Estamos de volta!

Mudamos a linha editorial
O tom crítico continua
Mas falaremos apenas
Daquilo que vale a pena falar

Exclusivo!

Gilmar Mendes e JBS unidos pelo gado

Novidade

sábado, 5 de abril de 2014

E se não houver mudança?

                                                    Landisvalth Lima
Mudar é preciso. Viver no conforto é comodismo! (foto: Jornal da Palavra)
Quando era filiado militante do PT, tentava convencer as pessoas de que as barbas de Lula e de Wagner significavam o novo para o Brasil e para a Bahia. Recebi muitos nãos. Lula era chamado de “Sapo barbudo”. A resistência era maior entre os próprios trabalhadores. Eu não entendia como um trabalhador do campo, sem terra para trabalhar, tinha medo de Lula. A justificativa era que ele tomaria as terras do povo. Também diziam que ele acabaria com a aposentadoria e traria o comunismo para o Brasil. Foram anos de luta para convencer o povão. Depois de tanta insistência, Lula chega ao poder no Brasil e Wagner se elege governador na Bahia. Hoje, continuo pensando em transformar a sociedade, que nada mudou. Não sou mais do PT, hoje o PDS de ontem. O Brasil não mudou. Mudaram os políticos que outrora causavam medo ao povo. Muitos vão dizer que eu estou equivocado porque há hoje menos miséria, não temos mais o FMI no nosso pé, somos a 7ª economia do mundo etc. Não estou dizendo que não houve avanços consideráveis em algumas áreas. Reconheço. Ocorre que pagamos um alto preço por estes avanços: decadência na saúde pública, na educação. Também poderia acrescentar o aumento da corrupção. Nunca se roubou tanto o Estado na história da nossa República. E poderia aqui citar vários problemas seculares que temos e que aumentaram nos últimos anos. Portanto, o que imagino é que, no geral, não saímos do lugar. É aceitável até dizer que, no somatório, pioramos e muito!
Fato é que ainda funciona a velha tese do coronel que indica. Quem se lembra do velho ACM, não pode ter saudades quando vê Wagner indicar o seu pupilo Rui Costa para ser o candidato da chapa governista. E ninguém questionou. Calaram e consentiram. Pensam de igual modo. E os currais eleitorais? Acabaram? Nada! Eles continuam tão presentes no cenário político baiano, como bem viu o jornal A Tarde, que, entre os critérios adotados na definição das chapas de 2014, está o tamanho dos partidos após as eleições municipais. O exemplo foi dado pelo próprio governador Jaques Wagner. Como argumento para optar pelo PP, Wagner citou o número de prefeituras controladas pela sigla, 56. João Leão (PP), escolhido para a vice, usa como moeda de troca a força no oeste. Seu filho, destino dos votos em dobradinha, Cacá Leão (PP) conseguiu 50% dos votos de Barra, à margem ocidental do Rio São Francisco. Mário Negromonte Jr. (PP), agora candidato a federal, obteve sua maior votação em Paulo Afonso, área de influência do pai, Mário Negromonte. E em Glória, administrada pela mãe, Ena Vilma, o deputado estadual conseguiu 48% dos votos da cidade. Marcelo Nilo foi rifado e, é provável, continuará votando no grupo porque seu partido tem muitos “negócios” com o governo.
Também não mudou a prática do velho nepotismo disfarçado. Como registrou o Bahia Notícias, tanto no âmbito da prefeitura quanto no do governo, a movimentação por apoio nas eleições deste ano já começa a ser notada, inclusive, no que diz respeito à destinação de vagas para parentes de deputados federais. Para ampliar a base aliada, o governador Jaques Wagner (PT) cedeu ao recém-criado Solidariedade duas das quatro diretorias da Bahiatursa. Até dezembro do ano passado, a estatal de turismo era comandada pelo PSB, que deixou o governo para ter candidatura própria ao governo. Para a diretoria administrativo-financeira, considerada a mais importante da Bahiatursa, foi nomeado o filho do deputado federal Marcos Medrado (SDD), Diogo Medrado. No âmbito da nossa capital, ACM Neto também não deixa por menos. Os irmãos Maurício, José e Henrique Trindade protagonizaram uma trinca política. Nesta sexta-feira (4), o deputado federal Maurício Trindade (Pros) deixou o cargo à frente da Secretaria de Promoção Social para retomar o mandato em Brasília. Em seu lugar na secretaria, ficou seu irmão, o advogado Henrique Trindade. Com as nomeações, o Solidariedade, presidido por Medrado na Bahia, deve apoiar a candidatura Rui Costa (PT), indicado por Jaques ao governo da Bahia. Já o Pros, comandado por Trindade, deve firmar apoio ao ex-governador Paulo Souto (DEM), que disputa o cargo apoiado pelo prefeito ACM Neto. Além do apoio dos deputados, a adesão dos partidos também representa tempo de propaganda eleitoral gratuita.
