Exclusivo!

Tiroteio, morte e sequestro em Heliópolis

João José (esquerda) morreu no tiroteio. Mateus (direita) está desaparecido A violência em nossa região está tão grande que é preciso a...

Novidade

sábado, 3 de maio de 2014

Luta pela criação da UFNB chega à Assembleia Legislativa

       




      A luta pela criação da Universidade Federal do Nordeste da Bahia segue a passos largos. Depois de várias palestras mobilizadoras em cidades da região, agora chegou a vez de mostrar serviço no Assembleia Legislativa do Estado da Bahia. Dia 9 de maio, pela manhã, haverá uma caminhada a partir das 8 horas, em Salvador, no CAB. Todos se encontrarão na UPB – União de Prefeitos da Bahia, e de lá seguirão em caminha até a Assembleia Legislativa. Vários municípios estão preparando caravanas, faixas, cartazes, camisas, adesivos, etc. para o grande encontro no Centro Administrativo da Bahia, na próxima sexta-feira. A campanha em Heliópolis pelo recolhimento de assinaturas para a criação da UFNB começa esta semana. O professor Landisvalth Lima já está com as listas e começará pelo CEJDS, Câmara de Vereadores e Secretaria de Educação. A previsão é do recolhimento de mil assinaturas.

Pesquisa Istoé/Sensus aponta crescimento de Aécio e Eduardo Campos


A caminho do segundo turno
Pesquisa ISTOÉ/Sensus mostra pela primeira vez que eleição presidencial não deve ser revolvida em uma só votação, como apontavam enquetes até agora divulgadas. A oposição ganha votos e, se fosse hoje, a disputa seria entre Dilma Rousseff e Aécio Neves
Pesquisa ISTOÉ/Sensus mostra pela primeira vez, desde que começaram a ser divulgadas as enquetes eleitorais de 2014, que a sucessão da presidenta Dilma Rousseff deverá ser decidida apenas no segundo turno. No levantamento realizado com dois mil eleitores entre os dias 22 e 25 de abril, Dilma (PT) soma 35% das intenções de voto. É seguida pelo senador mineiro Aécio Neves (PSDB), com 23,7%, e pelo ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com 11%. Juntos, Aécio e Campos têm 34,7% dos votos, praticamente a mesma votação de Dilma (diferença de 0,3%). Como a pesquisa tem uma margem de erro de 2,2%, se a eleição fosse hoje o futuro presidente seria escolhido no segundo turno numa disputa entre Dilma e o tucano Aécio Neves. A mesma situação ocorre quando, diante do eleitor, é colocada uma lista mais ampla, incluindo os nomes de pré-candidatos nanicos como Levy Fidelix (PRTB) e Randolfe Rodrigues (Psol), por exemplo. Nesse caso, a presidenta fica com 34% das intenções de votos e os demais candidatos, 32,4%.
Diferença de 1,6%. Um cenário que também permite concluir pela realização de segundo turno entre Dilma e Aécio. “A leitura completa da pesquisa indica que a presidenta terá muita dificuldade para reverter o quadro atual”, afirma Ricardo Guedes Ferreira Pinto, diretor do Sensus.

O resultado da primeira pesquisa da série que será feita por ISTOÉ em parceria com o Sensus explica a tensão que passou a dominar o Palácio do Planalto e a cúpula do PT nas últimas semanas. Desde que assumiu o governo, em janeiro de 2011, todas as enquetes apontavam para uma confortável reeleição da presidenta ainda no primeiro turno. Agora, mais do que a concreta hipótese dos dois escrutínios, há uma ameaça à própria reeleição. A distância que separa Dilma de seus opositores nunca foi tão pequena. No levantamento ISTOÉ/Sensus realizado em 136 municípios de 24 Estados, menos de 7% dos votos distanciam Dilma de Aécio em um eventual segundo turno. Se a eleição fosse hoje, a presidenta teria 38,6% e o senador mineiro 31,9%, uma diferença de 6,7%. Se a disputa fosse com o ex-governador Eduardo Campos a situação de Dilma seria mais confortável: teria 39,1% contra 24,8%. 
“O que se percebe é que no último mês passou a ocorrer uma migração de votos da presidenta para candidatos da oposição. Antes, as pequenas quedas de Dilma aumentavam o índice de indecisos”, diz Guedes. Mais do que o crescimento das candidaturas de PSDB e PSB, dois outros fatores revelados na pesquisa ISTOÉ/Sensus têm tirado o sono dos aliados da presidenta. O primeiro é a alta taxa de rejeição. Hoje 42% dos eleitores afirmam que não votariam em Dilma de jeito nenhum. Eduardo Campos é rejeitado por 35,1% e Aécio Neves por 31,1%. “Como a presidenta é a mais conhecida dos eleitores, não é surpresa que tenha também um índice maior de rejeição, mas 42% é muita coisa”, analisa Guedes. “Não me recordo de nenhum caso de alguém que tenha conseguido se eleger chegando ao segundo turno com mais de 40% de rejeição. E o quadro atual não é favorável para a presidenta reverter esses números”, conclui.
Veja a reportagem completa clicando aqui

