Exclusivo!

Juiz recebe 500 mil de salário. Direito ou privilégio?

Mirko Vincenzo Giannotte recebeu 503 mil em salários. Direito ou privilégio? A pressa em divulgar uma notícia pode levar um jornalista ...

Novidade

sábado, 6 de setembro de 2014

As constantes falhas da Heliópolis FM

                                                       Landisvalth Lima
Eu não deveria escrever esse artigo porque dizem que não adianta ajudar quem não quer ser ajudado. Mas fico inconformado com a situação em que se encontra a Heliópolis FM. E também o faço por se tratar de uma rádio comunitária. Na época da disputa pela conquista da emissora, minha associação ficou com a segunda colocação. Tínhamos um planejamento para transformarmos a emissora no veículo de comunicação mais importante do nosso município. Como a associação vencedora pertencia à filha do prefeito da época, o resultado todos já conhecem.
A força do rádio ainda é importante, mesmo diante do avanço da Internet. Heliópolis hoje conta com o Landisvalth Blog, O Impacto Jovem Blog, de Jorge Souza, O Falascocri, o Cheio de Arte e vários outros temporários, além dos institucionais. Eles atendem cerca de 3 mil internautas diariamente. Como se vê, não conseguem penetrar em todos os ambientes do município de Heliópolis. O Rádio é este veículo que vai onde o ouvinte está, daí sua importância e necessidade.
Ocorre que a Heliópolis FM, talvez por ser a única da cidade, vem desprezando os seus ouvintes com constantes e repetitivas falhas. Um certo dia, fui ouvir o horário eleitoral e ele transmitia o horário eleitoral de Brasília. Não conto as repetidas vezes em que o áudio do locutor está num volume consideravelmente alto e quando a música é jogada no ar o volume é quase inaudível. Esta semana, vindo de Juazeiro, fui marcando as cidades com rádio comunitária e comparando programação e qualidade. Depois do povoado Farmácia, após às 19 horas, todas as emissoras estavam ligadas na Voz do Brasil. A Heliópolis FM tocava um bregão daqueles e ainda passava comercial.
E não fica só por aí. Eu nunca vi uma programação mudar tanto. Muda-se de locutor como garota sapeca muda de namorado. Vez por outra entra um bom locutor, com uma programação jornalística até razoável. Quando a gente começa a gostar, o cara desaparece. Ninguém sabe por quê. Aí fica difícil formar um público fiel. Eu mesmo sou fã do rádio. Além da Heliópolis FM, ouço a Poço Verde FM, a Nação FM (de Fátima), a Buqueirão FM (de Cícero Dantas), a Pombal FM, a Educadora FM (de Salvador) e a Liberdade FM (de Aracaju). Raramente ouço problemas nestas emissoras, mas na Heliópolis FM os problemas começam a irritar. Neste sábado (06), vindo de Poço Verde, e ouvindo o horário eleitoral do rádio, quando entrou o sinal da Heliópolis FM no alto da Serra da Vaca Brava, tocava música em som quase inaudível. Matei a raiva ouvindo o CD do Forró das Gringas.