Alguns também podem pensar que eu esqueci do favorecimento aos grandes empresários. Políticos adoram facilitar a vida de quem já é, por natureza econômica, privilegiado. Mas confesso que a presidente Dilma Rousseff merecia um troféu por sua interpretação fantástica quando entregou o Aeroporto do Galeão para a iniciativa privada. Uso aqui as palavras do jornalista Luiz Augusto Gomes, do portal Por Escrito: “Há coisas com motivação eleitoral que não se pode suportar. Como a presidente Dilma chorar no momento em que fazia a transmissão à “iniciativa privada” da exploração – palavra mais adequada que gestão, administração, concessão ou que outras arranjem para a transferência de dinheiro público para mãos privadas – do Aeroporto do Galeão.” Ou seja, para disfarçar o entreguismo da coisa pública ao mundo privado, contrariando toda a história do seu partido, a presidente busca nas lágrimas o tempero para comover o povo, mais uma vez explorado escancaradamente. Ainda usando as palavras do jornalista: “A presidente decompõe-se em lágrimas ao conceder por 25 anos o Aeroporto Tom Jobim ao Grupo Odebrecht, e a propósito, como se posicionou Odebrecht quando a legalidade foi violentada em 64?”. E mais adiante: “Onde estavam as bilionárias empresas na hora de desbravar sertões, bancar prejuízos para estender o progresso aos mais distantes pontos, pagar por tecnologia quase inacessível, apostar incondicionalmente nos recursos humanos do país?”. Ou seja, o que o PT está fazendo é o que sempre condenou: o Estado prepara o país para que os ricos explorem o próprio país. Aí, nada muda. Os ricos ficam cada vez mais ricos e os pobres... E, vale a pena citar o final do artigo de Luiz Augusto: “A presidente demonstra, com essa apelação desqualificada, o grau de desespero que a faz perder a vergonha ideológica, usando a repulsa ao regime militar para tentar convencer, com vista à reeleição, de coisas às quais ela deveria ser, pela sua vida, visceralmente contra.”.
Depois disso, sei que deveria terminar o artigo, mas não posso deixar de citar uma do Lula. Ele faz exatamente o que faziam os governos indecentes de outrora. Não quer ouvir falar de CPI. Quem deve, teme. As agências de notícias informam um encontro de três horas de Dilma Rousseff com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na sexta-feira, 4, a sós, sobre a crise política e a tentativa da oposição de instalar uma CPI da Petrobrás para fustigar o governo na campanha eleitoral. Lula avalia que o Palácio do Planalto deve fazer de tudo para segurar a CPI, considerada uma "arma" perigosa na direção de Dilma. A reunião entre a presidente e seu padrinho político ocorreu em um elegante hotel da zona sul de São Paulo e foi a primeira depois que veio à tona a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, pela Petrobrás. O negócio é investigado pelo Ministério Público Federal e pelo Tribunal de Contas da União por suspeitas de superfaturamento. Lula avalia que Dilma acabou puxando a crise para o Planalto quando disse que só votou favoravelmente à compra de Pasadena porque recebeu laudos incompletos sobre o negócio. Ou seja, era para Dilma confirmar que a compra foi ótima para a Petrobrás e repetir isso mil vezes até que o país se convença de que ela é “a cara”! Dilma, nós podemos! 
Tudo isso comprova que temos de mudar todo este modelo administrativo, econômico, político e social. Não se pode chegar ao poder para deixar tudo como estava. É imperioso mudar estas estruturas arcaicas que só favorecem ao nepotismo, à corrupção, ao mandonismo e a tantos outros males depredadores do republicanismo e da democracia. E se não houver mudança? Então assistiremos aos mesmos filmes, com os mesmo desfechos. Hoje lideram as pesquisas os ACM Netos, os Joãos Alves Filhos, líderes de um passado remoto ou filhos, ou netos, de líderes do passado. Amanhã voltarão os filhos de Lula, de Dilma, de Wagner, de Maluf, de Roseana Sarney, ou os seus netos. Continuaremos então neste ciclo desvirtuoso, acreditando que um deles possa romper com a tradição de sua família e nos livrar de vez destas desgraças seculares.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