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Dilma Rousseff e aliados entram em rota de desespero

                       Landisvalth Lima
Na TV, Presidenta bate na oposição e aumenta o Bolsa-Família
A Presidenta da República Dilma Rousseff entrou em rota de desespero com os resultados das últimas pesquisas e, principalmente, com a iniciativa do PR de jogar mais lenha na fogueira do “Volta Lula”. O pronunciamento feito ontem na televisão não teve nada a ver com a prática de um processo de comunicação de uma chefe de estado para com o povo de seu país. Foi propaganda eleitoral explícita, para não dizer depoimento em autodefesa. Não é sem razão que a oposição já botou a boca no mundo. O vice-líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias, afirmou, em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, que questionará as declarações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por considerar que se tratou de campanha eleitoral antecipada. “A primeira conclusão é que é necessário acabar com o processo de reeleição no Brasil porque o abuso é desmedido. O que ela fez hoje foi campanha eleitoral antecipada e com dinheiro público. É um ritmo de discurso eleitoral com discurso mentiroso”, acusou.
A coisa foi tão piegas que no pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão a petista falou sobre o cenário econômico nacional, os escândalos ligados a contratos da Petrobras e anunciou correções na tabela do Imposto de Renda (IR) e no valor do Bolsa Família. Não teve a coragem de anunciar o percentual de correção do IR, já sabido que é de apenas 4,5%, porque é vergonhoso, abaixo da inflação e indicativo da continuação do achatamento dos salários. Caminhamos para o vergonhoso dado de que quem ganhar dois salários mínimos poderá pagar Imposto de Renda em breve. Mas a presidente não teve nenhum pudor em anunciar os 10% de aumento do Bolsa-Família, que é o benefício que mais lhe rende dividendos eleitorais. O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho, também defende a medida de entrar com representação. “Vou propor à Executiva do partido que entremos com uma representação na Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE) porque o que ela fez foi um palanque eleitoral com recurso público. O PT privatizou a fala presidencial. O horário gratuito é para ser utilizado para pronunciamento de chefe de Estado e agora está privatizado a favor de um partido. Vamos reestatizar isso. É uma aberração. Estão apelando porque ela está despencando na popularidade e agora promete tudo a 60 dias do começo da campanha”, argumentou.
Dilma Rousseff age como se tivesse lutando contra parte de seu próprio partido. As declarações de José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, e fortemente ligado a Lula, sugerindo que ela assumisse as responsabilidades na compra da refinaria de Pasadena, é um indicativo de que Lula quer ser o candidato, ou por ambição pessoal ou por saber que Dilma não tem as condições hoje de vencer a eleição. Esta possibilidade da volta do Lula está tirando o sono da presidenta e o seu pronunciamento nesta quarta-feira (30) na TV indica claramente este desespero. Para o senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato ao Planalto e um dos principais adversários de Dilma no pleito de outubro deste ano, o pronunciamento foi “um dos mais patéticos episódios já vistos na política brasileira” e “representa o desespero de um governo acossado por sucessivas denúncias de corrupção e uma presidente da República fragilizada pelo boicote da sua própria base”.
O comportamento de Dilma na visita feita a Feira de Santana e Camaçari também indicou o desespero do governador Jaques Wagner, que parece ser mais Dilma que Lula. Não ter indicado Gabrielli para ser o candidato ao governo do estado pelo PT é um forte indicador disso. Segundo a jornalista Carol Prado, do Bahia Notícias, Dilma e Wagner entulharam Rui Costa de elogios durante cerimônias de concessão de equipamentos a prefeituras, em Feira de Santana, e de entrega de 1,5 mil casas do programa “Minha Casa, Minha Vida”, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Por Dilma, ele chegou a ser definido, em “saudação especial”, como principal coordenador da relação entre a administração baiana e a União durante sua atuação como chefe da Casa Cívil de Wagner. Para o pleiteante petista, no entanto, tudo não passou de mera trivialidade. “Não foi um evento de campanha, embora tenha sido tudo muito lindo. Estamos aqui para celebrar um programa habitacional que eu sei que mora no coração de todos nós”, argumentou, em entrevista ao Bahia Notícias, após a inauguração de um conjunto residencial popular na RMS. 
Apesar do “tudo muito lindo” do pupilo do governador, na verdade, os eventos passam como boias salva-vidas jogadas no mar dos desesperados: Dilma em queda nas pesquisas, Rui Costa que não consegue sequer decolar e Wagner deixando o governo com uma popularidade de fazer inveja a quem nunca se candidatou a nada. O declínio – não é nenhuma novidade – está sendo puxado por um cenário econômico desfavorável e escândalos ligados a contratos da Petrobras. E assim como Dilma, que alardeia não se preocupar com o “Volta Lula”, o candidato de Jaques Wagner vê com desdém os problemas enfrentados pelo PT. Ao Bahia Notícias, ele afirmou que não será prejudicado por eventuais respingos da situação vivida pela estatal e diretamente ligada ao secretário de Planejamento da Bahia, José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da empresa, e ao próprio governador, que foi membro do Conselho de Administração e deu parecer favorável à compra suspeita da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). “Eu não sou candidato a presidente da Petrobras, e sim a governador da Bahia. São duas coisas completamente diferentes e acho que não vai haver influência nenhuma”, supôs. Dilma Rousseff e seus seguidores fazem o possível para passar a ideia de que tudo está bem. Não está. Reconhecer os erros é o primeiro passo para corrigir os rumos. Caso contrário, só restará entrar em rota de desespero e esperar pela sorte. Aí começa a rota para a eminente derrota.

