Exclusivo!

Novo Triunfo é a cidade mais pobre do Brasil

Novo Triunfo é a cidade mais pobre do Brasil (foto: Google) Ser Nordeste duas vezes não é fácil. Nossa região está localizada no Norde...

Novidade

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Instituto Brasil: Raimundo Caires, Caetano e Eranita envolvidos


Luiz Caetano
Raimundo Caires
O Instituto Brasil, investigado por suposto esquema de desvio de verbas em contrato com o governo do Estado, também foi envolvido em apurações técnicas do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), que condenou os ex-prefeitos de Paulo Afonso, Camaçari e Madre de Deus por contratos irregulares com a ONG, cujo montante recebido chega a R$ 18 milhões. As irregularidades aconteceram entre 2005 e 2007, cinco anos antes do início da investigação do Ministério Público da Bahia (MP-BA) sobre acordo da entidade com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) para a construção de habitações populares em cidades do interior. À época, o TCM chegou a pedir que fossem realizadas tomadas de contas e auditorias nas três cidades para avaliar os contratos com a ONG. O maior valor angariado pelo instituto foi pago pela prefeitura de Paulo Afonso, que custeou R$ 15,2 milhões com quatro termos de parceria e três contratos administrativos. O ex-prefeito do município, Raimundo Caires Rocha (PMDB), foi multado em R$ 32,153 mil e imputado de devolver R$ 6,2 milhões aos cofres públicos no ano de 2010. De acordo com o relatório de auditoria do TCM, a ONG atuou como mera intermediadora de mão-de-obra, já que Raimundo indicou pessoas contratadas para trabalhar nos serviços prestados pelo instituto. Em 2009, a ex-gestora cassada de Madre de Deus, Eranita Oliveira (PMDB), foi punida com multa de R$ 30 mil e pedido de ressarcimento ao erário municipal de R$ 960 mil, devido ao contrato do mesmo valor prestado com o instituto, sem provas de execução dos serviços. Já em Camaçari, o ex-prefeito Luiz Caetano (PT) também foi multado pela Corte de contas em R$ 15 mil e condenado a ressarcir R$ 737,4 mil, por ter contratado a entidade por $ 1,943 milhão, devido ao pagamento indevido por atividades não prestadas e a não apresentação da prestação de contas.
Eranita Oliveira
O caso apurado em 2012 pelo MP voltou à tona com a reativação do processo na 7ª Vara da Fazenda Pública de Salvador. A presidente do Instituto, Dalva Sele Paiva, declarou à revista Veja que a entidade foi criada para financiar o caixa eleitoral do PT baiano. Entre os petistas beneficiados, estaria o candidato ao governo estadual Rui Costa.
Filho de Eduardo Campos
João Campos
É do Blog Coluna da Esplanada, do UOL: O filho mais velho de Eduardo Campos, João Campos, de 20 anos, decidiu mostrar a cara e o talento de aprendiz, a fim de manter a memória do pai. Com um discurso pronto e bem treinado, disse que a obra do pai não pode acabar ou ser esquecida. Foi no fim de semana, e levou às lagrimas dezenas de pessoas que foram ao comício de Paulo Câmara (PSB), candidato ao governo, nos municípios de Caetés e Garanhuns, terra de Lula – a 250 km do Recife. Apontado como herdeiro político, João é discreto e não fala de pretensões.
Fundo Soberano: 3,5 bilhões são sacados
Marina Silva
A candidata à Presidência da República pelo PSB, Marina Silva, criticou nesta terça-feira a decisão do governo federal de sacar 3,5 bilhões de reais do Fundo Soberano do Brasil para ajudar a encorpar as economias para o pagamento dos juros da dívida, o chamado superávit primário. “O uso dos recursos do Fundo Soberano para socorrer as contas públicas é uma demonstração clara de que, de fato, este governo está comprometendo o desenvolvimento econômico e a credibilidade econômica do país. O discurso oficial é de que está tudo bem. Se o boletim médico é otimista, as intervenções são altamente preocupantes: uma demonstração clara de que temos um grave problema”, criticou, durante pronunciamento em Curitiba, capital paranaense.
Pedro Lino e o Instituto Brasil
Veja o que dá governadores nomearem conselheiros dos Tribunais de Contas. Apesar da fama de temperamental e antigovernista, o conselheiro Pedro Lino, do Tribunal de Contas do Estado (TCE), foi dos primeiros a pedir, no órgão, que o Estado suspendesse os repasses ao Instituto Brasil desde a época em que surgiram as primeiras denúncias contra a instituição. Foi voto vencido no pleno do TCE, onde a maioria é governista.
Pesquisa em casa?
O candidato a deputado federal Cláudio Taboada (DEM) ficou sem acreditar ao ouvir o governador Jaques Wagner (PT) ter dito, ontem, em entrevista à rádio Metrópole, que “estaria fechando” uma pesquisa para divulgação nas próximas horas que apresenta números mais favoráveis ao candidato Rui Costa, do PT. “Esta Babesp já não tem credibilidade. Depois que o governador diz que está fechando a pesquisa eu pergunto: Ele está fechando a pesquisa na casa dele?”, provocou.
No calcanhar de Otto
Oposicionistas querem que, além de esclarecer o escândalo do Instituto Brasil, petistas denunciados pela presidente da entidade esclareçam também o que chamam de escândalo do ferryboat, o qual consiste na denúncia de que as duas novas embarcações adquiridas recentemente pelo governo do Estado tiveram seus preços mais altos do que deveriam. É uma espécie de cutuca Otto.
Aposentadoria Rural e Bolsa Família
Se tirarmos os votos de Dilma oriundos de pessoas que recebem o Bolsa Família e a Aposentadoria Rural não sobra muita coisa. É que no Brasil pobre sofre tanto que, uma vez conquistando um direito, acaba por transformá-lo numa ação benevolente de quem está no poder de plantão. Para piorar o nosso distanciamento da verdadeira democracia, petistas vivem a mentir sobre o fim dos direitos, satanizando Marina Silva como a usurpadora dos benefícios. Para azedar de vez, Marina Silva tem boas chances de ser a nossa futura presidente, mas sua maioria se configurará com os votos dos antipetistas. Estes votam em qualquer um para tirar Dilma e o PT do poder. Estamos longe da democracia que debata ideias para a evolução de um povo.
Com informações do UOL, revista VEJA, coluna Raio Laser da Tribuna da Bahia e do Bahia Notícias.