SAC Móvel no aniversário de Heliópolis

O SAC Móvel estará em Heliópolis nos dias 11 e 12 de abril (foto: Berimbau Notícias)
O SAC Móvel, Serviço de Atendimento ao Cidadão, sistema vinculado à Secretaria de Administração do Estado da Bahia, estará em Heliópolis nos dias 11 e 12 de abril. O comunicado foi feito ao prefeito Ildefonso Andrade Fonseca pela Superintendente do SAC, Maria Marta Tochilovsky, via ofício, datado de 24 de março. A data escolhida não deixa de ser importante porque é da comemoração da Emancipação do município, que fará 29 anos no dia 11. Nos dois dias serão oferecidos serviços de confecção de Carteira de Identidade, certidão de Antecedentes Criminais, Recadastramento de Pensionistas, Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e ainda estará disponível para quaisquer reclamações a Ouvidoria do Estado da Bahia.
Para quem desejar tirar Carteira de Identidade (RG), é preciso observar algumas exigências: para 1ª via, apresentar Certidão de Nascimento original ou cópia autenticada por Tabelião. Para quem vai tirar a 2ª via da RG, mudança de estado civil ou correção ortográfica, apresentar – se solteiro ou solteira – Certidão de Nascimento original ou cópia autenticada por Tabelião. Caso já esteja casado ou casada, apresentar Certidão de Casamento original ou autenticada por Tabelião. Em caso de viúvo ou viúva, apresentar Certidões de Casamento e de Óbito originais ou autenticadas por Tabelião. Caso esteja separado ou divorciado, apresentar Certidão de Casamento averbada com sentença do Juiz. Além disso tudo, não se deve esquecer das duas fotos 3 X 4 em preto e branco ou colorida, com fundo branco. É bom lembrar que as Certidões não podem conter rasuras, manchas, borrões, emendas ou perfurações. Também não serão aceitas fotos sorrindo, com cabelo cobrindo o rosto, homens com brincos, uso de blusas de alças ou de camisetas, nem também farda militar, escolar e outras. 
Para quem vai tirar Certificado de Antecedentes Criminais, basta levar a Carteira de Identidade. Já para tirar o CPF, é preciso levar Carteira de Identidade, Título de Eleitor e comprovante de residência com o CEP. Para Recadastramento e Orientação sobre Benefícios de Pensão, apresentar Carteira de Identidade e CPF – fotocópias e originais – Comprovante de residência – xérox e original – o último contracheque do pensionista - xérox e original - e extrato da conta corrente Bradesco do pensionista. Para quem quer denunciar problemas nos serviços públicos, é só comparecer e registrar suas queixas na Ouvidoria Geral. Quem vai tirar a 1ª via do RG não paga nada, mas para 2ª e 3ª vias ou correções o valor é de 28 reais. O SAC ainda atenderá Casos Especiais com estrangeiros que foram naturalizados, Portugueses com igualdades de direitos, filhos de brasileiros nascidos no exterior, adoção, reconhecimento de paternidade e casamento posterior ao nascimento dos filhos. 

terça-feira, 1 de abril de 2014

Secretário deixa pasta e volta para Câmara

Valdelício deixa secretaria de infraestrutura e reassume mandato de vereador
O vereador Valdelício Dantas da Gama (PSD) pediu demissão nesta terça-feira, 1º de abril, e não é nenhuma mentira. Ele ocupava a pasta da Secretaria de Infraestrutura desde o início da administração do prefeito Ildefonso Andrade Fonseca. O pedido de demissão é em caráter irrevogável, tanto que o vereador já protocolou na prefeitura oficializando o ato e, em seguida, já comunicou oficialmente à vereadora Ana Dalva seu retorno às atividades na Câmara Municipal de Heliópolis. Com isso, Raimundo Sabiá volta à condição de suplente.
O vereador apenas comunicou que a renúncia ao cargo de secretário é para dar mais assistência ao seu eleitorado e tratar da sua saúde. Ocorre que o burburinho na cidade indica que Valdelício não estava nada satisfeito na condição de secretário. Pelos cantos, o vereador se queixava da falta de espaço para agir. Além disso, ele via pessoas sem cargo ter mais prestígio com materiais e recursos da secretaria que ele. Mas nada indica que o vereador vá para oposição. Não é do currículo de Valdelício lutar contra o governo. Parece que ele pretende se valorizar, já que o cargo de vereador, onde tem anos de atuação, dá mais visibilidade e independência para agir. 
Fato é que Ildinho continuará com a mesma bancada, mas há de se reconhecer que Raimundo Sabiá era escudeiro do prefeito. Era voto garantido. Será que Valdelício vai votar de olhos fechados? Acreditamos que sim, se ele for tratado como um aliado importante. Entretanto, caso seja colocado no canto, como ele acha que foi colocado na condição de secretário, não duvidaremos da existência de algumas dores de cabeça no prefeito. Valdelício é vereador experiente e não jogará contra o grupo, a não ser que o grupo jogue contra ele. Na política tradicionalista, o vereador não pode ser peão. É de bispo pra lá.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Chegou a hora de materializar as promessas