terça-feira, 29 de abril de 2014

Marina diz que Lula é bala de prata do PT

HELIANA FRAZÃO - Agência Estado
Marina Silva não se preocupa com adversários
A provável candidata a vice-presidente da República pelo PSB, Marina Silva, disse, nesta terça-feira, 29, em Salvador, que o ex-presidente Lula é uma bala de prata que o PT tem, e que isso é inquestionável. A declaração se deu em resposta a uma pergunta sobre eventual candidatura de Lula à Presidência, face às seguidas quedas na popularidade da presidente Dilma Rousseff, que deverá concorrer à reeleição, em outubro.
"O problema é que a bala de prata não pode falhar, quando ela falha, tudo desmorona. O presidente Lula tem que avaliar e o próprio PT tem que ver. Se eles acham que o governo da presidente Dilma está tão ruim, se acham que foi um erro tê-la como candidata, eles farão uma substituição. Se não tiverem essa avaliação irão apoiá-la", analisou Marina. Segundo ela, no PSB não existe a lógica de oposição por oposição. "Vamos firmar uma posição com Lula ou com Dilma. Não me preocupo com adversários, prefiro me preocupar com a obrigação que temos de não nos omitir diante dos erros que vêm sendo praticados", disse fazendo referência, entre outros, aos escândalos envolvendo a Petrobras.
A candidata a vice do PSB afirmou ainda convicção de que a eleição presidencial deste ano será decidida em segundo turno. Ela deu uma espetada na presidente Dilma, que também estava na Bahia, nesta terça-feira, ao dizer que o povo brasileiro tem sabedoria e não daria uma vitória em primeiro turno a quem "contribuiu para a elevação da inflação, das taxas de juros e para o baixo crescimento econômico do País". Segundo ela, caso as eleições fossem decididas em primeiro turno, seria uma demonstração de que o povo estaria afirmando e reafirmando os erros praticados nesse governo, e o povo é sábio. Marina reforçou que o país atravessa um momento de crise, e voltou a citar a Petrobras. "Num momento desses não se define uma eleição em primeiro turno", insistiu. 
Marina discordou da avaliação feita pelo presidente Lula de que o julgamento do mensalão teve "80% de decisão política e 20% de decisão jurídica". Para ela, a sociedade e o Supremo Tribunal Federal já deram o seu parecer sobre o dolo. "Agora não cabe fracionar os 100% que o povo e o STF decidiram. O que cabe a partir de então é encontrar mecanismos para que o erro não se repita", opinou.

