presidência da República, em convenção nacional ocorrida neste sábado (14), no auditório do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo, na zona norte da cidade. A professora e assistente social Cláudia Durans é vice em sua chapa. “Queremos mudança. É preciso que o Brasil tenha um governo que tenha coragem de romper com banqueiros e as grandes empresas. Para fazer com que a riqueza e os recursos que o nosso país têm possam garantir saúde, educação, moradia, transporte coletivo, reforma agrária e aposentadoria, ou seja, vida digna para o povo brasileiro”, afirmou ele, que lembrou as manifestações realizadas no ano passado. “Desde junho do ano passado, nós tivemos centenas de milhares de trabalhadores e jovens nas ruas protestando contra o sucateamento do serviço público, a degradação das condições de vida das pessoas. O PSTU vai levar para a campanha eleitoral uma expressão dessas exigências de junho, de mudança no país de forma que nosso povo possa ter uma vida digna”, discursou. Zé Maria foi candidato à Presidência da legenda em 1998, 2002 e 2010.
Pastor Everaldo é candidato pelo PSC

Pastor Everaldo - do PSC
Partido do atual prefeito de Heliópolis, o PSC também lançou candidatura própria para o cargo neste sábado. O nome do pastor Everaldo foi confirmado na convenção nacional do partido, realizada na Assembleia Legislativa de São Paulo, na capital paulista. Ele foi escolhido candidato da sigla por todos os 60 delegados presentes no evento. Pastor da Igreja Assembleia de Deus e vice-presidente nacional do PSC, ele criticou a política tributária e econômica da atual gestão e citou a quantidade de ministérios: “São 30 mil cargos comissionados que geram burocracia e a burocracia é irmã da corrupção”. O candidato a vice-presidente do partido deverá ser anunciado no próximo dia 31.
Com informações básicas do Bahia Notícias, O Globo, Folha de São Paulo e Agência Brasil.