                                       Landisvalth Lima
Liderar é distribuir responsabilidades e não concentrar poderes.
Não há nada mais difícil que tentar construir algo no serviço público. Chega a ser uma maldade o que fazem nas várias hostes da hierarquia pública administrativa nos três governos. A última coisa em que pensam é no serviço público. A maioria esmagadora está lá para defender interesses próprios ou eleitoreiros. E não pensem que são os funcionários concursados ou os pequenos que atrapalham. São os grandes. Quanto maior o cargo, na sua esmagadora predominância, menor o compromisso com a causa pública. Não vou aqui citar nomes, até para não cometer injustiças, mas vejo professores se dedicando em sala de aula para levar o melhor para seus alunos, servidores cumprindo regularmente seus horários e se preocupando com pequenos detalhes do seu fazer diário, até sei de servidores que pagaram do seu minguado salário serviços em sua escola, para que ela funcionasse a contento.
Estes últimos relatos me fazem ainda acreditar no serviço público, mas me dá revolta quando vejo que poderia ser melhor. Digo, o serviço público em vários lugares do Brasil é de alta qualidade, mas em inúmeros outros é um desastre. Nós poderíamos em Heliópolis dar exemplo. Vejo muita gente em vários órgãos da Prefeitura dando o máximo que pode para as coisas melhorarem e nada melhora. Tudo sempre fica a depender de uma só pessoa e quando as coisas chegam nela, tudo para. Reparem o que que é trabalhar num local onde tudo fica estacionado se uma pessoa não está no setor? Tudo só anda se ela estiver por perto. Isto tem um nome: centralização administrativa. Ou a Prefeitura de Heliópolis distribui as tarefas adequadamente ou vamos chegar a um colapso administrativo. Veja o exemplo da Semana Pedagógica. Por que tudo deu quase certo e os erros foram poucos? Porque cada um era responsável por uma tarefa. Já pensou se tudo dependesse do professor José Quelton?
E por que estou aqui a escrever este artigo? Porque tudo tem limites! Depois de debatermos o PAMEH – Projeto de Ações e Metas da Educação de Heliópolis – foi todo ele refeito, passou pelas mãos do secretário de educação, passou pelo crivo de Evanilson. Tudo estava ok. Até que foi parar no setor jurídico e parece que de lá escafedeu-se! Só dependia do aval deste bendito setor para enviar à Câmara de Vereadores e, com a boa vontade dos vereadores – que sei, não faltará – o PAMEH seria aprovado. Como é que eu tenho um setor que existe para dar celeridade e as coisas quando chegam lá param? Para que se gasta tanta grana com advogados, se só fazem retardar a administração pública? O projeto foi encaminhado dia 14 de março e tem apenas cinco páginas! Ildinho precisa saber que, se um setor não funciona a contento, não tem essa de amizade não! Demite-se! Há um monte de advogados aí procurando um lugar como este. O que não pode é ficar a administração atrofiada porque alguns não estão agindo adequadamente.
A educação de Heliópolis não pode mais esperar. Vamos aproveitar a boa vontade de vários profissionais que chegaram, somada aos que aqui já estavam, e fazer a lição de casa. O projeto é para três anos. É muito pouco tempo para chegarmos a alguns resultados concretos. Não poderei aceitar que muitos padeçam por causa da má vontade de uns poucos. Fosse uma empresa particular, tudo estaria resolvido porque o objetivo é o lucro. Aqui é a res publica, e nela os resultados são: bem-estar social, povo educado e consciente. Já que o prefeito Ildinho resolveu dar prioridade à educação e quer fazer o melhor, é preciso que ele chame os setores que não produzem e dê um ultimato. Chega de banalizar o serviço público. O povo de Heliópolis não merece o sacrifício de ficar sempre sonhando. É hora de materializar as promessas.