Pesquisa: Campos e Aécio sobem, Dilma despenca

Chance de 2º turno aumenta em 2014, diz pesquisa CNT/MDA. Levantamento mostra queda nas intenções de voto em Dilma e avanço dos dois principais adversários
Ricardo Della Coletta e Daiene Cardoso - do Estadão
Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) crescem em pesquisa CNT/MDA
Brasília - A presidente Dilma Rousseff perdeu seis pontos porcentuais nas intenções de voto para presidente entre fevereiro e abril, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), realizada em parceria com a MDA e divulgada nesta terça-feira, 29. É o terceiro levantamento que mostra queda da petista. A pesquisa também aponta uma maior chance de realização de segundo turno em outubro.
No cenário que mede a intenção de voto estimulada (os nomes são apresentados aos entrevistados) apenas com os três principais nomes da disputa, a presidente aparece com 37% da preferência do eleitorado, abaixo dos 43,7% obtidos em fevereiro. O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), tem 21,6% das intenções de voto, frente a 17% no início deste ano. O ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), soma 11,8%, variação positiva de pouco menos de dois pontos porcentuais em relação a fevereiro, portanto, dentro da margem de erro do levantamento. Brancos e nulos chegam em 20% e o porcentual dos que não sabem ou não responderam atingiu a 9,6%. Foram entrevistadas 2.002 pessoas, entre os dias 21 e 25 de abril. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-00086-2014.
De acordo com a CNT, os resultados mostram crescimento de Aécio e de Campos, que passam a "capitalizar votos que a presidente Dilma vem perdendo". Para a confederação, isso aumenta a possibilidade de um segundo turno nas eleições presidenciais deste ano. Isso porque, no cenário em que são incluídos pré-candidatos de partidos nanicos, a vantagem da petista em relação à soma dos adversários. O levantamento CNT/MDA também testou cenários com os chamados candidatos nanicos. Quando entram na disputa José Maria Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB) e o senador Randolfe Rodrigues (PSOL), Dilma soma 36,5% das intenções de voto, frente a 21,5% de Aécio e 11,2% de Campos. Os dois oposicionistas e os nanicos somam 34,1%. Essa diferença de 2,4 pontos é praticamente igual à margem de erro da pesquisa. Num outro cenário testado, em que figuram como candidatos Magno Malta (PR) e Pastor Everaldo (PSC), Dilma aparece com 36,4% das intenções de voto, seguida por Aécio (21,2%) e Campos (11,1%). Malta soma 0,6% das intenções de voto e Everaldo, 0,4%. Nesse caso, a vantagem da presidente em relação à soma dos adversários, 34,4%, cai para 2 pontos. 
Segundo turno. Segundo a pesquisa divulgada nesta terça, Dilma venceria Aécio e Campos em um eventual segundo turno, caso as eleições fossem hoje. No entanto, a margem de vantagem da petista em relação a seus principais adversários diminuiu em comparação com fevereiro. Na atual edição do levantamento, a presidente chega a 39,2% das intenções de voto num segundo turno contra Aécio, que tem 29,3%. Em fevereiro, o resultado era 46,6% contra 23,4%. O mesmo se observa quando o cenário medido para o segundo turno é entre Dilma e Campos. A presidente tem 41,3% das intenções de voto, contra 24% do ex-governador. Em fevereiro, Dilma batia Campos por 48,6% a 18%. A pesquisa CNT/MDA também avaliou uma eventual disputa entre Aécio e Campos no segundo turno. Nesse quadro, o tucano surge com 31,3% das intenções de voto e Campos, com 20,1%. Em fevereiro, o confronto entre os dois principais nomes da oposição no segundo turno tinha 31,6% das intenções de voto para Aécio e 16,9% para o ex-governador de Pernambuco. 