domingo, 30 de março de 2014

Mulher confessa ter matado menos de 100 pessoas

Miranda Barbour, de apenas 19 anos, começou a matar aos 13, após sofrer abusos sexuais. Sua mais recente vítima foi assassinada em novembro, logo após fazerem sexo
Miranda matou mais de 22 pessoas e não se arrepende
Está presa na Pensilvânia (EUA) uma jovem que se confessou assassina em série. Miranda Barbour, de 19 anos, revela que “matou menos de 100 pessoas” e que várias assassinatos foram realizados em rituais satânicos. A jovem esfaqueou até a morte sua mais recente vítima, um homem de 42 anos, em novembro passado.
Ela contou que conheceu sua vítima através do site “Craigslist” e que concordou em fazer sexo com ele por US$ 100, mas depois o matou com a ajuda de seu marido. “Eu me lembro de tudo. É como ver um filme”, comentou. Barbour e seu marido, Elytte Barbour, foram acusados pelo assassinato do homem e estão presos em locais diferentes.
A mulher, no entanto, afirma que essa morte é apenas uma de uma série de assassinatos que cometeu ao longo dos anos, do Alasca ao Texas. “Quando cheguei a 22 vítimas, parei de contar”, revela a jovem Miranda Barbour, que chocou os EUA depois de ter confessado ser a autora de dezenas de crimes, numa entrevista a um jornal da Pensilvânia. A declaração da mulher levou os investigadores nos Estados Unidos a revisar vários assassinatos não resolvidos à procura de possíveis conexões.
Barbour disse que começou a assassinar aos 13 anos, depois de ter sofrido abusos sexuais quando era criança por parte de um homem que foi membro de uma seita satânica no Alasca. Ela explicou que estudava a vida da pessoa e até se tornava amiga da vítima antes de matá-la. Miranda disse ao jornal que não se arrepende do que fez e que se fosse solta, faria de novo.  Os promoteres responsáveis pelo caso da jovem americana buscam pena de morte para ela e seu marido, Elytte Barbour. Miranda Barbour disse ao que os assassinatos cometidos por ela em parceria com seu marido eram parte de seu envolvimento com uma seita satânica.
Com informações de agências americanas, do portal Pragmatismo Político e do R7.

Sabotagens e trapaças tomam internet

Perfis falsos sobre candidatos são criados e turbinados por artimanhas; Ministério Público cria até força-tarefa para vasculhar redes sociais
Pedro Venceslau, Mateus Coutinho e Elizabeth Lopes - O Estado de S. Paulo
Perfil falso na Internet revela personalidade antidemocrática e fascista
Enquanto o Ministério Público se organiza nos Estados para monitorar as redes sociais dos pré-candidatos, políticos descobrem um mercado negro virtual que ameaça criar uma guerrilha subterrânea nas campanhas deste ano. Diariamente surgem no Twitter, Facebook e Instagram perfis falsos que são usados para atacar adversários ou fazer propaganda antecipada, o que é vetado pela Justiça Eleitoral.
Quem navega pelo Facebook, por exemplo, encontra pelo menos 20 páginas diferentes com o nome Aécio Neves, mais de 50 com Dilma Rousseff e outra dezena com Eduardo Campos. Nessa conta estão incluídos perfis positivos e negativos, sendo alguns bastante agressivos. No YouTube estão publicados centenas de vídeos sobre o trio presidenciável, sendo que em muitos é impossível identificar o autor.
"A internet é um poderoso veículo de comunicação, mas está servindo também para a propagação de atos ilícitos", afirma o procurador regional eleitoral do Rio de Janeiro, Paulo Roberto Bérenger. Ele comanda uma força-tarefa, criada na semana passada, para vasculhar sites de políticos em busca de perfis falsos ou anônimos.
Apesar de a criação de perfis nas redes ser relativamente simples, dar credibilidade a eles e mantê-los no ar é um processo que exige investimento. Programadores e hackers ouvidos pelo Estado sob condição de anonimato fizeram demonstrações de como é fácil criar um perfil falso no Twitter ou no Facebook e depois acrescentar centenas de milhares de seguidores da noite para o dia, simular visualizações no YouTube e adquirir softwares para despistar o IP (número de registro do computador na rede, o que dificulta o rastreamento dos usuários).
Cardápio. Sites como boostlikes.com e authenticlikes.com cobram US$ 550 (R$ 1,2 mil) por um pacote de 50 mil curtidas. Já o sansexpand.com cobra US$ 90 (R$ 2o3) por 100 comentários no Facebook. O usuário envia 100 pequenos textos em português e indica onde eles devem ser postados.
Já o site soft-news.net oferece por US$ 150 (R$ 339) um software chamado blogcomentposter. Ele é usado para criar uma avalanche de comentários em portais e blogs. O objetivo é influenciar as "buscas relacionadas" do Google e ligar o nome de alguém a alguma coisa.
"Esse tipo de ferramenta está sendo usada, por exemplo, para que o Google conecte a palavra Aécio a termos como ‘desvio’ e ‘drogas’ na busca relacionada. Nossos levantamentos mostram que os comentários ligando Aécio a essas palavras são muito parecidos, embora estejam postados em vários lugares diferentes", diz o publicitário mineiro Pedro Guadalupe, dono da agência Statis. Especializada em marketing digital, a agência presta consultoria para a equipe do provável candidato do PSDB à Presidência. Com base nesse argumento, advogados do tucano entraram na Justiça para pedir a remoção de diversos links e perfis em sites de buscas e redes sociais da internet.
Eficácia. "Alguns candidatos parecem mesmo estar usando robôs e comprando ‘likes’. Essa é uma tática eficaz para ampliar rapidamente o número de seguidores e está disseminada em todas as correntes políticas", avalia o sociólogo Sérgio Amadeu, pesquisador de redes sociais da Universidade Federal do ABC e responsável pela análise de redes sociais das campanhas dos petistas Fernando Haddad para prefeito em 2012 e Aloizio Mercadante para governador em 2010. Ele diz que essas táticas, já utilizadas no mercado publicitário, seduzem os políticos, mas não são eficazes. "Eles apostam que os internautas se impressionam com um número grande de seguidores. Mas a longo prazo isso não funciona."
Para se "blindar" contra ataques nas redes sociais, petistas e tucanos estão montando núcleos de "ativistas virtuais". Entre os dias 18 e 20 de abril, o PT realizará um evento no interior de São Paulo para treinar seus militantes a atuar no ambiente virtual. Na mesma linha, os tucanos estão buscando "voluntários" ativistas virtuais em todo o País para aprender a como agir nas redes sociais. Os dois lados se acusam mutuamente de disseminar conteúdo negativo contra os adversários na internet, mas negam que responderão da mesma forma.
Regras. O Twitter informou que não monitora nem edita conteúdo dos usuários, desde que respeitem os termos do serviço. Dentre eles estão proibições de várias práticas, como a criação de contas em série, criação de contas com o objetivo de vendê-las, criação de contas para envio de conteúdo abusivo a outros usuários, envio de spams e publicação de mensagens repetidas. O Google disse que remove de seus sites conteúdo ilegal ou que viole termos de uso da empresa. O Facebook não se manifestou.
Jogo sujo na rede
Compra de likes
É possível comprar pacotes de "likes" ou "curtidas" do Facebook em sites especializados. Cada 50 mil curtidas pode sair a um custo de US$ 550
Compra de seguidores
No microblog Twitter, os preços podem ficar mais em conta: é possível "comprar" um pacote de 500 seguidores por US$ 15
Compra de visualizações
No YouTube, 50 mil visualizações feitas por robôs custam US$ 80 dólares
Compra de comentários em blogs
Por US$ 150 dólares, é possível adquirir um software que automatiza o processo de produção de comentários. Isso contribui para a manipulação de sites de busca
Camuflar IP
É possível baixar de graça um programa que camufla o IP (o registro do usuário do computador). Dessa forma, o usuário jamais será rastreado
Perfil falso
É fácil criar um perfil falso no Facebook ou no Instagram para fazer propaganda antecipada ou atacar adversários. Em caso de condenação pelo TSE, o "dono" dá pagina jamais será localizado. E o partido pode alegar que não sabia da iniciativa
Black Hat
Técnica utilizada para enganar mecanismos de busca. Entre elas está o Link Farm, que cria milhares de sites falsos que publicam uma notícia específica para potencializar um tema ou hashtag nas buscas no Google