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Pameh aprovado pela Câmara

O programa de ações e metas da educação de Heliópolis para os próximos três anos – PAMEH – foi aprovado na sessão desta segunda-feira, por unanimidade, pela Câmara Municipal de Heliópolis. Só não teve o voto de todos os vereadores porque o vereador Doriedson (PCdoB) passou mal e teve que ficar em observação no Posto Médico local. A aprovação no dia de hoje só foi possível porque a vereadora Ana Dalva solicitou a aprovação de duas Sessões Extraordinárias em sequência, com a concordância de todos da casa. Agora segue para sanção e poderá já ser colocado em prática na 2ª unidade em todo o município.
Escola Castro Alves
Um mau cheiro insuportável obrigou a diretora da Escola Castro Alves a suspender as aulas na última sexta-feira (25). É que uma fossa aberta resolveu incomodar além do que já fazia. Nesta segunda-feira, o local começou a ser entupido e outra já foi providenciada pela Secretaria de Educação. As aulas já voltaram ao normal. A Escola Castro Alves será a primeira a ser contemplada com atividades em turno único ainda este ano. A professora Josinete Batista aguarda apenas as reformas solicitadas ao prefeito Ildinho. Ela espera que tudo seja iniciado depois da Copa do Mundo.
No pós operatório
O vice-prefeito Gama Neves está em absoluto repouso desde a última quinta-feira (24), quando foi operado de um problema na vesícula. O problema já vem de longas datas, mas ele sempre adiava a solução definitiva. Agora não teve jeito. Por causa da demora, sua recuperação será longa. Gama Neves está usando um dreno e ficará com ele até a próxima sexta-feira (2). Dia 5 de maio estará de novo no batente.
Recuperada
Quem também esteve mal foi a vereadora Ana Dalva. Ela teve um estiramento na bacia e foi atendida no Posto Médico Municipal. Ficou horas em repouso e só agora se recuperou quase que totalmente. Depois de Ana Dalva, Doriedson e Gama Neves, já é sabido também que a doença passou pela Prefeitura Municipal. O Secretário Beto Fonseca andou se batendo com cálculos nos rins, mas está melhor. As pedras não servem nem mesmo para ajudar em algumas obras da cidade.
Marina Silva e Eliana Calmon
As pré-candidatas à vice-presidência da República e ao Senado pelo PSB, Marina Silva e Eliana Calmon, estarão em Salvador nesta terça-feira (28) para participar da assembleia do comitê da Organização das Nações Unidas (ONU) que monitora a violência urbana na América Latina. Eliana é secretária-geral do colegiado e será homenageada durante o encontro, realizado a partir das 11h no hotel Bahia Othon Palace, em Ondina. O comitê da ONU, instalado em outubro do ano passado, é presidido pelo vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. O grupo trabalha para mapear as tendências comuns no fluxo de criminalidade nas diferentes regiões latinas e identificar o impacto da violência na família e na comunidade. (Bahia Notícias)
Advogada ameaçada de morte em Crisópolis
A primeira audiência do caso da advogada Iva Caroline, ameaçada de morte pelo vereador Denycarlos Nicolau dos Santos, presidente da Câmara de Vereadores de Crisópolis, no nordeste baiano, será nesta quarta-feira (30), no Fórum de Olindina. A advogada é ameaçada por atuar em um processo judicial que envolve o edil e que já dura quatro anos. Iva, que trabalha no distrito judiciário de Crisópolis, cuja sede é em Olindina, só entra ou sai dos dois municípios com escolta da Polícia Militar. Segundo a defensora, no dia 10 de fevereiro ela recebeu um recado ameaçador de Denycarlos, através do vereador Dei Delfino, que, “se ela queria briga, teria briga”. O recado ainda frisava que Denycarlos havia acabado de sair da casa de um cigano, e que “a partir daquele momento, o assunto seria tratado pelo cigano”. Iva relata que a ameaça foi feita depois que o vereador recebeu uma intimação da Justiça para pagar R$ 70 mil. Ela prestou queixa à policia. O vereador nega as acusações. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Bahia (OAB-BA), Luiz Viana, junto com a advogada, participou de uma reunião com o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, e com o procurador-geral de Justiça, Márcio Fahel, para pedir empenho e celeridade na investigação. A Policia Civil já concluiu o Termo Circunstanciado de Ocorrência e o caso agora está na Justiça. (Bahia Notícias).